11.1.16

Em seara alheia


As asas

Ícaro falou-me da urgência do vôo
da construção das asas
e do salto.
Falou-me da visão
do ar
e fez-me acreditar no invisível.

As asas estão prontas
à espera do momento da
ruptura.

Samuel Pimenta
In: Ágora. Livros de Ontem, 2015, p. 33

46 comentários:

Graça Pires disse...

Inspirando-se no mundo grego com seus lugares e a sua vertente mitológica, Samuel Pimenta leva-nos, neste seu livro, “Ágora” por uma viagem de emoções, de sombras, de luz, de realidades concretas. É uma poesia lúcida, singular, em que o poeta deseja “ter o domínio sobre as sombras” (p. 44) por não ter receio de as enfrentar e ousa a liberdade “para imortalizar a luz” (p. 43).
Há nestes poemas palavras e silêncios que inquietam por se cruzarem com tudo o que nos envolve neste tempo sem respostas…
Samuel Pimenta pretende convocar-nos já que “nenhum homem arde em cada passo” (p. 19). Vamos segui-lo e ler o que nos oferece neste belo livro. Parabéns Samuel!

Blog da Gigi disse...

Linda semana!!!!!!!!!!! Beijos

Mariangela do Lago Vieira disse...

Oi Graça, bom dia!
Fico feliz em voltar de férias e rever meus queridos amigos,
e aproveito para te desejar mais uma vez, um feliz e abençoado ano!
Amei a dica!
Uma ótima semana!
Beijos,
Mariangela

Ana Soares disse...

Adoro :3

Ana ♥
http://aruivablog.blogspot.pt/ N/POST

Cidália Ferreira disse...

Palavras lindas!

Excelente semana, beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Graca.
Obrigada pela recomendação do livro do Samuel, parece ser um livro bem interessante, amo poesias. Meus parabéns aos dois. Uma feliz semana para vocês. Abraços.

São disse...

Gostei de conhecer.

Grato abraço

Jeanne Geyer disse...

lindo poema, gosto muito do tema mitologia, bjs

http://0relicariodeemocoes.blogspot.com.br/

Samuel Pimenta disse...

Grato pelas palavras, querida Graça, pelo incentivo. Caminhamos lado a lado neste ofício de fazer luz sobre as sombras.

Um beijinho,

Samuel.

P.S.: Apenas uma nota: no primeiro verso, é mesmo "vôo", como está no livro. Em poesia, escrevo voo com acento circunflexo, pois são precisas asas ^ para a palavra voo voar.

Bell disse...

Temos que romper e voar.

bjokas =)

Alfredo Rangel disse...

Samuel Pimenta prova que a poesia nunca morrerá. E será sempre uma arte imensa, por ter a imensidão do carinho e atenção de uma poeta como Graça Pires. Você, Graça, é uma estrela. Verdadeira estrela. Beijo.

Pedro Luso disse...

Olá Graça,
Parabéns pela postagem desse belo poema.
Uma boa semana.
Abraços.

Teca M. Jorge disse...

Graciosos versos e preciosa acentuação...

Um beijo e flores para os dois.

jorge vicente disse...

Querida Graça, querido Samuel,

Muito feliz por este momento poético desta Ágora tão fascinante!

Grande abraço para os dois!
Jorge Vicente

Isa Sá disse...

Muito bonito!

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Marta Vinhais disse...

E voar pelo invisível, pelo que só os nossos olhos desbravam...
Lindo...
Gostei muito...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Blog da Gigi disse...

Lindo dia!!!!!!!!!!! Beijos

Odete Ferreira disse...

Desde há algum tempo que vou ler Samuel Pimenta ao seu blogue. Não tanto como desejaria, mas a vida obriga a fazer um gestão rigorosa do tempo.
Gosto imenso. Uma poesia sempre intelectualmente desafiante.
Um bonito gesto a sua divulgação.
Bjo, Graça :)

Ana Freire disse...

Perdemos mais com o medo de perder... há que arriscar! E tentar voar... nas asas do invisível... e mesmo caindo... por breves instantes... chegámos um pouco mais perto dos nossos sonhos... também os pássaros só voam... depois de caírem algumas vezes...
Uma magnífica partilha, Graça! Gostei muito do poema!
Beijinhos!
Ana

Daniel Costa disse...

Belo poema e de magnifica acuidade, de Samuel Pimenta.
Beijos

MARILENE disse...

