24.6.17

Em tempos de oração

Ana Pires

Um dia nos pátios das casas
hão-de acender-se fogueiras
para atrair a chuva
como uma crendice de tempos remotos.
Seremos, passo a passo,
errantes de longínquas viagens
ou peregrinos perseguidos 
em tempos de oração.

Graça Pires
De Uma vara de medir o sol, 2012

58 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Que lindo!! :(

Beijinhos
Bom fim de semana.

deep disse...

A fogueira como símbolo de comunhão. Muito bonito, Graça.

Bom fim de semana. Beijos

Marta Vinhais disse...

Viajantes à procura da fé... do Mundo... de si próprio....
Porque precisamos de acreditar que o Mundo não é só cinza....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Aline Goulart disse...

Muito bonito, Graça.
O tempo pode passar, mas os viajantes sempre necessitam, nesta jornada, o bálsamo da fé.

Ótimo sábado para você.
Beijinhos...

Daniel Costa disse...

Graça Pires
Um interessante poema, também pode ser comparado a uma fogueira, como as que serviam povos antigos, para se comunicarem à distância. Entretanto, não pude deixar de reparar no título do livro (?): "Uma vara medir o sol, porque me foi bem familiar o termo e seu uso, traduzi: "Uma vara para calcular a hora pelo sol".
Beijos

manuela baptista disse...

e a chuva veio

como nos tempos remotos, acreditamos que sim

errar é humano


muito bonito Graça!

Tais Luso disse...

Viajantes, peregrinos... No nosso caminho encontramos um pouco de tudo, tantos peregrinos que correm atrás da felicidade equivocada... Muitos se preocupam com o que o mundo lhes dará. Outros peregrinos andam atrás da liberdade total; outros procuram riqueza material, outros procuram o prazer do poder, outros procuram um infinito saber para que todos os considerem sábios! Mas o caminho se faz é com humildade para sempre aprender, com respeito, com compaixão e com um pouco de sabedoria. É um caminhar difícil, não tenho dúvidas.

Belo poema, querida Graça e com tantas reflexões contidas.
Um ótimo domingo pra você!

Vanessa disse...

Que poema lindo, gostei demais!!
bjss

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Graça.
Somos errantes na condição humana, portanto, precisamos do espiritual para nos ajudar na jornada diária.
Gostei.
Muito bonito.
Beijos na alma.

Teresa Almeida disse...

Tão forte e adequado ao tempo que gritará sempre em nós, em ardente oração.
Belíssimo poema, minha amiga.

Beijinho.

Graça Sampaio disse...

Muito bom!! Em tão poucas palavras (tão bem escolhidas e cerzidas) tanta sabedoria e conhecimento do mundo.

Muito bom.

Beijinho.

Evanir disse...

Amiga Querida.
Venho agradecer pelo seu carinho comigo,
eu sei que posso dizer és amiga eterna .
Sou grata por estar sempre a rodear me de carinho.
Tenho saudades amiga.
Mas a vida de rente nos deixa sem ar ficamos
com tanta saudades das pessoas que nunca me deixou sozinha.
Deus lhe de um Santo Domingo.
Beijos no seu coração.
Evanir.

Maria Glória disse...

O fogo, como símbolo de purificação, assim como a oração.
Belo Graça.
Beijinho e bom domingo.

Luis Eme disse...

Um dia, sim... que já esteve mais longe, mesmo dentro de um poema.

abraço Graça

Victor Barão disse...

Um quê de premonitório, com remotas raízes, neste magnifico: "Em tempos de oração"!

Beijo, com estima e gratidão :)

teresa dias disse...

Olá Graça!
A poesia é assim, com poucas palavras diz tudo!
Mas é só para quem sabe...
Belo poema.
Beijo.

baili disse...

I live in a world where my pilgrims took wrong turn to false fake beliefs and disgraced their followers faith with their greed and lust of power.
Absolutely precious piece of poetry dear Grace!!!

Isa Sá disse...

Para refletir...

