3.6.10

Consentidas emoções

Edward Hopper




Com flores exuberantes
em torno das ancas rememoro
incontáveis sombras no meu rosto
e traço os caminhos em que me perdi
como quem empunha no fundo
da memória a bandeira ou a espada
de consentidas emoções.
Não voltarei ao sobressalto
dos lugares marcados com sangue de fêmea
para que o instinto me não rasgue
a pele dos seios.


Graça Pires
De Não sabia que a noite podia incendiar-se nos meus olhos, 2007

41 comentários:

AC disse...

O lamber das feridas, o reformular do caminho...

Lou Vilela disse...

Recomposição de um rubro caminho... Belo, minha cara!

Beijos

maré disse...

da constatação das sombras
emigro para oriente:
um desígnio seguro ao Verão das rosas.

a mim voltarei
com um parágrafo de asas.

_
um grande beijo de saudade querida Graça.

Pena disse...

Amiga Poetiza Linda:
As suas emoções são de uma beleza e ternura imensas.
Divinais!
Escreve com magia depositando metáforas extraordinárias em quem as quer apanhar. E, todos o fazem porque são maravilhosas e doces.
Bem-Haja, preciosa amiga poetiza.
Deslumbra tudo por onde o seu génio passa.
"...e traço os caminhos em que me perdi
como quem empunha no fundo
da memória a bandeira ou a espada
de consentidas emoções...."

Haverá coisa mais bela? Não acredito, sinceramente.
Com todo o meu respeito, brilhante poetiza e amiga de bem.
Beijinhos amigos de pureza ao seu encanto.
Adorei.

pena

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

E o instinto só sabe rasgar mesmo, em horas quase que impróprias.

até mais.

Jota Cê

hfm disse...

Sempre a limpidez da tua poesia!

José Manuel Vilhena disse...

Forte...gosto...e não conhecia esta pintura.
um beijinho

Adriana Karnal disse...

lindíssimo Graça...diferente um pouco da sua linha, ainda não havia te visto falar do corpo.Este que te descreve.

Daniel Hiver disse...

Graça... eu ainda escrevo como quem pisa em delicadas flores quando me aventuro pelo caminho dos haikais. Mas muito obrigado pelas palavras em meu blog.
Já essas consentidas emoções "cheias de flores exuberantes e
incontáveis sombras no rosto
e traços de caminhos em que se perdeu" é de uma leveza quase densa. De uma densidade que lembra algodão doce... isso é poesia com um jeito de dizer todo próprio
As vezes os sentidos e os instindos se confundem e a mistura produz um rasgão nos músculos que exercitam o sorriso e o pulsar dentro do peito. Tuas poesias são para ser sorvidas e eu as saboreio.

Marta disse...

O corpo fala sempre....
E há sempre memórias que o marcam...
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

tb disse...

errar é aprender a caminhar...
Como sempre poemas que me abrem um silêncio no peito.
beijinho

Gigi disse...

Bonito e profundo pensamento...

alice disse...

o que não rasga, suaviza, como sempre suavizam as suas palavras, querida graça. um grande beijinho*

Paula Raposo disse...

Sensualíssimo! Gostei imenso. Beijos.

Braulio Pereira disse...

sempre belo estar aqui.

contigo..

minha alma é mais rica..

me inundas...


beijos...

CamilaSB disse...

Emoções... guarda o corpo da mulher,
delicado no sentir e no pensar,
guarda as flores com os espinhos,
com cuidados...para não se magoar...
Belas e profundas são as suas palavras... repletas de poesia! Um beijo e obrigada!

Véu de Maya disse...

A poesia, pleno da vida. =eterno recomeço...Linda catarse.

Beijinho,

Véu de Maya

Amor feito Poesia disse...

De todas as flores que colhemos nos campos, a Amizade é o único sentimento que os ventos podem soprar, mas, suas pétalas jamais cairão

Bia Cogan

Feliz Sábado....Abraço! M@ria

Vieira Calado disse...

Excelente articulação

das palavras do poema!

Bom fim de semana.

viernes disse...

bela conjunção de palavra e pintura, gostei muito deste post,
um beijo

manuela baptista disse...

consentidas

permitidas
como as sombras do meu rosto

instintivas
primárias

elaboradas
com o sentido da pele
em cada emoção

.

eu fiquei a saber

que a noite podia incendiar-se nos seus olhos!

um beijo

Manuela

Mar Arável disse...

