3.12.17

Contratempo

Arno Rafael Minkkinen

Ser cega e ver nos olhos dele 
a sombra oblíqua do barco 
que usará para fugir.

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013

55 comentários:

Larissa Santos disse...

Boa tarde. Poucas, mas intensas, as palavras.

Hoje:-{ Desnudos sonhos...}
Bjos
Feliz Domingo.

María Perlada disse...

Un placer leerte.

Besos.

Alfredo Rangel disse...

Lindíssima poesia. Mostra até onde o amor pode chegar... Parabéns, mestra. Sempre tocando corações e almas... Beijo.

Cidália Ferreira disse...

Amei :)

Beijos e um excelente Domingo

Daniel Costa disse...

Graça Pires

Como adoro pensamentos, gostei demais da poesia deste teu pensamento.
Beijos

Marco Luijken disse...

Hello Graça,
A very special shot with these wonderful words.
So very nice.

Greetings and a big hug,
Marco

✿ chica disse...

LINDO,Graça,adorei! bjs, chica

Kasioles disse...

Una imagen preciosa y un pensamiento perfecto para ella, convierten a tu entrada en un maravilloso lugar para disfrutar.
Cariños y buen comienzo de semana.
Kasioles

© Piedade Araújo Sol disse...

Os olhos...o caminho

a fuga (sempre) possível

o sonho a ser sonhado...

beijo
:)

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

Verdade amiga Graça! Tem gente que parece está sempre com vendas nos olhos, talvés para fugir da verdade.
grata pela visita amiga, seja sempre bem vinda! Abraços

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

desculpa, correção : Talvéz

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um excelente trabalho poético de que gostei bastante.
Um bom Domingo.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Emília Pinto disse...

Diz-se que o maior cego é aquele que não quer ver e isso fazemos nós muitas vezes para não termos de enfrentar determinadas realidades; há sempre metas traçadas por nós, sonhos que pensavamos serem de fácil conquista, mas, perante os vários caminhos que a vida coloca à nossa frente, à complexidade de cada um, hesitamos, pensamos e acabamos por escolher o errado; nem sempre é por não termos visto as pedras enormes, as curvas, os precipicios, mas, é antes aquela tendência de nos querermos " enganar a nós mesmos, aquela" mania" de fecharmos os olhos às evidências" e lá vamos nós precipício abaixo. Como dizes no poema anterior, " os passos são nossos" e são sim, por isso há que caminhar com cautela, abrindo bem os olhos e depois seguir o caminho que achamos mais conveniente; se errarmos, paciência. ...mais à frente haverá outro, lisinho, reto, e ladeado de flores. Não devemos é fingir que correu tudo bem, que o caminho foi o certo e que tropeço não houve nenhum. Cair e levantar é próprio do ser humano e saber aceitar esse facto é um sucesso. Cheguei, li, reflecti e deixei-me levar pelas tuas belas palavras aqui escritas, alongando-me, como sempre. Beijinhos, amiga e desejo-te uma boa semana apesar do frio.
Emilia

Tais Luso disse...

A vida é feita de encontros e fugas, de paz e alvoroços, de amores e ódios!
Belo, querida Graça!
Mas essa foto... não canso de ficar olhando...
Um beijo, uma ótima semana.

Teresa Almeida disse...

A poesia sente-se e vibra.

Parabéns, amiga.

Beijinho.

anamar disse...

Simpática Graça,

obrigada pela tua visita. Sou uma má leitora de blogues... As coisas mudaram. O FB destronou um pouco o tempo da blogosfera e o meu tempo também se alterou com o pequeno Gabriel.

Mas vou passando, mas nem sempre comento.

Beijo grande, bela poeta.

No dia 21, na Figueira, houve homenagem e saida de um livro, penso eu , sobre João de Barros.

Foi no Casino, e o trabalho de Irene Vaquinhas. Soube, não estive.

Beijinho e tudo de bom.

Ana

Lourdinha Vilela disse...

Quantas vezes nos colocamos às cegas para não encarar a luz que nos mostra os subterfúgios de uma realidade escancarada. Um belíssimo poema. Já estava com saudades daqui. Um abraço Graça.

Isa Sá disse...

Para refletir...


Isabel Sá
Brilhos da Moda

ManuelFL disse...

