14.5.18

Em seara alheia


Açúcar-água

No meu rosto agora temperado a sal, um rio desce por entre o acastanhado dos
olhos. E tu, de braços estendidos junto à figueira. O cheiro doce das margaças
secas e dos figos caídos perto do tronco. O lado salpicado de pequenas bolhas
indicando o lar dos girinos, e o sino que ao longe se ouve como se uma boca
fosse e me chamasse. O muro de silvas. As abelhas zumbindo rente à água do
lago. E é assim neste açúcar-agua onde as pernas tremem que me faço amante.
Em mim nasces, vives, e por detrás da porta, moras.

Francisco Valverde Arsénio
In: CONTINUUM: antologia poética. Pinturas de Luís Liberato, desenhos de Soledade Centeno. Braga: Poética, 2018, p. 20

55 comentários:

Gil António disse...

Palavras poéticas que dá gosto ler.
.
* Meu amor ... o que amo em ti *
.
Feliz início de semana.

✿ chica disse...

Simplesmente encantadora essa leitura! Que tenhas ótima semana! bjs, chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Muito belo este magnifico texto.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Victor Barão disse...

Literatura poética, de sonho!

Excelente semana

Abaço

Laura Ferreira disse...

belíssimo!
boa semana, Graça

Marta Vinhais disse...

E ama-se...
Simplesmente isso...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Eu amo quando a escrita fica assim
impregnada na gente.
Como essa frase maravilhosa da postagem:
"E é assim neste açúcar-agua onde as pernas tremem que me faço amante."
Ótima nova semana
Bjins
CatiahoAlc.

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso texto poético!

Beijo e uma excelente semana

Tais Luso disse...

De Francisco Valverde...Muito bonito e agradável de ler, Graça!
Grande beijo!

Daniela Branco disse...

Boa tarde!
Um texto com salpicos de Natureza. Lindo! =)


https://olharesedeslumbres.blogspot.pt/

Bjinhos

Alfredo Rangel disse...

Graça, nunca havia tido o prazer de ler Francisco Valverde Arsénio e, confesso, fiquei muito impressionado com a delicadeza e, ao mesmo tempo, a força de sua mensagem. Isto também é que me faz ter prazer em vir aqui n teu Ortografia. Beijo doce e obrigado por sua sensibilidade.

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Que texto tão lindo e quanta poesia há nas palavras do Poeta.
Gostei da forma tão bela como fala do amor.
Um beijinho, minha Amiga, e obrigada pela partilha.
Boa semana.
Ailime

Luísa Fernandes disse...

https://poemasdaminhalma.blogspot.pt/
Olá Graça, Boa tarde!
Açúcar-agua, um texto diferente e interessante, mas não conheço o autor.
Beijos e bom início de semana.
Luisa Fendades

Mar Arável disse...

Boa partilha
um bj para ti

teresa dias disse...

Graça, obrigada pela partilha deste soberbo pequeno GRANDE texto.
Açúcar-água não se lê, bebe-se gota a gota, palavra a palavra.
No fim queremos mais e mais.
Beijo e boa semana.


Sinval Santos da Silveira disse...

Mestra/Poetisa, Graça Pires !
Muito agradecido por compartilhar versos, tão lindos,
do Poeta Francisco Valverde Arcénio.
Uma ótima semana e um carinhoso abraço, aqui do Brasil !
Sinval.

José Carlos Sant Anna disse...

Intensidade e lirismo. Um belo texto poético. E partilha excelente.
Uma boa semana, Graça!

Isa Sá disse...

Mais um bonito poema.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Marco Luijken disse...

Hello Graça,

Wonderful words again in this post.
You could write a complete book with all these wonderful words.

Sweet greetings,
Marco

Larissa Santos disse...

Muito bonito este poema :))

Hoje:- Sonhei...Com uma rosa prometida.

Bjos
Votos de uma óptima terça-Feira

Agostinho disse...

Uma escolha soberba.
Parece tão fácil de dizer:
o que é a verdade do amor. Não é.
Na forma delicada, subtil até,
de pôr o acento tónico
na substància que nos faz ser é
que está o segredo
da poética do amor,
nunca vulgar a revelação.
Propaga-se no segredo
de boca a boca fluxo
da força vital.

Bj.

silvioafonso disse...

M a r a v i l h o s o!!!
Quem teve as pernas tre-
mendo fui eu, garota.
Lindo, lindo. Amei.

Uma beijoca de parabéns.

.

LuísM Castanheira disse...

suave erotismo
no fruto suspenso
doce
pingo-de-mel
que à sombra
da figueira
desce à raíz
dos corpos.

desta colectânea, onde Francisco Valverde Arsénio, tem lugar, - além de ti, Graça -, fica-nos esta excelente partilha e divulgação. (a ver se compro).

o poema é soberbo, na linha de outros, dele.

uma semana de felicidade, minha amiga.

Pérola disse...

Que belo poema, fico sem comentários...

bj

Adilene Martins disse...

Que belo poema.
boa noite.
https://www.blogger.com/profile/14798220892473509748?authuser=0

Adilene Martins disse...

Que lindo Poema.
bjo

https://blogdaadilene.blogspot.com.br/

Smareis disse...

Boa noite Graça!
Um poema muito belo que dar prazer na leitura. Gostei muito.
Uma boa semana!
Um beijo!

Toninho disse...

A sua sensibilidade lhe guia por searas que nem imaginávamos conhecer.
Poesia de rara beleza e profundidade de um sentimento adocicado.
Bela apresentação Graça.
Semana maravilhosa e inspirada para você.
Beijos

Lucinalva disse...

