12.3.18

Em seara alheia



Amáveis comodidades

Vem viver comigo,
estou cansado do na tua ou na minha casa,
com hora de ponta e portagens pelo meio.
Para mais deixei morrer as plantas, 
dá-me pena a solidão do gato,
o teu colchão é péssimo para as minhas costas,
a água do teu chuveiro sai sem pressão,
não tens espaço suficiente para os meus livros,
só pagávamos uma factura de luz,
podíamos ter um cão
e fazer um filho.
Eu gostava de ver crescer um filho contigo.

Raquel Serejo Martins
In: Subúrbios de Veneza. Desenhos de Ana Cristina Dias.  Braga: Poética, 2017, p.24

55 comentários:

Graça Pires disse...

Chegam a ser desconcertantes estes poemas que falam da vida, do dia a dia, do amor.
“Subúrbios de Veneza” é um livro que dá gosto ler.
Parabéns Raquel!

LuísM Castanheira disse...

Há sempre bons argumentos para conjugar o amor.
Estes são tão concretos e simples, que apetece dizer: a vida pode ser recriada.
Um poema belo e uma divulgação preciosa, minha Amiga, Graça.
Boa semana e um bj.

baili disse...

OUTSTANDINGLY remarkable dear Grace!!!
thank you for amazingly simple poetry from daily living

Gil António disse...

Bom dia. Com essa cama dura, essas preocupações com as plantas e o gato, será que têm tempo e disposição para fazerem um filho??? loool
.
* Teus olhos negros ... Dor da minha fantasia *
.
Deixando cumprimentos poéticos

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Muito interessante este poema do dia a dia e da planificação de um futuro a dois.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Cidália Ferreira disse...


Boa tarde!
Acredito que seja um bom livro!!
Amei o texto!!

Beijos e uma excelente semana.

Marta Vinhais disse...

A vida feita de momentos assim... em que se abre a alma...
Lindo...
Obrigada pela partilha e pela visita
Beijos e abraços
Marta

✿ chica disse...

Gostei muito! Linda semana! 😘😘🌹chica

Luísa Fernandes disse...

https://poemasdaminhalma.blogspot.pt/
Olá Graça Pires, interessante "a Seara alheia". São retalhos de vida de tempos modernos, que pelo que se vê também cansam.
Beijinho e ótimo início de semana.
Luisa fernandes

María Perlada disse...

Preciosos versos.

Un placer leerte.

Feliz tarde.

Besos.

Mar Arável disse...

Um belo desconcerto
Bj

Bell disse...

Há momentos em que queremos ficar só, já outros que precisamos de uma companhia.

bjokas =)

Lídia Borges disse...


Percebi, logo nos dois primeiros versos, que era um poema da Raquel. Uma voz muito, muito interessante da poesia da contemporânea.

Um beijo

Lídia

Alfredo Rangel disse...

Graça:
Você tem razão. São mesmo apaixonantes estas poesias que, como "Em seara alheia", de Raquel Serejo, cantam o dia a dia de seus personagens, que nos parecem velhos conhecidos. E o Ortografia do Olhar nos presenteia, sempre, com estes trabalhos maravilhosos. Não há como eu não me apaixonar por suas escolhas. Grande beijo brasileiro para ti!

Pedro Luso disse...

Olá, Graça!
Por compartilhar conosco esse belo poema, fico conhecendo mais uma talentosa poetisa: Raquel Serejo Martins. Um belo poema dessa poetisa.
Uma ótima semana.
Beijo.
Pedro

Luis Eme disse...

Gostei de conhecer a Raquel, uma excelente poeta.

abraço Graça

Teresa Almeida disse...

Conheço Raquel Serejo e a sua maravilhosa poesia. Tão natural! Tão de trazer por casa! Tão bela!

Boa escolha, Graça!

Beijinho.

Larissa Santos disse...

Brilhante. Obrigada pela partilha:))

Hoje:- Âmago em transparências
.
Bjos
Votos de uma boa Terça - Feira.

Elton Sipião O Anjo das Letras disse...

Escreves sobre o amor com elegância, simplicidade e de uma forma que nos traz simpatia para com tua literatura. Ah, a alma feminina, quando escreve com talento, eis que tua escrita é uma luz para aqueles espíritos que te leem. Beijos poéticos, oh, bela mulher e talentosa poeta.

Gracita disse...

