18.11.19

Mulher com lenço

Amedeo Modigliani

Guardo, ao lado das jóias,
uma colecção de lenços de seda.
Diariamente, em frente do espelho,
ponho um, e outro, e outro,
até que uma subtil variação de luz
se detenha nos meus dedos,
antecipando o adorno do colo.

Mas, no tumulto inconfidente
das mãos, há outro gesto,
mais delicado, que assume
sinais de sedução,
a prever a nudeza do corpo.

E deixo que se espalhem
pela casa os segredos imperfeitos.

Graça Pires
De Fui quase todas as mulheres de Modigliani, 2017, p. 17

54 comentários:

Ricardo Valério disse...

Bom dia:- Sempre nos oferecendo doces poemas. Gostei muito.
.
…………… Poema ……………
^^^ Quero ter-te minha ^^^
.
Que a felicidade resida em seu coração.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema de que gostei.
Um abraço e uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Marta Vinhais disse...

Mas os segredos da paixão não são imperfeitos...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

chica disse...

Muito linda,Graça! `ótima semana cheia de belas inspirações e momentos! bjs, chica

Cidália Ferreira disse...

Como sempre os seus poemas são belíssimos! Parabéns!!
-
Sussurros ao entardecer ...
Beijo e uma excelente semana!

carlos perrotti disse...

Delicada descrição dos pensamentos, cavilaciones e segredos, verdadeiras polidas jóias perfeitas da intimidade da mulher poeta ...

Te parabenizo mais uma vez, Graça. Um grande abrazo!!

Micaela Santos disse...

Um poema que transmite elegância e sedução!
Lindo, gostei muito!

Beijinho e boa semana!

Manuscritos Da Alma disse...

Amei o poema, achei bem delicado, belíssimo...
Beijinhos com carinho!!!

Roselia Bezerra disse...

Boa tarde de nova semana, querida amiga Graca!
Gosto muito de lencos, sao bem elegantes e dao a sensacao de aconchego.
Ele pode sim anteceder, sugestionar um enlace pelo Amor corporeo e de alma.
Linda sua forma de revelar surpresas poéticas!
Tenha dias felizes!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

A Paixão da Isa disse...

a minha avo tinha sempre lenços ela adorava o teu poema é mt bonito bjs

lanochedemedianoche disse...

Una pintura que dice mucho, tu poema lo marca muy bien, me encanto ambos.
Abrazo

Mar Arável disse...

Ai de nós quando formos perfeitos

Ana Tapadas disse...

A esquiva seda das tuas palavras...


Beijinho meu


(Sim, as minhas idas ao Minho não são a passeio...)

JUAN FUENTES disse...

Hacer arte,trabajar al arte,solo saben hacerlo aquellos que lo aman.

Manuel Luis disse...

A começar pelo lenço. Pode sim despoletar censores.
Bjs

Teresa Almeida disse...

Gosto de lenços de seda e de sentir a forma como os tons se expandem no colo, no rosto ...
Gosto de te ler nas entrelinhas.

Parece que a seda e a pele fazem jogos sedutores. E sem o terceiro elemento o poema perdia um importante toque de sensualidade.

Beijos, querida amiga Graça.

solfirmino disse...

Adoro suas mulheres de Modigliani... E adoro usar lenços, quando o frio do Rio permite!
Um beijo

Maria Emilia B. Teixeira disse...

Que românticos!
Segredos perfeitos.
Boa semana.Bjs.

Sandra May disse...

Bateu uma saudade da minha mãe...ela gostava muito de usar lenços de seda. Usava no pescoço, como adorno, e, na cabeça pra se proteger do vento gelado do morro do Corcovado, onde fica o Cristo Redentor no Rio de Janeiro. Era lá que ela trabalhou por muitos anos em uma joalheria. Parecia uma artista de cinema, era linda!
...e é lindo e feminino o seu poema.
Beijos, Graça.

Tais Luso disse...

Teu belo poema, querida Graça, é o retrato da maioria de nós, mulheres!
Gostei muito de ler, querida, uma ótima semana pra você
Beijo

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

A inconfidência do lenço
É sinal que confidente
É aquilo que se sente
Na alma como pretenso

Anão e se faz imenso
Quando aflorado na mente
Germinando, qual semente
Racional do consenso

Que tudo na vida é amor
Quer na nudez sem pudor
Quer na atenção sacrossanta

Ao Divino Criador
No elevado esplendor
Da ilusão que nos encanta!