Olá Graça
Ótima postagem, bjs querida.

Alegria de Viver disse...

Eu correria léguas do lar dos girinos, seu texto bem inspirado cheio de lirismo., Gostei!
Abraço e bom dia com muita Paz!

Diná

Duarte disse...

Não conhecia e gostei.
A sensibilidade que expressa a palavra, comove.
Abraços de vida, querida amiga.

Pedro Luso disse...

Olá, Graça!
Nesta sua postagem conheço co Francisco Valverde Arsénio, com a sua "Açúcar-água", uma bela narrativa poética. Parabéns, querida amiga.
Um beijo.
Pedro

Manuel Veiga disse...

boa descoberta. bom domínio da escrita.
devo-te mais um "escritor", Graça.

beijo, minha amiga

© Piedade Araújo Sol disse...

a sensibilidade e a ternura das descobertas
em ter o dom de as saber dizer
de forma original

beijinhos

:)

Ana Lucia disse...

Olá querida graça
Linda postagem. Retornando ao mu cantinho. Passando para te fzer uma visita. Uma bela noite para vc

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
LINDO, TERNURA EM CADA PALAVRA.
MAIS UM POETA NOS APRESENTAS, AMIGA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Jaime Portela disse...

Excelente texto.
Obrigado pela partilha, pois não conhecia nada do autor.
Continuação de boa semana, amiga Graça.
Beijo.

Marta Moura disse...

'Em mim nasces, vives, e por detrás da porta, moras':perfeito.

Anete disse...

Doce e profundo poema! Sentimentos e ternuras imensos...
Bom fim de semana... Abraço

Érika Oliveira disse...

Que lindo poema. Amei. Um excelente fim de semana para você e para sua família.

Olinda Melo disse...

Todo o ambiente descrito pelo autor, com palavras que conseguimos degustar, convida-nos a estar, a ficar e a testemunhar algo de muito belo.

Muito obrigada, Graça. E parabéns ao autor.

Bj

Olinda

A Casa Madeira disse...

Poema límpido e lindo!

Boa continuação de mês.

Fá menor disse...

Lindíssima descrição. Consegui situar-me nesse lugar.

Bom fim-de-semana!

beijinhos.

manuela barroso disse...

Natureza , açúcar , mel
Em palavras tão doces como o próprio amor
Belíssima escolha , Graça .
Beijinho

tulipa disse...


Que lindo poema.

Neste blogue respira-se poesia, sua ou de outros.

Tenho andado ausente, peço desculpas
às vezes é a disposição...outras o tempo, enfim

Mas quero agradecer-lhe e MUITO pelas suas visitas aos meus blogues
Já percebi que a Graça sabe o quanto isso é importante para mim.
Deus a ajude, que bem merece.

No meu rosto
agora temperado a sal,
pelas lágrimas que correm
(poderiam ser palavras minhas)

Fiz hoje mesmo um post novo
convido a espreitar
se tiver tempo e disposição

Ver aqui:
http://momentos-perfeitos.blogspot.pt/

Beijinho
Bom fim de semana

Maria Rodrigues disse...

Não conhecia o poeta, obrigado pela linda partilha.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Teresa Almeida disse...

A escrita de Francisco Valverde Arsénio é deveras cativante. Conheço o autor desde o fascínio "da caneta a tinta permanente".

Beijinho, Graça.

Kodak Khrome disse...

Que tudo seja pelo bem-querer.
beijo, Graça

Suzete Brainer disse...

Mais uma excelente partilha, Graça.

Apreciei imensamente o título (Açúcar-água!...),
um texto poético muito belo e singular. Esta construção
poética final ecoa: "Em mim nasces, vives, e por detrás da porta, moras."

Grata pela partilha, minha querida.

Um beijo.

Ana Freire disse...

Mais um autor que não conhecia... e que foi um prazer imenso, descobrir aqui...
Belíssimo trabalho... nostálgico, introspectivo, muito belo... e de leitura deliciosa e cativante...
Belíssima partilha, Graça!
No meu próximo post, ficará em evidência, um dos seus trabalhos!
Alguma coisa que ache menos bem, ou algo em relação à tradução do mesmo... será só dizer-me, que será prontamente alterado!...
Beijinho! Desejando-lhe um óptimo domingo e uma excelente semana!...
Ana

Neide Bosch disse...

Ola, tudo bom?
Se todos procurassem ler e descobrir o quanto é lindo uma poesia, tenho certeza que seriam pessoas melhores. estão interessadas em outrascoisas e perdem a chance de ler um bom livro, e de ouvir uma boa musica. Que pena!!
Linda poesia😍
bjs!

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, qurida graça!
Um poema do poeta com suave descrição do entrar e morar (diferente do só ficar em tal ambiente)... que bonito!
Saúde, paz e amor!
Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
Bjm fraterno de paz e bem
https://espiritual-marazul.blogspot.com.br/

Gracita disse...

Oi Graça
A poesia em suas diversas nuances inspira-nos e cativa-nos como essa de um poeta que eu não conhecia e fiquei fascinada com a sensibilidade poética em tão belos versos
Uma partilha excepcional minha amiga
Beijos e uma feliz semana

Odete Ferreira disse...

Conheço, de uma rede social, o autor há uns anitos e aprecio, deveras, o que escreve.
Este texto é mesmo de fazer crescer água na boca.
Bjinho

ANNA disse...

Hola guapa solo paso por aqui para desearte feliz finde.
Besos