19.10.14

Em seara alheia



Nascer

Talvez nascer seja isto: abrir o corpo em pétalas de
lágrimas e depois derramar suspiros como quem beija
o chão que nos leva à alegria. Deitar o peito sobre as
estrelas como se tal pudesse ser e aí esperar uma
alvorada a que dar o nome.
E uma vez nascidos, talvez existir seja isto: tocar a
vida com a boca em cada canto como se fôssemos
palavras.

Virgínia do Carmo
In: Relevos. Macedo de Cavaleiros, Poética, 2014, p. 37

32 comentários:

Graça Pires disse...

Em “Relevos” da Virgínia do Carmo, deixamos que cada expressão nos surpreenda, nos inquiete, ou nos comova, porque este livro é, essencialmente, um estado de espírito que podemos analisar e percorrer em todas as direcções.
A Virgínia abre-nos a passagem para uma poesia vincadamente intimista que nasceu, por certo, de um desassossego existencial. É uma poética que comporta a melancolia dos seres com sede, a expressividade de uma demanda inacabada, a singularidade de um exílio dentro do próprio eu.
Parabéns, Virgínia !

Marta Vinhais disse...

Deixar que as palavras falem com alma...
Lindo...
Gostei muito...
Beijos e abraços
Marta

PAULO TAMBURRO. disse...

GRAÇA,

obrigado por ter nos proporcionado este texto incrível,pois, é muito dificil seleciocinarmos entre os tantos que lemos exatamente, aquele que conseguirá ser a sintese de todos.

Um abração carioca

Virgínia C. disse...

Gratidão, Graça.

Um abraço enorme

Teca M. Jorge disse...

Preciosíssimos versos!...
Beijo.

Mar Arável disse...

Grande a nossa Virgínia

Humberto Maranduva disse...

Extraordinária visão do nascimento, eivada de protopoesia...
Para a criança que nasce o momento é prosaico e patético, terrível e gerador de angústia, e só a busca do seio materno lhe dá a ilusão do regresso ao paraíso perdido.
Nesse passo está de volta também a poesia e a promessa de "tocar a vida com a boca em cada canto como se fôssemos palavras."

Um beijinho, Graça.

heretico disse...

ficamos "cativos" de uma sede tão bela...

beijo para as duas - privilégio a vossa amizade.




Fê blue bird disse...

Um esvaziar a alma em cada palavra.

Gostei bastante.

beijinho

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, amiga querida, Graça Pires !
Parabéns por tão bela seleção,
presenteando 0s teus leitores com tanto carinho poético.
Muito agradecido, e um fraterno
abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

Giancarlo disse...

Buon inizio settimana...ciao.

Cadinho RoCo disse...

Maneira deliciosa de nos colocar em estado de nascimento.
Cadinho RoCo

Luís M.Castanheira disse...

Obrigado, Graça, por nos dar a conhecer
"Relevos", para mim, acabados de "nascer".

"... talvez existir seja isto: tocar a vida com a boca em cada canto como se fôssemos palavras."

Belos, o poema, o "prefácio" à obra; e a generosa semeadura doutras "searas" .


"O tempo de nos darmos é um tempo precioso. Porque é tanto o que trazemos nos bolsos das coisas vividas.
Intensamente."

in: Repositório_Virgínia do Carmo
"Aconteceu.... falar de poesia"

Com um Beijo

São disse...

Obrigada pela partilha e uma braço pata ti e para o autor.

Bem hajas pela generosidade!!

Suzana Martins disse...

Graça, essas palavras rasgaram a minha alma. Trouxe algumas lágrimas e outras lembranças do sei lá o que, sabe?!
Nasci. Rasguei o mundo. Vivi em flores!!!

Lindo demais!!! Obrigada pela partilha!!

Beijos e linda semana!!^^

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Belíssimo poema da Virgínia!
Também ela uma excelente poetisa!
Beijinhos,
Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

uma escolha preciosa da "nossa" Gina

um poema que é uma ternura expressa nas suas palavras.

:)

fernando disse...

Virgínia do Carmo

Nascemos para apreciar e agradecer a nossa Existência.
Antes de partirmos para donde viemos.

Senhor

Antes
Que a minha mente seja pó
E minha boca seja silêncio

Escreve
No teu livro eterno
A minha gratidão
por ter Existido


João Cardoso



teresa p. disse...

Um poema comovente e com imagens muito belas.
Gostei verdadeiramente. Muitos parabéns à Virgínia do Carmo e obrigada por a teres apresentado na tua "seara alheia".
Beijo.

irene alves disse...

EU GOSTEI DESTA POESIA...
Quando se é intimista é-se mais
intenso!!!
Bj.
Irene Alves

Teresa Durães disse...

Não conhecia, gostei!

Agostinho disse...

Nascer e existir numa definição poética que acorda sentimentos até à comoção.
A generosidade da Graça Pires dá-nos finas jóias para guardar.

O Profeta disse...

Escrevo para ti...Sabes que é para ti...
Os nomes não têm cor
São simples diagramas em conflito
Os nomes são muda sinfonia de sonata em desamor

Serei um barco vencendo rotas novas
Aplanarei as rugas de todas as montanhas
Vai arder novamente este sofrido coração
Hoje tive vontade de pintar uma oração


Terno beijo

author casulo-online disse...

Maravilhoso!
E cada vez mais os autores pensando por nós, o que gostaríamos de ter escrito.

Beijo

Cris

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, Poema curto, profundo e objectivo, nascer, viver, libertar a alma com palavras de livre pensamento.
AG

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

helia disse...

Maravilhoso Poema ! Excelente Escolha !
Obrigada pela partilha .

Mariazita disse...

Olá, Graça
Virgínia do Carmo, neste lindo texto poético, expressa o sentir e pensar se não de todos, pelo menos da maioria de nós.
Obrigada pela bela partilha.

Beijinhos
Mariazita

Andrea Liette disse...

Uma Via Lactea este poema!

Um abraço.

Rita Freitas disse...

Lindo, gostei imenso.
São palavras bonitas que levam à reflexão.

Beijinhos e bom fim de semana

Lídia Borges disse...


Viver a poesia, por vezes, torna-se fácil!

Um livro para amadurecer futuros.

Beijo

Ana Tapadas disse...

Essa seara é muito bela, plena de poalha dourada...

Beijo

Parapeito disse...

Belo...e ficamos a pensar...
brisas doces ***