16.1.09

Em seara alheia


UMA CASA EM PEDRA
Uma casa em pedra é um lugar onde se fabricam
os utensílios mais fraternos, talvez o lugar próprio
para descobrir a nossa vocação para plantar lírios
à beira das veredas, no caminho interior do lar.

Nela se redescobre a teimosa mão do poder das cinzas
à lareira, um jarro de água sobre a mesa, o pão amassado
na véspera, ante o alvoroço anónimo das crianças
ao odor das leveduras ainda frescas, transfiguradas.

Dentro das pedras se erguem as vozes vindas da planície
como se viessem da própria casa, do mais íntimo da terra,
misturando-se o apelo das águas e as narrativas
de animais nocturnos, obscuros, na fronte das montanhas.

E é daí que se lê a premonição das estrelas circundando
o destino de ervas e bichos que se fundem aos processos
por onde o vento soa, geométrico, um tempo sem data,
uma verdadeira abstracção de objectos nus, imaginários.


Vieira Calado aqui

In: Itinerário. S. Mamede de Infesta: Edium, 2008

39 comentários:

Paula Raposo disse...

Todo e qualquer poema que já li do Vieira Calado é perfeitamente fabuloso!! Eu sou admiradora incondicional deste nosso Poeta!! muitos beijos.

Gisela Rosa disse...

A casa .. a pedra,
este círculo interior da memória em movimento
que soa e tudo encanta!


Adorei o poema Graça! Vou querer conhecer mais do poeta! beijinhos

soledade disse...

Tudo cabe na casa de pedra,todas as memórias que nos religam a um tempo pleno, inteiro, um tempo de gestos, de seres e de objectos cheios de sentido. É como uma fotografia detalhadíssima, este poema. E fica-se a desejar ser parte do universo recriado. A pedra é tão material, âncora, ligada ao coração do planeta. E quando tudo deriva...
Parabéns ao Vieira Calado, pelo poema. E à Graça por tê-lo escolhido.
Bom fim-de-semana :)

Teresa Durães disse...

As casas de pedra têm o dom de guardar todas as vivências

mariab disse...

parabéns pela escolha, Graça. o Vieira Calado é, sem dúvida, um excelente poeta e este poema é lindíssimo.
beijos

Miguel Barroso disse...

Parabéns a ambos. Gostei.



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

José Manuel Vilhena disse...

Agora "saio" pouco, mas as viagens ao seu blog nunca são tempo perdido.
Líndíssimo texto.
um abraço

Adriana disse...

A imagem dp poema tem sabor de pão amassado. cheiro de vento fresco, é leve. É minério de pedra preciosa.

viernes disse...

a calidez das casas de pedra, sempre lembrança e portanto desejo,
obrigado por este poema,
um beijo

hfm disse...

Com palavras se escreve da pedra da casa, muito bom. Bela escolha.

Parapeito disse...

Foi muito bom entrar nesta seara alheia.
Gostei de ver aqui o Vieira Calado.

****

Pedro S. Martins disse...

As casas de pedra aglutinam os seus ocupantes para a sua própria feitura.

Pena disse...

Amiga:
O poeta Vieira Calado é um génio reconhecido da nossa mais pura poesia.
"...Dentro das pedras se erguem as vozes vindas da planície
como se viessem da própria casa, do mais íntimo da terra,
misturando-se o apelo das águas e as narrativas
de animais nocturnos, obscuros, na fronte das montanhas..."

Fabuloso. Admirável.

Abraço a ele.
Beijinhos a si, pelo gesto...
Com cordialidade e sincero respeito aos dois...

pena

Lindo!

isabel mendes ferreira disse...

" é daí que se lê a premonição das estrelas circundando
o destino de ervas e bichos que se fundem aos processos
por onde o vento soa, geométrico, um tempo sem data,
uma verdadeira abstracção de objectos nus, imaginários."


É. é mesmo. telúrica a voz que se insurge. a do poeta.

___________que não cala e ousa.



beijo Graça.


excelente verbo o de V. C.

Multiolhares disse...

Nas casas de pedra
a leveza do amor tambem existe
BJ

batista disse...

a imagem da pedra a suscitar poemas ao longo do tempo... quanto a uma casa - e de pedra! - conduze-nos às nossas próprias vivências...

grato pela partilha. deixo um abraço fraterno.

Branca disse...

Parabéns pelo blog...gostei muito!
Parabéns pela escolha do poema...
Voltarei mais vezes...
bjos.

Eduardo Aleixo disse...

Parabéns aos dois. Lindo, o poema. Sabes, Graça: tihna escolhido este poema de Vieira Calado para postá-lo no meu blogue: foste logo roubá-lo... Dexa lá: ele, felizmente, no seu livro, tem mais poemas belos.
Eduardo

Licínia Quitério disse...