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Agostinho disse...

Bom dia, Graça. É um privilégio ler estes poemas brilhantes, com uma essencia tão humana...

¥¥¥
Hão-de um dia?!
Mas como cumprir a profecia
se já não há guardiões do sagrado
do fogo acendia
dos lares a fogueira.

Os fósforos errarão sem alma
até serem um deserto de cinza.

Cadinho RoCo disse...

Estamos sempre buscando referências das nossas origens e eu daqui sempre buscando sua audiência na www.hellowebradio.com ... você.
Cadinho RoCo

Célia Rangel disse...

Peregrinos em nosso caminhar sempre em busca de momentos indeléveis...
Abraço.

Benó disse...

Seremos sempre peregrinos em busca de qualquer coisa porque nós, os humanos, nunca estamos satisfeitos com o que temos, queremos sempre mais. E nunca sabemos nada. O nosso conhecimento será sempre incompleto.

Sofia disse...

Uma boa leitura para a acabar este fim-de-semana (=

Boa semana! Beijinhos

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Muitas vezes somos prosseguidos pelo passado.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

ManuelFL disse...

A excelente, e perturbante, foto da Ana Livramento, tal como o poema da Graça, desafiam o mundo arrumado e confortável de certezas em que muitas vezes nos refugiamos.
«Seremos … errantes de longínquas viagens», e um dia «nos pátios das casas hão-de acender-se fogueiras». Quem sabe?
Beijo.

Marta Moura disse...

Boa semana!

© Piedade Araújo Sol disse...

peregrinos, sempre
no passado e no presente
um belo poema com uma foto muito a condizer.
boa semana.
beijinhos
:)

Bell disse...

Simplesmente lindo!!

bjokas =)

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi querida Mestra/Poetisa, Graça Pires !
Um belo e misterioso poema, com sabor de
profecia.
Parabéns e um afetuoso abraço, aqui do
meu Brasil.
Sinval.

José Carlos Sant Anna disse...

Um dia, talvez, nos arrependamos de não ter sido tão puros porque só os indiferentes não reconhecem que somos todos peregrinos. Vamos conjugar o secreto alfabeto da oração e acender fogueiras. E deixar que os pombos da paz repousem sobre nossos ombros todos os dias.
Beijo, Graça! E uma boa semana!

solfirmino disse...

Que lindo! Acho que esse dia chegou...
Um beijo

Smareis disse...

Lindo demais. Sem palavras!
Beijo, Graça!
Uma boa semana!

Franziska disse...

Conmovedora imagen de palabras que brotan de una profunda reflexión. Bello y breve, dos veces bueno. Parabens. Un abrazo. Franziska

Poções de Arte disse...

Não devemos nos distanciar do Criador.
Vivemos tempos de perseguição e só joelhos no chão nos dão o alimento para lutar.
Abraços esmagadores e feliz dia.

Lídia Borges disse...


Atualíssimo! Palavras de e para sempre...
Como todas as de «Fui quase todas as mulheres de Modigliani» que mantenho à mão. Belíssimo livro, Graça!

Beijinho

Lídia

São disse...

DEus não quer as pessoas nem de joelhos nem de rastos ... nem sequer é verdade que tenha oferecido Jesus como vítima inocente para resgatar os pecados - e ainda por cima , só de quem veio depois dele.

Gostei muito do poema

Amiga, abraço grande

Lucinalva disse...

Olá Graça
A oração é a chave da vitória. Lindo poema. Bjs

lis disse...

Que sabemos nós sobre o mistério da Fé?
Tudo pode quando o coração clama e só quem crê, verá!
Belo poema,Graça

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Um poema muito belo e muito profundo.
Somos errantes e eternos peregrinos na busca de algo que suavise a nossa vida no apaziguamento da alma.
A foto é linda, como uma oração.
Beijinhos e continuação de boa semana.
Ailime

Lourdinha Vilela disse...

A fé tem que ser fogueira que arde no peito para que não percamos a esperança. Belo.
Que a oração seja livre espontânea como o respirar.