Belíssimo o seu poema, Graça! Alias, como todos os versos que faz para nos encantar e engrandecer nossas almas! Grande abraço! Laerte.

Gracita disse...

Um poema elegante e belo.
Sempre a nós empolgar com seu maravilhoso bordado poético
Beijinhos perfumados amiga🤗🤗🤗

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá  
Brilhos da Moda

Ailime disse...

Bom dia Graça,
A poesia, a beleza estética e a sensualidade num poema muito belo.
Gostei muito minha Amiga e Enorme Poeta.
Um beijinho e continuação de uma agradável semana.
Ailime

Manuel Veiga disse...

segredos imperfeitos e um poema perfeitíssimo
que mistérios desvendarão tão bela colecção de sedas?!...

vá lá saber-se ...

gosto muito de reler este poema.
sempre me deslumbro

beijo, querida Amiga

Humberto Maranduva disse...

A nudez vela-se e desvela-se nos jogos de sedução que a leveza pura da seda ilumina na deambulação inexacta do desejo.
Subtil e fino é o traço do poema que sulca a essência das coisas por dizer, no vislumbre da claridade obscura que se acende e apaga em cada olhar reverente de interioridade partilhada.
É um prazer ler a sua poesia, minha amiga.
Um abraço e boa semana.

ANNA disse...

Obrigada querida
nos brindas una colección bellísima de versos
Gracias guapa por tu visita y aportacion al blog
te lo agradezco mucho
cuidate
Besos

Larissa Santos disse...

Uma jóia de poema. Adorei...
:))
Hoje : O Meu horizonte adormecido.

Bjos
Votos de um óptimo Domingo

Larissa Santos disse...

Sory.. Votos de uma óptima Noite

bea disse...

O que faz um lenço numa mulher! da escolha aos segredos imperfeitos, tudo lhe é possível. Mas essa menina de Modigliani, como a maioria das mulheres que pintou e não sei porquê me parecem peixes, essa menina, digo, tem ar triste e confinado. É peixe de aquário. Mesmo com lenço.
Boa semana, Graça

Flor disse...

Adorei. Beijinhos❤️

ManuelFL disse...

Estas mulheres (estes poemas) de Modigliani (da Graça) são um tumulto de seduções, segredos imperfeitos a espalharem-se pela casa. E tudo pode começar com uma subtil variação da luz. Maravilha, Graça. Beijo.

silvioafonso disse...

Mais que gostoso
ler o que você diz,
Graça querida.
Parabéns, poeta.
Um beijo.

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

Ese gesto desnuda y dice más que los otros. Un abrazo. Carlos

Alice Alquimia disse...

Gostei muito.

Olinda Melo disse...


Um toque de seda e de mistério, num poema
que quase desvenda a alma da mulher.

Mulheres de Modigliani que, com o seu
talento, querida Graça, se vão mostrando,
trazendo-nos leituras deliciosas.

Adorei reler este poema do seu belo livro.

Beijinhos

Olinda

Jaime Portela disse...

E os segredos imperfeitos são os melhores...
Excelente poema, como sempre.
Graça, um bom resto de semana.
Beijo.

José Carlos Sant Anna disse...

Que bela construção poética, Graça!
Um "sopro" que atesta um existir, uma vida, uma existência. Um ritmo adequado à realidade que cria. A força do presente do indicativo a assinalar o ritmo de um saber já feito: "e deixo que se espalhem/ pela casa os segredos imperfeitos".
Um beijo, minha amiga Graça!

Ana Freire disse...

Adorei a sensibilidade intimista, que se respira neste belíssimo momento poético...
Poderão haver segredos imperfeitos... mas a poesia por aqui... é sempre perfeita!
Um beijinho, Graça! Desejando-lhe a continuação de uma feliz e inspirada semana!...
Ana

teresa p. disse...

A procura da harmonia com lenços de seda, "a sedução a prever a nudez do corpo" e os segredos imperfeitos espalhados pela casa.
Um poema lindíssimo onde a feminilidade é apresentada com grande delicadeza e sensibilidade.
Adorei!
Beijo.

LuísM Castanheira disse...

Perfume de mulher. Um poema que seduz.
E ao toque de sedas e cambraias, as mãos.
Como se fossem raios de luz. A incidir na beleza
Do corpo. Na perfeição imperfeita.
Que bela colecção. Jóias. Palavras. Poema. Paixão.
Boa semana, minha amiga Graça.
Um beijo

Vanessa Vieira disse...