Muito bom este poema do Vieira Calado. Obrigado a ele e a ti.

tulipa disse...

TENHO ESTADO AUSENTE...
Os problemas com a m/sobrinha têm sido a causa do meu afastamento.
Ela tem estado muito mal, no início da semana teve uma paragem cardíaca e teve que ser operada, com apenas 26 anos!!!
Agora está um autêntico vegetal, ligada a tudo que é máquina...

Mas, hoje decidi visitar alguns dos blogues amigos e cá estou.

Aquando da minha viagem à Índia (estava lá há 2 meses atrás) houve tempo para aventuras, turismo e Solidariedade, como podes constactar no meu ultimo post.

Bom fim de semana.

Véu de Maya disse...

poesia do cheiro e da presença, do lar e da esperança, da vida que se relembra e projecta...muito belo e profundo o poema do Vieira calado...parabéns Graça...

abraço

Véu de Maya

Sophie Gaarder disse...

Foi-lhe atribuído o prémio "Dardos". Para ter acesso ao selo, clique no meu blog.

Com o Prémio Dardos reconhecem-se os valores que cada blogger, emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc., que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os bloggers, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

Beijo

pin gente disse...

gosto
gosto de vieira calado

as casas têm histórias... feliz de quem as saiba contar. feliz de quem as saiba lembrar.

um abraço

teresa p. disse...

"A casa em pedra" traz-me as memórias da infância, de um tempo encantado...
Muito belo este poema de Vieira Calado, parabéns!
Beijo.

Pena disse...

Doce Amiga:
Admiro muito o poeta genial reconhecido Vieira Calado.
"...Uma casa em pedra é um lugar onde se fabricam
os utensílios mais fraternos, talvez o lugar próprio
para descobrir a nossa vocação para plantar lírios
à beira das veredas, no caminho interior do lar..."

Perfeito. Sensível. Fabuloso.
Abraço, poeta.
Beijinhos, linda poetisa pela escolha que me sensibiliza e admiro.
Sempre presente aqui.
Feliz Domingo para os dois...

Maravilhado...

pena

maré disse...

do mais íntimo da terra

como a pedra aglutinadora
de todos os movimentos do sentir.

-------
Excelente a tua escolha

OBRIGADO,Graça!
e um grande beijo

d'Angelo disse...

Você abre suas portas para uma casa magnífica, que tem a algazarra da infância, a visão das estrelas e a prerrogativa de tantas descobertas.olegnad

JPD disse...

Olá

Belíssimo poema de Vieira Calado -- Felicito-o! -- e excelente ideia de partilha de espaços de edição.
Bjs

São disse...

Conheço a poesia do autor: também me agrada muito.
Feliz semana, Graça.

mié disse...

Muito bonito

que dizer mais?

...em casa de pedra

tão junto à vida.

um beijo

vou lá :)

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Só posso dizer obrigado.


Beijinhos

Ailime disse...

Grande poema que nem me atrevo a comentar!
Fico com os odores que dele emanam e que transportam doces memórias.
Grata por partilhá-lo.
Parabéns a ambos.

Victor Oliveira Mateus disse...

Hum!... Bom poema!!! Esta casa
"em" pedra, afinal não é feita só "de" pedra... Gostei do poema do Vieira Calado!
Um beijo, Graça.

pront'habitar disse...

a ti e ao vieire calado, obrigado.

O Profeta disse...

CONVITE

Porque as palavras são tantas, imensas, são ternura o afago, cruéis ou vil loucura. Quando ditas não voltam à boca.

Convido-te a partilhar “ALQUIMIA DAS PALAVRAS” no lançamento do livro com o mesmo nome da autoria de Armando Moreira, que terá lugar no dia 24 de Janeiro de 2009 pelas 21 horas e 30 minutos no Coliseu Micaelense.

O livro será aberto e do seu interior irão brotar canções, histórias e teatrices numa noite em que o feitiço estará presente e será servido por actores, cantores e poetas com a magia da Palavra…


Mágico beijo

adelaide amorim disse...

Belo, Graça! Grande poeta, também o admiro enormemente.
Beijo

Mofina Mendes disse...

Bom é ter tempo e andar pela net a descobrir poetas como Vieira Calado. Óptimo é a atitude da amiga Graça que partilha com todos as suas boas leituras.

maria m. disse...

Em Vieira Calado, a força telúrica dos objectos, vigiada pelas estrelas.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Uma casa em pedra é uam história viva dos nossos antepassados.
Lindo poema do Vieira.
beijo no coração, Graça.