18.8.07

Uma mulher

Ansel Adams
Um resto de Agosto.
Uma mulher conhece
o caminho da fonte
porque o seu corpo
é um desvio do mar.
Talvez ela nos mostre
um céu líquido
por detrás dos seus ombros.
Não só as mãos morrem
fatigadas de desejo.
Há cascatas de pedra
nos olhos da memória.


Graça Pires
De Poemas, 1990

8 comentários:

herético disse...

honra-me a tua visita. grato.

admiro siceramente os teus poemas. e o teu talento literário.

maria m. disse...

encontro nestes últimos poemas uma união de delicadeza e de sensualidade, de que resultam belas imagens como: «porque o seu corpo /é um desvio do mar.»

Luis Eme disse...

Também gostei do desvio do mar...

Sophiamar disse...

Um poema lindo.Também para mim a poesia é tão importante como o oxigénio que respiro.
Beijinhos

hfm disse...

Os dois últimos versos arrepiaram-me de tão belos!

Fernando Dinis disse...

Muito bonito.

Graça Pires disse...

Obrigada herético pela visita e pelas tão agradáveis palavras. Um abraço.

Maria M., gostei do teu comentário . Obrigada. Um beijo.

Luis ainda bem que gostaste. Um abraço.

Sophiamar, é sempre bom quando alguém ama assim a poesia. Um beijo.

Helena a tua gentileza é imensa. Obrigada e um grnade beijo.

Fernando Dinis, obrigada pela visita. Que é feito do "Fico até tarde..."? Um abraço.

Fernando Dinis disse...

Graça, obrigado por perguntar.
Breve, breve (espero eu) haverá Fico Até Tarde Neste Mundo em livro.
É claro que lhe darei conta oportunamente.
Cumprimentos