5.10.14

O perfil silente dos barcos

Maria de São Pedro

Hoje, que tenho o mar todo
nos meus olhos, subo à torre do farol
para avistar o perfil silente dos barcos
e adivinhar a indecisa linha
que separa a noite da madrugada.
A navegação costeira faz-se ao mar.
Reparo então que os pescadores
não precisam de mapas para a faina.
Têm talhado no rosto o rumo dos cardumes
e uma rosa-dos-ventos engastada em cada mão.

Graça Pires
De Espaço livre com barcos, 2014

40 comentários:

José Vilhena Moreira disse...

...e os rumos de imensas maresias no peito...

abraço
ps bem a ligação com a pintura

Marta Vinhais disse...

O mar é o guia, abre-lhe o Mundo...
Num silêncio que fala...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

ॐ Shirley ॐ disse...

Os pescadores tem gravados na alma a rota dos cardumes e a direção dos ventos...
Poema de beleza sem igual.
Graça, beijos!

Nilson Barcelli disse...

Agora há o GPS e os pescadores sabem exactamente onde estão. Mas dantes eles sabiam na mesma, pois deixavam as redes no mar e, quando voltavam, davam com o sítio com facilidade.
Excelente poema, como sempre.
Tem um bom domingo e uma boa semana, querida amiga Graça.
Beijo.

Luis Eme disse...

as tuas palavras, abraçadas, ficaram mais belas e salgadas.

gostei muito.

abraço Graça

Luís M.Castanheira disse...

O quanto é maravilhoso ter o mar
nos olhos, em repouso... e 'olhar'.

Um quadro de memórias para sempre
presente (belo quadro - poema).

Hoje, é tudo diferente.Esse era um tempo de pão cavado e pelas mãos amassado.

- Quem me dera ter esse 'farol' !...

Um beijo

Teca M. Jorge disse...

Intensa direção, rota de emoção.

Beijo.

helia disse...

"..Têm talhado no rosto o rumo dos cardumes
e uma rosa-dos-ventos engastada em cada mão..."
Que bela e poética definição dos pescadores !
Um belo Poema !

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Belíssimo poema!
Quando o poeta "tem o mar todos nos olhos", a insensibilidade fica mais à flor da pele e nascem pérolas como esta!
Um beijinho,
Ailime

DE-PROPOSITO disse...

O mar, o mar imenso. O mar que tanto dá, mas, que tanto leva !
-------
Felicidades
MANUEL

Daniel Costa disse...

Graça Pires

Aprecio muito o teu modo de postar e do poema. Atrai-me o tema do mar, não só por ter nascido por perto, mas também por afinidades com pescadores, e por dedicação própria.
Beijos

teresa p. disse...

"...tenho o mar todo nos meus olhos..."
Um poema pleno de imagens de incomparável beleza, onde só o silêncio faz sentido.
Também a imagem é muito linda!
Beijo

Evanir disse...

O mar que sempre foi um palco de amor ao nascer do Sol.
Continuara com sua magia despertando amor e paixão.
Uma feliz e abençoada semana beijos.
Evanir

Irene Alves disse...

Maravilhosa poesia a acompanhar
o seu poema completando-se em
perfeição.
Bj.
Irene Alves

São disse...

Mar , barcos, largos horizontes..tudo isto num belo poema!

Grato abraço, amiga :)

Pérola disse...

Os marinheiros, os pescadores trazem o mar a corre-lhes nas veias e artérias...respiram a maresia e só!

Beijinhos

Parapeito disse...

"Os pescadores tem gravados na alma a rota dos cardumes e a direção dos ventos..."
que mais se pode dizer...belo muito belo...sempre um prazer ler e sentir as suas palavras doce Graça. brisas doces ****

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
LINDO GRAÇA!
O MAR COM SUA MAGIA FASCINA, E NO PESCADOR,FAZ-SE VIDA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Jorge Santos disse...

Há em mim, preso, Jonas e quem ele enfrenta,
O peso das alquimias dum Tal
Mileto, arquitecto e duvidoso
Tal é o mar/chão liso em Agosto

lupuscanissignatus disse...

Leio e releio. As palavras fixam-se às mãos. Como conchas no paredão. É um poema-âncora.




Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

o mar, eterna inspiração dos poetas!

belo poema, com mar e sol.

beijinho

:)

Fê blue bird disse...

Uma vida difícil gravada na alma e no rosto.
Uma tela maravilhosa !

beijinho

Eduardo Aleixo disse...

Todos os versos do poema são lindos e verdadeiros aos olhos do meu coração , mas principalmente os últimos que são as linhas das mãos do destino de todos os que amam o mar.
Beijo querida amiga.

Mar Arável disse...

Nunca tive o mar todos nos meus olhos

mas desejo
como escreve
um dia respirar por guelras

Suzana Martins disse...

Que poema encantador Graça!!!

Quando eu tinha o mar sob os meus olhos, ficava a observar as embarcações lá de longe. Ficava a imaginar o que por lá acontecia. Confesso que, várias vezes, tive vontade de sair numa barco de pescador em busca de silêncios e solidão. Ou melhor, ter a companhia das ondas, dos cardumes e, do vento. O máximo que consegui, foi um dia de silêncio numa praia afastada da cidade. Ah... que contentamento!!
Tenho a alma de um pescador que adora a maresia e o cheiro de sal.

Desculpa as minhas divagações, mas o seu poema trouxe lembranças!!!

Beijo e obrigada pelas palavras!!!^^

Ana Tapadas disse...

Belo poema com mar dentro...

bjs

anamar disse...

"Têm talhado no rosto o rumo dos cardumes"

maravilhosa metáfora.

Beijinho Graça.

heretico disse...

águas profundas em cada em cada gesto de mar...

beijo

Lídia Borges disse...


É esta uma poesia que "tolhe" o comentário. Fica-se a ver, a sentir...

Ainda não li, o livro. Estou à espera de uma apresentação em Macedo de Cavaleiros para abraçar a autora.

Um beijo

Diana Santos disse...

Poema lindissimo!

Portuguese Girl with American Dreams
http://fromportugaltonyc.blogspot.pt/

Rita Freitas disse...

Lindo! Também fiquei com o mar todo nos olhos :)

bjinhos

manuela baptista disse...

é a quilha, peito e perfil,
como a linha da vida

uma abraço, Graça

Agostinho disse...

-Vão!
Confiam nos olhos do alto farol...

Muito bela esta fronteira, Graça Pires. Obrigado.

author casulo-online disse...

Feliz de quem sabe a direção... que bonita rota!


Um beijo

Andrea Liette disse...

Ter o mar todo nos olhos...que linda imagem muito particular da poesia portuguesa.

Um beijo.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, o Mar absorve-nos com a sua beleza e imensidão, seu livre movimento é inspirador da liberdade.
AG
http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

ManuelFL disse...

Foi longo e acidentado o meu caminho até ao mar. Uma viagem inspirada por mapas que se confundem com os poemas de Graça Pires, rosa dos ventos de descoberta e assombro.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Quando temos talhada a faina da vida, todos os conhecimentos são conhecidos...

Beijo amigo

Giancarlo disse...

Molto bello, complimenti.

Vera de Vilhena disse...

Tão belos, estes teus versos, cheios de coisas do mar. Abraço-te

Vera