27.1.20

Como um cerco de presságios


Van Gogh

Vem do rio um vento interminável, como um cerco
de presságios que nos gela nos ombros.
As cobras enroscam-se nas pedras,
sobressaltadas com a agitação da terra.
As abelhas escondem-se no regato das chuvas
esperando que as colmeias as procurem.
O chão arde em nossos passos, vítimas
e culpados do desvario dos caminhos.

Graça Pires
De Uma vara de medir o sol, 2018, p. 57

55 comentários:

Sam Seaborn disse...

Primeiro, tenho que dizer que gosto muito desse quadro.

Do poema, não há como não gostar, prova de que até uma mensagem dura e triste e desesperada, consegue ser tornada bela por palavras...

O ser humano é o ser humano... Uma mensagem tão atual agora, como quando a foi escrita.

Um beijo e bom inicio de semana

Cidália Ferreira disse...

Mais um brilhante poema. É sempre um gosto ler os seus escritos! Obrigada pela partilha:)


-
Choram as nuvens...
Beijo e uma excelente semana!

Marta Vinhais disse...

Há Ventos que assustam e destroem...
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

bea disse...

Van Gogh é talvez o meu pintor de eleição.E os versos da Graça retiram-nos do sonho, que a poesia é também a visão melancólica que paira sobre a perseverança do erro humano.

Megy Maia disse...

O ser humano é cruel para consigo mesmo.
E infelizmente tudo em seu redor está vitaminizado pela crueldade do seu ignorante viver.
Somos tremendos vendavais.
Um beijinho de luz.
Megy Maia

Gracita disse...

A poesia se vale das metáforas para alertar-nos da crueldade humana
Um beijinho doce e uma semana abençoada

Teresa Durães disse...

Outro lindo poema, Graça!

chica disse...

Lindo quadro e poema! bjs praianos, chica

A Paixão da Isa disse...

com essa foto este poema fica mesmo 5* parabens amiga bjs tudo de bom

José Carlos Sant Anna disse...

Ainda bem que a linguagem depura o amargor desse drama, que nos faz pensar no dia de amanhã sempre! Belo poema, Graça. Quando despertaremos de nossas destemperanças?
Um beijo, minha amiga Graça!

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
O homem tem vindo a destruir o que de tão belo e bom nos foi oferecido por Deus.
Quase que não temos chão e a inércia grassa cada vez mais acompanhando a vil cobiça.
Magnífico este alerta num poema muito belo.
Beijinhos, minha Amiga e Enorme poeta.
Boa semana.
Ailime

Maria Emilia B. Teixeira disse...

Linda fotografia do quadro de Van Gogh e sua escrita igualmente. Bjs.

carlos perrotti disse...

Isso se chama talento e sensibilidade poético-descritiva, Graça. Maravilhado mais uma vez me deixa o seu poema.

Um grande abraço.

Os olhares da Gracinha! disse...

O vento tem essa habilidade poética e o quadro ilustra seu poema!
O meu aplauso e obrigada pela visita!

JUAN FUENTES disse...

La vida es muy bonita,y tenemos la obligación de disfrutar de de ella

Isa Sá disse...

A passar por cá para conhecer mais um bonito poema e desejar boa semana!

Isabel Sá  
Brilhos da Moda

LuísM Castanheira disse...



nestes rios que não sabem o mar eu não sei se não serão
os caminhos a escolherem os passos... intranquilo poema
que agita as 'aguas dos nossos dias.
belo, minha Amiga querida.
um beijo, Graça.
[hoje inspirei-me em caminhos meus e também fui'buscar' o van gogh]

Maria Rodrigues disse...

A terra reclama os maus tratos, mas infelizmente o Homem parece não ouvir.
E alma dos corações sensíveis gela, pela incerteza, inquietude e receio do amanhã.
Maravilhoso poema.
Beijinhos

Marco Luijken disse...

Hello Graça,
What a very nice poetic words. Wonderful.
And a nice image. Great!!

Best regards,
Marco

Ana Bailune disse...

Só posso dizer:
Belíssimo, Graça!

Tijana disse...

