24.11.10

A oriente dos sonhos

Dorothea Lange


Aqui já ninguém se comove
com canções românticas.
Noutros lugares talvez.
Não aqui, onde há homens encostados
ao muro do desencanto,
esperando o fuzilamento da sua sombra
a oriente dos sonhos.

Graça Pires
Em Conjugar afectos, 1997

37 comentários:

hfm disse...

Perfeita fusão entre poesia e imagem. Belíssimo!

Helena Figueiredo disse...

Olá Graça,
Admiro os seus poemas,
pois dizem muito, em poucas e belas palavras.
Saudações.
Helena

Paula Raposo disse...

Ainda me comovo...beijinhos, Graça.

Pena disse...

Estimada e Preciosa Poetiza Amiga:
"...Não aqui, onde há homens encostados
ao muro do desencanto,
esperando o fuzilamento da sua sombra
a oriente dos sonhos..."

Perfeito. Lindo. Fabuloso versejar de sonho.
Excelente. Adorei. É lindíssimo. Feito com uma "Arte" poética que só podia ser concebido com beleza e encanto profundos por si.
Abraço amigo de respeito e estima gigantescas.
Com admiração constante pelo que concebe.

pena

Bem-Haja, notável poetiza.
Admirável.

Desnuda disse...

Graça,

aqui tudo é arte, sensibilidade e beleza. A foto e o poema são fortes, contundentes e belíssimos.

Beijos com carinho.

Braulio Pereira disse...

encolhe meu coraçâo...

arrepios..

beijos!!

Marta disse...

Em que se perde tudo...sem horizonte, sem brilho no olhar....
A dor é grande demais....
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

São disse...

Não será o teu melhor post, mas é um dos melhores. Absolutamente!

Parabéns, Graça.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

O desencantar de sentimentos sempre amedronta.

Beijo imenso, Graça linda.

Rebeca

-

manuela baptista disse...

nos lugares do coração, talvez...

mas há homens encostados
arredados, tão arredados dos sonhos

hoje, aqui

sinto-me a sul deste poema, onde ainda me comovo
com os pontos cardeais de outras canções

um beijo, Graça!

manuela

Luis Eme disse...

um poema especial, num dia especial, de muito desencanto e revolta.

beijinho Graça

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema alusivo a um dia que ficará, a imagem está muito bem escolhida.

beijo Graça

teresa p. disse...

"...há homens encostados
ao muro do desencanto,..."

Triste, mas sempre actual.
A foto é perfeita para ilustrar este belíssimo poema!
Beijo.

Benó disse...

Um poema publicado há 3 anos mas actual,hoje.
Até quando?
Um abraço Graça.

Vieira Calado disse...

Muito bom,

amiga!

Muito bom!

Saudações poéticas

avlisjota disse...

Aqui o coração dos homens endurece por nada perspectivar, sem futuro, sem sonhos...

Admirável!...

Olá Graça bom dia. Se eventualmente tiver algum problema com a entrega do livro, não deixe de me dizer.

Bjinhos

José

Carlos Ramos disse...

Aprecio a fotografia de D. Lange.
O poema também, sombras e fuzilamento, muito rimam.

Abraço

carlos pereira disse...

Cara POETISA Graça;
Excelente poema. LINDO!
Quem não sonha, não escuta canções românticas nem o pulsar da vida.
Gostei muito.
Um beijo.

A.S. disse...

Quanto tudo se esvai á nossa volta, apenas nos resta a sinistra sombra do patíbulo!


Beijo!
AL

partilha de silêncios disse...

Em Portugal, muitos são os homens e as mulheres actualmente encostados ao muro do descontentamento,e esperam ... a oriente dos sonhos.

Belo poema, para ilustrar a angústia do momento presente.

beijinhos

Vivian disse...

...tão triste quando perdemos
as ilusões!

bjinhos, Graça!

tb disse...

Belíssimo à flor da pele do sentir... :)
Beijinhos

alice disse...

aqui, comovo-me, sempre. um beijo, graça*

Mofina disse...

Não só a Oriente...
Um poema urgente e directo.

Bjs e bom fim de semana.

Licínia Quitério disse...

Graça, não sei dizer quanto me agrada este poema. Tem uma força espantosa. Uma precisão, uma concisão... É perfeito. Tem tudo o que se quer de um poema.

Um grande beijo, Amiga.

A marca das apalavras disse...

O olhar é igual ao muro. O mesmo desencanto.
descobri esta cantinho por mero acaso. E valeu a pena!

De Amor e de Terra disse...

Olá Graça, bom dia e bom domingo.
É verdade amiga, é infelizmente verdade.
Aqui e um pouco por toda a parte vai havendo cada vez mais "homens à espera do fuzilamento", de tantos e tão diversos fuzilamentos!
Dorido e comovente; parabéns!
Bjs.
M.M.

Eduardo Aleixo disse...

Há lugares assim, sim. Demasiados lugares assim. A preto e branco.
Desencanto.
Real.
Sem encanto.
Beijos meus.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Passa o tempo, os desencantos sucedem-se, os homens esperam dias melhores e eu comovo-me com este poema, com esta foto e...com canções românticas.

(mas deve ser pelo tempo que demorei a passar por cá :-)
Bjs

Parapeito disse...

Tu consegues comover doce Graça
Brisas mansas para ti*

viernes disse...

tristes palavras, tão actuais em muitos lugares deste mondo... Bela composição...
Um beijo

FlorAlpina disse...

Nem as sombras restam, quando o sol se esconde e a lua não brilha...

Bjs dos Alpes

Virgínia do Carmo disse...

O desencanto é a tragédia que a poesia resolve...

Sempre muito profundas, as suas palavras, Graça! Obrigada...

Bjos

Nilson Barcelli disse...

Imaginando que te referias ao país, como seria hoje o mesmo poema? Sim, porque há 13 anos ninguém pensava como seria o 2010...
Dizes tanto em tão poucas palavras.
O poema é excelente, pois claro.
Um beijo, querida amiga Graça.

Jaime A. disse...

Homens encostados a restos de vida, o fio do horizonte em restos de poete quase esquecido. Carregam nos ombros uma manhã sem sonhos; a bolsa está seca há tanto, que já nem lembram...

carol disse...

Este belo poema sugere-me o Alentejo com os seus velhos à espera, de quê?

dade amorim disse...

Pequeno poema perfeito, Graça.

Um beijo.