11.2.19

De seda



São pequenas as jarras de porcelana
onde deixámos os lírios brancos
que resistiram ao tempo da secura.
E quando os nossos olhos orvalhados
ficaram mais sensíveis à luz
do amanhecer juncámos o chão
que amamos com a brancura dos lírios.
De seda. Da sede: gota a gota.

Graça Pires
De Uma vara de medir o sol, 2018, p. 25

63 comentários:

Rejane Tazza disse...

UAU!!!Aplaudindo daqui! Lindo demais! Ótima semana!bjs, chica

teresa dias disse...

De "olhos orvalhados" te digo, querida amiga, que é seda pura o tecido poético deste teu poema. Belíssimo!
Aceita uma braçada de "lírios brancos".
Beijo e boa semana.
(A imagem não podia ser melhor escolhida. Linda!)

Tais Luso disse...

Fico daqui a imaginar uma bela jarra de lírios brancos abrindo teu lindo e sensível poema!
Um beijo, amiga!


Alfredo Rangel disse...

Nada mais expressivo que estes lírios brancos... Tão simples. Tão profundos.

Marta Vinhais disse...

Uma flor tão delicada a abrir o caminho à Paz...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Lindo e belo poema minha amiga, gostei e aproveito para desejar uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

baili disse...

Delicate yet very powerful expression dear Grace!

You have mastery over the elaboration of highly sensitive feelings

Hugs!

Larissa Santos disse...

SUBLIME este poema. Parabéns :))

Bjos
Votos de uma óptima Segunda - Feira.

Lua Azul disse...

Enchi o olho com estes lírios de seda, com os quais se pode matar a sede! São de uma boa e bela têmpera!
Bjo.

Roselia Bezerra disse...

Boa tarde, querida amiga Graça!
Ter os olhos orvalhados nos possibilita enxergar o belo da vida.
Não se dá por acaso, é uma graça aos puros de 💙 que se encantam com a beleza das pequenas/grandes coisas do cotidiano.
O Senhor sempre se ponha a marejar nossos olhos de Amor.
Linda demais a pureza que seu poema exala.
Felicidades e bênçãos para você!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem
😘😘😘

Lúcia Soares disse...

Oi flor um belo dia bjs

Cristina Cebola disse...

De seda se reveste o Poema, que sacia a sede de Poesia...

Deixo um beijinho amigo e muito agradecido pela visita...

Franziska disse...

Lirios blancos que se ofrecen, en toda su pureza, a nuestra mirada camsada de buscar la belleza. Preciosa metáfora, si es que yo he entendido bien. Un abrazo.

José Carlos Sant Anna disse...

Como soa bem este idioma em que "juncamos o chão que amamos com a brancura dos lírios", ainda que pareça estranho para alguns ouvidos. E como perdura este ritmo, esta melodia, este modo de exprimir uma dada realidade. Gota a gota vamos "sorvendo" esta admirável dicção, este real na sua forma de dizê-lo.
Um beijo, Graça!

María Dorada disse...

De seda tus letras que acarician.

Feliz tarde.

Besos enormes.

PROFESSORA LOURDES DUARTE disse...

Querida Graça! A beleza das flores também me encantam. os lírios brancos, com sua pureza e delicadeza são entre tantas as mais belas. Linda postagem. Abraços, feliz semana.

carlos perrotti disse...

De seda é a sede, gota a gota, verso a verso, tão sensível à luz quanto as pétalas do seu poema. Quanta sensibilidade. Adorei, amiga poeta.

Inmenso abraço.

A Paixão da Isa disse...

Gosto mt dessa flor e o poema fica mt bem gostei mt bjs

© Piedade Araújo Sol disse...

gota a gota
se sacia a sede
se constroi o poema

e os lírios frágeis e brancos
lá estão ante o nosso olhar

beijinhos
:)

Cidália Ferreira disse...

Fantástico, maravilhoso!!

