7.1.10

O rumo das palavras

D'Ângelo


No fim da tarde, apenas é incerto
o rumo das palavras.
Divago entre verbos uma intriga qualquer
cruzando hipóteses sobre hipóteses,
escada de múltiplos sentidos
por onde vou e venho e volto
e me transformo num absurdo Sísifo
neste vai e vem inconsequente
que faz calar os deuses do efémero
e me arrasta o pensamento
até à criação de não sei que esperança,
de não sei que fantasmas do meu próprio sangue
onde todos os rostos são mortais
mas possuem a marca de almas
condenadas a um lendário paraíso.

Graça Pires
De Conjugar afectos, 1997

60 comentários:

Paula Raposo disse...

É sempre um prazer ler-te. Obrigada. Muitos beijos.

Marta disse...

As palavras traçam o seu próprio rumo...
Como as tuas...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

d'Angelo disse...

Questionamentos que se expressam num labirinto de beleza, onde a única certeza é o destino de ter a poesia nas mãos. Que calem-se os deuses para que ouçamos a sua voz.Uma honra o crepúsculo da minha terra ao lado da harmonia ímpar das suas palavras.

Déia disse...

Que foto linda!

Amo o fim da tarde, apesar de acha-lo um pouco triste...

Mas é lindo, as cores do céu, a naturza viva dando adeus a mais um dia da nossa vida!

bj

Pena disse...

Fabulosa Poetiza Amiga:
Um poema onde as palavras são direccionadas para uma significação visível e óbvia de profundeza sentida.
De maravilhar e encantar.
É uma notável e brilhante poetiza de fascinar.
Excelente, o seu sentir!
Abraço amigo de respeito imenso pelas suas "explosões" poéticas admiráveis e perfeitas.

pena


Tem uma sensibilidade GIGANTESCA para fazer maravilhosos e notáveis versos, extraordinária e bela amiga.
Parabéns sinceros.
Bem-Haja, pela sua amizade sincera.

carlos disse...

Graça, as palavras umas vezes são arrastadas e outras vezes embaladas pelos ventos...A diferença está entre um vazio e um sentido...Beijos. Carlos

© Piedade Araújo Sol disse...

G.

a tua poesia continua belissima.

gostei e gostei tambem da foto.

um beij

segredo disse...

"A MARCA DAS ALMAS"... k lindo e profundo.
Quando aqui venho fico tão encantada k nem sei k dizer!
Beijinho de lua*.*

manuela baptista disse...

todos os rostos são mortais

e os corações
e os olhos
e os cabelos

e se Sísifo
é um mito
na futilidade de um mundo desprovido de Deus

não encontro eu
o rumo do paraíso terreal

...

mas aqui encontro o rumo das palavras
as suas!

um beijo

Manuela

Adriana Karnal disse...

Graça,
Esse poema é do D´Angelo?
é lindo...Feliz 2010 pra vc amiga.

Braulio Pereira disse...

umma delicia
para mim ler-te
suave melodia
as tus palavras..

beijos poéticos..

Teresa Durães disse...

Hoje queria acreditar em Deus ou Deuses. Hoje necessitava mesmo em acreditar. Um desabafo, masgostei, coo sempre do teu poema

A Magia da Noite disse...

a incerteza das letras oferece-nos a beleza das palavras que se soltam em dúvidas que quase parecem certezas.

Braulio Pereira disse...

venho agradecer teu lindo comentario e a tua visita..

és poeta flor
essencia divina..
fonte de Amor.
beleza suave e fina.


beijos...

Eduardo Aleixo disse...

Mortos os deuses efémeros, o que fica, mesmo sendo mortal, já recebe o bafejo esperançoso das almas,.. Um beijo

avlisjota disse...

Os sentidos que nos arrastam como fantasmas de nós mesmos...

Lindo poema!

beijos

José

Daniel Hiver disse...

