14.3.16

Guerra


Para se abrigarem dos ventos contrários 
o abraço dos amigos lhes bastava. 
Mas a guerra cercou-os 
e deixou-lhes no movimento do olhar 
uma pátria ultrajada. 
Em suas bocas pisadas de silêncio 
sangram agora todos os afectos.

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013

51 comentários:

Luis Eme disse...

Um poema tão significativo...

Tão real.

abraço Graça

✿ chica disse...

Triste, tudo isso! Muito mesmo! Colocaste a realidade em linda poesia! bjs, chica

Bell disse...

Guerras separam até os melhores amigos.

bjokas =)

Fê blue bird disse...

Um poema que tanto diz sobre este flagelo que parece não ter fim.

Um beijinho e boa semana amiga Graça

Cidália Ferreira disse...

Poema tristemente Brilhante! Muita realidade junta.

Beijo e um dia feliz

Coisas de Uma Vida 172

ॐ Shirley ॐ disse...

Amarga realidade...
Belos versos, Graça.
Beijos!

graça Alves disse...

Muito bonito, Graça!
beijinho

LuísM Castanheira disse...

a pior de todas as dores
é a ausência dos afectos
numa guerra de desamores.

actual, belo e dramático, o poema.



beijo, amiga.

Mariangela do lago vieira disse...

Não há dor mais triste do que esta realidade que ainda insiste!
Belos versos Graça!
Beijos, boa semana!
Mariangela

Lucinalva disse...

Olá Graça
A guerra destrói vidas. Desejo uma bela tarde. Bjs

Agostinho disse...

A guerra cercou-os de morte
e promessas em abundância
Pelas sete pragas exauridos
em fartura dos males da terra
amargam "leite e mel".

Um belo retrato sempre actual.
Bj.

Daniel Costa disse...

Graça Pires
Que lê o acertado poema, não pode deixar de se emocionar. Século XXI, em que se procura desbravar MARTE, e para trás se deixa a terra em chamas.
Bjs

Majo disse...

~~~
Muito belo e emocionante este poema

que nos fala da devastação emocional

provocada pela maior das inumanidades.

~~~~~ Beijinho, Graça. ~~~~~

teresa p. disse...

A guerra é desumana e indigna e destrói a vida de inúmeros seres humanos indefesos. A falta de solidariedade e a indiferença perante tanto sofrimento deveria envergonhar os países e cada um de nós.
Um belíssimo poema, muito emocionante, bem como a imagem que o ilustra.
Beijo.

Arroz Di Leite disse...

Que tristeza estão fazendo com eles, peço que Deus os guarde.
Bjs

Tânia Camargo

Alfredo Rangel disse...

Pode haver algo mais humilhante do que ter sua pátria ultrajada?
Pode haver algum mérito em se vencer uma guerra?
Graça, lindíssimo e muito sensível sua poesia...
Parabéns!

regina disse...

Muito bonito. Tomo a liberdade de o colocar no meu blogue juntamente com "Poderão perdoar a nossa ausência?"
Ab
Regina Gouveia

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite Graca.
Um belo poema, retratando um triste realidade. Uma iluminada semana. Enorme abraço.

Teca M. Jorge disse...

Grandes palavras para uma triste realidade da vida...
Um beijo

Isa Sá disse...

A guerra...uma triste realidade...

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Ives disse...

Da medo só de pensar a vida que vivem na guerra! lnda poesia, beijos

mz disse...

As guerras são castradoras.

Bjs

Marta Vinhais disse...

Perdidos num deserto sem fim...
Gostei...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Ana Freire disse...

A guerra é mesmo uma falta de tudo... para quem a sente deveras na pele...
Brilhantes palavras, que nunca como agora... se tornaram tão actuais!... e reais... como tão bem mostra a imagem, escolhida!...
A triste realidade da guerra, num magnífico post, Graça!
Beijinhos! Desejando-lhe a continuação de uma boa semana, e esperando que tenha corrido tudo muitíssimo bem, na sua sessão de lançamento... e continuação de muito sucesso, para o livro!
Ana

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde,Graça, seus versos me emocionaram. Guerra sempre traz amarguras, desunião, morte física e espiritual, enfim só traz o que nos faz mal. Usou as palavras com maestria para descrever tamanha dor. Grande abraço!

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
A guerra esse flagelo sem fim à vista que o seu magnifico poema de forma brilhante retrata!
Desejo que o lançamento do seu livro tenha sido um enorme sucesso!
Beijinhos com o meu carinho e amizade.
Ailime

Mar Arável disse...

Não basta ter razão

Guerra à guerra
Bj sempre

manuela barroso disse...

