13.2.17

Inês, o meu nome

CNB

Para sempre o teu olhar interdito. O teu rosto sombrio.
O teu corpo clandestino de mim. Para sempre.
Com que sopro, diz, incendiaste, em meus cabelos,
a luz, tão frágil, do primeiro orvalho da manhã?
Que contenda feriu a clareira de teus braços
onde morri quantas vezes eu pude renascer?
Como silenciar o prazer se ajustaste nele
a prematura paixão de tuas mãos?
Talvez este alvoroço de passos em dança,
em grito, em desespero nos mostre
como errámos todos os voos que rasgaram
o excessivo azul das noites mais perfeitas.
Pelas fendas da morte te escuto agora.
Procuro, no intenso fulgor de teus olhos,
a nitidez da água, antecipando as lágrimas
e só encontro a sede de bicho selvagem que te suplicia.
É de rosas, eu sei, o aroma que acoitas no meu nome.

Graça Pires
In: A CNB e os Poetas, 2016, p. 7
Poema feito em out. 2015 depois de ter assistido ao bailado Pedro e Inês, coreografado por Olga Roriz, a convite da direcção da CNB, através de João Costa.   

49 comentários:

LuísM Castanheira disse...

Antológico, Graça,
antológico este seu belo poema.
Um amor proibido como este, de Pedro e Inês, na sua trágica paixão e que marcou profundamente a nossa História, leva-nos ao mais alto dos sentimentos.
Uma boa semana, Amiga
e obrigado por este momento sublime.

Um beijo

Cidália Ferreira disse...

Um poema lindo demais! Parabéns! Amei de verdade. :)


Beijos e uma excelente semana

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

baili disse...

beautifully expressed!
love also has tow sides ,one the simplest one and second is complicated .

Simple when you deal with this precious emotion easily without any hesitation or falseness with complete trust on one you are in love with.

complicated when threads like feelings tangle inside you and mislead to the road of doubts and illusions .
you write in very impressive way friend!
have a wonderful week ahead.
Hugs!

Agostinho disse...

Que poema, Graça. Uma esmagadora e derradeira manifestação de amor... e dor; que não há amor sem dor. Contudo é da condição humana a perpetuação do prazer-sacrifício na ara do amor. Assim se afirma e prolonga o Homem.
Na derradeira despedida (de Pedro e Inês) a recordação de tempos "excessivamente" belos. É o contratempo do "intenso fulgor dos teus olhos, a nitidez das águas, antecipando as lágrimas"... "a sede do bicho selvagem que te suplicia".
Parabéns.

Odete Ferreira disse...

Para sempre, o leitmotiv que marca a ferro e fogo o teu poema, traduzindo, de forma sublime, o teu sentir e o sentir da alma lusa.
É de mestre, tu sabes...
BJ, Graça 💓

Tais Luso disse...

Nossa!! Que poema lindo, tanto amor e sofrimento...Sim, Inês!

como errámos todos os voos que rasgaram
o excessivo azul das noites mais perfeitas.
Pelas fendas da morte te escuto agora.


Beijo, querida Graça!

Bell disse...

Amor é lindo, e por vezes precisa renascer todos os dias.

bjokas =)

Fernanda Maria disse...

Amiga Graça, li várias vezes este seu poema e de cada vez fiquei mais rendida à sua beleza.

Um amor trágico que ficará para sempre na nossa história.

Um beijinho

LuísM Castanheira disse...

* Graça
Vou levar para bem perto...
(como das outras vezes)
Se não concordar, diga-me, p.f.
Bjs.

Lucinalva disse...

Olá Graça
Lindo poema, desejo uma bela tarde. Bjs

Daniel Costa disse...

Graça Pires

Os amores de Pedro e Inês, são marcantes em Portugal e não só. O poema tem belos traços interpretativas desses. Gostei bem.

Fá menor disse...

Que o perfume das rosas sempre permaneça para além duma ausência.
Bj

Mar Arável disse...

E assim se leva o pão aos lábios
Bjs sempre

graça Alves disse...


Tão bonito, Graça!
Nem imagina o quanto está tão próximo de mim este poema...
"Como silenciar o prazer se ajustaste nele a prematura paixão das tuas mãos"
Sublime!
beijinho

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Que poema! Fabuloso. A "ortografia do olhar" ao seu mais alto nível poético.
Um beijinho, minha Amiga.
Ailime

Marta Vinhais disse...

Um amor trágico, mas em nada sombrio.... Esquece-se no prazer da paixão que os uniu naquelas noites tranquilas...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um bailado que lhe deu uma belíssima
inspiração para construir um poema
maravilhoso!Sublime!
Bjs.
Irene Alves

Nequéren Reis disse...

Maravilhoso amei, tenha uma semana maravilhosa, obrigado pela visita.
Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Pedro Luso disse...

Este teu poema, Inês, o meu nome, é um grande poema, digno de poetas de grande talento. Não é poema para uma única leitura, duas ou mais leituras devem ser feitas após o primeiro contato com o poema. Embora saiba o teu talento, aqui tu apareces para deixar nítida a tua condição de grande poetisa. Parabéns.
Um beijo, Graça.
Pedro.

Lídia Borges disse...



Saem-te coisas tão belas das mãos, Graça. Como se nelas tivesses o próprio coração.

Beijinho

Lídia

Ana Tapadas disse...

Uma beleza, com ritmo inspirado!
Beijo e boa semana, Graça.

