24.4.17

Continuar ABRIL

Gonçalo Viana


Os barcos têm sede: falta mar.
Os lenços não respiram: falta vento.
Que outro (a) mar das marés do teu olhar
me tragam ao país a que pertenço.

Os vidros têm fome: faltam cravos
assomados à janela do futuro.
Da teia dos meus dedos farei barcos.

Serão velas as palavras que procuro.

Hugo Santos
In: Armas de (a) mar. Lisboa: Ulmeiro, 1988

62 comentários:

regina disse...

Falta mar, falta vento, faltam cravos....
Restam ainda o o azul de mar e céu e o verde, embora desmaiado, da esperança.
Regina Gouveia



✿ chica disse...

Maravilhoso poema bem adequado à data que se aproxima! bjs, linda semana,chica

Tais Luso disse...

Muito bonito, e a obra encantadora!
Os vidros têm fome: faltam cravos
assomados à janela do futuro.

Um beijo, querida Graça, uma ótima semana pra você.

Simone Felic disse...

Olá
Acho que não são velas, mas amor, é o que todos queremos.
Bjs e boa semana.

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Laura Ferreira disse...

sempre!

Teresa Almeida disse...

Embora sintamos a frustração que passa nestes versos, a sede e a fome do poeta nunca se mitigarão.

"Serão velas as palavras que procuro."

Muito boa escolha, querida Graça.

Beijinhos.


Aleatoriamente disse...

Graça,
gosto de teu jeito poético é lindo!
e essa poesia é brilho de estrelas.

Beijinho

Marta Vinhais disse...

Mas o vento soprará e as janelas vão abrir para deixar que o cheiro dos cravos entre...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Célia Rangel disse...

Um poema que envolve cultura de um país! Belo e real na busca do que lhe favorece: a natureza!
Abraço.

Lídia Borges disse...


O poema traduz bem um sentimento, um sabor a pouco que julgo ser transversal a quantos acreditam ainda numa sociedade mais justa, que aproxime as pessoas, as torna mais iguais e mais felizes.

Obrigada pela partilha!

Beijo

Lídia

Cidália Ferreira disse...

Fantástico poema!!

Beijos e uma excelente semana.

Mirtes Stolze. disse...

Olá Graça.
Um poema bem oportuno. Bela partilha. Uma feliz semana. Abraços.

Luis Eme disse...

Velas que voam em liberdade...

abraço Graça

Agostinho disse...

Quem diz mar vento velas barcos
Diz cravos verdade liberdade
Diz futuro mais que sonhar

Num cravo vermelho mando um beijo.

Ana Tapadas disse...

Velas serão e...navegaremos! Belo poema, minha amiga.

Beijinho

Graça Sampaio disse...

Faltam cravos... mas...

25 de Abril, SEMPRE!

Beijinhos vermelhos.

FATIMA WINES disse...

Olá Graça!
Não sejamos árvores de Primavera, pois, vem o vento e levas as flores.
Troco os cravos por um desenvolvimento integrado, sem corporativismos , mas, com justiça.
O principal pilar da democracia (a liberdade) pressupõe responsabilidade.
Os vidros tem fome? ah, pois, tem.
Oportuno este seu poema, bj.

Mar Arável disse...

Sáo precisas as pontes

deep disse...

Bonito poema sobre a vontade ou a urgência de liberdade.

Feliz Abril, Graça. Beijo

Evanir disse...

Hoje um novo recomeço..
Graças a Deus hoje estou podendo
te agradecer pelo carinho respeito e amizade.
Agradeço por jamais ter deixado de fazer visita
a meu blog.
A amizade verdadeira nunca esquece ,
mesmo sem saber o motivo do meu afastamento.
Eu entendo q por vezes demora a aparecer.
Eu entendo q assim como eu todos tem problemas na vida.
Todos nessa vida encontra obstáculos.
Mas nem tudo é sofrimento .
Deus é misericórdiso..
Nos da alegria ao ver o nascer do Sol.
Nos da um espetáculo único quando ele desce
com sua magia no horizonte..
Enfim tudo isso é só para
dizer jamais te esqueci.
Obrigada querida ..muito obrigada..
Te abraço carinhosamente.
Deus cuida de você com as mãos dele
estendida tudo é possível.
Simplesmente Eu,
Evanir .
Uma semana abençoada.

alfacinha disse...

