9.7.18

Menina de tranças

Amedeo Modigliani

Não sei se os espelhos
me querem enganar,
ou se tenho agarrado à pele
o clarão das searas.

Hesitantes, os pássaros, gostam
de balouçar nas tranças
que me caem sobre os ombros,
enquanto corro, assombrada
e sem fadiga, em direcção
à última luz do dia.

Escondi, atrás dos cântaros, algas
escorregadias para deslizar até ao mar.

Vou conhecer a exultação das marés
no excesso da torrente.

Graça Pires
De Fui quase todas as mulheres de Modigliani, 2017, p. 32 

67 comentários:

Luis Eme disse...

Beleza e inocência, na Menina (Bonita) das Tranças...

abraço Graça

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema muito bem ilustrado.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Rejane Tazza disse...

Linda a menina de Modigliani que ganhou essa bela poesia! beijos, tudo de bom,chica

Larissa Santos disse...

Uma ternura de poema:))


{B C- Poetizando } Como é longa esta saudade...

Bjos
Votos de uma óptimo Segunda - Feira.

PAULO TAMBURRO. disse...


GRAÇA,

lindo poema,cativante,ameno como o por do sol,brilhante igualzinho aquele amanhecer nos trópicos após noite de lua cheia excitada para encontrar o sol no dia seguinte.
E seu poema lembrou-me uma música antiga de Antonio Marcos de vidra atribulada e morte precoce, mas com a força existencial enquanto por aqui, daqueles que sabem o que querem!
Mando para você o link para escutar linda musica!
Beijo e um abração carioca.

https://www.letras.mus.br/antonio-marcos/222817/

Cidália Ferreira disse...

Um poema encantador!!! Amei!

Coração em desalento.

Beijos e uma excelente semana

Célia Rangel disse...

Não sei se o poema ou a gravura enternece tanto... Sei que a junção deles nos dá a plenitude exata de que seu poema é intenso e modificador de nossas emoções. Parabéns!
Abraço.

carlos perrotti disse...

Outro grande poema, Graça. Tem a cadencia da água fluindo, pode ser lido como água clara...

Um grande abraço.

José Carlos Sant Anna disse...

Meu olhos espreitam mais um poema da lavra Fui quase todas as mulheres de Modigliani.
E quanto mais as conheço, mais quero conhecê-las. E quero passear pelas alegorias que as revestem como um bom amador que sou. Faço pelo prazer de compreendê-las melhor e quiçá compreender melhor a sua poesia e remontar às raízes, que são profundas.
Um beijo, minha amiga!

Roselia Bezerra disse...

Boa tarde, querida amiga Graca!
Usei muita trança e, mesmo depois de ser mamãe pela primeira vez.
Gosto de tranças e de trançar. Neste fim de semana, fiz na filha por dois dias. Fica tão feminino!
Do seu poema: que do cântaro do nosso coração escorra ao mar tudo que não dá leveza!
Tenha uma nova semana de bênçãos e seja muito feliz!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Como eu gosto da sua poesia e que poema tão belo!
"Clarão de searas" e o balouço dos pássaros que me remetem a momentos felizes de outrora.
Um beijinho e até Agosto se Deus quiser.
(Vou estar ausente durante algum tempo).
Beijinhos,
Ailime

Marta Vinhais disse...

Vou ser simplesmente eu.... E viver....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Agostinho disse...

Digo:
primeiro o poema condiz
com o retrato.
Depois,
o que a Poeta sabe não diz:
só Modigliani o poderá revelar
E a menina
não é pr'aqui chamada,
não vá levantar-se uma revoada
de pardais.

São sinais que traçam a figura
a luz das searas, as tranças.
E os pássaros de caminho
a querer empoleirar-se lestos.
Quantos se fiaram na nenina das algas?
Quantos escorregaram até à maré
e desfiaram as tranças no mar
cabelo a cabelo?
A poeta dá indícios, não revela.
E bem!
Nem de esperanças e águas...

Beijo, amiga Graça.

CÉU disse...

O título da publicação da Graça desta semana fez-me logo lembrar a letra do fado "Moda das tranças pretas", cantado por D. Vicente da Câmara e k fala, como creio que sabe, de uma menina, a "Menina das tranças pretas", que pelo Chiado passeava o dia inteiro, apregoando raminhos de violetas". Tão famoso e tão bonito!

