12.11.15

Em seara alheia



XVII

Este é o delírio que sempre me ronda. Senta-se comigo à mesa 
dos cafés. Escorre pelas páginas do que folheio. Dialoga com 
as minhas dúvidas, as minhas crenças, as minhas verdades, tão
provisórias e falíveis como todas as verdades. Este é o espectro,
que me acusa e protege, o súplice olhar ante a ganância do
mundo, frente à voracidade cônscia com que nos devoram a
esperança, frente ao frenesim que atravessa a História e com
que os criadores enfeitam a efemeridade da Arte ou com que os
crentes assinalam a sacralidade do princípio. Este é o delírio
que sempre me ronda, o reflexo fiel que nunca parte, o meu
nicho de miséria e grandeza, o estilete com que abro postigos
no breu. Esta é a minha loucura, aquela que defendo com unhas
e dentes, ou seja, a minha lucidez, serena e persistente como na
infância já se me oferecia.

Victor Oliveira Mateus
In: Negro Marfim. Fafe: Labirinto, 2015, p. 31 

52 comentários:

Rita Freitas disse...

Interessante. Sim, a lucidez da infância :)

Beijinhos e obrigada pela partilha.

Bell disse...

Cada um tem suas manias

bjokas =)

Cidália Ferreira disse...

Bom dia
Adorei o texto...Parabéns!!


Beijinhos e um dia feliz
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Blog da Gigi disse...

Abençoado dia!!!!!!!!!!!! Beijos

ॐ Shirley ॐ disse...

Forte, profundo, bonito poema.
Graça, grande abraço!

Lucinalva disse...

Olá Graça
Linda reflexão, desejo uma bela tarde. Bjs

MARILENE disse...

Um grandioso texto. Na infância, os questionamentos moram na simplicidade, mas não há loucura. Bela escolha! Bjs.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, Victor Oliveira Mateus escreveu muito o que não são manias, tem lucidez da dignidade desde a sua infância, o texto é muito significativo.
AG

Ana Soares disse...

Adorei :3

Ana ♥
http://aruivablog.blogspot.pt/ N/POST

Nequéren Reis disse...

Texto maravilhoso amei
Novo Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=06avCiMDYGA
Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

Sheyla Xavier disse...

Lindo texto... adorei!

Bjokas,
http://www.dmulheres.com.br/

São disse...

Por vezes é bom ter alguma loucura.

Beijinhos para ti e saudações ao autor

helia disse...

Magnífico Texto ! Gostei muito .

Licínia Quitério disse...

Grande a poesia do Victor Oliveira Mateus.Obrigada por a teres trazido aqui. Beijinhos para ambos.

Ives disse...

Um texto para ler e reler! Temos que garantir ao menos a lucidez! abração

Alinne Bessa disse...

Ganhe dinheiro com seu blog trabalhando no conforto do seu lar. Você faz seu horário. Cadastre-se grátis!!! Não precisa indicar ninguém para ganhar. Você ganha com seu trabalho! Mesmo trabalho que foi feito com o SuperParceria. Saiba como em:
www.homemoney.com.br

Daniel Costa disse...

Escorreita prosa poética, gostei bem.

Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

intenso!
uma loucura abençoada.
eu gosto da poesia do Victor Oliveira Mateus.
uma boa escolha!
beijo
:)

Marta Vinhais disse...

A "loucura" de estar a viver... Apesar das trevas e da loucura porque há vontade de viver...
Gostei muito...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Suzete Brainer disse...

Fiz uma leitura preciosa e guardo este lembrete:
"Esta é a minha loucura, aquela que defendo com
unhas e dentes, ou seja, a minha lucidez, serena
e persistente como na infância já se me oferecia."

Grata pela partilha preciosa, Graça!
Beijo.

manuela barroso disse...

Loucura e lucidez...
Onde começa uma e acaba outra?
Belissimo texto, ótima escolha!
beijinho meu!

Jaime Portela disse...

Uma belíssima escolha.
Gosto do que o Victor Oliveira Mateus escreve.
Continuação de boa semana, querida amiga Graça.
Um abraço.

ONG ALERTA disse...

Todos temos nossas loucuras, bjbj Lisette.

Arroz Di Leite disse...

Texto belíssimo!!

Bjs

Tânia Camargo

Isa Sá disse...

Muito bonito..


Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Anete disse...

Bonito texto, Graça! Fez-me lembrar dos livros de Saramago: Ensaio Sobre a Cegueira e Ensaio Sobre a Lucidez! Dois ótimos livros.

