20.2.17

No transtorno das mãos

Amanda Cass

Lentos os dias. Lento o vazio das ruas.
Lentos os caminhos sulcados pelas veias.
Tão lentos que um lento gesto
me bastava para conter um verso
por mais silente que fosse.
Agora, as palavras dançam à minha volta.
São serpentinas de todas as cores
enroladas ao corpo.
Difíceis de domar fragmentam-se, voam.
Como vultos imprecisos
no transtorno das mãos.

Graça Pires
De Uma claridade que cega, 2015

60 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Poema fantástico! Amei

Beijo e uma excelente semana

AvoGi disse...

Dias de inverno são assim: lentos, vagarosos...
Kis :=}

Ana Paula disse...

Uma agradável cadência que vai nos conduzindo com a leveza do lento até chegarmos às cores das serpentinas!
Boa semana Graça!

Luis Eme disse...

Belas "imprecisões" nas tuas mãos "transtornadas"...

abraço Graça

Laura Ferreira disse...

belíssimo poema lento, Graça..


beijinho e boa semana

Bell disse...

Por aqui o tempo voando rápido demais.

bjokas =)

Poções de Arte disse...

Muito bom!
E a imagem, perfeita sincronia.

Abraços e feliz semana.

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia querida Graça.
Um poema lindo, onde as palavras dançam a sua volta e lhe fazem escrever lindos versos. Uma feliz semana amiga. Forte abraço.

✿ chica disse...

Muito linda tua poesia,Graça! Gostei muito, mais uma vez! Ótima semana, beijos, tudo de bom,chica

O meu pensamento viaja disse...

Que bonito!
Reconheço a pobreza do comentário para tão belo texto!
Beijo

Sinval Santos da Silveira disse...

Amiga, Graça Pires !
Com a habilidade de uma "domadora," manipulas
as letras, transformando-as em belos e sedutores
versos.
Que criatividade maravilhosa !
Parabéns, querida, com o meu abraço, aqui do
Brasil !
Sinval

Silenciosamente ouvindo... disse...

Sim a amiga é uma excelente "domadora" das letras
e fazer excelente poesia.
(Obrigada amiga sobre o antivírus. Foi o que
referiu que instalei.Obrigada).
Bjs.
Irene Alves

Marta Vinhais disse...

E voam até nós suavemente... Numa carícia... Como um beijo na brisa....
Lindo...
Obrigada pela visita
Marta Vinhais

Fá menor disse...

Belíssimo!

Por vezes há uma lentidão tamanha na urgência das palavras...

Beijinhos

Nequéren Reis disse...

Pura mensagem amei, tenha uma semana abençoada, obrigado pela visita.
Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

LuísM Castanheira disse...

Só as palavras...e tantas, rodopiam em torno das mãos. E com elas, em crescendo, o transtorno se transforma.E as mãos tocam, acariciam, e sublimam.
E o Poema corre, não lento, mas em veloz cor.
Um beijo, minha Amiga.

Alfredo Rangel disse...

E esta lentidão, em tuas mãos Graça, vira poesia... Parabéns!!!

Arroz Di Leite disse...

Oi Graça,
Lindas as palavras que vem as suas mãos e as deixa aqui para nos ambalar com tanto carinho.
Bjs,

Tânia Camargo

Célia Rangel disse...

O calor das suas mãos geram a ternura que divide conosco... Obrigada!
Abraço.

Teca M. Jorge disse...

Que contorno entre os dedos!!! Amei!!!

Um beijo e uma flor

Isa Sá disse...

Bonito poema!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Regina Figueiredo disse...

Lindíssimo! Beijinhos

Agostinho disse...

"Vultos imprecisos" é quanto a Poeta precisa. O bailado de sedução é que induz à criação do Poema, contido nela própria. Enleada na vertigem evolutiva dos sons, das palavras, dos versos...
Da relação íntima com o belo nasce o (en)canto da poesia de Graça Pires.
Um beijo, amiga.

baili disse...

this truly touching!!!
i find your way of expression very powerful and symbolic.

sometime overflow of thoughts get blockage of an undefinable emptiness but sometime words spring like self produced plants and grab thoughts for themselves .
Hugs and best wishes for you dear friend!

São disse...

Por vezes há transtornos assim, mas isso por vezes até é bom.

Beijinhos serenos

AvoGi disse...

Perante tamanha grandiosidade de palavras nem sei o que escreva
Kis :=}

mz disse...

A Graça é uma "domadora" de palavras, consegue sempre a harmonia, onde, parece existir o caos.


Gosto muito da sua poesia.

Sofia disse...

Não tenho dúvida de que consiga domar as palavras (;

Boa semana!

Mar Arável disse...

Que nunca te doam as palavras nas mãos

Bjs

Majo Dutra disse...