Olá, minha querida amiga!

Mto grata pela sua 2ª visita e comentários, sempre sintéticos, mas mto na "mouche" e sempre esperados.
Estou um pouco melhor das mãos, mas só um pouco. Tenho de escrever pouquíssimo, mas este vício é tão difícil de abrandar, qto mais terminar. Enfim, vou fazendo o k posso e o k não posso.

Apetecia-me beijar e abraçar o seu poema e à Graça como progenitora dele. Ficou tão mimoso e pueril! A pintura está em sintonia, mas eu prefiro as suas palavras.

Não, não está nada enganada, pke as searas e a sua luz gostam de peles e meninas bonitas. Os pássaros têm igualmente bom gosto. Nas tranças! Tão fosse!
Em minha opinião, fez "bem" em ter escondido as algas atrás dos cântaros - tão boa a vida na aldeia! Assim, a menina, a menina Graça (rs) já não desliza até ao mar (sabe do meu "desentendimento" com o mar, creio. Quase toda a gente sabe).
Mas, afinal sempre vai até ao mar para ver a rebeldia das marés. Ah, que "pena"! Eu sei que quase toda a sua poesia fala do mar ou de motivos marinhos (deve ser influência da História, da Arte Manuelina -rs). Vou pensar k "sim".

Um beijo e um cordial abraço. Boa semana!

Emília Pinto disse...

Nesta pausa minha, num dia em que ainda se está bem à beira mar, leio esta tua " menina de tranças " e volto atrás no tempo; volto à aldeia onde nasci e revejo várias " meninas de tranças" correndo livres e soltas pelos campos cobertos de erva fresca e macia onde rebolavam contentes, como se fossem estas belas areias brancas que neste momento admiro; não tinham acesso a elas no tempo em que usavam tranças, mas, havia a água dos tanques, a água limpida de alguns ribeiros e uma imaginação fértil o bastante para se acharem banhadas nas águas serenas de um qualquer mar azul. De repente, saio da minha aldeia e olho a minha neta, hoje, por coincidência, com umas lindas tranças que brinca, feliz, junto ao mar; faz amanhã 9 anos, não corre pelos campos, não precisa de se banhar no tanque do quintal e nem no ribeiro que atravessa o campo vizinho; a vida é diferente, amiga, mas...na aldeia onde nasci, as minhas tranças eram feitas com muito carinho pela minha mãe, o tanque tinha sempre água limpa para que servisse de piscina às meninas de tranças que acompanhavam as minhas brincadeiras. São lindas as tranças da minha neta, eram lindas as tranças da minha infância e foi uma maravilha, com as tuas tranças , recordar as minhas. Que saudades, amiga! Aqui, sempre tenho óptimos momentos. Obrigada e tudo de bom, para ti e para os teus. Um beijinho e....adorei!
Emilia

Franziska disse...

Un retrato que nos muestra la frescura de la niña que pronto se tornará mujer y tus versos cargados de sentimiento.

Hasta el próximo encuentro, reciba un cordial saludo.

A Paixão da Isa disse...

mt bonito este poema assim como a foto bjs

CÉU disse...

Retificando: Tão DOCE e não fosse, como escrevi no comentário acima, por lapso, certamente.

Beijinho, Graça!

teresa dias disse...

Eis um doce e encantador poema. Terminei de o ler e logo pensei: que sal nenhum turve a imaginação da poeta.
Beijo, querida amiga.

Ani Braga disse...

Oi Graça querida


Adorei o poema...
Tão lindo e delicado quanto a imagem que o ilustra.
Você escreve lindamente.


Beijos
Ani

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Mestra, Graça Pires, bom dia !
Uma mente em êxtase, para escrever tamanho
segmento de pensamento. LINDO ! PARABÉNS !
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil, e uma
ótima semana.
Sinval.

Nidja Andrade disse...

Uma leitura maravilhosa! AbraçO

Licínia Quitério disse...

Grande este teu livro, querida Graça.
Por favor, manda-me mail para liciniaquiterio@sapo.pt porque perdi o teu endereço.
Beijo.

Lucinalva disse...

Olá Graça
Belo poema, bjs querida.

Marco Luijken disse...