Um feliz dia de 25 abril
Que a palavra continua a ser livre

manuela baptista disse...

o Alentejo o viu nascer

e são vermelhas as palavras que descobrimos


um dia feliz!

Isa Sá disse...

Aproveitar para desejar um bom feriado.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Daniel Costa disse...

Graça Pires
Poema bem profundo, no uso de metáforas. Apreciáveis recursos intelectuais do poeta, que a tua sensibilidade revela.
Bjs

Ailime disse...

Bom dia Graça,
Um poema muito belo que nos impulsiona a não deixar cair Abril, a não deixar de acreditar nos cravos vermelhos, na liberdade.
Um beijinho, minha Amiga.
Óptimo dia.
Ailime

regina disse...

Acabo de "tomar de empréstimo" o poema para o colocar no meu blogue
Ab
Regina

Odete Ferreira disse...

Haverá sempre um Abril a precisar de ser reposto, num rosto, num lugar...
É este o sentido maior da metáfora. Assim penso, tal como o poeta.
Com muito sentido, esta escolha, para lá do nosso mar...
Bj, amiga. Feliz Dia!

AvoGi disse...

Poderoso.
Para lá do mar...Sempre foi a maneira de pensar dos ilhéus como eu.
Veio Abril e tudo mudou
Kis :=}

Catarina H. disse...

Nesta data tão simbólica, lembramo-nos que há sempre algo que gostaríamos de alterar e que há liberdades que ainda não possuímos.
Belo poema e bela imagem.
Bom Feriado, beijinhos :*

Cadinho RoCo disse...

O poema lindo, a menagem perigosa. Sintoniza a www.hellowebradio.com ... você. Vem!
Cadinho RoCo

LuísM disse...

abril em portugal

já a longa noite esmorecia
quando na alvorada em flor
se fez liberdade num só dia.

e os anos passaram
e as promessas ficaram
e abril não se cumpriu

mas há-de-se lá chegar
pelo povo
pela terra
pelo mar
ou por amor
na liberdade, justiça, igualdade.

Um beijo, Graça neste dia de memórias.



Ives disse...

Fenomenal! beijos

Pedro Luso disse...

Gostei do poema de Hugo Santos, que compõe o seu livro "Armas de (a) mar", poeta que estou conhecendo agora nesta tua postagem. Um belo poema.
Um beijo, Graça.
Pedro

AC disse...

Há uma luz que refulge, sulcando as trevas
Há um gesto que renasce, fazendo o dia
Há um canto que se ouve, quase em murmúrio
Há um despontar de vozes, quase melodia.

Um beijinho, Graça

Olinda Melo disse...

Abril acontece sempre que olharmos para uma criança e virmos nela a esperança do futuro. Tudo está em aberto. Importante continuarmos sem desfalecimento.

Bom dia de Abril, cara Graça.

Beijinhos

Olinda

ManuelFL disse...

É verdade que por vezes sentimos que «falta mar … falta vento … faltam cravos», como diz o poema do Hugo Santos, para “Continuar ABRIL”.
Mas não irá faltar vontade e coragem para honrar os ideais de liberdade e de justiça social no seio de uma democracia representativa e pluralista.
Beijo, Graça.

São disse...

Viva Abril, sempre!

Abraço fraterno

Lucinalva disse...

Olá Graça
Lindo poema, desejo uma bela tarde.Bjs

teresa p. disse...

Lindo este poema do Hugo Santos. Falta realmente muita coisa para se cumprir Abril, mas a Liberdade é um direito conquistado de que jamais abdicaremos. Abril Sempre!
Obrigada Graça pela partilha e por ilustrares o poema com uma bela imagem cheia de significado.
Beijo.

Rita Norte disse...

Excelente poema, há sempre mar ainda por navegar!
O título só por si já diz tanto, é mesmo a mensagem a transmitir..."Continuar Abril".
Beijo

Gaby Soncini disse...

Que beleza de poema, delicadeza, ternura, vida. Sempre fico emocionada ao vir aqui te ler!

Beijos!

anamar disse...

Belissimo .
Beijinho da terra onde ha muitos barcos e velas . A nossa.

Continuação de bom Abril .

Beijinho,

Ana

Nequéren Reis disse...

Belo e encantador poema, obrigado pela visita.
Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Nadine Granad disse...

Oi, Graça!

Belíssima seleção de versos!
As palavras nos levam para tantos lugares!