Sonhos renovados...
Beijo e uma boa noite!

Luísa Fernandes disse...

Olá Graça!
Lindo lírio branco, vestido de seda...transformado em poema.
gostei.
Beijinho
Luisa

José Ramón disse...

Muchas gracias por sus espléndidas visitas. Saludos

Sinval Santos da Silveira disse...

Mestra Graça Pires !
Que linda abordagem poética, tendo como
essência a alvura e a delicadeza do lírio !
Parabéns, Escritora/Poetisa !
Uma ótima semana e um carinhoso abraço, aqui
do Brasil.
Sinval.

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Graça. Viajei no teu poema, vi e senti de uma forma delicada.
Mesmo com "olhos orvalhadas", ha uma luz e esperança.
Lindo.
Tenha uma excelente semana.
Beijos na alma.

Toninho disse...

Uma bela obra Graça, que já tive o prazer de saborear em seu livro inspirador.
A imagem é fantástica para ilustrar seu poema.
Bom sempre vir e degustar suas palavras encantadas no sentido de nos fazer poetas.
Muito lindo amiga.
Beijo e feliz semana.

Ives disse...

Que espetáculo de flor, de seda...beijo

Isa Sá disse...

Mais um bonito poema.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Gil António disse...

O meu respeito por tão belo poema. Li e reli com gosto.

Bom dia

JUAN FUENTES disse...

Las flores son regalos que nos ofrece la naturaleza

Fá menor disse...

Sede que se sacia gota a gota! Muito belo!

Boa semana, amiga!

Beijos.

Majo Dutra disse...