Hello Graça,
Nice post. Wonderful these poetic words.
And a funny image of the girl with braids.

Greetings, Marco

LuísM Castanheira disse...

tenho para mim que esta torrente
vai, sim, chegar ao mar...
e e' nesta imagem de espelho
que a Poeta descobre
no retrato, ao olhar,
algas apaixonadas pelas marés.

gosto muito, cara Amiga.

um beijo, Graça.












Tais Luso disse...

Descansando um pouco, abri o computador e vi na minha lista o título que já é um poema, A Menina de Tranças. Parei, li e disse ao final: que coisa lindinha! Eu queria também ter usado tranças.
Parabéns, querida Graça, a obra é bela demais.

Gracita disse...

Olá Graça
Com que esmero delineaste esta fascinante composição poética
Ao ler o título somos arrebatados para dentro de seus versos intensos e majestosos
Lindíssimo querida amiga
Beijos

ManuelFL disse...

Um encanto, esta menina das tranças.
Quem não gostaria de conhecer com ela «a exultação das marés no excesso da corrente»?
Beijo.

Olinda Melo disse...


Bom dia, Graça

Quando se chega a um post ao fim de tantos comentários há o sentimento de que já foi tudo dito. Mas, perante este poema de aparente simplicidade, e ainda que possa repetir o que outros já disseram, vejo que há todo um mundo que me atrai e me faz voltar àqueles tempos em que o mar era o meu único horizonte. E também há o campo donde me chegam cheiros e sons de histórias contadas em noites de lua cheia. Muitas recordações, tempos de menina e moça, despreocupados e felizes.

Beijinhos

Olinda

Kaos Calmo disse...

Sempre bom ouvir a voz no poema.
Tudo já dito, não me vem nada à cabeça.
Uma emoção forte é...
Bj

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Graça
Eu amo o que
leio aqui.
Alimenta e encanta.
Bjins
CatiahoAlc.

Alfredo Rangel disse...

Tua busca eterna pelo mar, mostra a enseada que habitas e em que compões teus poemas. Poemas que habitam minha alma! Obrigado, Graça! Beijo.

Bell disse...

Gostei de ler.

bjokas =)

lis disse...

'Ortografia' é o aprendizado correto das palavras e não existe outro título que diria melhor de ti como 'Ortografia do Olhar'. Sabes como ninguém encher de palavras uma imagem.
São mesmo excessos Graça_não só de torrentes mas de cursos de água que jorram abundantemente quando escreves .
Lindo poema_que todas as mulheres de Modigliani agradecem.
abraço

teresa p. disse...

Quanta beleza neste poema da "menina das tranças". Inocência e simplicidade traduzem o desejo de conhecer "a exultação das marés no excesso da torrente". Uma maravilha!
Beijo.

Ana Bailune disse...

Amei esta imagem poética dos pássaros balançando nas tranças. O poema é todo lindo!

Nal Pontes disse...

lindo poster. Imagem simples e bela. amei tudo. Bjs querida amo vc e Deus ainda mais.

Daniel Costa disse...

Graça Pires
De novo a lembrança de modigliani. de novo a imagem de bela poesia, visto que menina de tranças já sugere poesia.
Beijos

Teresa Almeida disse...

Quanto mais se lê, mais se gosta. No mesmo poema há clarões e assombros.
É que são mesmo assim as mulheres de Modigliani.

Meu beijo, querida Graça.

Anete disse...

Bonitos e muito expressivos os versos... Tranças, pássaros e a liberdade da alma...
C carinho

silvioafonso disse...

.

Eu só queria te dizer bom dia e voltar
à casa. Desta vez não falarei do meu amor
por sua poesia, que a cada momento melhor vai
ficando, como se já não fosse maravilhosa,
e que tanto bem nos tem feito.
Por isso não direi que gostaria muito de morar
num cantinho qualquer dessa página onde eu
pudesse pendurar meu retrato, de preferencia
naquela parede lá do fundo, como se fosse o
cãozinho a vigiar sua casa. Não, minha doce e
querida Graça Pires. Hoje eu decidi que nada
direi além desse meu
Bom Dia.

silvioafonso





.

Luis disse...

o que engana mais?
um espelho
ou uma porta

Laura Ferreira disse...

gosto de tranças.
e gostei destas palavras, Graça.