Gostei deste teu poema datado

um bom regresso

Bjs

Amor feito Poesia disse...

A felicidade é como uma borboleta. Quanto mais você a persegue, mais ela se esquiva. Mas se você voltar sua atenção para outras coisas ela virá pousar calmamente nos seus ombros.

Thoreau

Amor & Paz nos seu Domingo! M@ria

d'Angelo disse...

Reminiscências e emoções que a palavra permite resgatar através das fronteiras do tempo. O verso e a beleza, Graça, são armas que você sabe maravilhosamente empunhar.

teresa p. disse...

"Consentidas emoções"
Guardam-se na alma como marcas de uma vida plena...
Belo o poema, como sempre, bela e significativa a pintura com que o ilustras.
Beijo.

AFRICA EM POESIA disse...

adorei passar por aqui.
ainda na semana da criança deixo...
CRIANÇA DE LONGE



Criança...
Criança de longe...
Criança sofrida...
Criança mal tratada...


Tanto sofres...
Tens o teu dia...
Tens os teus direitos...
Mas...


Apenas em papel...
Pois a sociedade...
Nada te dá...
Não te protege...
E muitas vezes...


Pobre criança...
Vemos...
Que te deixamos morrer!...


LILI LARANJO

heretico disse...

É bom saber-te de regresso.

exuberantes as flores. sem dúvida.

bela a feminil pele. e o sangue.ainda...

excelente. o Poema.

beijos

Fernando Campanella disse...

Forte, visceral, memória e, ao mesmo tempo, amadurecimento, consentimento e maturidade (eu diria sublimação, mas não sei): retrospecto da memória do corpo.
Bjos, minha querida amiga.

Eduardo Aleixo disse...

O não sobressalto
Não haver salto
Fluir
Correr
suave
Flor de incêndio!
Mas que livro nos ensina
O passo dança da corça ao ritmo
Harmónico da terra
Embalando o sangue
Para que fogo ou chama
Nos transformem o corpo
Na fusão sonhada
Mas com as águas uma vez caídas
Nada perturbadas?
Corpo sempre belo
Na aprendizagem do tempo.
Cinzel
Pincel
Caneta
Sílabas somos
Crescendo no tempo
Que se quer sem mágoas
Nem lamento...

tecas disse...

(...e traço os caminhos em que me perdi...) Beleza, ternura, sensualidade e determinação...
Lindo
Um beijo

maria manuel disse...

memória de um tempo de emoções sensuais, de sobressaltos íntimos em reflexo no corpo. desejo de apaziguamento, de uma nova etapa de quietude, belo poema, Graça!

beijo grande.

Laura disse...

Belíssimo, Graça...

© Piedade Araújo Sol disse...

o poema com um leve toque de sensualidade, achei optimo.

um beij

Nilson Barcelli disse...

A resignação?
Mas os sobressaltos dão vida à vida...
Querida amiga Graça, mais um excelente poema.
Bom feriado, beijos.

A.S. disse...

A dureza implacável das palavras na delicadeza de um corpo onde a exuberância das flores ainda exala vestigios do seu perfume...

Beijos, Graça
AL

Gisela Rosa disse...

Adorei Graça


Essa palavra onde também incorrer as emoções que dilaceram....


belíssimo, Obrigada

beijinho

Luis Eme disse...

traças tão bem os caminhos em que te perdes e encontras...

abraço Graça

Virgínia do Carmo disse...

às vezes é preciso sentir, não obstante o sangue...

Grata pelo lindo poema

Beijinho

De Amor e de Terra disse...

Olá Graça, bom dia.
Que beleza, embora tão dorida e nostalgica!
Obrigada por isso, que acelera o ar nos pulmões e o bater do coração, como uma caminhada ao romper da manhã.

Bjs.
Maria Mamede

Menina Marota disse...

Leio tanto os seus livros... as suas palavras são magia para mim...
é (re)encontrar em cada poema o sentido da sua Vida...

Um grande abraço.

avlisjota disse...

Sem os sobressaltos perco as emoções todas!...

Bjs

José