Manuel Veiga disse...

com tua fecunda sensibilidade poética (e, não te escandalizes, diria também política) atinges o âmago e a matriz de um dos mais belos mitos que nos moldam como Pátria (ou Mátria).

o amor de Pedro e Inês (no mito) vence as razões de Estado e renasce (novamente), na transfiguração poética, como "incêndio de cabelos" ou "luz frágil" ou "orvalho da manhã...

E "pelas fendas da morte" (matada) vem até nós o "amor trágico" revivificado pelas belas e impressivas imagens que povoam o sublime poema e nos percorre com veio a fertilizar o húmus colectivo.

enorme Poetisa e enorme poema.

beijo, minha querida amiga

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia querida Graça.
Um poema muito lindo. Entre o amor e a dor existe apenas uma vírgula. Mas é um dos sentimentos mais bonito que existe. Uma linda semana . Forte abraço.

Cadinho RoCo disse...

Tudo acontecendo de maneira tão misteriosa em nossas vidas!
Cadinho RoCo

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, quando nasce o amor e quando este desaparece é o inesperado que estamos sujeitos, o poema é lindo e cativa.
AG

Olivia disse...

Um poema lindíssimo, gostei muito!

Nequéren Reis disse...

Lindas linhas amei, obrigado pela visita.
Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Teresa Almeida disse...

O teu poema traduz todo o aroma de um romance catapultado à altura intemporalidade.
Bravo, amiga!
Beijo.

Ana Freire disse...

Um poema maravilhoso, inspirado num amor intemporal... como intemporal é o perfume das rosas... que sentimos por dentro... até na ausência de qualquer rosa... e por isso... se sente para sempre...
Como sempre, um trabalho de excepção, Graça! Parabéns pela belíssima inspiração!
Beijinho! Continuação de uma boa semana!
Ana

Aleatoriamente disse...

O encontro belo do eu de dentro.
A poesia escorre linda, suave e plena
nos dedos de quem escreve com essência.
Encheu de brilho meus olhos.

Beijinho.

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema que nos fala do amor trágico de Pedro e Inês
muito bem construído e muito emotivo
no entanto e sabendo que foi feito após teres visto o bailado Pedro e Inês, diria que é um poema dançante e inebriante mesmo que seja inspirado num amor trágico.
muito belo!
beijinhos
:)

Arroz Di Leite disse...

Lindo poema, o amor deveria ser sempre presente e nunca nos deixar.
Bjs

Tânia Camargo

ManuelFL disse...

Belíssimo poema de amor, que transmite na perfeição as emoções do bailado Pedro e Inês, a que também assisti.
Beijo, Graça.

Maria Rodrigues disse...

Um poema sublime.
Beijinhos
MAria

Suzete Brainer disse...

Um poema numa dimensão ímpar de beleza, inspiração, arte,
história e a inscrição do imenso talento da Poeta Graça Pires.

Obra de arte de excelência (título, imagem e o belíssimo poema),
parabéns!

Beijo.

teresa p. disse...

"Este Amor é de Pedro por Inês". Belíssimo poema, pleno de ritmo e de emoção. Adorei!
Beijo.

Majo Dutra disse...

Um poema profundo, com a intensidade da belíssima paixão
de que nos fala a nossa História.
Este poema esteve à altura da grandiosidade do sucedido.
Muito bem concebido, trabalhado e aprimorado.
Uma preciosidade muito bela.
Beijinhos, estimada Poeta.
~~~~~~~~~~~~

Teca M. Jorge disse...

Intensamente belo!...
Um beijo e uma flor

Toninho disse...

Intensamente belo de profunda expressão Graça.
Um poetar de mestre da poesia, que entende da dor que vive nas entrelinhas do amar.
Uma pintura amiga que parece Deus pôs a mão sobre.
Bom e lindo fim de semana.
Bjs de paz.

Marta Moura disse...

Muito bonito... uma vez mais!

AvoGi disse...

Adorava Saber descrever...
Kis :=}

Jaime Portela disse...

Tudo pode ser inspiração para o poeta, sendo o bailado uma arte bem impressiva. O que de resto foi muito bem aproveitado neste excelente poema.
Bom fim de semana, amiga Graça.
Beijo.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Graça!
Quanta história em um poema, nos faz voltar aos tempos de bancos escolares ouvindo sobre a história do Brasil.
"Pedro e Inês", viveram um amor arrebatador, no silêncio, devido a tantas brigas entre países.
Hoje, pouco se usa a expressão " Inês já era" , pois quando Pedro volta, já a encontra morta, porém mesmo assim a fez rainha depois de morta. Seu poema é lindo.
Grande abraço!

Rita Freitas disse...

Lindíssimo como sempre.Amores intensos que fazem viver.
Beijinhos e bom fim de semana

CÉU disse...

A história de um grande amor, que sendo passado, é sempre presente. GENIAL, Graça!

Beijos e bom domingo!

anamar disse...

As tuas palavras dançam na minha noite e no meu silencio.

Tenho que fazer o silencio acontecer para ler poesia.

Graça, tudo de bom .

Vou aproveitando algum tempinho para a net, mas também tento escusar o vício que provoca.

tarefas a cumprir e outros prazeres.

Vamo-nos vendo por aqui, já que o ali parece distante.

Beijinho grande amiga,
Ana

Blog da Gigi disse...

Abençoado domingo!!!!!!!! Beijos

AC disse...

A Graça exala um perfume poético extraordinário, fico sempre tocado quando a leio.
Mais um belo poema!

Abraço