Jaime Portela disse...


Mais um excelente poema.
Parabéns, gostei imenso. Como sempre, aliás...
Amiga Graça, continuação de boa semana.
Um beijo.

ANNA disse...

Gracias por tu fidelidad y tu aporte en el blog.
Besos

Pedro Luso disse...

Olá, Graça, mais um belo poema da tua seara, delicado poema com mensagem que provoca o leitor mais afeito à poesia, para interpretá-lo dignamente na sua inteireza.
Gostei muito minha amiga.
Um bom final de semana.
Beijo
Pedro

Érika Oliveira disse...

Uau, amei ler este lindo poema ❤🌸

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

Um poema belo e com uma mensagem que instiga o pensamento.

Depois de um capítulo 0, em jeito de introdução, damos hoje início à nossa aventura escrita a várias mãos "Janelas De Tempo". Convidamos-vos assim a ler capítulo 1.

Votos de um excelente fim-de-semana.
Saudações literárias!

Fernandes Diná disse...

Olá Graça , mais uma bela poesia produto da sua lavra expressando profundo e instigante pensar. Gostei de per tal preciosidade.
ABraço e bom fim de semana!

Suzete Brainer disse...

Graça,

Poema belíssimo, na riqueza da sua poética tão singular
e que leva sempre a poesia ao caminho luminoso da arte.
Aqui somam as artes (com a arte de Modigliani...).

Ótimo final de semana.
Um beijo.

Ana Freire disse...

Uma maravilhosa inspiração, Graça... que nos remete aos tempos de infância... e da sua inocência primordial...
Um trabalho excepcional, como sempre!... Parabéns!
Beijinhos! Desejando-lhe um óptimo fim de semana!...
Ana

Ana Tapadas disse...

Que poemas tão belos andei a perder!

Tão bom ler-te.

Ando mergulhada em exames, e papelada...

Beijinho

Majo Dutra disse...

A jovem parece muito nova...
Teve direito a uns belos olhos verdes
que inspiraram um excelente poema,
em que o verde se repete em
searas,
algas,
mar...
Bons momentos de leitura. Grata.
Beijinhos, querida Amiga.
~~~~

Lourdinha Vilela disse...

A Arte em dose dupla. Uma faz jus à outra. Parabéns querida Graça.

Parapeito disse...

Que se pode dizer doce Graça?
Que é bom, sempre muito bem chegar aqui.
Adorei esta Menina de tranças!
Obrigada por não esquecer o Parapeito
Abraço e brisas doces ***

Anónimo disse...

I think the admin of this web page is really working hard in favor of his website, for the reason that here every stuff is quality based information.


Also visit my web blog - chirii in uk anunturi

Smareis disse...

Que bela essa pintura Graça. E o poema lindíssimo.
Gostei muito de ler.
Ótima semana!
Abraço grande!
Escrevinhados da vida

ANNA disse...

Preciosa pintura e poesia.

Gracias por tu aporte.

Besos

A Casa Madeira disse...

Como sempre és profissional em poemas...
Já estava com saudades dessas mulheres.
Boa continuação de semana.

© Piedade Araújo Sol disse...

os espelhos da inocencia
e de quando ainda a menina usava tranças...

muito belo!


beijinhos

:)

Duarte disse...

Expressões dum retrato, dum pintor que gosto, que bem definem um poema duma senhora que escreve muito bem.
Que maravilha de poema! Que sensibilidade e que carga de sentimentos!
Beijinhos, amiga.

Toninho disse...

Que maravilha Graça.
As tranças da menina que enlaça nossos corações embevecidos pela graça que ela carrega com suas palavras tão bem garimpadas que vem com pérolas encrustadas da mais bela poesia.
Aplausos para este olhar que suga inspiração.
Beijo amiga.
Eu me delicio nos seus poemas em mãos.

Manuel Luis disse...

Vida boa neste poema. Um pensamento na infância.
Bjs

manuela baptista disse...

as tranças como baloiço de pássaros

ou a coragem de uma menina deslizante de mar

um beijo, Graça

baili disse...

what a beautiful piece of poetry dear Grace!

braids are so common here and i was never without them until i was with my mom as it seemed her favorite job to enclose lose my world of freedom in tight oily braids lol