17.6.19

Futuro

©Shutterstock

Nas próximas horas nenhum astrolábio
medirá a latitude e a longitude deste sítio.
Não queremos saber a altura dos astros.
Os fusos horários corrompem-nos a pele.
Inventaremos uma órbita que nos prenda
ao futuro em rotação vertiginosa.
O passado será a nesga de luz
onde as luas se mostrarão fase a fase.
Graça Pires
De Caderno de significados, 2013, p. 14

62 comentários:

LuísM Castanheira disse...

Viajaremos, mais ou menos
acelerados, para um destino
como sempre desconhecido.
O que para trás fica pouco ajuda
a escolher o que escolha não tem.
Fica-nos a poesia, Graça,
Espero que estejas bem.
Uma boa semana, querida amiga.
Um beijo.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei deste belo poema minha amiga e aproveito para desejar uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Marta Vinhais disse...

Um futuro sombrio... porque não cuidamos do presente...
Brilhante...
Beijos e abraços
Marta

chica disse...

Muito lindo e o que teremos no futuro???? Adorei! beijos, chica,linda semana!

Daniel Costa disse...

Graça Pires nenhum astrolábio medirá a poesia. Porém, de facto merece ser mencionado em poemas.
bjs

Larissa Santos disse...

Excelente poema.:))

Hoje:- Quando a minha alma naufragar...

Bjos
Votos de uma óptima Segunda - Feira.

Sandi disse...

Nós não podemos segurar isso.
Mas vai ser bom!

baili disse...

spectacular piece of poetry dear Grace !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

your expressions are overwhelming !

life on this planet is manipulated by CIVILIZED people who know nothing about civilization anymore except pronouncing it proudly

your words draw a dreadful image of truth before my eyes my friend!

and i am in awe of future that i can see through
hugs!

Marco Luijken disse...

Nice words with a special picture.
Wonderful.

Best regards,
Marco

Roselia Bezerra disse...

Bom dia de paz, querida amiga Graca!
Viver sem saber mas com esperança sempre.
Você sempre antenada...
Tenha dias abençoados!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

bea disse...

quando li o poema pensei que não quereria uma órbita em rotação vertiginosa. Mas lembrei-me que habitamos num planeta com rotação orbital vertiginosa: um milhão de quilómetros por hora. E portanto, no passado, presente e futuro somos mera vertigem, um pontinho no infinito horizonte. Coisa de nada.
Caderno de significados é um nome bonito.

Teresa Durães disse...

Um passado que falará de um antigo povo que existiu na Terra, esse que a destrui.
Belo poema!

carlos perrotti disse...

Poesia como a sua, Graça, nos coloca a salvo de qualquer incerteza ou perigo, mesmo do futuro. "O passado será a nesga de luz onde as luas se mostrarão fase a fase..." Versos assim iluminan sobre o nosso destino.

Abraço grande amiga!!

A Paixão da Isa disse...

pois quem é que sabe o futuro pois seria mesmo mt bom se assim fosse mas nao me parece que seja bem assim viver e ver é o que temos que fazer adorei e a foto esta mt bonita bjs

Mar Arável disse...

Sem fronteiras
conforme as marés
Bj sempre

José Carlos Sant Anna disse...

O que fazer sem invenção, sem imaginação? O que será do amanhã? E esta palpitação que cala dentro do peito do eu lírico, este modo de interrogar, esta espontaneidade diante do "futuro", desta viagem que todos fazemos, aqui, na essencialidade da sua poética!
Um beijo, Graça!

Victor Barão disse...

Curiosa coincidência, em que, com ressalva das devidas distancias, quando tendo eu mesmo feito uma partilha alusiva ao tempo, de perspectiva anacrónica, a partir duma vivencial base histórico-cultural própria, eis que dou de caras com este: "Futuro"... em que ... "O passado será a nesga de luz onde as luas se mostrarão fase a fase." _ fazendo-me, como tal, sentir pequenino e marginal, na minha própria alusão ao tempo!...
Beijo de gratidão, com votos de excelente semana
VB

JUAN FUENTES disse...

Siempre la ciencia debe de esta delante

Cidália Ferreira disse...

Gostei muito do poema! :)

Vou parar por um curtinho período de tempo.Voltarei assim que me seja permitido

Beijos. Boa noite

Trini Altea disse...

Bonito poema.

lanochedemedianoche disse...

Muy bonita poesía amiga, me encanto.
Abrazo

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Um poema magnífico com uma mensagem que alerta para o futuro que se apresenta sombrio.
É um problema muito sério que a Poeta traz aos seus leitores de forma brilhante.
Um beijinho, minha Amiga, e uma ótima semana.
Ailime

Sandra May disse...

Passando pra desejar uma semana excelente.
Sobre o futuro eu não sei, mas o poema é bonito "onde as luas se mostrarão fase a fase".

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

manuela barroso disse...

Falas do futuro e do passado com uma tão grande lucidez , que só nos resta a esperança na mansidão de cada dia .
Belo e profundo como sempre , Graça
Beijinho , minha amiga !

