6.10.07

Um lugar de sobrevivência

Marc Chagal

Apesar de tudo, a noite
continua a ser um lugar de sobrevivência,
a contraluz sensual de todas as rotinas,
um barco acostado ao largo dos astros.
Há prosas de fascínio a assinalar improvisos
nas pálpebras da manhã
quando, à mercê do acaso,
um abraço é o secreto anúncio de uma festa.


Graça Pires
De Conjugar afectos, 1997

12 comentários:

Marinha de Allegue disse...

Gracias polo teu comentario no meu espazo.
Certamente a noite sen un encanto máxico.

Unha aperta.
:)

Marinha de Allegue disse...

Quería decir a noite ten un encanto máxico...

Anónimo disse...

Dois a valsar no completar dos braços.

Mïr disse...

"um barco acostado ao largo dos astros"

Lindo.

hfm disse...

A utopia que tb "comanda" os abraços.

maria m. disse...

«Há prosas de fascínio a assinalar improvisos
nas pálpebras da manhã»

esta e outras imagens que crias... são lindíssimas!

(e a imagem muito bem escolhida)

gostei muito :)

Barão Van Blogh disse...

Sublime pensamento .
Melhor não faria .
Parabens ...

Fica em PAZ .

Luis Eme disse...

«A contraluz sensual de todas as rotinas», sim, de todo...

Mas acho o dia mais dado à sobrevivência...

isabel mendes ferreira disse...

ChAGAL nas tuas pálpebras....

parece-me "mais que bem".


_______________



beijoooooooooooo.

Mar Arável disse...

OBVIAMENTE VOU REGRESSAR

soledade disse...

Um poema de doce e discreta sensualidade. De facto, o amor, apesar dos acasos do seu próprio ritmo e das rotinas alheias, é sempre lustral, lugar da festa e da sobrevivência.
Belo poema, bom augúrio para começar a semana.
Um beijo

Graça Pires disse...

Agradeço a todas e a todos a vossa visita ao meu espaço feito de poemas e imagens. É um gosto enorme ler as palavras de afecto e de estímulo para continuar. Bem hajam e um beijo.