15.2.11

Em seara alheia

Seguiam-se momentos obscuros
decifrados nas docas e nos cais.
Os andantes da noite
procuram prazeres mundanos
e instantes propícios às palavras
palavras indizíveis, sem nome
que atravessam o próprio rosto
e circundam as mulheres de fogo.
Atam as mãos em noites de lua cheia
e despem as noites de breu.
Pisam as areias molhadas e rasgam as sombras
com que percorrem lado a lado
o ponto mais alto do silêncio.
Transformando as palavras em navios.

José M. Silva
In: As sombras. Edição de autor, 2010

43 comentários:

joaocarlos42@gmail.com disse...

As palavras podem, também, transformar tudo - já que até podem, como vimos, transformar-se em navios.

Por isso, é que os poderosos gostam do silêncio.

Por isso é que não podemos calar-nos.

Fa menor disse...

Boa escolha!
que as palavras possam ser sempre navios que nos levem a bom porto.

Bjos

Braulio Pereira disse...

fantastico tremenda força

me dás.. preciso mesmo

de vir aqui á tua casa.

obrigado pelo teu comentário

orgulho sempre para min.


um beijo amiga!!

Marta disse...

As palavras poderosas a rasgar o silêncio...
Num grito, uma revolta....
Boa escolha...
Beijos e abraços
Marta

São disse...

Pisar as areias molhadas de poesia alheia é sempre uma aventura agradável.
Bem hajas, linda.

Vivian disse...

...quantas palavras dizemos
com gestos?

felizes os que conseguem
decifrá-las.

bj, querida!

R.B.Côvo disse...

As palavras são de uma força enorme, capazes de tanto mudarem. Adorei esse ponto mais alto do silêncio. Um abraço.

alice disse...

não conheço o autor, mas gostei muito do poema. um beijinho, amiga graça*

Cata- Vento disse...

Mais uma vez, repito-me, o poder encantatório das palavras fascina qualquer leitor.

Beijinhos

Bem-hajas!

Pena disse...

Preciosa e Consagrada Poetiza Amiga:
"...Atam as mãos em noites de lua cheia
e despem as noites de breu.
Pisam as areias molhadas e rasgam as sombras
com que percorrem lado a lado
o ponto mais alto do silêncio.
Transformando as palavras em navios..."

Que "coisa" mais subime, bela e terna.
Fiqui fascinado por tanta gigantesca beleza.
Sim! O prazer da noite nos cais de navios que a ela aportam, confeccionam sentimentos destes.
É brilhante e fabulosa, poetiza amiga. Encantam, os seus versos.
Abraço amigo ao seu génio poético e a si.
Com respeito.
Sempre a admirá-la

pena

Bem-Haja, notável poetiza amiga.
Fantástica.
Adorei.

viernes disse...

É um grande poeta o José Miguel Silva, e falam muito bem do Atlântico essas palavras que se transformam en navios...

belo poema,

um beijo

manuela baptista disse...

e navegam
despidas de breu

as palavras
são os códigos de cada momento

muito bonito
o poema de José M. Silva

e a escolha deste cais!

um beijo

manuela

A marca das palavras disse...

Os navios são como as palavras...unem o mundo.
Parabéns ao autor e a si Graça que nos deu a conhecer este poema.
Beijos.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

entendo e sinto esse poema porque sou eu um " andantes da noite
procuram prazeres mundanos"

apaixonado disse...

As palavras tem poder podendo levar à portos bons e ruins, mas nós temos o poder de controlá-las.
Bjos

Canto Turdus Merula disse...

Belíssimo poema onde as mãos mergulham as palavras na noite, como navegam sabia e extraordinariamente neste navio.

ESCONSOLADO disse...

Por mares nunca dantes navegados.
Indo aonde nenhum homem jamais esteve.
E ainda assim mundano, lascivo e terreno.
Boa escolha.

dade amorim disse...

Lindo esse poema, Graça. Não o conhecia ainda.
Beijos e obrigada.

hfm disse...

Sempre escolhas criteriosas e poeticamente excelentes.

Paula Raposo disse...

Excelente poema!
Obrigada pela partilha, Graça. Beijos.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Essa sua sensibilidade flui de uma maneira linda.

Beijo, Graça.

Rebeca

-

A.S. disse...

Graça,

Nas tuas palavras navego, nelas naufrago e me afundo... com prazer!

Beijos!
AL

teresa p. disse...

"Transformando as palavras em navios."
Mágico!!!

Beijo.

Nilson Barcelli disse...

Bela escolha. Gostei.
Beijo, querida amiga Graça.