Lucinalva disse...

Olá Graça
Belo poema, desejo uma boa tarde. Bjs querida.

Ana Bailune disse...

Lindo, e com um tom mágico!

Luis Eme disse...

Somos muito, muito egoístas, Graça...

E vamos acabar mal.

abraço

Joana Grilo disse...

É um belo poema, mas parece-me que mostra um futuro um pouco sombrio - que não será a realidade? Uma boa semana para si!

Emília Pinto disse...

Avisos temos muitos, Graça, mas continuamos a ignorá-los; achamo-nos eternos, pensamos ser poderosos, cremos ter o dom de tudo transformar, mas... não passamos de uma " nesga de luz" tentando adivinhar o futuro; somos pequeninos, temos o único poder de viver este instante presente e nem sempre da maneira como o desejamos. A vida manda muito e até aqui ela permitiu que chegassemos , mas nem sempre pudemos escolher o caminho; tivemos o passado que nos foi dado ter, que conseguimos ter e que nos deu o ser que hoje somos, mas nesse caminhar muitos erros cometemos, muita destruição provocamos e mesmo assim, achamos que temos o direito de espionar o universo, investigar planetas , de " fazer xixi nas estrelas " como cantou Guilherme Arantes há muitos anos já e para quê, pergunto eu? Não somos capazes de cuidar da Terra, planeta azul, não somos capazes de alimentar milhares de pessoas que definham com fome, mas , sem qualquer pudor, gastamos recursos essenciais a todos nós, mandando " lixo " para o espaço, quem sabe, na esperança de que nem ele escape à ganância do ser humano. Tratemos do nosso planeta , aqui...agora, para que, se tivermos futuro, ele seja mais risonho para toda a humanidade. Graca, querida amiga, como sempre,poemas belos que nos fazem pensar. Parabéns! Um beijinho e obrigada pelo momento de boa poesis. Boa noite
Emília

Tais Luso disse...

Querida Graça, como sempre tua poesia sempre deixa rastros de beleza, de verdade, mas também de inquietação, ela me toca. Agora cheguei num momento que me inquieta, não me interessa mais em saber por que vim, de onde vim, agora o futuro me inquieta, interrogo pra onde irei, e de que maneira... me entendes.
O grande mérito dos poetas é deixarem na gente muitas perguntas!
Grande beijo, querida amiga.

teresa dias disse...

Graça querida, parabéns por esta magnífica publicação!
Pela beleza tamanha da foto escolhida e pelo irrepreensível jogo de inspiradas palavras.
Amiga, como só vejo o passado por uma "nesga de luz" e o futuro não o imagino sequer, invento o presente sem astrolábio, mas com muita poesia e cadernos de significados.
Beijo, boa semana.

Kodak Khrome disse...

dá-se ao tempo o tempo que o tempo tem
passado e futuro serão nesgas de luz apenas
o presente é a memória do que aconteceu
mesmo assim a recordação do presente
já não é o que era.

Anete disse...

Gostei muito e o término, "fase a fase", ficou ótimo!
Face a face veremos o Criador!...
O meu abraço...

Manuel Veiga disse...

belo, belo como apenas tu sabes dizer, Graça...
quero mover-me nessa órbita (poética), rumo ao Futuro

beijos, amiga

Humberto Maranduva disse...

A espécie continua a sentir uma atracção suicida pelo abismo do progresso, ainda que sinta, no seu sub-consciente, o fio gelado e cortante da espada de Dâmocles. Parece que nada mais resta ou interessa. Bem, pelo andar da carruagem parece estar tudo "bem" encaminhado.
Graça, mais um poema onde todas estas ideias e conceitos são perfeitamente construídos, arquitectados numa harmónica essencialidade.
Bjs

Ana Tapadas disse...

Mais um belo poema!

(Graça, quando puderes, passa pelo meu blogue. Se algo te desagradar, diz que eu retiro.)

Beijinho

Lowcarb team member disse...

Amazing image, words are perfect for it.

All the best Jan

Ana Freire disse...

Um verdadeiro universo... também de talento... expresso nas suas extraordinárias palavras, Graça, ultra bem combinadas com a imagem anexa!...
Para ler e reler!... Beijinho! Bom feriado!
Ana

Jaime Portela disse...

Um poema soberbo.
Gostei imenso, parabéns pela inspiração e talento.
Graça, continuação de boa semana.
Beijo.

Agostinho disse...

Tomara eu animar-me à velocidade do nascer do dia, entre as luas e o sol. Aí ficar na recitação do poema.
Muito bonito, Graça Pires.
Beijo.

Teresa Almeida disse...

Olá, Graça!

Chego e encontro esta erupção, esta fuga em admirável poema.

Nunca sei se saio, só sei que volto.

Beijo.

Menina Marota disse...

O futuro, essa incógnita que nos envolve...

Que saudades de a ler!

