30.10.17

Mais perto da inocência

Katia Chausheva 

Escuto até à exaustão 
os rumores de um tempo mais remoto 
e evoco os primeiros acenos 
onde deixei a espera e o desespero 
das noites ao sabor da lua. 
Usei nos punhos as pulseiras 
interditas à luxúria. 
Só de madrugada as trepadeiras 
ficavam mais perto da inocência.

Graça Pires
De Uma claridade que cega, 2015

63 comentários:

Célia Rangel disse...

Lembranças que queimam a alma...
Belo momento poético, Graça!
Abraço.

Blog Donna Gatta disse...

Olá Graça,
Boa tarde.
Sempre profunda em suas poesias. Nasceu com esse dom!
Beijos.

alp disse...

Me gusta la imagen,,,un saludo desde Murcia.

Marta Vinhais disse...

As memórias da paixão de outrora...
Nunca esquecidas...
Gostei muito...
Beijos e abraços
Marta

Lídia Borges disse...


A inocência soletrada ao ritmo de uma coração sábio.

Beijo meu.

Lídia

ps: fiquei feliz por ver um poema teu, ao lado de outro de Almada Negreiros nos marcadores de lugares (belíssimos), no 6.º aniversário do programa "Hora da Poesia" da Conceição Lima (Rádio Vizela).

AC disse...

Quando todos os sonhos eram possíveis, quando a inocência ignorava os muros...

Mais um belo poema, Graça!

Um beijinho :)

Mirtes Stolze. disse...

Boa dia Graça.
Mas um belo poema profundo. A lembrança da inocência nunca esquecida. Uma maravilhosa semana. Grande abraço.

regina disse...

Gostei mesmo muito. Profundo como o rumor do tempo
Bjs
Regina

Cidália Ferreira disse...

Parabéns pelo poema. Lindo demais!!

Beijo e uma boa semana.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Graça,
como sempre um poema que nos aquece a alma.
Como é bom termos memórias, pois as lembranças nos fazem viver novamente.
Gostei muito. Beijos!

Vanessa disse...

Mais um belo poema, como sempre, cheio de sentimento e leveza!!
Tenha uma ótima semana!!

silvioafonso disse...

Benditas sejam as flores
que escalam muros, sobem
paredes e arranham as minhas
costas...

Beijos, Graça.


.

Bell disse...

Que a gente nunca perca a inocência!!!

bjokas =)

Mar Arável disse...

Sem muros nem amos
as trepadeiras
Bj sempre

Maria Rodrigues disse...

Lembranças que marcaram a alma.
Maravilhoso poema.
Boa semana
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Profª Lourdes Duarte disse...

Se o ser humano conservasse o coração de criança, seria mais feliz. Amiga, vim agradecer sua visita que amo e o comentário que deixou. Obrigada de coração! Tenha uma semana feliz, com muita saúde e paz, junto aos seus familiares e amigos. Beijos no coração.
Lourdes Duarte

manuela barroso disse...

Mas...o que dizer?
Que li...reli e...sorri:)
É que as trepadeiras são tão graciosas!
Abraço, Graça!

Alfredo Rangel disse...

Ah! Lembranças de tempos idos, doces apimentados, aventuras onde um pé, posto em lugares incertos, ainda que apenas no pensamento, na doce imaginação, significavam grandes aventuras...

Arroz Di Leite disse...

Bom dia,
Nunca podemos deixar que algo roube a pequena inocência que há dentro de nós, pelo poema.
Bjs

Tânia Camargo

Isa Sá disse...

Mais um bonito poema!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Fá menor disse...

Lindo.

Mais perto da inocência, mais perto do céu.

E há tantas madrugadas, tantas alvoradas, e tanta inocência roubada.
Não deixemos que a inocência nos fuja.

Boa semana, amiga!

Beijos.

Poções de Arte disse...

Inocência... tão escassa ultimamente...
Gosto dos seus poemas.

Obrigada pelo carinho com as Bolinhas e com o meu trabalho. Graças a Deus, a família está bem e se recuperando. Deus te abençoe.

Abraços esmagadores e feliz semana!

