7.7.07

É sempre em julho

John Dunn

Foi em julho, que bandos e bandos de gaivotas,
planaram sobre o olhar de tua mãe,
para que ao nascer, herdasses a secreta
violência das marés.
Agora, é sempre em julho que, dos teus olhos,
se avista um oceano inteiro,
enquanto um navio te cresce, perfeito,
sobre os lábios, soletrando íntimas paragens.


Graça Pires
De Quando as estevas entraram no poema, 2005

9 comentários:

A.S. disse...

Fiquei rendido à ternura e à beleza poética deste teu poema!...

Julho é um bom mês para nascer... Que a luz vença sempre as sombras que lhe surgirem no caminho!

Parabéns e Feliz Aniversário!

Menina_marota disse...

Parabéns pelo Aniversário e pelo poema... eu que também nasci em Julho... somos ambas Leão? :-)))

Um grande abraço, cheio de carinho ;))

Poesia Portuguesa disse...

Espero que não se importe que lhe tenha "roubado" este poema...

Associo-me à Marota nos desejos de um FELIZ Aniversário.

Um abraço carinhoso ;))

Graça Pires disse...

A.S., muito obrigada por teres gostado do poema. Transmitirei os parabéns... Um abraço.

Menina Marota, fico muito emocionada pelo carinho, mas não fui eu quem fez anos, mas uma pessoa que me é muito querida, a quem dediquei o poema. Um beijo.

Poesia Portuguesa disse...

Bem...esclarecida a situação, fiz a devida correcção ou seja, retirei de lá os parabéns...mas já agora, qual a data do seu aniversário? :-)))

Bj ;))

soledade disse...

Todos os meses são bons para nascer. Mas um mês de Fogo habitado pela Água em turbulência...
É misteriosa a linguagem da ternura.
Um beijo

Graça Pires disse...

Soledade, é de facto misteriosa a linguagem da ternura... Um beijo e obrigada pelo Fogo e pela Água...

Teresa Duraes disse...

:))

lindo poema e linda dedicatória !!

Maria Clarinda disse...

O meu comentário está para ti também no post da Menina Marota!!!!
Obrigada, jinhos!