Um grande abraço de carinho

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, poema e imagem ímpares na beleza.
AG

Lua Azul disse...

Realmente o futuro é fruto de um passado...
O que nos espera?

Tenho andado ausente e agora vai ser mais assim, porque ando sem inspiração e também não consigo acompanhar as postagens dos blogues todos que sigo. Pelo facto peço desculpa. Mas é com prazer que venho aqui. Também peço desde já desculpa por deixar esta mensagem igual para todos os blogues.
Bjo e bom fim de semana.

Lídia Borges disse...


Ler-te é sempre uma revelação.

Obrigada!

Beijo

Lídia

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Graça,
E assim vamos seguindo
impregnados
por sua poesia.
Bjins
CatiahoAlc.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, Graça.
Um poema espetacular, bem construído e com uma imaginação muito fértil.
Realmente, hoje não estamos mais interessados em fazer uso do astrolábio para medir algo que não seja do nosso interesse, estamos vivendo o agora, o perigo, a explosão de sentimentos, e assim vamos perdendo a capacidade de nos sensibilizar com a distância da lua ou a distância da Terra até o Céu. Gostei muito. Beijos!

Anónimo disse...

"O passado será uma nesga de luz / onde as luas se mostrarão fase a fase."
O futuro, bem, o futuro é cada momento...
Admirável este poema, tal como a fotografia que é perfeita.
Beijo.
teresa p.

Olinda Melo disse...


Sente-se neste seu poema, querida Graça, um fio invisível que nos liga ao passado, ao presente e ao futuro. Um futuro situado "nas próximas horas", com todas as implicações da decisão de não querermos saber da altura dos astros; sendo que esta decisão passa-se no tempo presente em que também vislumbramos, no passado, a nesga de luz que as fases da lua nos fazem entrever. Uma história que é a nossa, um percurso feito de tomada de decisões que, fatalmente, influenciarão a nossa forma de vida.

Adorei este convite de ligação ao futuro, em rotação vertiginosa!

Beijos

Olinda

Pedro Luso disse...

Olá, Graça!
Mais um dos seus belos poemas, querida poetisa, com esse título tão instigante: Futuro, que assim termina:

"O passado será a nesga de luz
onde as luas se mostrarão fase a fase."


Votos de uma boa semana, Graça.
Um beijo.
Pedro

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite Graça
Um poema inquietante e criativo. Onde estaremos no futuro? Eu particularmente nem sei onde estarei amanhã. Espero e oro que esteva viva. O futuro a Deus pertence. Felizes dias amiga. Enorme abraço.

ManuelFL disse...

O futuro é o que está em aberto, é o jogo dos possíveis, «o passado será a nesga de luz onde as luas se mostrarão fase a fase.»

Beijo.

Fá menor disse...

É isso mesmo. E "o futuro a Deus pertence", como diz o povo.

Boa semana, amiga!

Beijinhos.

Kalinka disse...


Nas próximas horas...
e dias também,
ficarei só, mas feliz
Espero ansiosamente
ter a minha casa, só para mim
adoro o meu "cantinho"

Não quero saber do Mundo lá fora
lá longe
apenas ter paz de espírito, silêncio!

OLÁ GRAÇA
peguei no início de duas frases suas
e deixei-me ir...
Obrigada pelas suas visitas e comentários.
Gostei do seu poema!

Depois de 2 semanas e meia de ausência, estou de volta à blogosfera!
Aproveito hoje e ando a espreitar os espaços dos amigos,
e as novidades que fui perdendo...

Boa semana, beijos da Tulipa

Há post novo, aqui:
http://tempolivremundo.blogspot.com/

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema que nos faz reflectir.
o futuro, que só a Deus pertence.
uma boa semana amiga Graça.
beijinhos
_:)

Daniel Costa disse...

Graça Pires poema mui judicioso, se assim o posso classificar. Na verdade muitas vezes, talvez o tempo devesse parar, para dar tempo a que tenhamos tempo de pensar e amar mais o mundo que nos rodeia.
bjs

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Mestra, Graça Pires ! !
Como o ser humano ambiciona dominar o Universo !. O teu belo texto demonstra, claramente, esta vontade. Sempre foi assim. No final, as
frustrações...
Parabéns, Amiga, pelo belo escrito !
Uma ótima semana e um fraternal abraço, aqui
do Brasil !
Sinval

Majo Dutra disse...

Horas benditas... imprescindíveis...
Exílios benfazejos.
Dias brilhantes, estimada Amiga.
Tudo bom.
Beijos
~~~

A Casa Madeira disse...

Do geito que anda acontecendo os canetaços destituindo
algumas leis ambientais que nem podería acontecer... desse
maneira só alguns verão um bom futuro.
Belo poema reflexivo.
abcs

Maria Rodrigues disse...

Devemos aprender com o que passou e como o futuro ainda é uma incerteza, vamos pois tentar aproveitar o melhor possível o presente.
Belíssimo poema
Beijinhos
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

manuela baptista disse...

o futuro radioso

um beijo, Graça