27.11.17

Sigo o rasto dos sonhos em que me procuro

Francesca Woodman

Por um impulso quase hereditário
sigo o rasto dos sonhos em que me procuro.
Sou da estirpe dos aventureiros,
dos caminhantes, dos fugitivos.
Pertencem-me os passos,
vagarosos e apressados,
com que sulcam os trilhos
do deslumbramento com o perigo
a espreitar-lhes a sombra.
De pulsos abertos mordo o freio
da memória com os dentes aguçados
a pungirem  a raiz das quimeras
na pedra onde o incenso ardido
antediz a imolação do passado.

Graça Pires
De Uma claridade que cega, 2015

45 comentários:

Gil António disse...

Bom dia

Um poema simplesmente extasiante. Maravilhoso de ler
.
Hoje: { Se o pôr-do-sol eu pudesse abraçar }
.
Deixo cumprimentos poéticos
.

Agostinho disse...

É por isso Poesia.
Há gente que a traz na raiz,
condição de ser, matriz:
muito mais que escrever é ser.

Por se saber guardado
no sacrário do íntimo,
o sentir, o frio da pedra
e o fogo da pira.
Não importa adverbiar
o tempo, é conceito sofático.

Bj, cara amiga, Graça.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um excelente trabalho poético de que gostei bastante.
Uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Tais Luso disse...

Como a poesia pode ter várias interpretações, bate na gente de uma maneira diferente, senti nesse teu belo poema um instinto de sobrevivência: fugir, correr, andar...descobrir-se. Posso estar equivocada, contudo foi o que senti no belo conteúdo. Um bater-se, embora num deslubramento com o perigo.
Gostei muito, querida amiga.
Um beijo.

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Graça!
Sou da mesma estirpe: aventureira (caçadora de mim)...
Seja muito feliz e abençoada!
Bjm de paz e bem

Sinval Santos da Silveira disse...

Amiga/Poetisa, Graça Pires !
Que belo poema, herança de um
heroico passado !
Parabéns, Mestra, e aceita o meu
afetuoso abraço, aqui do Brasil !
Sinval.

Alfredo Rangel disse...

Todos os nossos sonhos devem ser mesmo buscados por quem, como você, Graça,conhece todos os caminhos e todas as forças necessárias para alcançá-los. Parabéns...

Franziska disse...

Siempre llego a este espacio con la sensación placentera de que la lectura que se me ofrece será un grato paseo y esta vez ha vuelto a producirse la misma grata sensación placentera del encuentro fugaz con el poeta. Un abrazo.

Marco Luijken disse...

Hello Graça,
It's amazing to read these kind of wonderful words.
So nice.
And a funny shot above this text.

Big hug, Marco

Mar Arável disse...

Belas memórias
que sempre recordo
em ti

Cidália Ferreira disse...

Lindo demais! Parabéns. :)

Beijinhos e uma excelente semana

mz disse...

A Graça é de uma estirpe que consegue realizar quimeras, porque com poemas assim, nem com mil dentes aguçados eu libertaria estas palavras tão profundamente bem ditas.

Um beijo para si!

© Piedade Araújo Sol disse...

Graça
e que os rastos sejam sempre memória em nós
pois eles fazem parte da vida
gostei muito
boa semana.
beijinhos
:)

Marta Vinhais disse...

Seguimos os sonhos... e sorrimos com as memórias...
Gostei muito...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Lídia Borges disse...


Um livro nunca lido na sua totalidade.

Beijo

Lídia

Profª Lourdes Duarte disse...

Boa noite amiga!
Vim agradecer sua amável visita e lhe deixar um carinho em forma de abraço virtual.
Amo suas postagens e logo voltarei para comentar. Tenha uma noite de paz iluminada por jesus. Abraços

Teresa Almeida disse...

Um impulso imparável à luz das quimeras. Adorei este trilho poético entre o perigo e o deslumbramento.

Beijinho, Graça.

Isa Sá disse...

A passar por cá para conhecer mais um bonito poema!


Isabel Sá
Brilhos da Moda

baili disse...

Ah...what sublim painting of wander in trails in the look for past memories !
i see such dreams but not often ,i wish i can!

beautiful dear Grace you touch my soul always!

silvioafonso disse...

Isso sim é que é escrever
bonito...
Eu só vim para pegar um
beijo e no entanto eu
volto enriquecido de tão
belas palavras.

Um beijão do amigo.



.

Daniel Costa disse...

Graça Pires
Encantado por mais este belíssimo poema. Esta troca de imagens poéticas são sempre enriquecedoras.
O INÉDITO SEMPRE SERÁ NOTICIA
Milhares de escritores, em Portugal, editam livros, mas de poesia histórica, só fica a haver o livro: SENHORA DO MAR, de Daniel Costa, jornaleiro (de jorna), jornalista, escritor…
Preço capa: Portugal. 11.00 €uros
Brasil: 44 Reais
Pedidos: box do facebook, dan.costa@zonmail.pt, ou 135 932795115.
Peça, aguarde receber o livro, abra e logo a seguir à capa encontrará nota de como pagar.
O livro SENHORA DO MAR, será distribuído no Brasil, por Editora Chiado de São Paulo.

