9.2.11

Tão hábeis os teus dedos



Talvez não seja inútil
colher, ao fim da tarde,
os miosótis plantados
nos teus pulsos: tão hábeis
os teus dedos manejando afagos.

Graça Pires
De Conjugar afectos, 1997

52 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

uma maneira sublime de se escrever:

ternura

gostei muito G.

um beij

alice disse...

a mim parece-me a mais útil e bela das tarefas :) um beijinho, querida graça*

Paula Raposo disse...

Lindíssimo, Graça. Uma ternura.
Beijos.

R.B.Côvo disse...

Gostei muito. Um abraço.

Licínia Quitério disse...

Que doçura de afagos. Beijinho, Graça.

Braulio Pereira disse...

afago o fogo desta chama

esqueço o Mundo

a poesia é de quem AMA

teu poema é sensual e profundo


beijos!!

Tania regina Contreiras disse...

Das ternuras...
Lindo!
Beijos,

Sonhadora disse...

Minha querida

Quanta ternura neste poema...tanto que as mãos falam...Lindo.

Beijinho com carinho
Sonhadora

São disse...

Ai, como eu aprecio poemas assim curtos e dizendo tudo !

Um abraço.

Carlos Ramos disse...

E as certeiras palavras

mundo azul disse...

___________________________

Muito bonito o seu poema, Graça!

Beijos de luz...

_______________________________

Luis Eme disse...

assim se conjugam afectos...

com afagos.

beijinho Graça

tb disse...

Belíssima forma de escrever azul suave e doce como os miosótis que tanto adoro.
beijinho

carlos pereira disse...

Cara Poetisa Graça;
LINDO poema; a sensibilidade das flores misturam-se com a sensibilidade de quem ama, com o desejo centrado na obtenção de afagos.
Gostei imenso.
Um beijo.

Marta disse...

Porque um abraço sentido e carinhoso é o que faz falta....
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

manuela baptista disse...

tão hábil

a linha plantada de um pulsar!

um beijo, Graça

manuela

Lara Amaral disse...

Carinhos em pétalas... =)

Lindo e delicado poema!

Beijo.

Jaime A. disse...

Porque o carinho também se escreve...

d'Alma disse...

Confesso que me arrepiou a imagem dos "pulsos"!... E a cor dos misótis, completou a imagem desse arrepio!... Estranho!... Como se o culto da "morte" germinasse num delicado carinho fúnebre!... Arrepiante, esta minha interpretação, mas não me sai da cabeça essa imagem inquietante dos "misótis plantados nos pulsos"...



Abraço





Abraço

Patrícia disse...

A futura revista "Intervenção" é o reflexo do pensamento de seis jovens indignados com o panorama da sociedade.
A revista parte de uma iniciativa que tem por objectivo uma crítica àquilo que vemos mas que nos passa completamente despercebido.
Desta revista surge um blogue "Realidade Paradoxal" : realparadoxal.blogspot.com
Gostaríamos que comentasse o nosso blogue e se acha que o nosso projecto é de facto interessante, que o divulgasse.

Desde já um muito obrigado

Adriana Karnal disse...

adoro miosótis...mãos delicadas essas....lindo poemeto.

Eduardo Aleixo disse...

Afagos azuis
são cada letra do teu poema
lindo como o céu
e perfumado como as flores.
----------------
Um beijo, amiga.

pin gente disse...

completamente em silêncio
deixas que os teus dedos desenhem um arco sobre os meus olhos
repetes
repetes-te
como se o teu olhar fosse o afago e os teus dedos apenas me dissessem o quanto me amas.


um beijo, azul

Álvaro Lins disse...

Tão hábeis dedos...para escrever versos.

rouxinol de Bernardim disse...

gostei.

A simplicidade e a ternura no seu clímax!

Cata- Vento disse...

Felizes aqueles que têm o privilégio de ter amigos assim.

Bem-hajas!

Beijinhos

Mar Arável disse...

O amor
faz "milagres" nos teus poemas

Bj

A.S. disse...

Felizes pétalas que se deliciam entre afagos... benditos dedos que ousam tais prodigios!


Beijos...
AL

maria carvalhosa disse...

Encantadores os miosótis. Transcendente a forma de os colocares no centro do poema, magnífico esse!

Beijos, querida Amiga.

Machado de Carlos disse...

Como é bom este carinho de plantas. Uma forma de mimos que enaltece o coração!

teresa p. disse...

Miosótis perfeitos, como os sonhos de Amor...
Lindo!!!
Beijo.

heretico disse...

a flor da pele. na polpa dos dedos...

belíssimo.
beijo

tecas disse...

Poema de afagos doces e sensuais em mãos hábeis de amor.
Muito belo.
Bjito e bom dim de semana

Alexandra disse...

Viva!

Que dizer de um poema assim?! Sublime, sensível, toca-nos na alma de forma leve e tranquila.

Um Beijo.

AC disse...

Quando a ternura se solta...
Maravilhoso, Graça!

Beijo :)

De Amor e de Terra disse...

... como gosto de miosotis!
Aqueles de que falas são ainda mais azuis e sublimes.
Parabéns, como sempre.
Bjs.
M.M.

segredo disse...

Penso k nada é inutil quando se faz de coração...

Beijinho de lua*.*

Flor disse...

Lindinho querida.

Graça tens o meu coração no meu blogue de Noite de Tormentas acompanhado de um lindo poema teu.

Beijinhos
Flor

VÉU DE MAYA disse...

brisa suave em alegoria poética. terno poema.

Beijinho,

Véu de Maya

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Eu adoro Conjugar Afectos!
Esse poema tem uma ternura metafórica, uma delicadeza perfumada.

beijos, minha querida!
fiquei muito feliz com teu e-mail.

José Manuel Vilhena disse...

"os miosótis plantados
nos teus pulsos"
:)

Fernando Campanella disse...

Esta simplicidade, esta metáfora tão delicada, esta percepção, tudo faz deste poema uma maravilha com tua doce palavra, Graça. Adorei o poema, um beijo também, minha amiga.

ESCONSOLADO disse...

QUE DELLICADEZ!

AnaMar (pseudónimo) disse...

o amor na ponta dos dedos. em azul
belo

Nilson Barcelli disse...

Nunca é inútil... acho eu...
Pequenino, mas um magnífico poema.
Encantas-me, sempre, minha amiga.
Beijo grande.

avlisjota disse...

Nada que seja feito com amor é inútil.

Bj

José

Virgínia do Carmo disse...

Mais uma vez a precisão das palavras a sublimar um momento...

Beijinhos, Graça

José Carlos Brandão disse...

A arte inútil,
mas razão de ser
da criação.

Beijos.

Benó disse...

Ao fim da tarde, que parte para dar lugar à noite, é o melhor momento para colher miosótis. O amor continua no ar. Adorei, Graça.

carol disse...

Muito, muito bonito! romântico, como eu gosto.
Parabéns (sempre) e obrigada.

maré disse...

inútil dizer:

os teus dedos plantam
pétalas de luz sobre as palavras.
a clarividência que nos atinge a alma.

_


beijos querida Graça

Maria Luisa Adães disse...

Lindos os seus versos!

Procurei "seguidores", mas não encontrei...e não a queria perder!

Maria Luísa