Parece que quanto mais amordaçados mais os muros se fecham com grades nos olhos ! Belo testemunho
Poético
Bjis Graça

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
NAS GUERRAS NÃO HÁ VENCEDORES, SÓ VENCIDOS E , CADA VEZ ISSO NOS FICA MAIS LATENTE.
VERSOS PRIMOROSOS AMIGA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Ana Tapadas disse...

«Pisados de silêncio»...sem dúvida.

Belo poema sobre a triste realidade.


(Que tenha decorrido muito bem a apresentação!)

Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

Tão real.
tão emocionante.
Em poucas palavras a Graça disse (escreveu) tudo.
belo poema sobre um assunto tão triste.
beijo
:(

Sinval Santos da Silveira disse...

Nossa, Amiga, Graça Pires !
Que tradução da dor, tão cruel,
sentida por nossos irmãos e por
nós...
Parabéns pela interpretação dos
sentimentos daqueles povos.
Um especial abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

ManuelFL disse...

Perturbantes, a força da imagem e as palavras desassossegadas do poema da Graça.
Fica uma interrogação. Quem verdadeiramente está preso no arame farpado, de quem são aquelas mãos? Dos que procuram abrigo e compreensão, ou dos que estão reféns do seu egoísmo, negando a si próprios aquilo que os distingue como seres humanos?

As Mulheres 4estacoes disse...

Uma imagem que junto das palavras, mostram a dor de uma realidade.

Maria Sem Limites disse...

Tão lindo, já tinha saudades dos teus poemas.
Beijinho.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Graça.
"sangram agora todos os afectos" - quando tudo sangra, quando se perde tudo, quando não se sabe o caminho, quando não se tem paz, nem chão, nem nome.
Atormenta-me imaginar-me em semelhante nada.

bj amg

Jaime Portela disse...

A violência em geral e a guerra em particular, são tão antigas como a humanidade (pelo menos desde que há registos históricos). O século passado foi muitíssimo violento, com muitos milhões de mortos. Este século parece não querer arrefecer e, continuando assim, vai ser ainda pior que o anterior.
É incompreensível a falta de capacidade e/ou vontade para acabar de vez com as guerras.
Excelente, gostei imenso das tuas sempre certeiras palavras (poeticamente falando e não só).
Bom fim de semana, querida amiga Graça.
Beijo.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Lindíssimo!

Íssimo!|

Beijo

Anete disse...

Triste realidade! Versos fortes e comoventes!!
Abraço e feliz fim de semana...

Teresa Durães disse...

Lindo e triste!

Lourdinha Vilela disse...

Uma realidade triste e tocante que suas palavras nos fez abraçar. Sensível como sempre és!!!bjs.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

A guerra mata a vida.
Porém a sua face mais cruel
é quando mata o amor...

Um imenso abraço.

Ana Tapadas disse...

Aproximam-se tempos muito difíceis...

Bom fim-de-semana.
Beijo

José María Souza Costa disse...


Olá, Graça Pires, bom dia.
Após um tempo ausente. Estou retornando com o blogue www.josemariacosta.com Aproveito para te convidar a vim em visita.
Te espero lá. Que tenhamos todos um fim de semana agradável.
Abraços

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, lindo poema em homenagem aqueles que são vitimas da guerra das armas, da politica e dos discursos dos Europeus com lágrimas de crocodilo.
AG

ONG ALERTA disse...

Uma dura realidade ...
Bjbjbj Lisette

Suzete Brainer disse...

A guerra, uma anormalidade cruel numa rotina dos dias, gritos presos:
"Em suas bocas pisadas de silêncio
Sagram agora todos os afetos."
Um poema belo e dorido com a sua marca de excelência, Graça!!
Beijo.

MARILENE disse...

Vítimas do mundo, eis que amordaçados pelo medo, desencantados em sua pátria, separados dos entes queridos, não recebidos com braços abertos ... por força da ingerência ou omissão de outras nações na busca de uma solução para os conflitos. Para uma realidade terrível, a beleza de seus versos. Bjs.

Odete Ferreira disse...

Ontem, hoje e amanhã. Guerra é, talvez, a verdade em que o sentido da palavra mais consensual é, pois vai para lá das teorias filosóficas. Apenas mudam os atores e os cenários...
Salva-se a beleza de poemas como este, amiga!
Bjo

manuela baptista disse...

a Europa sangra, é a guerra

um abraço, Graça

Toninho disse...

As esperanças adormecem,
os sonhos se despedaçam
quando a guerra maldita
turva o olhar distancia
os mais afetuosos abraços.

Imagem terrivel amiga para sua perfeita dolorosa inspiração.
Um bom lindo fim de semana a voce.
Minha admiração e terno abraço de paz.
Bjs