Hi, nice post. I follow you # 443 ,follow back?

http://itsmetijana.blogspot.com/

José Ramón disse...

Bello verso Saludos

Agostinho disse...

Culpados nós!?
Nós incinerámos a raiz da palavra
carregamos o peso da culpa
Sem remissão pela eternidade.
O homem tem emenda, Graça Pires?
Beijo.

Delas&Deles ou ViceVersa disse...

Graça,
Seus textos me passam
uma tranquilidade
gostosa.
Bjins
CatiahoAlc.

© Piedade Araújo Sol disse...

Com palavras certas
uma mensagem dura e real

mas, ainda acho que teremos perdão e remissão para nossas culpas

ainda deve haver tempo...

beijinhos

:)

Contratar a Raul Lavie disse...

Amo a Van Gogh, y me gustaron mucho tus palabras!!!

Roselia Bezerra disse...

Boa noite de paz, querida amiga Graça!
Aqui eu vi um drama terrível que estamos vivendo em alguns estados brasileiros...
Vento de tragédias, nada suaves... Rios devastadores.
Um céu retratado exatamente como esse que você nos mostrou no post do famoso artista, eu fotografei.
Você, suavemente, revela a atualidade de forma poética.
Tenha dias abençoados e felizes!
Bjm carinhoso e fraterno


Anete disse...

Graça, vi no seu lindo poema um grito e um clamor! O homem sem Deus é cruel... Sinto pelas vítimas às vezes tão ingênuas, indefesas... Misericórdia!
Bjs e boa noite...

Mar Arável disse...


Na verdade - dizem os crentes
todos somos filhos de Deus

Bj

baili disse...

this is rich with sensitivity dear Grace
with little words you shared the pain and misery of suffering people in Brazil

i wish them peace asap,amen!

i always wonder about the relationship of winds with ocean ,what make them so angry put me in awe
mystery is unsolved to my ignorant heart
blessings to your beautiful being my friend! your expression are extraordinary always !

Jaime Portela disse...

E os propósitos de emenda têm sido improfícuos...
Excelente poema, os meus aplausos.
Graça, um bom resto de semana.
Beijo.

ManuelFL disse...

Gostei muito da imagem das abelhas à espera que as colmeias as procurem. O desvario do mundo. Beijo, Graça.

Olinda Melo disse...


Ecos de tempestade, de situações de desgraça iminente
nas palavras que conformam este seu poema, minha
querida Graça. E sente-se isso com tamanha acuidade
que uma certa angústia nos envolve.

E mais uma vez lhe digo, aqui sente-se a força de cada sílaba
nas palavras que emprega para nos transmitir as suas
mensagens.

Parabéns, minha Amiga.

Beijinhos

Olinda

Manuel Veiga disse...

há que saber ler os sinais...
se desejamos "medir o Sol"

mas apenas as Sibilas têm esse dom!...
sabes quanto aprecio este teu livro, Graça

beijo, minha amiga

teresa p. disse...

Comovente este poema, metáfora perfeita sobre a aflição da Terra perante a destruição a que está a ser sujeita. As palavras impõem uma reflexão profunda e a mudança urgente de atitude e de respeito pelo ambiente.
A pintura de Van Gogh traduz bem o "cerco de presságios". Muito belo!!!
Beijo.

Majo Dutra disse...

Parece incontrolável a agitação da terra e os culpados
do desvario dos caminhos, multiplicam-se...