Belíssimo poema. Me passou a idéia de alguém solitário no fim de tarde. Alguém cercado por palavras e entregue aos próprios pensamentos.
Como na foto o sol vai se pondo e então é possível entregar-se a arte de criar mais uma esperança que não se sabe e nem cabe em si.

Manu disse...

Olá Graça! Venho aqui dizer que um dos meus projectos para 2010 é a divulgação de poetas editados e já está em marcha. Hoje é o dia "Graça Pires", pode conferir em http://blog-poetas.blogspot.com/
Beijo

Ana Oliveira disse...

Graça

Belissima foto.
Sentidas as palavras que procuram rumo e nos "condenam" ao paraíso de acompanhar a caminhada.

Obrigada pela visita, e sim, o destino somos nós que o fazemos.

Um beijo

Ana

Virgínia do Carmo disse...

Gosto muito de passar por aqui...

Beijinho grato pela dádiva das palavras...

Argos disse...

Olá Graça

Mesmo rodeados de palavras podemos sentir a solidão.

Uma braço

Luis Eme disse...

é verdade...

a nossa eterna condenação...

Maria Clarinda disse...

(...)Divago entre verbos uma intriga qualquer
cruzando hipóteses sobre hipóteses,
escada de múltiplos sentidos
por onde vou e venho e volto
e me transformo num absurdo Sísifo
neste vai e vem inconsequente
que faz calar os deuses do efémero
e me arrasta o pensamento
até à criação de não sei que esperança,


E com os seres do ar criaremos todas as epoeranças...as que realmente anseias...
Lindo, o teu poema, como não podia deixar de ser Graça, obrigada por ele

Pena disse...

Linda Amiga:
Um poema sensível e lindo, onde tem força o encanto, as hipóteses e o discernimento muito vivo e apurado.
Caracteriza-o, uma gigantesca indefinição extraordinária e perfeita.
Majestoso.
Parabéns sinceros.
É uma poetiza de sonho.
Bem-Haja, pela sua amizade que é recíproca.
Abraço de um profundo respeito.
Sempre a lê-la atentamente, pelo preciosismo e brilhantismo do que escreve.
Com admiração.

pena

Fabulosa, Ser Humano ímpar.

maría nefeli disse...

Há dias assim...
Belo poema.
Um beijo

alice disse...

há palavas que tornam o rosto de quem as escreve imortal. e esse é certamente o seu exemplo, querida graça. um grande beijinho*

tb disse...

às vezes as palavras levam um rumo que parecem ter vida própria. Como esta poesia sempre tão bela. :)
beijinho

heretico disse...

as palavras "habitam-te". com a naturalidade de água que jorra na nascente...

admirável poema.

beijo

Mar Arável disse...

A complexidade do simples

é extremamente difícil

A minha amiga

escreve na água corrente

e transporta-nos

Bj

Vieira Calado disse...

Já me habituei a encontrar sempre

a grande qualidade nos seus poemas.

Beijinhos

viernes disse...

é belo, a ideia dos fantasmas próprios é a materia do poema...

beijos!

Fernando Campanella disse...

Que se calem os deuses do efêmero, somos sísifos que enganam a esses deuses, embora estejamos 'condenados' a eternamente buscar nosso paraíso interior... antigos poetas completaram parte do percurso, outros continuam e continuarão, de um paraíso que só entrevemos quando 'os neurônios se distendem e uma certa luz toca o eterno na cela da hora'.
Belíssimo poema, minha querida amiga, e adorei ver a foto do nosso querido amigo D'Ângelo a ilustrá-lo. Um beijão.

maré disse...

o rumo das palavras será sempre o destino que o coração sempre escolhe.
e ainda que os rostos se tornem efémeros a marca das almas será medida que multiplica raízes no pensamento e nos condena à esperãnça.
___

muito obrigada minha querida. guardo-os junto ao coração. os nossos não serão efémeros. alimenta-os uma beleza mais profunda.
UM GRANDE BEIJO GRAÇA

Chris disse...