Que sensacional! Uma poesia delicada, com toques lindos de leveza e mistérios!
Que brilho tem as tuas palavras!!!!


Um grande abraço!

Emília Pinto disse...

Como tu, também eu e , creio, todas as mulheres se reveem nas de Modigliani, porque mulher, na sua essência é igual, muito guerreira, sofredora, capaz de esconder o que lhe vai na alma para ver um sorriso no rosto das suas " crias ", capaz de tirar da boca o seu alimento para que nenhum falte aos seus, capaz de ficar em frente ao espelho admirando a beleza que, apesar de tudo , sabe que ainda tem.; os seus lenços podem não ser de seda, os seus brincos e colares podem não ser jóias de grande valor, mas dão cor ao seu colo aquelas forzinhas coloridas do lencinho de tecido simples, mas macio e aconchegante e como embelezam o seu rosto aqueles brincos dourados, aquela pulseirinha da mesma cor e o anel que tornam as suas mãos mais bonitas. Têm só a cor do ouro, mas...são como o sol..dão um colorido diferente aos seus dias por vezes tão sofridos. Somos mulheres, sensiveis...fortes...com lenços, com jóias ou simplesmente....mulheres de alma e coração sempre aberto aos seus.Mais uma ves, Querida Graça, um belo momento poético que homenageia as mulheres. Obrigada!
Beijinho

Pedro Luso disse...

Graça, gostei muito deste seu “Mulher com lenço”, um poema delicado, com os segredos da munher com o lenço. Aplausos para o poema e para a pintura de
Amedeo Modigliani.
Parabéns, Graça!
Um beijo.

Daniel Costa disse...

Graça Pires
Mais um poema de encantar, gosto mesmo desta forma de poesia.
Bjs

Agostinho disse...

Reli encantado pela poética sustentada, subtil, que apetece ouvir, ter no paladar dos sentidos mais indefiníveis até ao tacto das mãos. E disso, percorre-se insatisfeito o poema perfeito que é aquele que é tocado pela virtude da imperfeição. Como vemos no vestir, no adornar, na subtileza da escolha dos tons, das texturas. Tudo a confluir para o ponto em que a coreografia se faz em gestos, em tudo semelhantes, mas em movimento inverso até que se chegue à pele sua, nua, ardente ou fria. Faz-se isto, vezes sem conta, num movimento circular, defronte do próprio espelho dos olhos do belo, perseguindo a perfeição, afinal, a morte. Que nos fiquemos ainda na imperfeição da morte intermitente, impermanente dos dias nossos.
Um beijo grato pelo despertar de encantos da Poesia, que generosamente nos dá, Amiga Graça Pires.

Fá menor disse...

Como consegues tornar essas imagens realmente vivas! Parabéns!

Bom fim-de-semana!
Beijinhos.

tulipa disse...


e, que bela poesia!

Olá GRAÇA
Gostei de ler
este seu “Mulher com lenço”
Parabéns pelo seu talento.

Quando puder...
venho dizer que acabei agora mesmo de fazer um post novo,
aqui:

http://tempolivremundo.blogspot.com/

Bom fim de semana
Beijo da Tulipa

Ricardo Valério disse...

Boa tarde

Passando novamente a fim de desejar um maravilhoso fim de semana

Editor IPC disse...

Poetisa Graça Pires!

És muito verdadeira!Bravo!

isaias
www.rabiscoliteratura.com.br

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Mestra/Poetisa, Graça Pires !
Que sutileza de descrição poética !
Acompanhei cada gesto, cada detalhe, como
se presente estivesse ao acontecimento...
Parabéns, doce Amiga !
Um feliz final de semana e um carinhoso
abraço, aqui do Brasil !
Sinval.

José Ramón disse...

Disfrutando de su imagen y poema Saludos

baili disse...

oh i loved this one so much dear Grace

i am so familiar with such sentiments attached to a handkerchief and i think it was powerful part of the culture in village life we had only some years ago

symbol of love and attraction to beloved

how amazingly you described it and how effortlessly ,wonderful!

teresa dias disse...

Graça, tu não sabes, porque nunca te disse, que gosto de lenços de seda!
Logo, sempre que tiver entre os dedos um lenço de seda vou lembrar-me deste teu delicado poema. Logo, sempre que olhar/tocar/escolher/usar um lenço de seda vou lembrar-me de ti. Logo, deixou de ser um segredo perfeito o meu gostar de poemas teus e lenços de seda meus.
Beijo, querida amiga.