17.4.17

Indiferente ao desígnio das sombras

Katia Chausheva 

São longos os dedos
que sulcam o rosto difuso das noites
em que o luar queima os crisântemos
sem deixar vestígios
e os felinos transformam o chão
num local imprevisível.
Indiferente ao desígnio das sombras,
a luz insinua-se no lado misterioso
onde me encovo.
A luz e o silêncio.
Com artifícios insondáveis
e uma leve vigília
de dádiva ou de bênção.

Graça Pires
De Uma claridade que cega, 2015

55 comentários:

✿ chica disse...

A luz e o silêncio podem tanto falar...Linda poesia! Ótima semana! bjs, chica

AvoGi disse...

Luz e silêncio. Duas palavras me me chamaram a atenção pois são as duas que preciso nos meus momentos dos de quietude
Kks :=}

Chic' Ana disse...

Muito bonito Graça! =)
Beijinhos

Cidália Ferreira disse...

Que bonito!!

Beijinhos e uma excelente semana

Ailime disse...

Bom dia minha Amiga Graça,
Um poema muito belo que nos coloca sob a magia do silêncio e da luz que, cúmplices, nos libertam dos subterfúgios das sombras.
Um beijinho e uma excelente semana.
Ailime

Marta Vinhais disse...

A luz ajuda-nos a quebrar o silêncio... E não precisamos de palavras.... está tudo ali....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Mar Arável disse...

Não há sombra sem luz
A tua poesia cintila fala por gestos
Bjs meus

mz disse...

Reflectir na sombra para encontrar a luz é um enigma em que estes diferentes estados nos equilibram. Eu gosto de ambos e gosto dos seus poemas sempre tão profundos.

Bjs

Anete disse...

Um poema superprofundo, Graça! No silêncio vem à luz a realidade dos mistérios... É preciso quietude para que vejamos as coisas com clareza.
Uma boa semana. O meu carinho.

Simone Felic disse...

Olá, lindo poema cheio de mistérios que ilucidados
nos mostram a verdade da penumbra.
Bjs

Teresa Almeida disse...

E tudo palpita em mundos imprevisíveis. É que a tua palavra tem imensa claridade.

Beijinho, Graça.

Tais Luso disse...

Muito bonito! Luz e silêncio, são duas coisas que preciso. Nenhuma palavra diz tanto quanto o silêncio, esse se faz sentir na medida certa. Essa foto 'casou' tanto com teu poema que ao lê-lo olhava a foto, os dedos, a sombra, a expressão do rosto...
Mui belo, querida Graça.
Beijo!

FATIMA WINES disse...

Olá, Graça!

Um poema um pouco na linha do meu texto " O sangue dos inocentes".Aliás, o povo na sua singeleza e sabedoria diz:O que não mata cura.No silêncio e na sombra quantas e quantas vezes não nos miramos com lentes de alma.A paz é seguramente uma palavra de ouro.
bj.

Lídia Borges disse...

« ...
e uma leve vigília
de dádiva ou de bênção.»

Eu sei!

Beijo meu

Lídia

manuela barroso disse...

O que parecia lúgubre torna-se alegre no silêncio dos crisântemos. Na linguagem da noite, fez-se dia. Belo!
Beijinho Graça! :) **

José Carlos Sant Anna disse...

É sempre uma dádiva, uma bênção, passar por aqui e sentir a força desta linguagem que nos prende e nos sacia a fome. E saio coberto pelo silêncio e sombra, mas clarificado pela força criadora da palavra.
Beijo, Graça!

Nadine Granad disse...

Lindas antíteses que se completam!

Beijos =)

ruma disse...

Olá.

Brilhante obras.
Obrigado pela sua visita sempre.

Desejo a todos o melhor.
Saudação e abraço.

Do Japão, ruma ❃

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Agostinho disse...

Do obscuro estado, do "lado misterioso onde me encovo", no dizer da Poeta, a liberdade ergue-se na força das palavras luz e silêncio. Luminosamente.
Um beijo.

Nequéren Reis disse...

Maravilhoso amo sua slinhas, ótima semana para você, obrigado pela visita.
Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei bastante deste belo poema.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Laura Ferreira disse...

gosto muito, Graça!

boa semana

Bell disse...

Mistério e leveza em seus versos.

bjokas =)

Silenciosamente ouvindo... disse...

O obscuro que em poesia se torna muito belo.
Gostei imenso.
Desejo que se encontre bem.
Bjs.
Irene Alves

Lucinalva disse...

Olá Graça
Lindo poema, desejo uma bela tarde.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

A Graça nunca se encova!
E tu és graça num pires:
Graça Pires ou arco-ires
Com luz de encantos, por prova.

Quem neste espaço desova
Tanta luz, ferindo a íris
Do mortal... Graça me mires
E digas mais uma trova

A um pobre trovador
Imitando o teu teor
De luz, à sombra do verso

Feito por ti, com o amor
Que dá vida e esplendor
A mim e meu universo.

Grande Graça!... Parabéns! Seus versos são sempre divinais! Lindo poema. Grande abraço. Laerte.

Parapeito disse...

Doce Graça, embora um pouco arredada deste"mundo" volto sempre aqui de onde vou com a alma cheia.
Curioso , faz dias li este poema prá minha afilhada.
Agradeço a sua passagem pelo Parapeito e também eu desejo que a sua Páscoa tenha sido cheia de brisas doces ***

© Piedade Araújo Sol disse...

e do obscuro local

sim, será dádiva e bênção

gostei!

boa semana.

beijinhos

:)

Em Tempo: A escolha da imagem está em completa sintonia!

