6.2.14

Labirinto



Eram duas as sombras nas paredes da casa. 
Espantadas com a ferocidade do olhar 
rasgavam com vozes indecifráveis 
os nomes que amaram. 
Como se nada soubessem 
das palavras propícias à invenção do prazer. 
Como se tivessem envelhecido 
prisioneiros de um labirinto sem recuo.

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013

25 comentários:

Cristina Cebola disse...

Há labirintos, em que a saída é apenas uma miragem. Ou então, o habito de os percorrer, faz deles caminho obrigatório...com sorrisos fora de tempo e de espaço...

Como é bom ler os seus textos! Saio de alma preenchida...

Deixo beijinhos...

Marta Vinhais disse...

Nunca se encontra a porta...Fica-se preso a memórias que já não são bem memórias....São hábitos sem cor....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

© Piedade Araújo Sol disse...

a nostalgia ou o cansaço de memórias, apenas...

:(

São disse...

O pior labirinto é o que criamos dentro de nós...

beijinhos, Graça

Mar Arável disse...


"A invenção do amor"

Bjs amigos

tecas disse...

As memórias podem ser labirintos em que por vezes nos perdemos e...
Com saudade de a ler minha querida e como sempre os seus poemas são de uma beleza impar.
Aproveito para a felicitar pelo maravilhoso poema declamado no InVersos.
Beijinhos e uma flor.

Ailime disse...

Belíssimo poema amiga! E nesses labirintos nos deixamos enredar,tantas vezes sem retorno. Um Beijinho. Ailime

Lídia Borges disse...

"Como se tivessem envelhecido..."

Como se tivessem esquecido que os olhos ainda podem ver para além da sombra das horas repetidas.


Um beijo

manuela barroso disse...

Na assimetria dos dias,já não se vê senão o cansaço da rotina que nunca o será para quem sabe reinventar novas fórmulas. Belíssima poesia e imagem em perfeita consonância.
Muitos parabéns pelo seu vídeo e poesia. fantástico!
beijinho

teresa p. disse...

Ao longo da vida vamos criando os nossos labirintos, muitas vezes sem querer e sem nos apercebermos. Quando damos por nós estamos presos neles, sem força para encontrar o caminho. Ficam as memórias...
O Poema é lindo e faz pensar e a imagem está de acordo com ele.
Beijo

heretico disse...

meteoritos em colapso...

... e no entanto, em cada esquina da cidade, há um homem e uma mulher de mão dada.

beijo

dade amorim disse...

Um belo, poema muito expressivo.
Beijo pra você!

Fernando Campanella disse...

Sempre bom passar por aqui, minha querida amiga, e beber desta sensibilidade, desta crua delicadeza de tuas palavras, onde a dor se reveste das mais sutis imagens. Bjos, obrigado pela visita tão carinhosa, sempre, ao meu blog.

Anónimo disse...

O labirinto é onde nos perdemos e encontramos.
Por vezes chamamos labirinto à simples aventura de viver.
O poema interpela e inquieta. Como a vida. E o amor.E a memória.
A imagem escolhida, com as duas figuras em contraluz,parece que apenas esboçadas, está em perfeito equilíbrio com o sentimento do poema.

ManuelFL

Benó disse...

Não há sombra sem luz e elas dançam, dançam dentro do labirinto do esquecimento, talvez iluminado pela chama do prazer.
Gostei muito.

Celia Lima disse...

Estamos em contagem regressiva para o grande momento da festa da Ilha da Lindalva...
Onde saberemos quem será o top Blogueiro de 2014.
Renovo o convite para a sua participação no voto ao Top Blogueiro 2014, cuja a votação se encerra a meia noite do dia 10 de Fevereiro.
E a você, que ainda não votou, fica o meu convite de honra: Venha e participe conosco deste momento. Quero que saiba que, tê-la(o) conosco, alegrará não apenas o coração da Lindalva , mas também o coração dos blogueiros participantes
Nós blogueiros participantes contamos com o seu voto
Podendo votar somente em um blog.
http://ilha-da-lindalva.blogspot.com.br/

Desde já agradeço
Bjsssss

avlisjota disse...

Como se o amor fosse um labirinto! Não será?!!


Pérola disse...

Labirintos ou sugestões mentais?

Sombras ou realidades incontornáveis?

Beijinhos

Agostinho disse...

Belo poema.
Separados por uma imensidão de areia. O egoísmo do eu secou-lhes o veludo da voz.

DE-PROPOSITO disse...

Como se tivessem envelhecido
----------
Possívelmente envelheceram mesmo !
--------
Abraço
Manuel

Nilson Barcelli disse...

Quando há sombras, é porque há luz...
Excelente poema, gostei imenso.
Graça, tem um bom resto de semana.
Beijo.

manuela baptista disse...

eram dois
e não inventaram nada

mais valem as sombras


um beijo, Graça

NãoSouEuéaOutra disse...

Sempre há o Fio de Ariana. «Se tivessem sido O Espadachim de Si Mesmos, o Mundo teria sido um Outro Altar.»

Um beijo

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Labirinto poético o teu.

Um beijo grande, minha querida!

Anónimo disse...

labirinto é o destino de todos nós