16.3.09

No ângulo da escrita

Magritte


Contadas pelos dedos, as sílabas
parecem irrelevantes no poema.
Não fora a insuspeitada orgia

com que as letras se misturam
e o sentimento seria, somente, um polissílabo
mudo, imóvel, nado e morto no mesmo som.
Encosto as mãos à grafia de um verso
e enceno, ao redor dele, um calado aviso.
Sem rumo, ouço o meu vulto crescer
em direcção a um sobressalto masculino ou solar.
Um cheiro de relva aparada impõe um círculo
de recordações no ângulo da escrita.


Graça Pires
De Conjugar afectos, 1997

57 comentários:

PreDatado disse...

mas é a mistura das sílabas que com ou sem métrica fazem surgir formas destas.

Fa menor disse...

No ângulo da escrita...
tanto para sentir nas palavras não ditas!

belo poema!

Bjs

CNS disse...

O azimute belo da tua escrita...

Marta disse...

E tudo se escreve e se dá um sentido único....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

VFS disse...

um sentimento bem sonante,
expresso por uma escrita bem forte.

bela celebração da criação!

Teresa Durães disse...

também para mim o odor da relva cortada leva-me a outros momentos

Mariana disse...

lindo.

JMV disse...

Encanta-me a forma como termina.

um beijinho

Eduardo Aleixo disse...

O que dizes ( escreves ) é importante, a relevância das sílabas, dos sons, dos tons, dos espaços, dos significantes, do burbulhar dançante, efervescente, do que se esconde debaixo da pele do poema, corpo-vivo, a que o poeta está atento, não se sentindo bem com a mais pequena dissidência. É como o mar e as ondas, cuja autonomia é ilusória e só tem sentido integrada no todo que é o mar. Beijinhos. Eduardo

firmina12 disse...

Custa-me dizer só: é um excelente poema, pois sinto-me muito pequena perante certas palavras. um abraço

simplesmenteeu disse...

A febre... dá asas à urgencia dos dedos e é nessa dança lasciva das sílabas que a emoção se liberta.
Um Beijo

Paula Raposo disse...

A poesia é isto!! Lindo, Graça...muitos beijos.

heretico disse...

orgásticas as silabas. que tão bem teces. e que explodem em teus dedos. em vertigem de sentido(s)refulgentes.

belíssimo

beijo

tecas disse...

Com ou sem métrica as palavras soltam-se da alma e...nasce poesia.
Obrigada pela visita e votos manifestos de sucesso.
Um abraço amigo

adelaide amorim disse...

Toda a riqueza das sílabas, dos sons, dos sinais - muito bem dito, Graça. Beijos.

vaandando disse...

Um poema conjugado, e de que verso Poeta?

Procuro sem encontrar os seus livros , ou melhor tenho-os encomendados há quase dois meses!
Beijo
___________ JRMARTo

A.S. disse...

As tuas palavras
vêm de lugares fragmentários,
onde o magma respira
o gémen das sílabas...


Abraços...

Pena disse...

Um poema belo, soberbo, que encosta as mãos à escrita perante o sobressalto da silhueta masculina.
Excelente! Um "sentir" poético numa sensibilidade extraordinária. Perfeita!
Beijinhos de imenso respeito.
Adorei!


pena

JPD disse...

Eis uma petfeita definição de poesia e a exaltação das emoções que ela (poesia) sempre consagra.

Muito bem, Graça

Artur Gonçalves Dias disse...

sílabas divinais..


Saudações

Luis Eme disse...

sim...

um circulo largo de recordações...

abraço Graça

Pedro S. Martins disse...

uma escrita que cai no meu colo.

Sophie Gaarder disse...

... e é o próprio acto da escrita que inspira o poema...
Esplendoroso enredado de emoções e grafia!

Beijo

alice disse...

é sempre bom quando a graça nos traz poesias suas do passado, pois que as sílabas podem não ter relevância, mas desse ângulo da escrita tudo parece diferente :) um grande beijinho.

(o seu comentário de hoje deixou-me muito feliz, muito obrigada!)

teresa p. disse...

Da "orgia com que as letras se misturam" nasce o poema...
Mágico!

Beijo

Mofina Mendes disse...

Não dá para contar pelos dedos as emoções que os seus poemas transmitem...

Bjs

dona tela disse...

A minha escrita é redondinha. Não tem muitos ângulos. Mas mesmo que tivesse eu era lá capaz de dizer coisas assim.

Muito boas tardes.

Mésmero disse...

Ângulo bom de se ver as palavras você tem.


Vênia!

partilha de silêncios disse...

"um cheiro de relva aparada impõe um círculo de recordações no ângulo da escrita."
Sim, sem dúvida e perante isso,"as sílabas parecem irrelevantes no poema ".

É sempre um prazer, passar por aqui!

Bjs

Gisela disse...

Graça,

Os seus versos parecem "estradas que serpenteiam até à cidade na colina cheiram a flores de amendoeira...flutuam, como a alfazema, por longa distância"

Li Shang-Yin(813-858), Chuva na primavera e outros poemas



Um beijinho por tão belo poema!

Peter Pan disse...

Linda Amiga:
Um poema belo. Lindo. De fascinar e sensibilizar numa poetisa sensível que faz parte dele, do belo e mágico sonho das deliciosas e brilhantes palavras que "comanda" com doçura e ternura.
Sublime. Lindo. Saído de uma interioridade deslumbrante de pureza e beleza.
Adorei! Fabuloso.
Beijnhos de amizade e respeito.
Com admiração e consideração gigantes


p.p.

Peter Pan é um heterónimo de Pena.
Bem-Haja, amiguinha. Para os seus também.