E quem se prepara para fugir? A Graça deixa-nos suspensos e perplexos, quando nos diz ser oblíqua a sombra do barco que usará para fugir. Ele ou ela? Será a foto a chave do enigma?
Beijo.

Mariazita disse...

Às vezes o olhar não consegue esconder o propósito que nos vai na alma...
ADOREI!
Imagem lindíssima, altamente sugestiva.

Votos de uma boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS


Olinda Melo disse...


Bom dia, Graça.
Uma cega que, apesar de tudo, consegue ver.
Faz-me lembrar como os cegos são obrigados
a desenvolver os outros sentidos, afinando
a sua sensibilidade. Uma cega que não se
deixa enganar, que sente com os olhos do
coração.

Boa semana.

Bj

Olinda

Marta Vinhais disse...

Há quem não encare a realidade... tenha medo...e viva a vida dos outros...
Mas, às vezes, castiga-nos e obriga-nos a encarar a verdade...
Que a vida é nossa... e o que importa é o que fazemos quando caímos...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Teresa Durães disse...

Por vezes cegos ao que vemos frente aos nossos olhos. Talvez um modo de sobrevivermos

Anete disse...

Quanta profundidade nesses versos...
Um abraço e boa semana

Vanessa disse...

Poucos, mas profundos versos que mostra toda a imensidão que o amor pode ter!
Tenha uma excelente semana!

silvioafonso disse...

Na vida surgem aqueles que regerão
os nossos dias. Se fizerem chover a
gente usa capa ou morre-se ensopado,
mas caso ardam o sol, haja pele para
dourar ou a escuridão do subsolo nos
mudará a espécie.

Um beijo, obrigado e, te adoro.


.

Agostinho disse...

Viva, amiga, Graça Pires.
Pus-me a mirar o diamante.
Vi-me vacilar impotente diante
a imensidão condensada. Pensada.
Contratempo:
temporal que se adensa
no sal.
Como fugir ao mal?
se o deserto se alaga
oblíquo e plano.
Só areia.
E cega.

Bj.

angeloblu disse...

"e' il nostro cuore a comprendere, più dei nostri occhi"
bellissima la poesia di questi versi carissima, un grande abbraccio.

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Que poema tão belo e uma foto tão instigante!
Uma "cegueira" lúcida e um desafio difícil pela frente!
Um beijinho e os votos de uma boa semana.
Ailime

Manuel Veiga disse...

cegos os barcos que não conhecem as enseadas onde fundeiam...

belíssimo, Graça

beijos, minha Amiga

LuísM Castanheira disse...

Um poema tão curto e tão enigmático, minha Amiga.

Do contratempo à fuga, passando pela quilha do barco, em repouso sustentável, há a confiança no outro, naquele que nos poderá guiar.
Tão belo...

Um beijo, Graça.

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
TENS O DOM DE QUASE SEM PALAVRAS DIZERES TUDO E MAIS AINDA, DE UMA FORMA LINDA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

baili disse...

profound words dear friend and truly amazing image!
hugs!

piseth san disse...

Awesome blog, i always enjoy & read the post you are sharing!
Thank for your very good article...!
ตารางคะแนนพรีเมียร์ลีก

A Casa Madeira disse...

A fuga está sempre no olhar.
Lindo.
Boa continuação de semana.

Pedro Luso disse...

Olá, Graça!
Este teu belíssimo poema, "contratempo", pega de surpresa o leitor, pela descoberta da fuga da pessoa amada que virá, como se imagina o descer da lâmina da guilhotina.
Excelente poema, querida amiga!
Um beijo.
Pedro

Franziska disse...

Unos versos significativos de posibilidades diferentes pero llenos de emoción. Un abrazo.

Fá menor disse...

No olhar cego de amor uma fuga.

Imagem e palavras que nos embalam.

Beijinhos

Maria Rodrigues disse...

Profundo e belo.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Mestra/Poetisa, Graça Pires,
boa noite !
Nossa !
Certamente,, um sofrimento só justificado
pela alegria de amar.
Parabéns pela bela abordagem poética.
Receba o meu carinhoso abraço, aqui do
Brasil !
Uma feliz semana, Amiga.
Sinval;

Jaime Portela disse...

Contratempo é isso mesmo...
Excelente, como sempre.
Continuação de boa semana, amiga Graça.
Beijo.

Marta Moura disse...

