26.7.17

Por um instante, as formigas


Laura Makabresku

Era uma floresta fantasiada.
Era um carnaval de gestos
na metamorfose dos corpos,
delineando o próprio rosto.
Eram animais míticos e reais.
Por um instante, as formigas
saíram-me do olhar, em ondas vagarosas.
A cegueira arredondou-lhes o espaço
com fios impalpáveis.
Agonizaram à procura do sulco dos meus olhos.

Graça Pires
In: A CNB e os Poetas, 2016, p. 46

Poema feito na sequência de ter assistido ao bailado “Carnaval [dos Animais]”, coreografado por Victor Hugo Pontes, a convite da direcção da CNB, através de João Costa, Jun. 2016

54 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Gostei muito do poema!
A imagem está fantástica!!

Beijos

✿ chica disse...

Poema e foto impactantes! bjs, lindo dia, tudo de bom,chica

Franziska disse...

Esa fotografía impresiona por su realismo y porque su presencia en la esclaera también hace pensar en otra cosa. Aunque naturalmente se una fotografía macro las hormigas tienen un gran tamaño y están muy nítidas. Aunque le doy mucha importancia a la fotografía, no dejo de prestar atención a esos magníficos versos con un claro mensaje. Creo que todo el post es un acierto. Pasrabens. Afectuosamente. Franziska

Célia Rangel disse...

A transposição entre a imagem e o poema mostra o ciclo de nossa vida. Profundo...
Abraço.

Marta Vinhais disse...

Mesmo numa floresta encantada, há perigos e medos que têm que ser enfrentados...
Gostei muito...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Tais Luso disse...

Gosto da tua natureza criadora, da perfeição, da elegância e da força de teus poemas!
Gostei, também, da obra, meio perturbadora...aliás, como todo o surrealismo.
Um beijo, querida Graça. Uma ótima continuação de semana.

Marco Luijken disse...

Hello Graça,
A beautiful poem with beautiful words. And what a great picture.

Hugs, Marco

© Piedade Araújo Sol disse...

entre o bailado e o agitar dos corpos
a metamorfose acontece até à nossa ilusão de óptica, e aos nossos sentires
gostei do poema e achei que embora intrigante a imagem foi bem escolhida para suporte do poema.
beijinhos
:)

manuela barroso disse...

Embora esguias como bailarinas ( elas próprias...) não suplantam a beleza do poema!
Belíssimo como tudo o que escreves, Graça! :)
Abraço!

Mar Arável disse...

Apesar do teu belo poema
vou continuar a limpá-las da horta
elas comem tudo
e não deixam nada

Bjs minha amiga

Nadine Granad disse...

Oi, Graça!

Sempre releio suas postagens tantas vezes!
Gosto e aprecio demais!
Adorei a escolha das formigas... Os detalhes pequenos que nos saltam e, ao mesmo tempo, nos pertencem!

Beijos! =)

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Mestra/Poetisa, Graça Pires !
As formigas nos dão grandes exemplos de
organização social e solidariedade.
Parabéns por lembrar-se de seres tão
pequenos e tão gigantes...
Um fraterno abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Victor Barão disse...

Bela trilogia, artístico-criativa:

Arte: bailado, inspirando Arte: poesia, com Arte: fotográfica como intermédia ligação gráfica!

Excelente resto de semana

Beijos

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um excelente poema minha amiga muito bem ilustrado.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Cadinho RoCo disse...

Existem situações em que as formigas surgem do nada e outras em que me pego de saudade querendo te encontrar sintonizando a www.hellowebradio.com ... você.Vem!
Cadinho RoCo

A Casa Madeira disse...

Animais míticos e reais!
Belíssimo poema a imagem está linda.
Abçs.

graça Alves disse...

Muito bonito, Graça!
Beijinho

Nidja Andrade disse...

Fico encantada a cada vez que passo por aqui. Quanta sensibilidade em suas postagens! AbraçO

Nal Pontes disse...

Parabéns pela inspiração. Amo como se expressa. Bjs querida

Agostinho disse...

Um excelente poema, no estilo subtil de uma senhora poeta.
Entre o mítico e o real, poderão os olhos enganarem-se na função? Não! O gesto perfeito desenha-se em harmonia no cérebro. É quando se fecham, os olhos, que mais nítidas se definem as metamorfoses, entre o mítico e o real.
Bj.

Teresa Almeida disse...

Que saudades, Graça, desta escrita de gosto apurado, uma escrita pautada pela elegância, como formigas que se deslocam em finos traços.
Demoro, mas gosto de voltar.
Beijinho.

Aline Goulart disse...

Tu consegues escrever sobre tudo.
És uma poetisa completa.
Encantada novamente.

Beijinhos.

Aleatoriamente disse...

Ah Graça querida, voejo sempre em teus poemas.
A energia poética que eles reúnem é algo pleno, intrigante, belo.
Tudo se completou maravilhosamente, poema e imagens.

Beijinho

Lucinalva disse...

Olá Graça
Belo poema. Abraço.

Jaime Portela disse...

As formigas são mesmo um animal mítico, servindo de exemplo para os humanos.
Excelente poema, gostei imenso. Como sempre, aliás.
Graça, um bom fim de semana.
Beijo.

LE CHEMIN DES GRANDS JARDINS disse...

Ton poème est très sensible et absolument touchant. Je le découvre au travers d'une traduction GOOGLE qui est moins précise que ta belle langue maternelle. En ce qui me concerne, arrêté pour des gros problèmes de santé, depuis septembre dernier, j'attends de me faire opérer de la colonne vertébrale, en septembre prochain. Après...j'espère que cela ira mieux.
Je t'embrasse bien amicalement.
Roger

Marta Moura disse...