Um abraço e Bom Fim de Semana.

Blog da Gigi disse...

Abençoado final de semana!!!!!!!! Beijos

Ana Freire disse...

O delírio que nos rodeia... é afinal, o nosso mundo... e o mundo dos outros... com tudo o que tem de bom e de mau... e que por sua vez, nos condiciona, a nossa forma de ver o mundo...
Um texto forte, e muito lúcido... sobre o delírio, que efectivamente nos rodeia, neste mundo...
Beijinhos, Graça! Desejando-lhe um óptimo fim de semana!
Ana

As Mulheres 4estacoes disse...

Que nossa lucidez seja sempre serena diante dos acontecimentos do dia a dia.
Abraços

Débora Teixeira. disse...

Lindíssimo poema, uma bela escolha!
Beijos e um lindo fim de semana.

heretico disse...

excelente texto.
fico-te mais uma vez grato por me revelares um talentoso escritor,


beijo, querida Amiga

ManuelFL disse...

Este poema é rasgão, vórtice, lucidez que fere e ilumina, grito que reivindica, altivo, a fragilidade, vulnerabilidade e contingência da nossa condição humana.
Impossível ficar indiferente à força deste texto do Victor.

AC disse...

Não conhecia Victor Oliveira Mateus. Pelo que li aqui, vale a pena conhecer melhor.
Gostei do sentir, transversal, com maior ou menor intensidade, a qualquer de nós.

Uma boa semana, Graça :)

Blog da Gigi disse...

Abençoado domingo!!!!!!! Beijos

teresa p. disse...

Um poema muito forte, de grande sensibilidade e lucidez. Gostei imenso!
Parabéns ao Victor e obrigada à Graça por tão bela escolha na sua "Em seara alheia".
Beijo.

Fê blue bird disse...

Um poema revelador de uma mente que sabe o que quer.


Um beijinho e boa semana

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, amiga Graça Pires !
Belo texto, reflexão tão forte,
parecendo, o Autor, estar frente
ao espelho, falando com sua alma...
Muito grato, querida, e parabéns
pela seleção.
Um fraterno abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

Marineide Dan Ribeiro disse...

Não conhecia esse autor. Gostei bastante!
Grata por compartilhar!

Um abraço!

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Cleri Biotto disse...

Cara amiga, Victor dispensa comentários, lucidez e visão de mundo caminham na sua escrita/abraço

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, poema de mestre. é belo e profundo.
AG

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Magnífico poema lúcido de uma actualidade bem pertinente.
Muito obrigada por dar a conhecer mais um excelente poeta!
Beijinhos,
Ailime

Agostinho disse...

Uma boa colheita este "Em seara alheia".
O autor percorre os labirínticos novelos da lucidez, que lhe vem de longe, desde a infância. Clarividente.

Bj, amiga Graça.

Poções de Arte disse...

Poema forte desse autor.
Gosto de saborear as palavras que tentam dizer o que se sente. Gostei!!!
Abraços e lindo dia.

La Joie de Vivre! disse...

mais um post belíssimo minha querida, adorei!! :D beijos enormes

Anónimo disse...

Obrigado, Graça, por postares um texto meu. Grato também a todos pelas palavras generosas. Um abraço especial para a Licínia, para a Cleri e para a Piedade... Um grande abraço de amizade e admiração para ti.

Victor Oliveira Mateus

Parapeito disse...

Sempre bom sentir Victor Oliveira Mateus.
Grata pela partilha
Brisas doces , doce Graça ****

Silenciosamente ouvindo... disse...

Há textos que eu leio e preciso de tempo
para os assimilar. É o caso.
Desejo que a amiga se encontre bem.
Bj.
Irene Alves

Jaime A. disse...

Este é o caminho, o trilho, o atalho, a fronteiro que me protege da loucura,
a verdade é um eco,
exercício de clareza, de ilusão.

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite Graca
Que poema belíssimo, intenso. Uma feliz noite. Abraços.

Odete Ferreira disse...

Gostei imenso de ler este texto. Senti-o. Parabéns ao autor.
Grata pela partilha.
Bjo, amiga

Manu disse...

Boa noite Graça.

O seu endereço de e-mail não está no perfil do blogger, por isso envio neste comentário o link que me pediu http://blog-poetas.blogspot.pt
e já agora fica aqui o meu e-mail amadordoverso@gmail.com

Beijo

Emanuel Lomelino (Manu)