29.9.10

Em seara alheia

Sentaram-se na areia e descalçaram os sapatos.
Puseram-se a contar pelos dedos os barcos
que faltariam para chegar o verão.

Nenhum deles falava. Tinham passado juntos
algumas noites, num quarto sem vista. E, embora
julgassem o contrário, não conheciam um do outro
muito mais do que isso.

Estavam ali sentados para ver se acontecia alguma coisa.

No verão
alguém viria forçosamente buscá-los.

Maria do Rosário Pedreira
In: A casa e o cheiro dos livros. Lisboa: Quetzal, 1996

33 comentários:

hfm disse...

Como ela sabe escrever!

Luis Eme disse...

sim, no Verão acontecem sempre mais coisas...

abraço Graça

Licínia Quitério disse...

Especialíssima Poetisa esta. Excelente.

Obrigada por a teres trazido.

Nota: Admiro muito a tua generosidade, Graça.

Um beijo.

Braulio Pereira disse...

as minhas saudaçôes amiga Graça

a essencia do teu comentario e tuas visitas me enobrecem. adoro ler-te sabias!!


abraço !!

São disse...

Parabéns a ti pela generosa divulgação.
Parabéns à autora pela qualidade.
Bom resto de semana, linda.

Pena disse...

Brilhante e Fantástica Poetiza Amiga:
Um poema divinal de encantar e maravilhar pela indiferença perante a vida. Sensível. Remeto-nos a uma tranquilidade imensa e absoluta.
Registo pela beleza e pureza:
"...Estavam ali sentados para ver se acontecia alguma coisa..."

Que "coisa" mais fascinante e sublime.
É perfeita no que concebe.
Parabéns.
Beijinhos amigos de respeito gigantesco pela grandeza da sua poesia soberba de encantar.
Sempre a admirá-la

pena

Bem-Haja, poetiza de sonho.
Adorei.

manuela baptista disse...

nós sabemos sempre

quantos barcos faltam
para chegar o verão

mesmo nos quartos sem vista

é imagético este poema de Maria do Rosário Pedreira, porque dizer bonito, é muito pouco!

um beijo

manuela

Lou Vilela disse...

Belas e fortes imagens!

Beijos,
Lou

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Vim cheirar os livros alheios!...

Saudações poéticas

Helena Figueiredo disse...

Olá Graça,
gosto desse seu gesto de publicar outros poetas no seu blogue, pois por vezes é uma forma de conhecermos outros poetas, que decerto nunca conheceríamos, se não fosse assim.
Obrigada.
Helena

alice disse...

apesar de ainda não ter nenhum livro desta autora, tenho gostado do que tenho lido pela net :) os barcos para o verão é uma imagem azul muito cativante. e serena... um grande beijinho, graça. e bem-ja pelo seu misteriosamente... há palavras que fazem toda a diferença num comentário!

Nilson Barcelli disse...

Foi um poema da Maria do Rosário Pedreira que me despertou para a aventura da poesia há cerca de 5 anos.
Mas ela não sabe disso... eheheh...
Gosto do que ela escreve e deste poema também.
Um beijo, querida amiga Graça.

Jaime A. disse...

Não estavam, sequer, de costas, mas havia tanto que os seus olhares aimda escondiam... talvez fosse a vergonha, a timidez, talvez devessem sentar-se desalços muitas mais vezes...

Maria Clarinda disse...

OLá Graça que saudades!!!Obrigada pela partilha!
Jhs mil

rouxinol de Bernardim disse...

O amor de passagem... de férias...

Bem descrito. Com a frieza que se impõe. Há quem aprecie...

tecas disse...

Sempre acontecem coisas novas que nos surpreendem no verão. Neste caso,é um texto maravilhoso.
Parabéns à autora e obrigada à Graça pela divulgação de uma poetisa de alto nível.
Bjito

Mar Arável disse...

Boa partilha

Bj

teresa p. disse...

Tempo da inocência e da esperança...
Gostei muito. Parabéns à autora!
beijo.

Marta disse...

Gosto muito da poesia da Maria do Rosário Pedreira e ofereci um à minha Mãe "A Casa e o Cheiro dos Livros".
A Mãe morreu em Maio e o livro está no meu quarto; às vezes, releio...São poemas simples, tão carinhosos....
Obrigada pela partilha....
Beijos e abraços
Marta

Ana Luar disse...

Fui reportada a alguns amores de Verão e senti o gosto doce da saudade que se sente quando se vive para além do viver somente.

tb disse...

Verão, onde os imprevistos acontecem.
Excelente a partilha, generosa a acção.
beijinho

Véu de Maya disse...

Prosaico e quase idílico.

beijnho,

Véu de Maya

De Amor e de Terra disse...

Este foi o primeiro livro que comprei desta autora de quem muito gosto.Livro esse que uma das minhas cadelas resolveu "ler" decerto e ao qual comeu parte das capas.Obrigada por me lembrares.
Bjs.
M.M.

partilha de silêncios disse...

A espera e a esperança no olhar...
Obrigada por partilhar.

beijinhos

viernes disse...

gosto muito desse livro da Mª Rosario Pedreira... Contar os barcos que faltam para o ver~ao, é muito belo!

um beijo

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

São pelos quartos sem vista que vemos o que habita em nosso íntimo.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

© Piedade Araújo Sol disse...

a Maria do Rosário PEdreira é uma autora brilhante, que dispensa apresentaçoes, este poema faz parte de um dos livros dela, que se lê de um folego.

uma escolha muito boa.

beijo

Menina Marota disse...

http://www.truca.pt/ouro/s_outros/graca_pires_novembro.mp3

O poema Novembro de Graça Pires ficou em 1º. lugar entre os 10 mais ouvidos no Estúdio Raposa.


Um grande abraço de Parabéns.
Bj

Vieira Calado disse...

Vim ver se havia novidades...

Bjs

helia disse...

Um belo momento de Poesia!
Obrigada pela partilha.

José Manuel Vilhena disse...

O verão...vai e vem.ficam cá dentro um a um como folhas.
:)

maria manuel disse...

das minhas poetisas de eleição! magnífica escolha.

abraço grande, Graça.

Parapeito disse...

sempre a delicadeza da partilha..obrigada Graça.
brisas mansas para si*