Ana Tapadas disse...

Que sabemos nós?
Tão belo o poema...
Beijo meu.

Toninho disse...

Eu que já vivi todas as formas de crenças
no pedido às chuvas, viajo no seu poema Graça.
Ainda vejo o menino com uma garrafa com água,
para molhar o pé da grande Cruz no alto de uma serra.
Mas as chuvas não vieram, mas a fé persistia e chovia.
Meu carinhoso abraço.
Bjs.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, como seres humanos somos e possivelmente seremos errantes, lindo e profundo poema, como sempre acontece.
Continuação de boa semana,
AG

Majo Dutra Rosado disse...

A humanidade carrega pesada herança em sabedoria prática...
Uma hábil síntese da breve passagem terrena...
Beijinhos
~~~~

Mãe Maria disse...

difícil perceber a fé. Eu não tenho a certeza se o sou.

Aleatoriamente disse...

Na tua maneira poeta de oração Graça, eu digo amém!

Beijinho minha querida muito querida.

Odete Ferreira disse...

Já tinha lido, mas há poemas que me impelem à espera. Não pelas palavras a dizer mas pelo imenso do memorial que me despertam. É o caso. Os rituais dizem tanto das pessoas que só o silêncio a falar cá dentro é o meio mais expressivo de comunicação. E não é fácil traduzir em palavras.
Oremos, pois!
Como o fizeste, tão bem, em 2012!
Bj, Graça

dinapoetisadapaz disse...

Olá Graça, vim te visitar e conhecer seu trabalho, leio versos sensíveis e profundos, a fé e a esperança é tudo.
Abraços!

graça Alves disse...

Que maravilha!
beijinhos

tulipa disse...


Boa tarde Graça,

Parabéns pelo poema muito belo e a foto a condizer

Penso que todos somos crentes ou peregrinos na busca de algo
que nos ajude neste Caminho!

Fico pensando:
Seremos, passo a passo,
errantes de longínquas viagens
ou peregrinos perseguidos
em tempos de oração.

Obrigada pela visita aos meus blogues.
As suas palavras incentivam-me!

Beijinho
e quase bom fim de semana.

FATIMA WINES disse...

Olá, Graça!

Acreditar é preciso.A fé é uma alavanca do hoje e porto seguro do amanhã que se quer cada vez melhor.Fé e ciência são compatíveis.
Abraço,

Ana Freire disse...

Quanta sabedoria haveria em tempos remotos... e quanta sabedoria se perde... hoje em dia, por não se prestar muita atenção a algumas tradições...
Um belo poema, Graça, com a fé como motivo inspirador... e como fio condutor... que nos vai ainda ligando a todos, através dos tempos...
Beijinho! Bom fim de semana!
Ana

Pedro Luso disse...

Este poema, "Em tempos de oração", que um dos que compõem o teu livro "De Uma vara de medir o sol, 2012" tem a marca da poetisa sensível e de talento.
Belíssimo poema.
Um beijo, Graça.
Pedro

Fá menor disse...

«peregrinos perseguidos em tempos de oração» seremos. Somos.

Bjinhos

Jaime Portela disse...

Mal será se só rezamos quando estamos encostados à parede...
Mas acontece muito, na verdade.
Excelente poema, como sempre.
Graça, um bom fim de semana.
Abraço.

Olinda Melo disse...


Sim, talvez a oração nos salve.

Obrigada, Cara Graça.

Bj

Olinda

Majo Dutra Rosado disse...

Tem uns olhos quase perfeitos... talvez lhe conhecesse a alma...
Um poema notável que funciona como uma legenda extremamente lúcida,
de grande sensibilidade.
Beijinhos, Amiga
~~~~~~~~~~~~

AC disse...

O mundo está em convulsão, todos o sentem. Talvez o poema, revelador de angústias transportadas pela lucidez, seja postigo de aviso para um futuro duro, intolerante...

Um beijinho, Graça :)