13.2.14

Desejo

Nina Leen

Trago-te frutos silvestres para provar contigo 
nossos lábios frutados e frescos. 
Temos sede de nós. 
Nossas bocas estremecem levemente 
por sabermos que em plena noite a lua 
será de chamas nas curvas do corpo. 
Tu dizes o meu nome. Eu digo o teu nome. 
Não há mais ninguém na terra nesta hora urgente da paixão.

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013

36 comentários:

Marta Vinhais disse...

O desejo é o toque ansioso, apressado e ao mesmo tempo, intenso...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Braulio Pereira disse...

nas tuas palavras saciei a minha sede. teu poema tem aroma suave


beijo amiga.

NãoSouEuéaOutra disse...

Boa tarde. A Paixão, sempre rouba-nos do Olhar do Mundo, e ficamos em osmose total com aquele Outro. Por isso, tantos temem a Paixão, porque corre-se o risco da mais temerosa desilusão e a recuperação de todas as projecções é um caminho difícil, porque nunca voltaremos a ser quem éramos.
Fotografia bonita, desse autor.
Um beijo

São disse...

Belissimo poema para o Dia de S. ( e para os outros também, diga-se)...

Sê feliz!

Lídia Borges disse...


Neste tempo em que a palavra amor nos aparece, tantas vezes, gasta e vazia de conteúdo, é bom ver o tema tratado com esta dimensão poética. Belíssimo!


Um beijo

teresa p. disse...

"...Tu dizes o meu nome. Eu digo o teu nome..."

O Amor e o desejo são a grande substância da vida. Sem estes sentimentos a nossa existência não teria cor e seria como um imenso deserto.
Lindissimo este poema e fotografia.
Beijo

José Vilhena Moreira disse...

...às vezes tudo se suspende, como quando se ama ou se escreve...
um bj

Agostinho disse...

Amoras colhidas numa tarde de verão para uma noite de namorados.

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema muito bonito e até apropriado para o dia dos namorados.

poema curto e cheio de ternura e paixão.

também a foto a P&B deu realce e foi bem escolhida.

parabéns Gracinha pelo conjunto.

um bom fim de semana.

um beijo


:)

Anónimo disse...

Alguém escreveu que o desejo é uma forma de inteligência. Eu acrescentaria que é a mais bela afirmação de liberdade, em que o corpo e a alma se confundem na procura e realização do esplendor da vida.
O belíssimo poema é isto tudo e muito mais do que cabe aqui dizer.

ManuelFL

Evanir disse...

Hoje venho agradecer seu carinho no meu blog .
Fiquei muito feliz por tenho grande laços com amigas e amigos de Portugal.
Sou muito querida por esse povo lindo e maravilhoso que tanto tem deixando amor carinho e ternura.
No Natal recebi de Portugal uma grande amiga que atravessou os mares e veio me abraçar.
Que nossa amizade seja eterna.
Feliz final de semana beijinhos.
Evanir.

Luis Eme disse...

o amor é isso...

abraço Graça

Mar Arável disse...

Ai de quem não namora

pela vida fora

Bjs

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Graça, teus olhos derramam luz em poesia, reflexo das palavras singrando o lirismo que em ti habita.

Um beijo, minha amiga querida!

Ler-te é o melhor exercício poético do meu coração.

Graça Sampaio disse...

Muito, muito sensual! Gosto. Mesmo!
Poesia à flor da pele...

Beijinho

AC disse...

Palavras belas para uma hora única, reflexo dum sentir talhado no sempre.

Beijo :)

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

É nesta simplicidade que um tem sede do outro...

Beijo amigo

heretico disse...

um nome a escorrer nos lábios...

e na pele.

belíssimo. vibrante,

beijo

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Graça. Muito feliz de estar conhecendo o seu blog hoje.
Já estou seguindo para poder voltar com calma, acompanhar e postar comentários.
O que de imediato me chamou atenção foi o título do seu espaço, amei!

---------------------------------

Que paixão linda, quanta presença forte de um sentimento que une, uma química facilmente vista e sentida.

"Temos sede de nós".

Quantos casais vivem em relacionamentos sem saber o que isso significa. Muito triste essa ausência de sede.
Ainda bem que aqui tem bastante!
Beijos na alma e paz!

Nita Oliveira disse...

Fiquei fã. Vou seguir.
Boa semana.
Beijo.
Nita

Ailime disse...

Olá Graça, magnifico poema em que o amor fala mais alto. Um beijinho. Ailime

manuela baptista disse...

desejo e dois nomes

e a terra enorme


um beijo, Graça

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

No tempo do amor não existe mais nada além desse momento onde apenas os corpos têm lugar.
Ler-te é sempre uma viagem IMENSA.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Edson Marques disse...

Gostei MUITO dos poemas daqui.

Flores...

lupuscanissignatus disse...

a árvore

dos

sentidos


[poema-foto
que nos enraíza]


*um 2014 inspirado
e inspirador*

dade amorim disse...

Palavras tão belas, que merecem todo os elogios.

Beijo!

Nilson Barcelli disse...

"Tu dizes o meu nome. Eu digo o teu nome.
Não há mais ninguém na terra nesta hora urgente da paixão."
O desejo e o amor criam uma espécie de mundo paralelo onde ninguém mais existe...
Excelente poema, como sempre.
Um beijo, querida amiga Graça.

manuela barroso disse...

Tão bela poesia onde os frutos são tão apelativos como o amor!
Assim escreve quem é verdaeiramente poeta!
Beijinho Graça!

Benó disse...

A minha opinião não poderia ser diferente do que atrás já foi expresso. Poeticamente descrito o êxtase do momento sublime da união dos corpos.O poema derrama sensualidade. Gosto muito. Um abraço, Graça.

helia disse...

Que lindo Poema e que maravilhoso é Amar e ser Amado !

jorge vicente disse...

não há mais ninguém porque dizemos tudo

neste instante de nomear um ao outro

[aqui, neste tempo].

Jorge Vicente

Cristina Cebola disse...

Um poema de uma dimensão que extrapola os sentidos.

Rendo-me à beleza das suas palavras, Graça.

Beijinho amigo!

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Graça, tão bem descreveste 'desejo' em teu Caderno de Significados. Tudo é poético e intenso quando tua mão derrama versos sobre o papel, num gesto urgente de paixão.
Paixão pela poesia.

Um beijo!

Humberto Maranduva disse...

O desejo primordial, renovado através do tempo que é aprendizagem, como acontece com as crianças... depois dos vinte e poucos meses de idade,já não por meio de automatismos instintivos que o egocentrismo absoluto primário garantia a partir da ligação materna (fase oral e sádico-anal), mas agora através da representação simbólica em objectos da realidade. Este fenómeno, apenas apanágio do ser humano, conduzirá o desejo da criança ao encontro do desejo do outro, sem choques aparentes, porque no seio de um ambiente familiar ideal: psicologicamente equilibrado, afectivamente harmonioso, emocionalmente participado, a palavra mediará o encontro dos desejos, com carácter de racionalidade ponderada e de viabilidade devidamente ajustada, ao contrário do que se passa no mundo selvagem.
O amor entre um homem e uma mulher é a forma mais apurada e plena da esgrima equilibrada dos desejos que a palavra amadurece e a emocionalidade consuma.
Muito bonito, o teu poema.
Manel
Nota: O teu blogue foi-me dado a conhecer pela minha querida amiga Manuela Barroso.

Graça Sampaio disse...

Muito bonito!!

Pérola disse...

Carroças que atravessam universos de quereres.

Beijo