Muito bom Graça. Beijinhos

http://pensandoempoesia.blogspot.com.br disse...

Bom dia Graça, gostei de ler esses sensíveis versos, profundos e elegantes.
Tenha bom final semana.
Bjss!

teresa p. disse...

Bela representação poética de um bailado cheio de fantasia. Gostei muito do poema e da imagem das formigas, sempre activas.
Beijo.

José Carlos Sant Anna disse...

Há de se realçar o poder da linguagem deste poema, o caráter visionário desta criação. Ou por assim dizer a profundidade da grande poesia. “A cegueira arredondou-lhes o espaço/ com fios impalpáveis”. Bastam estes versos para que tenhamos a dimensão do que se afirma. Esta é uma evocação própria, de uma autêntica revelação, de um poeta original. Parabéns pelo poema e pela imagem que absorve o poema.
Beijo, amiga!

AC disse...

A dança tem esse condão, quando bem executada e sentida: transporta-nos para outros patamares, desperta dentro de nós mundos semi-adormecidos, à espera das leves brisas dos sentidos...

Um beijinho :)

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Graça!
Passo pra agradecer seus votos pelo meu aniversário querida amiga.
As formigas têm algo de metas a cumprir... é preciso perceber...
Seja muito abençoada e feliz!
Bjm de paz e bem

ManuelFL disse...

Também a mim as formigas saíram do olhar. Privilégio de ter assistido ao bailado ao lado da poeta.
Beijo.

Maria Rodrigues disse...

Belo e bem inspirado poema.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

OUTONO disse...

Fantástico, abrir esta página e ler-te calmamente, por entre verbos sedutores.
Bem-hajas, querida amiga!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, maravilhoso bailado poético, o poema é cativante, não sou poeta, mas gosto de poema pequenos e objectivos, é o caso da boa partilha.
Feliz domingo e semana,
AG

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

A poesia nasce
destes instantes simples...
Uma cena...
Um filme que assiste-se...
Formigas que caminham como palavras
em nossos caminhos...

Abraço minha amiga Graça...
Aluísio Cavalcante Jr.

Ana Tapadas disse...

Ah...mas é tão belo, tão genuíno!

Beijo meu.

Majo Dutra Rosado disse...

Deve ser uma peça muito interessante,
pela sua ironia...
A tua criatividade exigiu a presença
das formigas...
Muito interessante e divertido, Graça!
Beijo, querida Amiga.
~~~

baili disse...

Dear friend i don't know due to what reason i could not translate your page into English and was unable to read .
still i can see the amazing photo which show relevance to your beautiful poetry i believe!

manuela baptista disse...

Camille Saint-Saëns gostou com certeza :)

um abraço

Suzete Brainer disse...

O encanto da poeta ao assistir o bailado das formigas,
no seu olhar foi depositado a inspiração para este
grande poema dando voz as formigas...

Sempre grande nível a sua poética (momento de leitura imprescindível...), Graça!!
Boa semana
Beijos.

Graça Sampaio disse...

Muito bom, como é habitual! As palavras certas para cada imagem, cada emoção. Gosto. Sempre.

(A imagem é assustadora...)

Beijinho

Daniel Costa disse...

Graça Pires
O poema, cuja imagética é deveras interessante, é bem demonstrativo dos teus recursos de imaginação poética.
Beijos

São disse...

Interessante: também tenho um poema sobre as formigas.

Beijinhos e feliz Agosto, amiga

Anete disse...

Poema e foto de muita introspecção. Com sensibilidade e emoções afiadas, podemos decifrar fragmentos nos versos...

Um abraço e bom mês de Agosto, Graça!

Silenciosamente ouvindo... disse...


Achei muito interessante o poema e a imagem.

Confesso uma coisa: na m/cozinha aparecem

muitas formigas e nem sei de ondem vêm

e custa-me ter que as matar.

Mas não sei que outra solução ter.

Bjs.
Irene Alves

A Casa Madeira disse...

Passando para um olá! e dizer que já
tem post novo lá na casa.
Abraços.

Maria Glória disse...

Olá Graça!
Obrigado pelos votos deixados lá no meu blog, por conta do meu aniversário. Desejo-lhe felicidades, incluindo a todos que ama.
A imagem é bela e elegante. Vejo as formigas como seres elegantes e, a meu ver, bom combinadas com um ballet, assim pelas pernas longas e ágeis. Igualmente belo o poema, muito bem harmonizado com a imagem.
Um beijinho Graça e ótima semana;

Odete Ferreira disse...

Gosto muito da expressão poética que ocorre sustentada pela vivência de um evento em que o sentir é tão intenso e pessoal que as palavras parecem sempre pálidas perante o esplendor do experimentado.
Mas a poetisa consegue, com mestria, essa proeza, acompanhando, o leitor, o seu olhar, o seu sentir e a simbologia despertada.
Bjinho

Odete Ferreira disse...

Acrescento: é como se a poetisa coreografasse outro bailado... :)

Ana Freire disse...

Uma belíssima leitura do bailado, através das suas palavras, Graça... com uma interpretação que nos induz à reflexão... sobre o que será ver... verdadeiramente...
Como sempre... um trabalho emocionante e profundo...
Gostei imenso de ler! Beijinho! Peço desculpa por andar um pouco mais ausente, por aqui... uns pequenos problemas de saúde com uma pessoa de família, tem ocupado... e ocuparão... o meu tempo, durante mais algumas semanas...
Ana

Blog Donna Gatta disse...

Muito bom! Que foto linda Graça!
Beijos,
Deus abençoe.