Beijos =)

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema minha amiga e o 25 de Abril sempre.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Majo Dutra disse...

~~~
Continuemos Abril!
«O sonho comanda a vida...»
Beijinhos
~~~~~

Silenciosamente ouvindo... disse...

Pois é isso mesmo.
Mas nós continuamos a sonhar
com um país melhor e a nunca
esquecer quem nos deu a
possibilidade de acabar com
a negrura em que vivíamos.
Desejando que se encontre bem.
Bjs.
Irene Alves

© Piedade Araújo Sol disse...

e mesmo que os cravos murchem´
e mesmo que os barcos faltem
que Abril se cumpra
hoje
e
sempre
em liberdade

uma escolha muito boa deste poema do Hugo Santos

beijinhos

:)

Manuel Veiga disse...

bela escolha, Graça
gostei muito do poema, mas meu olhar demora-se na ilustração.

Beijo, minha Amiga

manuela barroso disse...


Que os ventos soprem de feição em direcção ao futuro.
Óptima partilha, Graça.
Bjis **

Existe Sempre Um Lugar disse...

As mãos

Com mãos se faz a paz se faz a guerra.
Com mãos tudo se faz e se desfaz.
Com mãos se faz o poema – e são de terra.
Com mãos se faz a guerra – e são a paz.

Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.
Não são de pedras estas casas mas
de mãos. E estão no fruto e na palavra
as mãos que são o canto e são as armas.

E cravam-se no Tempo como farpas
as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.

De mãos é cada flor cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade.

Manuel Alegre

Sinval Santos da Silveira disse...

Amiga, Graça Pires !
Que lindos versos, postados em verdades
de paixão !
Grato por compartilhar.
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

Jaime Portela disse...

Uma excelente escolha poética, gostei do poema.
Bom fim de semana, Graça.
Beijo.

Magia da Inês disse...

°.♪♫╮
Falta vento, falta mar, faltam cravos, mas
que nunca falte amor e esperança!

Bom fim de semana com tudo de bom!
Beijinhos.
╰⊰✿⊰ه° ·.

Parapeito disse...

Gostei muito do poema.
Que nunca se perca a vontade de acreditar.
Abraço e brisas doces *

Mariazita disse...

Olá, Graça
Depois de uns dias de ausência, primeiro por umas mini férias, depois por doença, estou regressando, devagar...
Já me encontro melhor, terminei os antibióticos, agora é só restabelecer...

Lindo, este poema!
Que nunca nos faltem as velas para podermos navegar...

Votos de um Domingo feliz
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Suzete Brainer disse...

Apreciei o poema e a ilustração, excelente escolha, Graça!

Um domingo de paz para você e família!
Um beijo.

Aline Goulart disse...

Mas não falta uma poesia tão bela como esta.
Tenha uma ótima semana. Beijinhos estalados...

Profª Lourdes disse...

Olá amiga! Retornando as minhas atividades nos blogs, fiquei afastada por um tempo, problemas de saúde que estão passando graças a Deus. Aproveito para desculpar-me pela ausência e assim que puder retornarei aqui com muito prazer pois amo suas postagens e a pessoa que você transmite ser. Como são muitas visitas, hoje estou com esse comentário para todos, mas saiba que se estou aqui o meu coração também está repleto de alegria. Abraços, que jesus nos abençoe sempre.
Profª Lourdes Duarte
http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/

graça Alves disse...

Que maravilha!
realmente, nada como as palavras que se reinventam a cada instante. Assim haja vozes!
Beijinho, Graça!

Profª Lourdes disse...

Olá amiga! Bom dia. Vim agradecer sua visita ao meu blog a apreciar seus versos e suas poesias maravilhosas. Como é bom navegarmos na net e encontrarmos coisas boas e interessantes para lemos, assim como as suas postagens. parabéns! Convido você a conhecer meus outros blogs e se gostar seguir, ficarei gratíssima! Tenha um dia abençoado junto aos seus. Abraços
Lourdes Duarte
http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/
http://filosofia-e-romantismo-na-vida.webnode.com/minhas-poesias/

Ana Freire disse...

Uma belíssima partilha, para assinar este dia tão significativo, neste nosso Portugal de Abril... que ainda anda a aprender a dar um bom uso, à sua liberdade...
Gostei imenso do poema! Beijinho!
Bom fim de semana!
Ana