25.7.11

Memórias de Dulcineia XXI

Andrew Wyeth

Era lentura o que me cobria
os olhos quando, ao longo
do meu corpo, te ausentaste.
Um vagaroso luto cercou
todos os nomes que te dei.
É de cinza o meu peito.
É de fumo o teu rosto.

Graça Pires
De Uma extensa mancha de sonhos, 2008

37 comentários:

Braulio Pereira disse...

lindo..

adorei.


beijinhos amiga.

Desnuda disse...

Querida Graça,

Belíssimos versos para representar sentimentos bem assinalados e associados a cor... Espetacular a imagem que extraímos das palavras, Graça. Belíssima ilustração.

Beijos com carinho e ótima semana.

hfm disse...

Quando as palavras traduzem o indizível! Como gostei!

De Amor e de Terra disse...

Quanta beleza nostálgica minha Amiga, quanta!
Parabéns, como sempre.
Bjs.
M.M.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Lindo versos, porém um pouco nostálgico mais uma perfeição sem igual. parabéns adorei... Seu blog é excelente excelente e convido a conhecer meu blog. Um abraço!

Marta disse...

E ficamos com essas memórias e as cores....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Mofina disse...

Lindíssimo...

AFRICA EM POESIA disse...

Graça

é Isso amiga

O que é importante é gostarmos da vida... tal como ela é...
nas tuas palavras a beleza do poema...
beijos

José Manuel Vilhena disse...

gosto de lentura.
:)

MENSAGENS AO VENTO disse...

______________________________

Amores que deixam as lembranças tristes...


A sua poesia é especialmente bela!

Beijos de luz e carinho...

Zélia (Mundo Azul)


_______________________

© Piedade Araújo Sol disse...

a dor da partida de que ficaram memórias.

um belissimo poema, embora com alguma nostalgia.

beij

teresa p. disse...

Um poema nostálgico, mas extraordinariamente belo...
A ilustração é linda e adequada ao texto.
Beijo.

Evanir disse...

Estar aqui no seu blog hoje
é mais uma benção divina.
Que sua terça feira seja de
paz e realizações na sua vida.
Que o amor fassa parte não só dos seus sonhos ,
mais sim uma realização .
Ter você como amiga é muito mais
do que mereço.
È por isso que estou trazendo essa mensagem
pois não quero que você me esquesa.
Um beijo no coração pra sempre sua amiga,Evanir.

Lara Amaral disse...

Das ausências que se prendem ao corpo como algo sólido. Forte e lindíssimo poema!
Beijo.

Mar Arável disse...

No ciclo das marés

por vezes o silêncio

fala por gestos

Muito belo

manuela baptista disse...

delento o fumo e o rosto

luto


um extenso abraço

manuela

Sonhadora disse...

Minha querida

A ausência deixa lembranças e um vazio no peito.
Como sempre um belo momento de poesia.

Deixo o meu beijinho
Sonhadora

dade amorim disse...

Retrato muito fiel de um momento, pintado nas cores da poesia.
Belíssimo, Graça.
Beijos.

Pena disse...

Genial Poetiza Amiga:
É tão lindo e puro, o que escreveu com a sua arte de enternecer e maravilhar. Mágica e sublime. Adorei.
MUITO OBRIGADO pelo carinho enquanto estive ausente.
Sempre a tê-la no maior respeito e admiração pelos versos de sonho que escreve com encanto.
Abraço amigo de respeito pelo que concebe de maravilhoso e doce.

pena

Sou seu amigo.
Bem-Haja, gigantesca poetiza.

tecas disse...

Nostalgia, na magia das palavras.
A sua poesia, querida Graça, toda ela é de uma sensibilidade notória.
Bjito amigo e uma flor.

Flor disse...

Um lindo poema.

Beijinhos
Flor

Álvaro Lins disse...

Gostei. Porque sim!:)
Bjo

VÉU DE MAYA disse...

O inefável em poema.

Abraço,

Véu de Maya

heretico disse...

terno o deslaçar dos braços...

belíssimo

beijos

Eduardo Aleixo disse...

Lindo e cromático de quentura ausente nos restolhos de agosto que te cobriram o corpo. Linda a imagem que acompanha o teu poema. Um beijo terno.

N. Barcelli disse...

Dos rostos que se esfumam só reza a história. Mas, das cinzas, o verde acaba por despontar.
Gostei muito.
Querida amiga Graça, bom Domingo.
Beijo.

maría nefeli disse...

Adoro esse poema,lembro-me que foi a primeiro poema teu que traduzi há um tempo.
Um beijo muito forte

Vieira Calado disse...

Belo poema, amiga!

Bjsss

helia disse...

Memórias de Dulcineia... Que Poema tão bonito!

Virgínia do Carmo disse...

Atravesso-me das palavras e saio sempre sensiblizada...

Beijinhos, Graça

Benó disse...

E o fumo dissipou-se, Lembrançs nem as há e sonhos?
Belo poema, Graça.
Um bom fim de semana

carlos pereira disse...

Minha cara poetisa Graça Pires;
Na ausência, tudo fica mais vivo.
LINDO!

Paula Raposo disse...

As palavras que saiem da alma têm um poder inebriante. Assim são os teus poemas, Graça. Um grande beijo.

lupuscanissignatus disse...

chama

que

crepita



*beijo*

Parapeito disse...

palavras para quê....é a Graça.
brisas doces**

Canto Turdus Merula disse...

neste céu,
a esvanecer do corpo,
cerca-lhe um intenso sentimento.

Belíssimo poema.

Fernando Campanella disse...

Muito, muito belos esses versos, Graça. Da melhor tradição das cantigas, com um refinamento lírico na simplicidade. Parabéns pelas belezas que crias. Bjos.