Jaime A. disse...

É no cais que começam tantas viagens, as palavras transformadas em navios...
Tão lindo este poema, tão cheio de metáforas lindas...

Sofá Amarelo disse...

Navios de palavras molhadas e sombras que atravessam o próprio rosto em instantes propícios de silêncio...

Desnuda disse...

Amiga Graça,

Um belíssimo poema nesta feliz escolha feita por sua apurada sensibilidade , talento econhecimento do que é realmente bom na literatura. Obrigada.


Beijos com carinho.

avlisjota disse...

Olá Graça

É para mim motivo de grande orgulho e satisfação ver um poema meu publicado no teu blogue!
Bjinhos

Não comento alguns comentários aqui feitos. Mas tenho que corrijir o amigo viernes.
O meu nome não é José Miguel Silva, mas sim José M. Silva, nome de baptismo, que assina muitos trabalhos de pintura, designer... espalhados pelo país e estrangeiro; em locais privados e públicos, há mais de vinte anos).

Um bem-haja à Graça e aos autores aqui presentes.

José M. Silva

mundo azul disse...

________________________________

Palmas para o poeta e obrigada a você por nos trazer tão belo poema!


Beijos de luz e o meu carinho...

____________________________

gabriela r martins disse...

a excelência em verso




.
um beijo

heretico disse...

gostei do poema.
grato por revelares um poeta para mim desconhecido.

beijos

Valquiria = selos e mimos,valvesta e hanukká. disse...

.
Aguarde enquanto carrega,todo meu carinho por vc...
CARREGANDO...
10%
█▒▒▒▒▒▒▒▒▒

20%
██▒▒▒▒▒▒▒▒

30%
███▒▒▒▒▒▒▒

40%
████▒▒▒▒▒▒

50%
█████▒▒▒▒▒

60%
██████▒▒▒▒

70%
███████▒▒▒

80%
████████▒▒

90%
█████████▒

100%
██████████

CARREGADO COM SUCESSO...

Passo rapidinho pra deixar o carinho, bom resto de semana. Beijos.

rouxinol de Bernardim disse...

Simples, direto, ao coração do leitor!

Fui atingido, mesmo no peito!

Me rendo! À classe, singeleza, pureza de uma poesia esculpida no mármore da verdade e da honradez.

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema muito belo, não conhecia o autor, mas gostei muito de ler.


Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Sandra disse...

Ola tudo bem.

Belo poema.


" NENHUM CAMINHO É LONGO DEMAIS QUANDO UM AMIGO NOS ACOMPANHA".

"ENQUANTO HOUVER AMIZADE COMO VOCÊ NO MUNDO, HAVERÁ PESSOAS DE SORTE COMO EU, SENDO PRIVILIGIADA PELA SUA AMIZADE".

OBRIGADA PELO SEU CARINHO, PELA SUA AMIZADE, PELA SUA CONFIANÇA. COM MUITO CARINHO..SANDRA

Luis Eme disse...

palavras temperadas pelo "sal" das docas e do cais...

beijinho Graça

Virgínia do Carmo disse...

Felizmente há tantas pessoas a escreverem maravilhosamente!...
Obrigada apela partilha:)

Beijinho

tecas disse...

Nas sublimes palavras do autor José M. Silva, navego de mãos atadas em noites de lua cheia para despir as noites de breu, num grito de revolta.
Bem haja, querida Graça pela magnifica escolha. Só um espírito com extraordinária sensibilidade e estetica sabe escolher o melhor.
Bjito amigo e parabéns ao autor

Nilson Barcelli disse...

Como não publicaste novo poema, fui ao blog do autor e limais poesia dele. Fiquei maravilhado.
Querida amiga Graça, bom resto de Domingo e boa semana.
Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

os noctivagos das docas...

boa escolha!

beij

Eduardo Aleixo disse...

E assim o poema ilustra o sol a nascer nas noites, afastando as brumas, ressuscitando os risos, transformando as lágrimas em rios de música e de regresso aos sonhos com as palavras deslisando como barcos nas águas da vida, sem medo.

maré disse...

as mulheres sempre rasgaram as sombras emboscadas n seu rosto.
fazem com que as palavras sejam navios nos destinos que as luas lhe indiciam.
às vezes, no cais, só aportam barcos sem memória de viagens ou vestígios tristes de naufrágios.
pesam a noite e o semblante luminoso do silêncio das águas.

--
a ti um abraço imenso
ao Zé, um até já

Parapeito disse...

navegar é preciso..haja coragem pra fazer a viagem...
Gostei
brisas doces para si*