Entendo que o poema se refere à criatividade e escrita...
A inspiração pode chegar vertiginosa e transtornar as mãos
no acto de a transcrever.
Metáforas brilhantes e até coloridas, num poema magnífico.
Beijinhos, querida amiga.
~~~~~~~~~~~~~~~~~

Pedro Luso disse...

Mais um dos belos poemas desta amiga, que compõem o seu livro livro Um claridade cega. Gostei muitíssimo deste poema No transtorno das mãos. Parabéns.
Um beijo, Graça.
Pedro

Fernanda Maria disse...

Mesmo com o transtorno das mãos, a lentidão dos gestos e a fuga das palavras, consegue fazer um poema perfeito amiga Graça.

Há dias assim...

Um beijinho

Ana Tapadas disse...

Dançam sempre à tua volta, as palavras!
Excelente!

Beijo

Manuel Veiga disse...

bailado das mãos na metamorfose das palavras
as palavras conhecem bem aqueles que as amam...

adorei,

beijo, Graça

Suzete Brainer disse...

Acredito que as palavras dançam a sua volta para serem
capturadas por este imenso talento seu, e, terem
espaço preciso na liberdade do voo em que sua
poesia evoca...

Poema imenso de uma claridade do seu talento
admirável, Poeta.


Boa semana!
Beijos.

Cristina Cebola disse...

Gostei muito, desta dança de palavras Graça...
Beijinho

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, lindo poema, as palavras dançantes são envolventes.
AG

Lourdinha Vilela disse...

Muitas vezes me sinto também assim com uma aparente "dislexia" a inspiração não consegue dominar as palavras que não se encontram e as mãos se ressentem, avidas por escrever. Mesmo assim a sua composição foi perfeita e bela repleta de poesia. abraço

Odete Ferreira disse...

Aparentemente dicotómica esta repetição do termo lento na relação do sujeito poético com o tempo e o espaço e o frenesim da dança das palavras. Mas foi assim que a poeta as conseguiu reter no expressivo e belo poema. E o momento poético aconteceu...
Bj, Graça 😊

FATIMA WINES disse...

Olá, Graça!

Neste compasso que é o meu, entre podas e empas, sobra-me um pouco de imaginação que por sinal até rima com paixão.Gostei do seu poema, que parece que foi beber ao Régio.
bj.

Maria Rodrigues disse...

E as palavras dançaram e assentaram na folha de papel, fazendo nascer este belíssimo poema.
Beijinhos
Maria

Toninho disse...

A vida vai lentamente nesta perda de cadencia, os sons se misturam
e as palavras se aglutinam em poema de rara beleza Graça.
A imagem ilustrativa é fantástica Graça.
Uma bela obra de sua arte.
Bjs de paz amiga.

Mariazita disse...

Tão lento, tão lento... que nos sentimos embalados nas palavras deste excelente poema.
Também gostei da imagem, muito interessante e perfeitamente adequada.

Obrigada pela carinhosa presença e parabéns à minha "CASA".

Continuação de boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Nequéren Reis disse...

Muitas letras que emociona o coração amei, obrigado pela visita,
Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Aleatoriamente disse...

Há dias assim em que as passadas são brandas.
No entanto há nelas
o brilho de um poema
assim feito esse.

Beijinho.


ManuelFL disse...

Saudades da morna lentidão dos dias, as palavras ali à mão, tão próximas, tão amigas, tão disponíveis, tão nossas.
Agora as palavras dançam, serpenteiam, seduzem, para se revelarem esquivas, imprecisas, indomáveis.
A poeta perdeu a ilusão de ser senhora do tempo. Mas sentimos que ainda é senhora das palavras.

Excelente a pintura de Amanda Cass.
Beijo, Graça.

Tais Luso disse...

Poetas fazem das palavras o que querem, verdadeiros bailados que mudam de cor como belas sinfonias. E dizem tudo com natural beleza.Verdadeiros domadores.
Lindo, querida amiga!
Beijo.

Jaime Portela disse...

Excelente poema, com serpentinas...
Parabéns por mais esta pérola poética.
Bom fim de semana, amiga Graça.
Beijo.

Marta Moura disse...

Quando for grande quero escrever assim! :)

As Mulheres 4estacoes disse...

Há dias que até o sentir e pensar se fazem lentamente.

AC disse...

Por mais lentos, por vezes quase opressores, nunca desistimos de tentar dissecar os dias, como se o tempo o permitisse. Depois, desta necessidade, por vezes saem pérolas como este poema.

Um beijinho, Graça :)

teresa p. disse...

Numa explosão de cores e movimento, as palavras caem e organizam-se num poema fabuloso. Também a pintura é lindíssima.
Beijo.

Daniel Costa disse...

Graça Pires

Lentos e imprecisos são os dias, é certo, mas voando em fragmentos tornam, a vida apressada a voar mesmo.
Agradeço que veja, por favor, leia e comente BRASIL - O SORRISO DE DEUS.
Goiás e a cidade de Goiânia.
http://amornaguerra.blogspot.pt/

bjs

manuela baptista disse...

lento, mas quente como o sangue a correr nas veias

e as palavras a navegar


beijinhos, Graça

© Piedade Araújo Sol disse...

Graça

podem ser lentos os dias, as ruas e tudo o mais (ou quase) mas deixa que as palavras voem e não fiquem nem lentas nem aprisionadas.

muito belo o teu poema.

bom fim-de-semana.

Beijo

:)

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Apesar de "fragmentadas" as suas palavras proporcionam-nos sempre momentos de elevada expressão poética.
Um beijinho, minha amiga, e bom fim de semana.
Ailime

Ana Freire disse...

No transtorno das mãos... descobrem-se caminhos infinitos... a que a escrita nos conduz, através das palavras...
Como sempre um poema muito belo, sentido e profundo, Graça!...
Beijinho! Bom fim de semana!
Ana

Silenciosamente ouvindo... disse...

A sua imensa sensibilidade
e a capacidade de com as suas
mãos construir poemas maravilhosos.
É uma sedução mágica.
Bjs. e bom fim de semana.
Irene Alves

Teresa Almeida disse...

As tuas mãos obedecem a desafios aliciantes.
Este poema é um rodopio fantástico.
Beijinho, querida Graça.

graça Alves disse...

Um poema maravilhoso, como sempre, Graça!
Bem haja
beijinhos