Bjs

Toninho disse...

Hoje sei o quanto há nesta claridade querida Graça.
Lindo demais e estes rastos que vez ou outra assanha o passado.
Beleza de poema amiga.
Bjs de boa semana

angeloblu disse...

incantata davanti a tanta bellezza, i tuoi versi trasmettono sempre meravigliose emozioni. Un abbraccio carissima

Marta Moura disse...

Graça, nunca me desilude, faço-lhe uma grande vénia por escrever tão bem.

Pedro Luso disse...

Olá, Graça!
Belíssimo poema, querida amiga. Este poema diz bem do teu talento de poetisa, O teu poema,
"Sigo o rasto dos sonhos em que me procuro", é um poema singular, com primorosa construção formal e com conteúdo que o coloca entre os ótimos poemas da língua portuguesa, que integra o teu livro "De Uma claridade que cega", 2015. Parabéns.
Um beijo.
Pedro

José Carlos Sant Anna disse...

Gosto deste impulso, desses rastos como instrumentos de revelação dos sonhos perseguidos. Do poder nomeador e iluminador da linguagem. Cada poema aqui revelado são pontos de luz que nos absorvem. E como gosto de “deambular” pela sua linguagem, pelos seus poemas...
Um beijo,

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Que poema tão belo em que a cadência dos versos
proporciona uma leitura que me deslumbra.
"Claridade que cega" recheado de pérolas poéticas como esta que muito aprecio.
Um beijinho, minha amiga, e continuação de boa semana.
Ailime

teresa p. disse...

Enorme a coragem de enfrentar a vida pela conquista dos sonhos. Um poema sublime e perturbante pela força que transmite.
Beijo

manuela barroso disse...

Este afinco com que não desistes dessa claridade tão assertiva , é o brilho dos teus poemas que cegam. Realmente!
Belíssimo, querida amiga Graça!
Beijinho.**

Odete Ferreira disse...

O título é, em si, o poema e o seu mote.
Belíssima criação de desnudamento e assunção do eu poético e sua natureza.
Bjo, de muito apreço

Suzete Brainer disse...

Um poema de uma profundidade reflexiva ímpar e muito belo, Graça!

Sempre a sua excelência poética nos trilhos de uma linguagem
expressiva de forma original.

Votos de dias felizes!
Beijos.

Aline Goulart disse...

Graça, com certeza esse poema entrou na minha lista de favoritos. É de uma beleza singular. Simplesmente encantador. Inclusive postei um trecho, com os devidos créditos, no meu Twitter.

Beijinhos.

tulipa disse...


Que belo poema !
Parabéns, Graça.

...fui fazer uma escapadinha e trago fotos

mas, desta vez peço, caso possa,
ir a este meu blogue e me dê uma ajudinha
Estou sem saber qual delas escolher
Ajude-me, p.f.

http://pensamentosimagens.blogspot.pt/

Abraço e bom fim de semana
Tulipa

LuísM Castanheira disse...

Como diz o Agostinho "...muito mais que escrever é ser."

Ser e Ter

Escrever
É tentar ser
Em solidão
E deixar ser

Dizer
É preencher
Aos outros
E dos outros

E assim
a Poeta
Diz, escrevendo
E escreve, dizendo.

Um beijo, minha Amiga, Graça

Jaime Portela disse...

Apesar de racionais, somos animais de impulsos, de instintos...
Excelente poema, parabéns.
Bom fim de semana, amiga Graça.
Beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Quâo belo o teu versar! Me farei tua seguidora! Um abraço

Just Fantasy Bijuteria disse...

É lindo o poema, gosto especialmente dos alusivos aos sonhos! Beijinhos :)

ManuelFL disse...

E assim rebentaste com a porta.
Beijo, Graça.

Manuel Veiga disse...

"Sou da estirpe dos aventureiros, dos caminhantes, dos fugitivos."

Graça,

são dessa estirpe os poetas ungidos pelos deuses!
e que coroam com suas bênçãos.

belíssimo, querida Amiga

beijo

Agostinho disse...

Vim tresler a "porta".
BFS.

AC disse...

Estirpe inaudita, essa, que dá corpo e alma ao ser humano.
Magnífico, Graça!

Um beijinho :)

Olinda Melo disse...


Olá, Graça

Este é daqueles poemas que quase nos dá um murro no estômago.
Senti-me atingida por ele. Em muitos pontos coincide com
alguns passos meus, dos meus sonhos, dos meus antepassados-
aventureiros, caminhantes, fugitivos da memória.

Bj

Olinda

solfirmino disse...

Querida Graça, acho que todos temos um pezinho com essa estirpe de aventureiros,
com esse impulso que faz com que nós poetas nos deslumbremos ainda com a palavra.
Sigamos com os "pulsos abertos".
Beijos

Ana Freire disse...

Maravilhoso poema que tão bem percorre os trilhos da alma... em todos os seus sentires... e sentidos...
Para ler e reler... Notável, como sempre, Graça!
Beijinhos
Ana

manuela baptista disse...

trajecto da memória futura!

beijinhos, Graça