Gostei de apreciar esta bela obra desta poetisa que ainda não conhecia
Um dia feliz e abençoado
Beijos

Ricardo- águialivre disse...

Obra poética que gostava de ler na totalidade.
.
"" Amar é ?!!!!!... ""
.
Abraço de amizade

Emília Pinto disse...

Não conhecia esta poetisa e gostei muito da simplicidade dete poema. Canta o amor , um sentimento simples também, mas que a complexidade do ser humano o torna complexo e muitas vezes difícil de ser vivido; amar requer partilha, cumplicidade e respeito pelas " pequenas comodidades " do outro, comodidades que são só nossas e que, apesar de uma vida a dois, queremos que continuem a pertencer-nos por muito estranhas que pareçam ao outro . Um grande amor só dura se nāo houver implicações com as pequenas " manias ", com os gostos e com as preferências de cada um, enfim... com as pequenas comodidades que cada um gosta de ter. Tenho as minhas, pequeninas, mas que não dispenso. Obrigada, Graça por me dares a conhecer o trabalho desta poetisa. Gostei muito. Beijinhos
Emilia

Emília Pinto disse...

Desculpa, Graça por ter colocado aspas no " pequenas comodidades " A autora escreve " Amáveis comodidades e não como eu disse. Pensei em " pequenas" porque estava a pensar naas pequenas coisas que muitas vezes interferem num relacionamento. Tinha que fazer este reparo. Beijinho
Emília

silvioafonso disse...

Gostaria de homenagear Graça Pires.
Guerreira que narra fatos e faz poesia
como quem colhe flores. Que delicadeza
tem essa mulher no trato com a fragili-
dade das pessoas.
Graça, um beijo desse tamanho, oh! Pra
você.

silvioafonso



.

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
SIMPLES E TÃO ÍNTIMO.
UM BELO POEMA COM CERTEZA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Lu Dantas disse...

Ahh aquele momento em que sentimos a vontade de viver a dois, de compartilhar o dia, de dividir a vida, de trocar amor. Bonito! ;)

beijos!!

https://ludantasmusica.blogspot.com.br

Tais Luso disse...

Ótimo poema de Raquel Serejo cujo tema está na moda, companheiros vivem um pouquinho aqui, um pouquinho ali... e é bem assim que se desenrola esse quadro do cotidiano. Ganha-se total liberdade, o que é meu é meu, o que é seu é seu. Tempos modernos? Sim, mas falta alguma coisa, aquele algo mais...falta o gosto por doar-se por inteiro, até as tralhas!
Beijo, querida amiga, uma boa semana.

São disse...

Agradeço teres dado a conhecer.

Beijinhos, amiga

Agostinho disse...

Não conhecia, Graça.

Como do cons(c)erto do amor,
em fuga, contrariando arbitrariedades
comuns, se faz um poema
leve, incomum, que se leva
como se fosse de cada um.

Bj.

Neide Bosch disse...

Ola tudo bom?
Ter alguém, dividir um espaço, bom demais. Quando o amor fala mais alto, melhor juntar as coisas e viver a experiência de ter alguém dolado.
bjs

Manuel Veiga disse...

confesso ser uma verdadeira "revelação" para mim!
e uma bela "descrição" de um quadro do quotidiano
muito bem cerzido.

Beijo, Graça

Cláudia disse...

"Assim, para quem ama, o amor, por muito tempo e pela vida afora, é solidão, isolamento, cada vez mais intenso e profundo. O amor, antes de tudo, não é o que se chama entregar-se, confundir-se, unir-se a outra pessoa. (...) O amor é uma ocasião sublime para o indivíduo amadurecer, tornar-se algo por si mesmo, tornar-se um mundo para si, por causa de um outro ser: é uma grande e ilimitada exigência que se lhe faz, uma escolha e um chamado para longe."
Passadinha para desejar que Deus nos conceda uma noite de paz... Descanso tranquilo... E um despertar abençoado!

Anete disse...


Reflexivos e sinceros versos...
Uma boa 5ª feira, Graça... Muita paz e saúde...

Olinda Melo disse...


Interessantes versos. Uma maneira realista de ver
as coisas. Há ali amor, muito amor, mas também
um certo pragmatismo. E casam muito bem.

Parabéns à Autora.

Bj

Olinda

Profª Lourdes Duarte disse...