Emília Pinto disse...

Quando conseguimos parar neste confuso mundo de hoje , somos assolados com as lembranças do passado que, com as gargalhadas inocentes de crianças, os sonhos de adolescentes e idealismos próprios dessa idade, com o levantar voo para outros refúgios e consequentes problemas causados pelo novo rumo, formou o que hoje somos; a inocência perdeu-se, as dores vieram e as marcas do tempo foram desenhando outro rosto, outro corpo, outra alma também. Os corações, alguns, continuam com uma inocência humana, sincera , livre de maldades, mas outros, deixaram-na fugir para bem longe e só a vida, sem que queiram, voltará a trazê-la irremediavelmente. Será aquela inocência que já vejo em alguns que muito amo e que me deixa triste; de novo umas crianças que sorriem inocentes quando lhes afago o rosto, que olham à volta tentando conhecer o lugar onde estão, que se erguem nas perninhas frágeis, estendendo as mãos para que os ajudemos a dar os seus passinhos. Tudo passa, tudo muda e é pena que não nos lembremos sempre que precisamos uns dos outros e que um dia a vida nos trará de novo a nossa criancice, só que sem gargalhadas e olhar brilhando de felicidade. Aproveitemos então o dia de hoje e transmitamos aos outros tudo o que de melhor tivermos dentro de nós. Um comentário nostálgico, eu sei, amiga, mas não pude deixar de pensar naquela pessoa que, apesar de já nāo conseguir voltar ao seu passado, vive o seu presente, de novo no seu mundo de criança. Preciso de dizer que gostei, Graça? Se me levaste a toda esta reflexão, claro que nāo. Obrigada! Beijinhos muitos,
Emilia

Agostinho disse...

Q. .significados,48kkjxue posso eu dizer dum poema, assim? Eterno, Graça.


Há rumores entre colinas. Ecoam
espelhos no vale da eternidade
(muito para além da saudade)
nem as cinzas os apagam.

Bj.

Cadinho RoCo disse...

Na inocência da inspiração a inspiração da inocência num contraste a propor pura poesia.
Cadinho RoCo

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Que poema magnífico!
Lembranças de tempos outros, dolorosos talvez, mas que não roubavam a inocência presente nas claras madrugadas.
Um beijinho, minha Amiga, e continuação de boa semana.
Ailime

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Que bela fotografia:
A moça tenta alcançar
Ao revirar seu olhar
O que a alma sentia

No momento, à revelia
Da razão, por singular
Inocência, e sem julgar,
Enlevou-se à poesia

De Graça Pires, por ter
A sensação de prazer
Ao extasiar-se com o belo

Que somente a poetiza
Por dom, o disponibiliza
Com seu carinho singelo.

Grande abraço. Laerte.

Franziska disse...

Encantadora imagen que ilustra muy bien las palabras de los versos profundos y cargados de emoción. Feliz semana. Un abrazo. Franziska

Majo Dutra Rosado disse...

