26.8.08

Em seara alheia


Precisava de falar-te ao ouvido
De manter sobre a rodilha do silêncio
A escrita.
Precisava dos teus joelhos. Da tua porta aberta.
Da indigência.E da fadiga.
Da tua sombra sobre a minha sombra
E da tua casa.
E do teu chão.

Daniel Faria
In: Poesia. Vila Nova de Famalicão, Quasi, 2003

26 comentários:

LM,paris disse...

" o homem lança a rede e nao divide
a àgua
o pobre estende a mao e nao divide o reino

é tempo de colheitas e nao tenho
nem um pequeno rebento de oliveira nem uma seara. "

" do inexplicàvel", daniel faria

O que acrescentar graça?

envolvente.

Merci, bjos
LM

Paula Raposo disse...

E quem não precisa de tudo isto?!Um belo poema...beijos.

Eduardo Aleixo disse...

A sombra sobre
a tua sombra...
É um sol?
São dois sóis?
Um lençol?
É sempre luz.
E caaa.
E silêncio.
Com mar à porta.

Um beijinho.

Eduardo

Bandida disse...

poema absoluto.

belo!!

Pena disse...

Linda Amiga:
Um poema sensível em que se destaca o sentimento apelativo num todo repleto de brilhantismo e ternura.
Talvez, a sensação de autêntica e de verdadeira pureza do seu terno Ser.
Adorei!
Destaco o poema na sua linda globalidade, as palavras parecem sentir-se em nós:

"Precisava de falar-te ao ouvido
De manter sobre a rodilha do silêncio
A escrita.
Precisava dos teus joelhos. Da tua porta aberta.
Da indigência.E da fadiga.
Da tua sombra sobre a minha sombra
E da tua casa.
E do teu chão..."

Íntimo. Profundo. Belo!
Adorei, fantástica amiga poeta.
Beijinhos

pena

Parapeito disse...

Gostei da tua escolha :)

Gosto sempre de ler Daniel Faria.
Deixo te magnólias :)

"Que a magnólia te cresce como um livro entre as mãos. Ou melhor,
Que a magnólia - e essa é a verdade - cresce sempre"
*****

De Amor e de Terra disse...

Olá Gracinha, boa tarde; obrigada pela visita.
Muito belo este poema.
Obrigada também por o partilhares comigo(connosco).

Beijos

Maria Mamede

hfm disse...

Gosto tanto dos poemas dele. Um beijo

RB disse...

E continua a precisar de tudo...

teresa p. disse...

Lindo e envolvente este poema de Daniel Faria.
Beijo.

JPD disse...

Olá Graça

Gosto muito da poesia do Daniel Faria.

Alias, de vez em quando edito poemas dele.
Belíssima escolha.
Bj

http://cinzasdecarvalho.zip.net disse...

Cumplicidade, acolhimento, intimidade, sustentação, apoio...
Belo poema.
Lerei Daniel Faria. Gostei muito.
Tenho aprendido e conhecido muito por aqui.
Bj gde.
Bárbara Carvalho.

Luís Nunes disse...

Morreu novo mas deixou-nos tanto. Adoro a poesia do Daniel.

Querida Graça obrigado pelo livro que me ofereceu, certamentre retibuirei o gesto. E já agora agradeço também por colocar o link do meu blog no seu que é tão visitado. Beijo no coração.

O Profeta disse...

Uma rosa breve
Uma hortênsia de alva cor
A terra molhada pelo sereno
Nos celeste paira um Açor

A madeira verde, a dança do fogo
O embalo do loureiro no vento, o alecrim
Um ribeiro de inquietas águas
Levam o perfume das mágoas em viagem sem fim


Convido-te a sentir a minha paleta de aromas


Mágico beijo

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Não conhecia Daniel Faria. 'Em seara alheia' é sempre um presente.
Todos sempre precisamos de muito ou de pouco, ou de tudo isso.
Beijo no coração

Alfazema Azul disse...

Lindíssimo. Obrigada pela partilha.

Beijinhos

adelaide amorim disse...

Um poema com um "clima" perfeito, Graça, bem ao estilo dele.
Beijo.

São disse...

Obrigada por me apresentares Daniel Faria, Graça.
Beijinhos.

Luís disse...

tão físico, tão profundo, tão completo...

abraço Graça

(luis eme)

maria disse...

Que bela escolha a tua!
Um beijinho

dona tela disse...

Tive o meu primeiro SELO!

Beijinhos.

soledade disse...

Da intimidade e da cumplicidade com o único Outro - é disso que precisamos, sim.
Um beijo, Graça

isabel mendes ferreira disse...

um talento. denso. que deve estar a falar com a terra. no alto do mundo.


.



que re.prazer G.
.



beijo.

Mïr disse...

O Poeta Maior.

ivone disse...

precisava de ti...assim em mim.



bela ilustração com matisse um dos meus eleitos

pin gente disse...

é como precisar de um colop