Amiga, uma perfeita descrição dessa obra de arte. Parabéns amiga pela visão poética com que interpretou. Abraços, continuação de uma semana feliz.

tulipa disse...


Olá Graça

regresso novamente
depois de um tempo fora de Portugal

Às vezes…
convenço-me que o dia será perfeito
que as pessoas passem a ser mais amigas umas das outras
mas, infelizmente
é tudo um sonho,
a realidade é muito diferente

Mas, continuo apaixonada por mim
pela VIDA..

Espero a sua visita. Bjs

Jaime Portela disse...

Gosto muito da poesia da Raquel (tenho um livro dela, que ainda não o li como deve ser lido... e acho que é o "Subúrbios de Veneza"). Ouvi apenas alguns poemas na apresentação do livro que ela e a editora fizeram em Viana em Outubro do ano passado...
No entanto, conheço bem a prosa da Raquel. No "A Solidão dos Inconstantes" ela é brilhante. Eu acho que a Raquel é um dos grandes valores da nova literatura portuguesa. Veremos seu eu tenho ou não razão...
Continuação de boa semana, amiga Graça.
Beijo.

Sinval Santos da Silveira disse...

Olá, minha querida Mestra/Poetisa, Graça Pires !
Um convite deste porte, somado à presunção da
existência de outros ingredientes, principalmente
do amor, é IRRECUSÁVEL... Lindo texto, presenteado
por ti, em "seara alheia".
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

Marta Moura disse...

Isto é-me tão familiar. :)

© Piedade Araújo Sol disse...

a Raquel tem uma maneira incomum de escrever poesia
é desconcertante e no entanto encerra ali sempre algo que vai além das palavras
eu gosto!
uma boa partilha.
beijinhos
:)

Poções de Arte disse...

Interessante a simplicidade desta escrita.
Um pedido de "casamento" incomum.

Abraços esmagadores e feliz final de semana.

Suzete Brainer disse...

Como apreciei esta criatividade da Poeta (Raquel Serejo),
com um senso de humor e uma inteligência poética para
uma declaração de amor incomum. A união dos dois universos
num único espaço das "amáveis comodidades".

Muito grata sempre pelas tuas escolhas de alta qualidade
poética literária, querida Graça.

Votos de ótimo final de semana

Beijos.

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Um poema lindo, desconcertante,que poetisa desassombradamente o quotidiano.
Gostei muito.
Beijinhos e bom fim de semana.
Ailime

Fá menor disse...

Muito bem. Gostei do que li. Um retrato de vidas modernas em desalinho.

Beijinho.

Bom fim-de-semana!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, é a vida actual bem descrito no belo poema.
Feliz domingo e semana,
AF

angeloblu disse...

Non conosco questo poeta ma sempre molto belle le poesie che scegli, un piacere sempre leggerti. U
n immenso abbraccio per una buona domenica cara.

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Graça!
Um modo de vida não tão sereno... nota-se pelos versos tão em expressivos...
O amor é estável e requer algum acerto no bem querer.
Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
Bjm de paz e bem

teresa dias disse...

Graça, passei para ler versos teus, deixar um beijo e desejar boa semana e acabei lendo versos de uma poetisa que não conhecia. Gostei muito!
É bom descobrir aqui outros escrevedores de versos.
Beijo.

Aleatoriamente disse...

Uau!Gostei muito de ler.
Graça querida um beijo e boa noite.

Ana Tapadas disse...

Sinais do tempos...

Beijo

Ana Freire disse...

E a felicidade... pode ser simples assim... e descomplicada...
Belíssima partilha, Graça! Mais uma autora que adorei descobrir por aqui!...
Beijinhos! Boa semana!
Ana

manuela baptista disse...

desconcertantemente familiar :)

é gira, a Raquel

Rita Freitas disse...

Um feliz dia da poesia, cheio de poesia e amor.
Beijinhos

Odete Ferreira disse...

Aprecio este género de poetar: pegar no quotidiano e escrevê-lo com uma certa ironia, juntar frases feitas ou expressões que, à partida, nada têm de poético.
Uma "mistura" cativante!!!
Por isso, também aprecio Adília Lopes...
Bjinho, Graça

Toninho disse...

Que bela apresentação da Rachel com este poema tão natural e visto pela cotidiano nosso em todos os lugares. A preparação é muito interessante passando pelo toque de humor critico.
Adorei Graça.
Beijo