15.12.10

É do mastro mais alto

Claude Simon


Quando, a breve prazo, a caligrafia
transforma as palavras em navio
é do mastro mais alto que o silêncio
adere à pele como um suor salgado
atraindo o golpe de asa onde a língua se fere.


Graça Pires
Em O silêncio: lugar habitado, 2009

40 comentários:

hfm disse...

Um poema enxuto e profundo onde em cada leitura se encontram novos elementos. Belíssimo, Graça.

Lou Vilela disse...

Belíssimo, como sempre. ;)

Beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

G.

curto e completo. limpo. salgado. profundo.

todos os requisitos para mais um bom poema.

beij

Laura Ferreira disse...

Que lindo, Graça...

Braulio Pereira disse...

mais uma...
uma vez mais..
profunda poesia

gostei muito..

beijos amiga!!

Pena disse...

Estimada e Simpática Poetiza Amiga:
"...a caligrafia
transforma as palavras em navio
é do mastro mais alto que o silêncio
adere à pele como um suor salgado
atraindo o golpe de asa onde a língua se fere..."

Um belo poema, onde a caligrafia é sublime e extraordinária.
Mais uma "explosão" deliciosa de poesia fabulosa segundo a sua maravilhosa assinatura.
Perfeita.
Tem o hábito de nos deslumbrar por onde passa o seu já reconhecido talento poético gigantesco.
Adorei.
Bem-Haja, pela beleza expressa no meu blogue.
Abraço amigo de respeito imenso.
Sempre a admirá-la. SEMPRE!

pena

afonso rocha disse...

Adoro a sua poesia, Graça!!!!!
Sinto-me tão pequenino ao pé da sua...e tanto para aprender!!!!
Obrigado pela sua visita periódica...e pela simpatia dos seus comentários e da sua força e estímulo que transmite.
Não só a mim...mas a todos os outros que de alguma forma chegam ao seu blogue!!!!
Beijo para si e otimo final de semana

AC Rangel disse...

O silêncio, sempre presente, sempre temido. Poucos o conseguem entender.

Parabéns...

São disse...

m dos teus poemas que maqis me tocou,sabes?
Abraço-te.

Desnuda disse...

Graça,

a ilustração é belíssima e seus poemas com a beleza e qualidade de sempre. Obrigada.


Carinhoso beijo

Luis Eme disse...

é...

intenso e profundo.

beijinho Graça

Mar Arável disse...

A síntese dos silêncios que habitam nos mastros mais altos

Bjs

Lara Amaral disse...

Suas metáforas são sempre incríveis, originais e boas de se ler, Graça.

Adoro estar aqui.

Beijo!

alice disse...

e nada mais urgente que ser navio no mar das palavras, querida graça. um grande beijinho*

Marta disse...

O silêncio fala sempre mais alto...
Como um labirinto.....
Poema brilhante...
Obrigada pela visita..
Beijos e abraços
Marta

manuela baptista disse...

e sangra salgada

dos pássaros que soltámos
mais alto

um beijo, Graça

porque subimos,
a cada golpe de asa!

manuela

De Amor e de Terra disse...

é no alto dos mastros (do silêncio)onde mais se sente a solidão, seja ela povoada de pele e sal ou não...
Belo!
Bjs.
Maria Mamede

avlisjota disse...

O silêncio resguarda-se no ponto mais alto. Responde assim aos golpes dos habitantes do ponto mais baixo.

Sintético belo e profundo!

Boa noite Graça, espero que aprecie a minha poesia...

Um beijo

José

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Você agasalha as palavras de uma forma emocional...

... profundamente linda.

Beijo, Graça querida.

Rebeca

-

Virgínia do Carmo disse...

Na poesia até o silêncio é fonte de sublimação. E este breve mas intenso poema é sublime!...

Um beijinho

Paula Raposo disse...

Depois do meu barco, o teu navio...e o golpe de asa.
Um beijinho.

carlos pereira disse...

Cara POETISA Graça;
Poema, simplesmente, sublime.
Gostei imenso.
Um beijo.

viernes disse...

têm tanta força as palavras, que estremecem-nos quando são a verdade...
Muito belo, Graça!

Um beijo

lupuscanissignatus disse...

dizer tanto

em tão pouco


[o corpo-âncora]



*um óptimo
fim-de-semana*
Vitor

Sofá Amarelo disse...

E porque o mar tem o sal do silêncio, há sempre um mastro que nos desenha as asas na pele....

Véu de Maya disse...

Delicioso nas metáforas...Fiz pausa de Natal no meu blogue.Passso para te desejar Natal Feliz...e um Ano Novo com saude, felicidade, e poesia.

Bjinho,

Véu de Maya

Analuka disse...

Bonito blog! Abraços alados azuis!

heretico disse...

caleidoscópio de cores harmoniosas. assim tuas palavras belas...

beijo

Vieira Calado disse...

Bonito, sem dúvida!

Mas hoje vinha apenas

para lhe desejar

Bom Natal!

Bjs

Licínia Quitério disse...

O navio das palavras que é a sua Poesia. De silêncio e de sal. Obrigada, Graça.

Um beijo.

Mofina disse...

Naveguemos!

Beijinhos

teresa p. disse...

Uma caligrafia que "transforma as palavras em navio..."
É assim a tua poesia!
A ilustração também é muito bela.
beijo.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Um Natal próspero e cheio de felicidade. Que Deus continue abençoando todos os seus passos.

Trouxe um presente e espero que receba com carinho, clica aqui:

http://www.artesorrindo.com/flashcard/n015.htm

Beijo bem grandão.

Rebeca

-

Nilson Barcelli disse...

Há coisas que nos acontecem quando menos esperamos.
A excelência da tua poesia, como sempre.
Querida amiga Graça, desejo-te um Natal muito feliz.
Beijos.

Teresa Durães disse...

Quando do mastro não se avista o ancoradoro, é no mastro que se desespera

Fernando Campanella disse...

Metáforas complexas, e belas, minha amiga. Um conjuntos de sensações únicos, uma expressão única também. O silêncio sabe a sal, o navio quer o rumo, a asa fere a língua: o corpo fica, a alma voa. Um enorme abraço, e um muito feliz natal para você. Muito obrigado pelo carinho que você demonstrado para com minha criação. Vindo de você, fico muito feliz.

dade amorim disse...

Belo e eloquente, Graça.

Beijos.

pin gente disse...

isola-se o silêncio que habita os lugares

um abraço, graça
e obrigada...

Benó disse...

Essa necessidade de escrever, Graça.A sua poesia transforma o silêncio das folhas em branco em música suave.
Desejo um BOM 2011.

Canto Turdus Merula disse...

gosto de por aqui passar.


a este lugar
não só me traz o olhar a escrita deste alto mastro.
também traz-me ao olhar
o deslumbro da ortografia deste espaço, rasto de um astro.