MUITO BELO, QUERIDA AMIGA.
Beijinhos
~~~~~

Ana Freire disse...

E a acção do homem no meio ambiente... será mesmo a razão fundamental, para o desvario dos caminhos... e cada vez mais... de qualquer caminho... veja-se este ultimo caso, como exemplo... de uma epidemia local... que rapidamente se está a transformar numa epidemia global... e fico a pensar... se tal até nem será bastante rentável para alguém... ou algum lobby... hoje em dia, a acção do homem, apenas assenta em jogos de poder... quaisquer que eles sejam...
Um belíssimo momento poético, que tão bem reflecte as inquietudes, deste nosso, cada vez mais, turbulento mundo...
Beijinho! Feliz fim de semana, Graça!
Ana

Cláudia Forte disse...

A vida é um caminho de sombras e luzes. O importante é que se saiba vitalizar as sombras e aproveitar a luz.
Linda, Que o nosso final de semana seja abençoado, seja de luz, de paz interior e
clareza de pensamentos. Beijo enorme!

Pedro Luso disse...

Olá, Graça!

Gostei muito, querida amiga, deste seu poema (Como um cerco de presságios), que se inicia com a força destes belos versos:

"Vem do rio um vento interminável, como um cerco
de presságios que nos gela nos ombros."

Um excelente final de semana Graça.
Um beijo.
Pedro

lanochedemedianoche disse...

Bello poema, bellas abejas esperando bajo la lluvia su colmena, es delicado y nos cuenta mucho de lo que sucede en el planeta que amamos y no sabemos cuidar, gracias.
Abrazo

silvioafonso disse...

Você faz milagres com as palavras.
Tenho prazer e orgulho em ler e ser
seu amigo.
Beijos e bom fim de semana.

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite querida amiga Graça
Um belíssimo poema retratando uma triste realidade. Feliz fds. Abraços.

AC disse...

Aparentemente perdeu-se o rumo, ouve-se um riso abafado para lá das cortinas...
As palavras gostam muito de si. E a Graça, ciente disso mesmo, trata-as como poucos.

Um beijinho :)

www.bismaxongravacoes.com.br/ disse...

Achei este conteúdo interessante e compartilhei em meu facebook.
Bismaxon gravacoes

Ana Tapadas disse...

Tão belo!
Conheço o poema de outro contexto poético, mas ajusta-se muito aos dias que correm incertos.
Beijo

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

relendo e passando para deixar
Bjins de domingo
CatiahoAlc./Reflexod'Alma
entre sonhos e delírios

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Mestra, Escritora / Poetisa, Graça Pires !
... e são, apenas, sinais de agressividades, em
linguagem denunciada pela natureza.
Belo texto, Amiga.
Parabéns, grato, e um fraternal abraço, aqui do
Brasil.
Siknval.

Ulisses de Carvalho disse...

Não sei se a tela de Van Gogh te serviu de inspiração primária para a criação do teu poema com cara de prosa, mas sei que é uma belíssima inspiração! Um beijo.

manuela barroso disse...

É telúrica , arrepiante esta- como todas as tuas poesias. Há aqui uma espécie de vidência na palavra que nós leva à culpa de todos os desvarios .
Tu, nós encantas !
Grande beijinho !

Twinkle disse...

Nice post. It is really interesting. Thanks for sharing the post!
Web Design Company in Tuticorin | Domain Name Registration In India
Web Design Company In India | Digital Marketing Company in India
PPC Services in India

Tais Luso disse...

Que lindo, querida Graça, tenho encontrado tanta verdade na tua poesia, aprendemos muito com a natureza, poderíamos ser mais felizes se fôssemos mais humildes.
Um beijo, querida! Um bom fim de semana.

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

Tiempos incendiarios contra la misma naturaleza, que nos da la vida. Un abrazo. Carlos

solfirmino disse...

Pois é amiga, os 'caminhos' se agitam, graças ao poder destrutivo do homem. Todo o fluxo da natureza se altera. É muita ganância e corrupção. Você deve estar sabendo que por aqui há pelo menos um mês sofremos com a água suja dos rios que abastecem as cidades, em pleno verão, Carnaval, a cidade cheia de turistas, filas de pessoas comprando água mineral a preço alto... um absurdo!
Beijo, querida. Obrigada por tudo.

teresa dias disse...

"Vem do rio um vento interminável,
como um cerco de presságios..."
A poesia exige sensibilidade e tu, minha querida amiga poeta, tens muita e apurada!
Perfeito: o poema e a escolha de Van Gogh.
Beijo.

Teresa Almeida disse...

Maus presságios assolam o mundo e teu poema tem uma voz dilacerante.

É um aviso, um arrepio.

Todas as cautelas são poucas.

Beijos, querida amiga Graça.