Sem palavras. :(

solfirmino disse...

Que imagem surpreendente, para começar, tanto na fotografia, como nas palavras. Sem saber o que dizer, querida, como sempre, sua poesia diz muito.

"a sombra oblíqua do barco
que usará para fugir..."

Beijo

Pérola disse...

Uma imagem feiticeira,
palavras duras.

beijo

CÉU disse...

Olá, estimada Graça!

Espero não lhe estragar o poema com as minhas palavras, que ainda não sei quais serão, tal como as opiniões dos comentadores.

Já li, reli e treli (existe?), mas vejo tudo do avesso e de "pernas para o ar". Eu sei que já é tarde, mas é tanto o silêncio por aqui, que consigo ouvir o respirar do seu poema e a minha lucidez está apuradíssima.

A imagem aterrorizou-me, sinceramente falando, mas olhando a foto de Perfil do seu blogue, acho que a Graça tem cariz, é determinada, um tanto austera e não usa "paninhos quentes".

A foto talvez esteja de acordo, está mesmo, com as palavras, que escreveu. Será que A foto impressionou-me, repito, ou serei eu muito suscetível? E tinha eu, também, um "Caderno de Significados", mas os meus eram mais simples, menos eruditos e lá estava tudo certinho, ou seja, não havia gente de esguelha, nem oblíqua. Sou assim, nada a fazer.

Então, ela é cega, mas mesmo assim consegue ver nos olhos, suponho do amado, a sombra, meia "torcida", do barco, que utilizará para fugir. Que estranho! Eu sei que os olhos falam e os de quem amamos, ainda mais, mas fugir da obliquidade da vida, será solução? Que os ventos lhe soprem de feição.

Beijos e bom feriado.

teresa dias disse...

Olá Graça!
Com poucas palavras disseste TANTO!
Lindo!
Coloquei um miminho para ti no meu roldeleituras.
Beijo.

Ana Freire disse...

Um poema profundo, actual e tocante...
Quando barcos são usados como meio de fuga... para um esperançoso amanhã... que muitos jamais encontrarão no seu horizonte...
Impressionante, como tão poucas palavras, podem ter tanto alcance...
Adorei, Graça! Parabéns!
Beijinhos! Desejando-lhe um óptimo feriado e um feliz fim de semana...
Ana

Luiza Maciel Nogueira disse...

Olhando o teu poema admirada fico a pensar como é possível dizer tanto com tão poucas palavras! Amei! Grata! Um abraço

teresa p. disse...

É assim, como um pressentimento que faz doer o coração. Um poema curto mas cheio de significado. A foto tem uma beleza perturbante.
Beijo

tulipa disse...


Olá, Graça!

ADORO fotografar barcos!

Que maravilha,
como em 3 linhas, consegue dizer tanto.

Graça! Parabéns!

Obrigada por mais visitas suas, aos meus blogues
nem imagina a felicidade que me dá.

Faltam menos de três semanas para se celebrar o nascimento de Jesus.
Mas... é preciso haver espírito natalício
e eu não o tenho, nem vontade de sair de casa...
Ontem fui ao médico e depois da notícia que ele me deu...
enfim...

Não critico quem anda numa euforia
só critico que continue a haver muita hipocrisia
muito egoísmo, enfim...

devia mesmo haver mais compreensão entre todos, mais tolerância, mas...
todos os anos é a mesma coisa!

Sobre os meus blogues...
Vou actualizando todos eles, conforme vou tendo tempo e disposição.

Um beijinho
Bom fim de semana

Rita Sperchi disse...

Passando para deixar um abraço de
agradecimento,desejar boas festas com
muita paz e sabedoria,são meus votos pra vc
e toda família.....🌷

Abraços com carinho!

└──●► *Rita!!

manuela baptista disse...

o amor é cego

mas os barcos que vão, também voltam

viagens dentro do coração

um abraço, Graça

Lídia Borges disse...


O apelo da viagem e das raízes em simultâneo. Conflito sempre à vista.

Beijinho.

Lídia

Duarte disse...

Quando uns versos breves podem definir tanto...
Belo!!!
Saudações

Humberto Maranduva disse...

Os olhos são as janelas da alma e na água do olhar transparece sempre a sombra da dúvida de sentido. É extraordinário como este pequeno poema consegue encerrar um milhão de pressupostos.
Um beijo.