Vanessa disse...

Humm.. e escrever é tão bom...
é como sempre digo, é quase uma terapia e das mais agradáveis..rs

bjss

pront'habitar disse...

e em qualquer floresta podem habitar perigosas feras...

isabel mendes ferreira disse...

este sentimento de "Um cheiro de relva aparada impõe um círculo
de recordações no ângulo da escrita."
______________


este sentimento Graça é o elo. que nada nem a distância quebra!


NUNCA!


______________nunca me canso dos seus ângulos que arredondam o prazer de uma re.leitura.



o abraço.

maré disse...

amplamente
crescendo como uma voz
no sobressalto das sílabas
.

o pressentimento dos códigos indecifráveis da memória.

______

um beijo
grande e solar Graça

Maria Clarinda disse...

Divinal a maneira como jogas com as sílabas e formas um poema maravilhoso.
Jinhos

AnaMar (pseudónimo) disse...

E assim nasce o poema em bela poesia.

mateo disse...

... e as sílabas reagiram só com o aviso das tuas mãos?
Creio que o sobressalto ajudou.
Autênticos ângulos de ler a tua escrita... esta!
Beijo.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Graça, você sabe como ninguém como Conjugar Afectos com tuas palvras, o que torna o ângulo da tua escrita sublime tal qual um firmamento estrelado de emoções.
beijo no coração

© Piedade Araújo Sol disse...

poema para ser lido de várias maneiras, muito bem conseguido, como aliás já nos habituou.

um beij

Leila Andrade disse...

O ângulo que nos conduz e seduz
sempre este o da escrita.
Bjo

Adriana disse...

adoro os poemas em que as letras e palavras tomam vida...as letras aqui, cada uma delas, cheias de possibilidades.

http://cinzasdecarvalho.zip.net disse...

Vejo que temos amigos novos e os antigos por aqui. Apareço mais timidamente no afã de retomar meu gosto pela literatura. Dias agitados, dileta amiga. Mas não há maré que não vençamos. Bj no coração.

São disse...

Estamos sempre no interior de um circulo de recordações, não é?
Bom fim de semana, Graça-

Anónimo disse...

Bom dia Afecto!!!!

Bom dia Poesia.



Beijo
grande.


(Graça, pf. dê o meu abraço sentido ao Victor...de repente estou impossibilitada de ir...o que me entristece...Mas estarei convosco, hoje particularmente)

obrigada G.


imf.

Peter Pan disse...

Perfeita e Doce Amiga:
Um sensível Post em deliciosa poesia que adorei. Feito com uma pureza linda e fabulosa.
Parece mágica a sua sensibilidade maravilhosa.
Sabe, estou sozinho no Cantinho da Terra do Nunca. Penso que não fiz mal a ninguém. Seria impensável.Houve uma transformação no essencial nas pessoas e no seu visual. Tenho uma pena do Peter Pan...coitado...
"Mexeram" com pessoas dedicadas. Com a interioridade do seu Mundo. Com a imensa dignidade e entrega responsáveis de sempre.
Todos os dias da semana que entro naquela sala, vejo rostos tristes, gastos, cansados, onde outrora, habitava a alegria. E, era tanta!
Todos os dias vejo apreensão, mesmo tristeza, onde, outrora, morava o encanto e a felicidade.

Sim! Refiro-me ao controverso Novo Sistema de Avaliação de Professores!
Olhem, isto mexe também com as famílias destes. Com a sua interioridade.
Beijinhos pelo seu terno e delicioso sentir enternecedor. Majistral! Que encanta, delicia e maravilha.
Com respeito gigante

p.p.

Licínia Quitério disse...

Bom dia, Poetisa, neste teu dia de todos os dias!

Um beijo.

Beta disse...

Começo a desconfiar que em toda minha visita irei me repetir, na continuidade ad eternum de meus elogios. Que posso fazer? Virei fã.

Destaco a precisão, a singeleza, e o lirismo intenso que comumente vocês poetas portugueses têm, exemplo do extremado amor por nossa Língua.

Bjos, e parabéns!

Parapeito disse...

mais uma vez gostei..vou daqui depois de ter expirado o belo cheiro da tua escrita...hoje a cheirar a relva cortada :)

Um bom fim de semana***

mariab disse...

e que bom é, ver a escrita deste teu ângulo! belo, belo. beijos

viernes disse...

muito belo poema, com a perfeita companhia da pintura de Magritte...
parabens!
um beijo

tempusinfinitae disse...

Belissimo duo, as suas palavras e Magritte.

Há palavras que dão mãos ao sentir.

Belo, sim.

dona tela disse...

Poesia é a Senhora. Pois que seja também Primavera.

Muito bom dia.

maria m. disse...

magnífico poema sobre a escrita!

um beijo, Graça.

Hercília Fernandes disse...

"Encosto as mãos à grafia de um verso
e enceno, ao redor dele, um calado aviso".

Lindas imagens, minha amiga. Destaco essa porque a poesia consiste uma forma "silenciosa" de dizer tudo e mais um pouco.

Seu poema constitui um "calado aviso" dos mistérios que permeiam os sentimentos e os fenômenos da criação poética. Parabéns!

Forte abraço,

H.F.

Menina_marota disse...

"...Não fora a insuspeitada orgia
com que as letras se misturam
e o sentimento seria, somente, um polissílabo
mudo, imóvel, nado e morto no mesmo som."

Sinto-me um ponto pequenino entre as suas palavras.

Beijo

De Amor e de Terra disse...

E que bem conjugados estes afectos!...


Beijos


Maria Mamede