Sonhos... deles é feita a vida. Alguns nos mostram caminhos, mas a decisão de arriscar é só nossa. Se as asas estão prontas, resta-nos voar. Bjs.

Nequéren Reis disse...

Poema encantador, tenha uma semana abençoada.
Novo vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=WflDsh0kjCo

Fê blue bird disse...

Um vôo que vai acontecer, pois a coragem já lá está.
Um belo e intenso poema.
Grata pela partilha amiga Graça

Um beijinho

Lídia Borges disse...


O voo em plenitude enquanto forem sonho, as asas!

Bonito!

Um beijo

Lídia

Ailime disse...

Boa noite Graça, belíssimo poema de Samuel Pimenta
Há que ousar e deixar que as asas nos libertem.
Muito obrigada por partilar.
Beijinhos,
Emília

Suzete Brainer disse...

Acreditar no invisível, é o grande passo para começar a voar,
o pulo no espaço que transcende!...
Bela poética!
Grata pela partilha, Graça!
Beijo.

teresa p. disse...

Um poema com asas, muito belo!
Parabéns ao autor e obrigada à Graça por o divulgar.
Beijo.

mz disse...

É castrador prepararmos as asas sabendo que nos podem cortar os voos, enquanto isso, é fundamental, acreditar.

Parabéns Samuel Pimenta!

Um beijo para si, Graça.

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema intenso e actual.
bela escolha!
um beijo
:)

Mar Arável disse...

Toda a poesia depende dos olhos que a escrevem muito para lá do autor

Bj

manuela barroso disse...

Prontas as asas , oxalá não nos atraiçoem aquando do salto .
Parabéns !
Beijinho , Graça ;))

Maria Sem Limites disse...

Mais uma vez encontro aqui sábias palavras. Beijinhos.

heretico disse...

pelo voo se constroem as asas - mesmo sabendo que derretem...

belíssima escolha, Graça

beijo, minha Amiga

Lucinalva disse...

Olá Graça
Linda reflexão. Voar é preciso. Bjs querida.

Mariazita disse...

Não conhecia o autor mas gostei muito do poema.
O facto de abordar a mitologia é um pormenor que me atrai, já que tenho "um fraquinho" pelo tema.
Preciso conhecer melhor o autor.

Desejo que o Novo Ano traga dias muito felizes.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Agostinho disse...

As asas. A Graça tem-nas e plana por muitas searas douradas. Delas traz grado trigo.
Voar. O eterno desejo de voar.
Um dia, eu próprio, questionei(-me)

Que amarras te impedem
de ir além da tua Creta?


Muito obrigado, eu.
Bj

DE-PROPOSITO disse...

É claro que devemos voar com as nossas próprias asas.

Abraço
MANUEL

O Profeta disse...

Sou ilha perdida dentro de outra ilha
Filhos de um Deus que nos torna pequenos
Talvez sejas a fonte da minha saciação
Talvez esteja aprisionado este pobre coração

Esta minha insaciável sede para um regresso
Porque me perdi
Entre a frieza dos homens
Alimentei a alma de Ti

Bom fim de semana

Beijinho

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Quando se acredita no invisível, já se fez ruptura! E é disso que precisamos. Todos.

Um beijo

ONG ALERTA disse...

Lindo Bjbj Lisette.

Arroz Di Leite disse...

Lindo dia!!

Bjs

Tânia Camargo

Amizade / Amistad disse...

Amiga Graça,

Belo poema de Samuel Pimenta. A julgar pela amostra, decerto o livro será um sucesso.

Esta visitinha tem por finalidade comunicar-te que o nosso Farol está a comemorar o seu 7º ano de nascimento e por isso gostaríamos de te ver por lá para recolheres o selinho de aniversário que te queremos oferecer.

Obrigado pela tua Amizade e por permaneceres ao nosso lado ao longo destes anos.

Abraços e beijos.

A Equipa do Farol

Silenciosamente ouvindo... disse...

Gostei imenso. Samuel Pimenta, escreve bem.
Desejo amiga que esteja a passar um bom domingo,
apesar da chuva e do frio.
Beijinhos
Irene Alves

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, querida amiga, Graça Pires !
Boa escolha, como sempre, para compartilhar
conosco. Muito grato e um carinhoso abraço,
aqui do Brasil.
Sinval.

mitro disse...

E o melhor do vôo é a vertigem da queda!

sandrinha disse...

Que essas asas nunca deixem de voar,é tudo o que eu posso desejar!!