Uma urdidura realmente muito interessante e criativa.
Beijinhos, querida Amiga.
~~~~~

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, minha querida Mestra Poetisa,
Graça Pires, boa noite !
Este belo poema desperta, em mim, a
imaginação da malícia, escondida nas
entrelinhas do texto. Parabéns.
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil e
os votos de uma feliz semana.
Sinval.

angeloblu disse...

un rievocare sensazioni, custodite nel passato, quando nella nostra innocenza tutto era possibile...un abbraccio carissima e grazie per la tua visita è sempre un piacere per me trovarti e leggerti

ManuelFL disse...

No poema o tempo mais remoto é a evocação de um pathos. Atente-se nas palavras ‘duras’ – espera, desespero, punhos, pulseiras interditas à luxúria – escolhidas pela poeta. Mas haverá sempre uma madrugada em que as trepadeiras ficam mais perto da inocência. O tempo e o lugar que serão sempre nossos.
Beijo.

Tais Luso disse...

Chegamos a um ponto de nossas vidas que evocamos mais a inocência. Lembramos da alegria mais pura, a jovialidade mais verdadeira. E os poetas gostam de cantar a inocência como gostam do mar, da lua e dos sentimentos para extravasarem o que tínhamos e perdemos.
Inocência, uma etapa de sonhos, não imaginávamos o que era a realidade do mundo, da vida. Pouco imaginávamos o que era tristeza, decepção. Logo, logo a gente se recompunha. Reordenávamos a cabecinha.
Belo, querida amiga!
Grande beijo!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, recordações que ficam para sempre, todos temos o lado da inocência, o poema é belo.
Continuação de boa semana,
AG

Profª Lourdes Duarte disse...

Mais uma linda poesia! esse silêncio é o mesmo que escutar a voz do coração. Amei!
Boa noite amiga! Hoje vim agradece sua visita, dizer que amei o comentário. Amo suas visitas e vir aqui apreciar suas maravilhosas postagens. Hoje voltei a trabalhar a licença proêmio acabou e agora é esperar as férias. Ou se antes das férias marcar a cirurgia. Alguns amigos e amigas me perguntam, “Por que ainda na ativa como professora?” Quando fui admitida no concurso já estava quase me aposentando da rede municipal. Dessa forma, ainda não tenho tempo de contribuição. Me aposentarei daqui a cinco anos! Haja tempo para a idade que estou. Mas só agradeço a Deus por tudo, e amo o que faço.
Quanto as minhas visitas farei de tudo para sempre retribuir com todo carinho.
Deus é nosso Pai e sabe o tempo certo para tudo na nossa vida.
Lhe desejo uma noite de paz e um amanhecer feliz, com muita saúde. Abraços da amiga Lourdes Duarte.

Manuel Veiga disse...

noites com seus longos dedos
e as estrelas a bailar no corpo

tão cálidas lembranças.
e tão terno poema, Graça

beijo, minha Amiga

Ana Freire disse...

E nos tempos que correm... parece que estamos num estado permanente de alerta e desconfiança... realmente, dá que pensar... em que ponto das nossas vidas a ingenuidade e a inocência, foram ficando para trás... quando às vezes as circunstâncias da vida, nos fazem perder esse estado tão puro... tão precocemente...
Um trabalho excepcional, como sempre, Graça!
Beijinho! Continuação de uma óptima semana!...
Ana

LuísM Castanheira disse...

que dizer da poesia
na manhã inocente de cada dia?
a chuva é um poema
em gotas de alegria
que leio e releio
como se fosse treladeira
em mim, muro sem barreira.

gostei muito, Graça
um beijo, cara amiga.

baili disse...

Innocence, most precious quality of a being!

Remarkably written poem dear Grace!

"bracelet forbidden to lust"

Outstanding way of expression my friend!

Pedro Luso disse...

Olá, Graça.
Gostei muitíssimo deste teu "Mais perto da inocência", que, como tantos outros poemas teus, traz um sinal claro da inspiração e da apurada forma do poema moderno.
Peço licença, minha amiga, para transcrever alguns versos deste belo poema:

"Escuto até à exaustão
os rumores de um tempo mais remoto
e evoco os primeiros acenos
onde deixei a espera e o desespero"


Parabéns, Graça, pelo poema.
Um beijo, Pedro

LuísM Castanheira disse...

*"...trepadeira", em vez de "treladeira"
(desculpe, amiga, tal ruído que se quis introduzir, nesta "claridade")

São disse...