Aline Goulart disse...

Eis um poema que tem uma leveza própria. Lindo!
Beijinhos estalados...

Odete Ferreira disse...

É preciso, de facto, um longo e profundo processo de cultivo e armazenamento da luz para que esta se torne "indiferente ao desígnio das sombras". Em ti, o campo é, naturalmente, fértil e as palavras adubam-se a elas próprias. Como leitora, só tenho que saber colher...
Bj, Graça

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular !
Cumprimentos

Poções de Arte disse...

Belas palavras.
E sempre me encanto como consegue coordenar imagem e poesia.
Abraços e feliz dia.

São disse...

Muito bonito este teu poema, Graça, muito bonito

Beijinhos. muitos

Arroz Di Leite disse...

Lindo poema!
Bjs

Tânia Camargo

ManuelFL disse...

Li várias vezes o poema e olhei demoradamente a imagem que o acompanha.
Pensei primeiro, para mim, que seriam uma e a mesma coisa. Descobri depois que era magia, o artifício insondável de que a Graça tem o segredo.
Sombras, mistério, luz, silêncio, dádiva, bênção. E assim somos seduzidos.
Beijo, Graça.

Nal Pontes disse...

Linda poesia cheia de inspiração. Parabéns! Bjs querida

teresa p. disse...

"...o desígnio das sombras" para chegar à luz e ao silêncio, dádivas e bênçãos que a vida nos concede. Poema muito belo e profundo e foto magnífica mesmo adequada.
Beijo

Manuel Veiga disse...

Luz e Silêncio!
pressente-se nessa espera muda
emergência da Palavra

... e o Poema nasce!

muito belo.
gostei muito, Graça

beijo, minha Amiga

LuísM disse...

sombra, silêncio e luz...
o poema faz-se, esconde-se e revela-se,
materalizado entre silêncios do Verbo.

(até nas sombras há luz)

Belo, minha Amiga, Graça.

Um beijo

Suzete Brainer disse...

A luz na profundidade dos seus mistérios e o silêncio;
a música, a qual a poeta em poema se inscreve.
Graça, aprecio tanto e sempre a luminosidade da sua
excelência poética, que (a)guardo como apreciadora
da grande poesia.Pois, a arte da Poesia nos conecta
a um portal-luz que ajuda a transcender as
sombras sobre a palavra vida!
Beijos.

Pedro Luso disse...

Como eu sempre gosto muito dos teus poemas,
como este não poderia ser diferente. Um poema belíssimo, do livro de tua autoria, "De uma claridade que cega", poema que tem esse título tão apropriado à poesia: "Indiferente ao desígnio das sombras". Parabéns, querida amiga.
Um beijo, Graça.
Pedro

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
INDIFERENTE AOS DESÍGNIOS DAS SOMBRAS É A LUZ, QUE EMANA DE TEUS ESCRITOS.
LINDO, AMIGA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Jaime Portela disse...

Mais um excelente poema.
Como é hábito, de resto.
Bom fim de semana, amiga Graça.
Beijo.

Marta Moura disse...

Acho que me vou repetir, mas tenho de dizer que escreve tãããoo bem!

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, querida Amiga, Graça Pires !
Somente a tua magia poética para entrelaçar
estas profundas diferenças...
Belíssimo texto.
Um carinhoso abraço, aqui do meu Brasil !
Sinval.

Majo Dutra disse...

Belíssima esta noite de luar «indiferente ao desígnio das sombras»...
Raios luminosos de uma «claridade que cega»...
Ainda assim, uma noite para revigorar a alma e mente...
Abraço, Amiga.
~~~~~~~~~~

Rita Sperchi disse...

Passando para deixar uma mensagem!!

Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado dos amigos, com certeza vai mais longe.
Clarice Lispector

Abraços com carinho!

└──●► *Rita!!

manuela baptista disse...

vigília quase divina

e longos os dedos


um abraço, Graça

Ana Freire disse...

Sim... uma dádiva ou bênção, os encantos e os mistérios da noite... e a sua serenidade... também podem ser desfrutados... não sendo necessariamente algo de temer...
Um poema muito belo e profundo, como é imagem de marca por aqui... a par de uma leveza de escrita, que sempre me encanta...
Adorei o poema, Graça!
Beijinho! Bom fim de semana!
Ana

Maria Rodrigues disse...

E as noites se envolvem de silêncio e penumbra.
Belíssimo poema
Beijinhos
Maria

AC disse...

Perceber os sinais, colocar a alma no ângulo da luz...
É sempre tão bom lê-la, Graça!

Uma boa semana :)

Olinda Melo disse...

Na vigília encontramos, muitas vezes, respostas, uma dádiva por certo. Das sombras nasce a luz.

Um belo poema, amiga Graça. Muito obrigada.

Bj

Olinda

vitalina de assis disse...

Olá Graça.

A luz e o silêncio
O silêncio e a luz

a combinação perfeita para trazer as respostas que precisam do silêncio, e da luz do nosso entendimento.

Bjs.

Parapeito disse...

Sempre bom ler uma e mais uma vez este belo poema.
Brisas doces ***