De seda revestido, é um poema fresco que fala de sede...
Como seria bom ver nosso chão revestido da brancura pura de lírios!
Uma foto magnífica, minha Amiga.
Beijinhos
~~~~

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Um poema muito belo tecido com a seda mais fina que só a sua poesia sabe criar!
A seda e a sede de quem se ama e resiste ao tempo com alma e coração alvos como a brancura dos lírios.
A imagem é lindíssima.
Um grande beijinho, minha Amiga e enorme Poeta.
Continuação de boa semana.
Ailime

Agostinho disse...

E mesmo o eterno mordido/ do tracejado do voo que vemos/ Atrevemo-nos a antever efémero

De seda flor o lírio
da claridade que nos ilumina
todos os campos de amor mas
é a sede da ambição
que nos perde
no livre arbítrio
entre o sim e o não

Um poema leve, ao dizê-lo luminoso, este, com a marca distinta da poética de Graça Pires.

Muito obrigado, Amiga Graça, pelo lírio deixado no meu parapeito. Bj.

manuela baptista disse...

sede de brancura

e, pequenas são as jarras e as gotas


muito bonito, Graça!

manuela barroso disse...

A pureza do branco na beleza do poema!
Beijinho grande, Graça!

Olinda Melo disse...


Querida Graça

Estou tentada a reconhecer nessas jarras de porcelana
um poder maior. Apesar de pequenas, com pouco espaço
para comportar os lírios, conseguiram transmitir-lhes
a humidade necessária. Nesse "gota a gota" vejo um
mundo de possibilidades no sentido de voltarmos à
pureza original.

Beijinhos

Olinda

Jovem Jornalista disse...

Belo texto.

Jovem Jornalista
Fanpage
Instagram

O blog está em HIATUS DE VERÃO até o dia 23 de fevereiro, mas tem post novo. Comentarei nos blog amigos nesse período.

Até mais, Emerson Garcia

Ulisses de Carvalho disse...

"(...) De seda. Da sede: gota a gota."

E devagar também se vai ao longe. Mata-se a sede. Conquista-se até um oceano.

Um beijo, Graça.

Ana Paula disse...

Desliza-nos pelos olhos essa maciez da seda em tuas palavras.
beijo!

JUAN FUENTES disse...

Tu que amas a la naturaleza y a los poemas,te sientes muy feliz al pasearte por ella

CÉU disse...

Um poema de amor tão sedoso e delicado! Gostei imenso.
Beijos, querida Graça!

ManuelFL disse...

É caso para escrever "Olhai os lírios da Graça".
Que privilégio escrever este comentário no dia 14 de fevereiro.
Beijo.

Jaime Portela disse...

Excelente, como sempre.
Graça, continuação de boa semana.
Beijo.

teresa p. disse...

Os lírios brancos que representam a inocência e a candura, são tão delicados e breves.
O poema é muito belo e conjuga na perfeição com a maravilhosa imagem.
Beijo.

Anete disse...

Bonito, puro e sensível poema!
O meu carinho

Lucinalva disse...

Olá Graça
Linda postagem, desejo um belo dia. Bjs querida.

Manuel Veiga disse...

de seda. e de sede - gota a gota.
que assim verdadeiramente a sede se alimenta.

admirável poema, Graça.
gostei muito. mesmo.

beijo

Ana Freire disse...

Sensibilidade e emoção, sempre no seu melhor, Graça!
Mais um momento poético, absolutamente excepcional!...
Adorei cada palavra! Beijinho! Continuação de uma feliz semana!
Ana

Anónimo disse...

Olá Graça
passei por aqui vindo de um outro blogue !
gostei muito da sua poesia :)

abraço
Angela

https://poesiesenportugais.blogspot.com/

Dan disse...

Senti a sensibilidade da porcelana, a pureza, a paz dos lirios brancos e uma profunda paz ao ler brilhante poesia.

Parabéns sempre.
Dan
https://gagopoetico.blogspot.com/

Pedro Luso disse...

Boa noite Graça!

"São pequenas as jarras de porcelana
onde deixámos os lírios brancos
que resistiram ao tempo da secura."


Por estes versos primeiros pode-se antever a beleza deste seu poema, que diz bem do talento da querida amiga poetisa. Belíssimo poema. Parabéns!
Um ótimo final de semana.
Beijo
Pedro

Alice Alquimia disse...

Uma delicadeza de descrição.

Minhas Pinturas disse...

Amiga Poeta você compôs um lindo poema com esta metáfora, tendo lírios como inspiração.
Gostei de ler e reler e ler e reler...
Beijinhos, Léah

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
"SUBLIME" PARA MIM, A PALAVRA QUE MAIS DEFINE TEU POEMA.
ABRÇS
https://zilanicelia.blogspot.com/

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Graça
Que belos versos e que descrição
perfeita.
Li aos pouquinhos para
perceber e guardar cada detalhe.
Bjins de sabado
CatiahoAlc. do Blog Espelhando
https://frasesemreflexos.blogspot.com/

Luis disse...

são rios de sede,
Graça

ANNA disse...

Boa tarde, querida amiga Graça!
Gracias por tu visita te lo agradezco mucho.

Abraço

ANNA disse...

Boa tarde, querida amiga Graça!
Gracias por tu visita.

Um lindo poema com esta metáfora,
Besos.
Abraço

Ana Tapadas disse...

As tuas palavras lapidadas ficaram preciosas.
Beijo

As Mulheres 4estacoes disse...

Que lindo pensar no chão que amamos, cobertos por lírios brancos.
Lindo!

LuísM Castanheira disse...

perfume inebriante este, desprendido dos
lírios, brancos na cor, como o poema.
pureza intocável aos olhos da Poeta.

gostei muito, Graça

uma boa semana, minha Amiga
um beijo

Teresa Almeida disse...

Teu poema tem a sedução de um lírio branco e a força de sementeira pura.

Tão belo!

Beijos, querida Graça.

Humberto Maranduva disse...

Trata-se, suponho, de um hino à vida e à doçura... sim, à doçura do envelhecimento, tecido este de límpidas e gratificantes recordações. Serenamente...
Bjs.