27.5.11

Lentíssimo sonho

Manuel Fazenda Lourenço


As flores da macieira ocultam as abelhas
em seu minucioso trabalho.
Espesso é o pólen que a luz da manhã
derrama sobre a terra: lentíssimo sonho
de um pomar antigo.

Graça Pires
De O silêncio: lugar habitado, 2009

43 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

os sonhos quando bons, podem e desem ser lentissimos.

um poema simples e agradavel com uma foto muito bonita.

um bom final de semana!

beij

Carlos Teixeira Luis disse...

Lindíssimo excerto dum livro que diria perfeito.

Beijos.

hfm disse...

Lenta e nobre a cadência dos teus versos.

viernes disse...

as coisas pequenas são espelhos de palavras da nossa vida...
Muito belo!
Um beijo

Luis Eme disse...

lentissimo sonho, sem idade...

doce e perfumado,

beijinho Graça

Marta disse...

Em que tudo fica perfeito....
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

lupuscanissignatus disse...

puro

mel

Sandrio cândido. disse...

gostei das imagens

De Amor e de Terra disse...

Lentíssio, poderoso e incansável
como só a Natureza sabe ser...
e que feliz me sinto, por ela e com ela!...

Bjs.
M.M.

Paula Raposo disse...

Acho muito doce este lentíssimo sonho. Beijos, Graça.

José Manuel Vilhena disse...

"lentíssimo sonho
de um pomar antigo"...e fica-se bem dentro dessa escrita.
:)

São disse...

Nsta azáfama que nos consome os dias, é bom saborear um lentíssimo pomar

Bom fim de semana

manuela baptista disse...

ocultação

manto


se fosse mais depressa, perdia-se a beleza de um sonhar assim

muito bonito, Graça

um beijo

manuela

Mofina disse...

Doces serão as maçãs...

bjnhos

teresa p. disse...

"lentíssimo sonho
de um pomar antigo."

Calmo, fresco e reconfortante!
A foto é linda!
Beijo.

AFRICA EM POESIA disse...

Graça
De uma coisa tão simples uma reflexão tão bela

Um beijo

Desnuda disse...

Querida amiga,

Lindo e leve! Belíssima foto.


Carinhoso beijo e feliz domingo!

Isamar disse...

Um sonho lentíssimo e , certamente, antigo como o pomar.As flores, o pólen, o mel, os frutos...
Lindo!

Beijinhosss

Teresa Durães disse...

o poerpetuar da natureza

Licínia Quitério disse...

Esse pomar originário, que habita as flores da macieira, revelado na lentidão do teu poema-sonho.

Grande Poetisa és, Graça! Um beijo.

Álvaro Lins disse...

"Sente-se" o texto e a imagem é perfeita!
Abraço

Cristina Fernandes disse...

Pomares onde as palavras são como frutos únicos...
Beijinho Graça,
Chris

Lara Amaral disse...

Sua poesia já está no meu coração, Graça. Cada nova que leio se instala na minha alma.

Beijo da sua fã.

Benó disse...

Bonita foto a emoldurar o sonho.
Um abraço, Graça

Flor disse...

É sempre um gosto ler as tuas poesías.

Convido-te a passar pelo meu blogue de Noite de Tormentas e se gostas, podes trazer o presentinho que eu estou a oferecer aos meus seguidores.

Beijinhos
Flor

Úrsula Avner disse...

OI Graça, puro lirismo em adoráveis versos... Bj.

rouxinol de Bernardim disse...

Na simplicidade a qualidade e a estetica...tão puras...

maria carvalhosa disse...

Querida Graça, os dois primeiros versos do teu poema têm a leveza de um haiku. Com os restantes, aprofunda-se o sentir poético, encorpa-se o texto. Já não é mais um singelo haiku. E, no entanto, (perdoa-me o atrevimento)para que o fosse, bastaria que se subtraísse ao texto "espesso é o pólen que a luz da manhã derrama sobre a terra".
Pensando melhor, e cometendo o sacrilégio de adulterar completamente o teu excelente poema, daria para, exactamente com as mesmas palavras, construir dois ingénuos e belos haiku:

1:

As flores da macieira ocultam as abelhas/ em seu minucioso trabalho:/ lentíssimo sonho de um pomar antigo

(lindo, lindo - digo eu ;) )

2:

Espesso é o pólen
que a luz da manhã
derrama sobre a terra

(tão simples e tão comoventemente gracioso, na sua imagem pura e expressiva!)

Desculpa-me, Graça, por assim brincar com as tuas palavras. Sabes que só o faço porque amo o que escreves...

Beijo terno.

segredo disse...

eu vou vindo ler.
Beijinho de lua*.*

tecas disse...

Maravilha de excerto! Adorei o seu livro, querida Graça. Escrita de poeta maior.
A simplicidade das coisas menores,são as que traduzem a felicidade.
Parabéns.
Bem haja, querida Graça,pelas de apoio e amizade deixadas no meu blog.
Bjito e uma flor.

Laura Ferreira disse...

Belíssimo. Parece uma cantiga.

Alberto Pereira disse...

Parabéns Graça, pela belíssima poesia que nos oferece. Bjs.

Alberto Pereira

heretico disse...

belos pomares de tua palavra poetica...

beijos

Nilson Barcelli disse...

Um poema nada simples... a simplicidade é apenas aparente.
Gostava de o ter escrito...
Parabéns pela excelência das tuas palavras.
Um beijo.

VÉU DE MAYA disse...

cheio de ar puro este teu poema intenso de frescura genuína e natutal.

beijinho,

Véu de Maya.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Graça, querida, que linda imagem!
Esse poema só mostra o quanto são poéticos teus olhos, eles refletem um brilho singular, luz de quem experimenta a poesia no peito antes das palavras.
beijo em teu coração

carlos pereira disse...

Minha cara POETISA, Graça Pires;
Poema emocionante! Mais do que um poema, é; um hino à vida.
Um beijo.

Tania regina Contreiras disse...

Parabéns: belo poema!
beijos

Vieira Calado disse...

Belo,

como é seu estro!

Bjsss

Eduardo Aleixo disse...

Trabalho silencioso dentro das pétalas que o protegem só poderá ter como fruto merecido o néctar divinal do teu poema. Beijinhos.

Fernando Campanella disse...

Versos luminosos aqui, Graça. Como gostei! Do particular, do localizado, tais versos abrem a linda perspectiva do universo. Bjos, minha querida amiga.

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Graça , passar por aqui é sempre um prazer : palavras e imagens .

um abraço
JRMarto

lupuscanissignatus disse...

as asas

da

terra