Que lindo, minha querida !!!

Beijinhosss

As Mulheres 4estacoes disse...

Ficar ao lado dos meus dois netos, que vivem a infância rodeados de carinho e cheios de alegria e energia, é o que me aproxima da inocência.
Um abraço,
Sônia

Jaime Portela disse...

A inocência é um privilégio dos inícios.
Excelente poema, adorei.
Continuação de boa semana, amiga Graça.
Beijo.

teresa p. disse...

A vida é feita de momentos e este magnífico poema evoca os sonhos, as esperanças e os desencantos de um tempo mais remoto, onde "só de madrugada as trepadeiras ficavam mais perto da inocência." Gostei imenso, e também da foto.
Beijo.

ruma disse...

Trabalhos brilhantes.
Obrigado por sua visita sempre.

Desejo a todos o melhor.
Saudação e abraço.

Do Japão, ruma ❃

Marta Moura disse...

Um ótimo fim de semana Graça.

Just Fantasy Bijuteria disse...

Lindos, a foto e o poema! Bom fim de semana :)

Agostinho disse...

Peço desculpa. As duas primeiras linhas ficaram totalmente desvirtuadas. Onde estamos!? Como fica a palavra confundida. A máquina deixa de servir o homem, agora, à velocidade da luz...
Creio que era - Que posso eu dizer...
Bj.

Anete disse...

A inocência deve ser cativada com fervor. Poema bonito, palavras em chamas...
Beijinho e o meu carinho

Silenciosamente ouvindo... disse...

Amiga aqui estou para ler poesia sempre muito
boa, inserida no seu blogue.

Desejo muito que esteja bem.

Bj.

Irene Alves

Gil António disse...

Visitando, gostei muito do seu blogue e das imagens das vaquinhas.
Fiz-me seguidor
.
Atrevo-me a anunciar o meu, de de uma amiga (Larissa Santos) blogue afecto à poesia.
Ainda muito bebé, precisando de ajuda a fim de crescer e poder chegar à idade adulta
.
Linke: https://brincandocomaspalavrass.blogspot.pt/
.
Querendo, gostaria que nos seguisse e, inclusive fazermos troca de linkes.
.
Visite-nos pois esse será o nosso estímulo a fim de cada vez fazermos mais e melhor.
Desejo um dia feliz

José Carlos Sant Anna disse...

Fechar os olhos e sorver a vida devagar!
Esquecida, desvanecida, nua e solta, para dizer a inocência não está perdida!
E como gostei da ternura deste poema, amiga!
Um bom final de semana,

Olinda Melo disse...


Os tempos que se perdem nos longes do tempo,
estão sempre presentes fazendo-nos recordar
momentos que vivemos e, ainda mais, aqueles
que deixámos passar.

Bj

Olinda

Suzete Brainer disse...

Um poema belíssimo, com a força imagética a
imprimir o mistério e a ternura ao
caminho de volta a inocência...

A imagem é deslumbrante na alma do poema.
Maravilhoso, Poeta!!
Beijos.

Teresa Almeida disse...

A clareira da inocência é um aceno e
pelo poema trepamos.

Amo estes sinais.
Beijinho, Graça.

Kalinka disse...


OBRIGADO pela partilha de poemas de sua autoria!

Belo momento poético, Graça!
Parabéns!!!

Já só muito raramente me cruzo com alguma inocência
mesmo muito pouca, pois sinto isso na presença do meu neto
que fez 11 anos, mas... também sinto que está a mudar...

Cá para os meus lados, hoje actualizei um blogue
que tem estado um pouco abandonado
com a promessa que agora, vou levar a sério,
pois há muito que mostrar lá para os lados do ORIENTE

http://orientevsocidente.blogspot.pt/

e também fiz outro post neste blogue:

http://pensamentosimagens.blogspot.pt/

espero que goste do que vai encontrar
caso decida ir espreitar

Bom Domingo.
Um abraço da kalinka/Tulipa

Evanir disse...

Nessa noite de final de Domingo
Venho carinhosamente desejar uma semana abençoada.
Vamos sim nos unir para receber as
benção de Natal..
Estamos vivendo um momento de grande tenssão
nesse mundo onde Deus semeou um mundo de amor,
Mas vem sempre a deseperança
mas com fé tudo pode ter um final feliz.
Um carinhoso abraço.
Até breve.
Beijos no coração.
Evanir.

Amiga adorando sua linda
poesia.
Disposta a caminhar comigo?

Ana Tapadas disse...

Um tempo...quando tudo estava por acontecer.
Belo poema, Graça! Gostei tanto.

Beijinho

Blog Donna Gatta disse...

Boa semana Graça!!
Beijos,
Deus abençoe.

manuela baptista disse...

tão perto, quase a tocar a manhã

um abraço, Graça

graça Alves disse...

Lindo e revelador de mestria, como todos os outros!
Beijinho

solfirmino disse...

Só chorei.
Beijo