Mais um poema sublime!!
Obrigado pela partilha de tanto encanto.
Um beijo
Chris

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Fins de tarde de alma tão forte como as palavras!
abraço, Poeta!
_________ JRmarto

Artur Gonçalves Dias disse...

qual o rumo das palavras? talvez o mesmo que segue estas reticências...

gabriela r martins disse...

não sei "o rumo das palavras"
mas sei o rumo dos POETAS inscrito na desarmonia dos deuses


BELO



.
um beijo

Mofina disse...

Sublime como sempre.

Bjnhos...

teresa p. disse...

"...e me arrasta o pensamento
até à criação de não sei que esperança..."
O poema é belíssimo, tal como a foto.
Beijo.

Monte Cristo disse...

As palavras são os nossos (os teus) labirintos. Desconfio que é lá dentro que estamos bem.

Beijos.

Baudolino disse...

Desejo sempre o rumo incerto das palavras.
abraço
P.

partilha de silêncios disse...

Gosto do fim de tarde, num espaço aberto, enquanto o sol se deita.

Gosto muito do seu conjugar de afectos.

Um beijo e um ano muito feliz.

A.S. disse...

Graça... por feliz coincidência também hoje falo das palavras...

Este teu poema... calou fundo em mim!


Beijos
AL

batista disse...

incertas ou não, as palavras, de hoje ou ontem, tocam nossa alma e mente. tuas palavras, Amiga, belas, tangíveis.
deixo um abraço fraterno.

Licínia Quitério disse...

Esse deambular das palavras, nas palavras,até ao sempre, até ao nunca, é o teu grande ofício, Poetisa!

Um beijo.

Carlos Teixeira Luis disse...

Obrigado...
... pelo poema,
pelos comentários motivadores,
pela luz e brilho das palavras... chama-se poesia...

Um abraço,
Carlos T. Luis.

Úrsula Avner disse...

Oi Graça,

poema intenso, rico, belo... Bj com carinho.

Úrsula

VFS disse...

big bang em criação,
génese em mutação

no divagar do verbo

belíssimo, como sempre.

Sonia Regina disse...

Muito bom, parabéns!

São disse...

O= discurso é um labirinto ...e, segundo a antiga sabedoria, nele está a nossa evolução.

Um dia com menos chuva de que aqui.

Tétis disse...

Olá Graça

Mais uma maravilha que brota do teu coração, do teu sentir e da tua pena poética.

Sempre que por aqui passo fico encantada, fascinada. Acredita que bebo cada verso, cada palavra, cada sílaba com sofreguidão e prazer.

Beijinhos

Jaime A. disse...

Caminhos incertos trazem palavras que nos fazem pensar...
O verbo não será assim tão incerto na maestria com que é tratado...
Beijo e bom resto de semana

Nilson Barcelli disse...

Uma excelente "divagação"... feita poema... "onde todos os rostos são mortais mas possuem a marca de almas condenadas a um lendário paraíso."
Ler-te é um festim para os sentidos. Gostei imenso deste poema, querida amiga.
Beijos.

Desnuda disse...

Graça, você nos faz delirar com seu talento e sensibilidade.

Beijos, com carinho

Só Eu (Ricardo) disse...

Olá Graça.
De volta, acabei de aportar no teu "espaço". Que delicia repousar a saudade lendo-te.
Agora vou passar a "visitar-te" sempre.
Beijinhos com ternura
Ricardo

Laura disse...

Sempre bom aqui voltar.
Cheira a calma e a palavras.
Não consigo imaginar combinação melhor.

Um beijinho.

ellen disse...

É bom poder ler os seus poemas...

Beijinho

Lou Vilela disse...

Estava com saudades de te ler. ;)

Beijos

Parapeito disse...

o rumo das palavras...
as tuas chegam sempre ao meu coração
Um abraço****

Menina Marota disse...

Na conjugação de afectos o rumos das palavras segue o do pensamento e das acções do coração.

Levo-o para o CPV.
Obrigada.

Um abraço e uma boa semana.