31.8.11

Ainda assim


As abelhas coladas à cal dos muros
pela violência da luz
tornam impossível a essência das colmeias.
Ainda assim as mulheres
lambem os favos
que enchem de prodígios suas bocas.

Graça Pires
De O silêncio: lugar habitado, 2009

30 comentários:

Desnuda disse...

Querida amiga,

Este teu olhar tão humano, Graça...!


Beijos com carinho e ótimo dia.

Braulio Pereira disse...

as mulheres sâo sábias

beijos minha amiga!!

teresa p. disse...

Um poema de sensual subtileza...
Muito belo, bem como a fotografia que o ilustra!
Beijo.

carol disse...

Pronto! É sempre uma surpresa, uma doce surpresa, vir aqui.

Onde vai buscar estas imagens e estas metáforas tão singulares e tão belas?

Obrigada. E... beijinhos doces

Fa menor disse...

As mulheres contentam-se com um restinho de mel... por pouco que seja.

Marta disse...

Porque tudo é possível....
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

tecas disse...

«Ainda assim as mulheres
lambem os favos
que enchem de prodígios suas bocas» O seu olhar de humanidade, querida Graça, bem presente neste belíssimo poema.
Bito amigo e uma flor.

Filipa Epifânio disse...

Que bom passar por aqui e tropeçar nas palavras :)

Regressarei!

Fátima disse...

Lamber os favos e, a boca, de mel lambuzar.
Adoçar...
Adoçar a vida!
Mas sem causar sofrimento as abelhas.
E sem causar danos ao meio ambiente, será possível?
Um beijo, minha querida.
Com carinho
da
Fátima

São disse...

As mulheres estão habituadas a viver com muito pouco, não é?

Abraços.

© Piedade Araújo Sol disse...

o doce do mel e a sabedoria das mulheres.

um beij

manuela baptista disse...

as mulheres coladas às colmeias

na sua essência Ainda assim


de prodígios, se enchem os poemas!


um beijo

manuela

N. Barcelli disse...

Uma analogia da qual resulta um excelente poema.
Beijos, querida amiga.

sandrafofinha disse...

das abelhas vem o mel mas eu morro de medo de abelhas,quando elas picam deixam uma borbulha enorme,por vezes até é preciso ir ao hospital por causa do ferrão das abelhas. uiii como eu as detesto. beijinhos e boa noite!!

Mar Arável disse...

... e assim ...

se faz o mel

Bjs

Amor feito Poesia disse...

"Há uma primavera em cada vida: é preciso
cantá-la assim florida, pois se Deus nos deu
voz, foi para cantar! E se um dia hei-de ser
pó,cinza e nada que seja a minha noite uma
alvorada, que me saiba perder...
para me encontrar..."

Florbela Espanca

Beijos & flores.....M@ria

Canto Turdus Merula disse...

Maravilhosa substituição no ciclo na mesa da natureza
Estes femininos, mais que seres, são essência da mãe-natureza.

Gosto deste desdobrar no pulsar das estrofes.

De Amor e de Terra disse...

Olá Graça, bom dia Amiga.
São quase sempre de mel os lábios das mulheres.
Belo como sempre!
Bj.
M.M.

viernes disse...

palavras em luta, sempre à procura da luz...
Belo!

Um beijo

Wilson Torres Nanini disse...

Graça,

há uma força pulsante em teu poema, tão humana e reconfortante, na imagem das abelhas na parede, que nada posso se não imanar-me contigo.

Abraços!

Vieira Calado disse...

SEmpre da mais fina água.

os seus poemas!

Bjsss

Luis Eme disse...

que bocas doces...

beijinho Graça

Carlos Ramos disse...

Brilhante de essencial.

carlos pereira disse...

Cara Poetisa Graça Pires;
A metáfora dá força ao poema e a subtileza dá força à mulher.
Belo poema. Gostei imenso.

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga Graça, tem uma boa semana.
Beijos.

apaixonado disse...

Sútil e belo poema. As mulheres sempre doces.
Bjos

MENSAGENS AO VENTO disse...

_____________________________

Fingir saciedade é muito próprio do ser humano... Um "faz de conta", por vezes é necessário...

São profundos os seus versos, Graça!
Gostei demais...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

Zélia

________________________________

AC disse...

Há tanto no "ainda assim"...
Maravilhoso, Graça!

Beijo :)

Licínia Quitério disse...

As prodigiosas obreiras, as mulheres. Lindo, como sempre, Poetisa.
Beijo.

Laura Ferreira disse...

Ainda assim volto a dizer que gosto muito destas palavras.