26.6.08

É um verso

Claude Monet


É um verso, toda a luz filtrada pelo olhar,
quando me surge, das mãos, um barco desvairado.
Vozes longínquas me interrogam sobre a tinta
azul impressa nos meus dedos: são os mares
da Odisseia a inundar-me a garganta ;
são citações de Homero oscilando
em meus lábios; são, não sei que aves
marinhas, no estuário das mãos.
Como quem usa a luz para esconder as sombras.


Graça Pires
De Uma certa forma de errância, 2003

33 comentários:

Luis Eme disse...

é um verso...

toda a luz filtrada pelo olhar...

(pois é...)

abraço Graça

Miguel Barroso disse...

Belíssimo. Abraços do EU, SER IMPERFEITO e d´A SEIVA

© Piedade Araújo Sol disse...

a luz filtra o olhar, essa mesma luz esconde as sombras.

poema muito rico e bem estruturado.

gostei!

beij

Deusa Odoyá disse...

Minha estimada amiga.
Que lindo esse verso.
Muito inspirado por uma luz vinda do seu interior.
Seu olhar doce e divino, foi projetado nesse lindo momento.
Beijos e fique na paz.
Sua nova amiga do lado de cá.

Regina Coeli.
Voltarei mais vezes.


Te aguardo no me cantinho.

Hugo Milhanas Machado disse...

Lemos.

alice disse...

é um verso luminoso, querida graça.

um grande beijinho *

VEU DE MAYA disse...

A vida mitológica do mar e da aventura..a luz, o sentimento e as cores do amor e da viagem...sempre tudo muito espontâneo e virginal...

beijinhos

Pena disse...

Magnífica Amiga:
É um verso pleno da sua luz bela. Terna. Doce e sentidamente profunda. No olhar. Na voz cristalina e pura. Nos lábios lindos.
Mares da Odisseia que não podem esconder-se na sombra pela ternura que emana sempre de si.
Um Verso muito Lindo!!!!!!
Beijinhos de admiração e fascínio que estimam e respeitam.

pena

Gostei muito!

Benó disse...

"Como quem usa a luz para esconder as sombras"
assim usas as palavras que nos alimentam o espirito.

Um grande abraço.

pin gente disse...

é um verso... e que bonito tingido de azul!

abraço
luísa

heretico disse...

intensa a luz que esconde as sombras...

muito belo.

soledade disse...

É uma bela coincidência regressar à blogoesfera e ao ortografia do olhar num dia em que o poema revisita a Odisseia e o mar arquétipo - o de Ulisses, mas também o da Graça, a pulsação aquática dos seus versos e do seu imaginário. Um poema impressionista? Jogos de luz nas correntes...
Um beijo, e um belo S. Pedro que aí vem! :)

Paula Raposo disse...

Gostei!! Fortes as tuas palavras. Beijos.

dona tela disse...

Vou mudando o paradigma.
Beijos.

Marta disse...

o olhar da-nos a primeira sensação de tudo...do que vemos e do que queremos ver...

beijinho
http://www.marprofundo.net

lena disse...

um beleza transpira neste belo poema

a luz que filtra e esconde a luz que é presença, é luminosidade, é poesia e a tua poesia tem tudo, mesmo que a palavra seja filtrada

Graça Pires como é bom ler-te ainda na manha que cresce

beijinhos e a ternura de um abraço

lena

teresa p. disse...

Eternamente Penélope, numa certa forma de errância...
Beijo.

Vieira Calado disse...

Monet, o mar...
o belo poema...
a que já nos habituou.
bom fim de semana

isabel mendes ferreira disse...

é um verso. marinho.


belo como os que aqui colho. recolho.



acolho-me!



sempre.

______________beijo. à proa dos dias assim. os dias daqui.

maré disse...

é mais que a definição da luz

é verão.
na intensidade
do olhar.

de novo

o encanto.

bjs

maré

Só- Poesias e outros itens disse...

Graça Pires, linda imagem e poema.

bjs.


JU Gioli

Menina_marota disse...

Monet... na magia das suas Palavras, Graça!

Grata por as partilhar.

Um abraço carinhoso ;)

Miguel Barroso disse...

Vim reler.



Abraços do EU, SER IMPERFEITO

Pena disse...

Linda Amiga:
Vim reler. Comentaria um Post se existisse.
Assim, vim porque adoro a sua atitude poética linda.
Excelente Domingo
Beijinhos de amizade

pena

DESCULPE!

Victor Oliveira Mateus disse...

Como quem usa a luz para esconder as sombras... muito bem fala quem ,
em verdade, traça a sua própria imagem...
Um beijo, Graça.

Marinha de Allegue disse...

Versos con tacto e cheos de luz.

Beijinhossss companheira.
;)

hfm disse...

Quando se regressa é bom ler:

"são, não sei que aves
marinhas, no estuário das mãos."

muito belo, Graça.

Um beijo.

maria m. disse...

Belíssimo!
Toda tu és poesia!

um beijo!

Teresa Durães disse...

um verso compelido

De Amor e de Terra disse...

Olá Graça, boa tarde!
Fizeste-me lembrar um poema meu a que dei o título "Ode ao Mar"...
Muito belo este teu!
Parabéns!
Obrigada também pela visita.
Voltarei sempre que possível.

Beijos

Maria Mamede

CNS disse...

É um verso refractado da alma...

Muito bonito.

JRL disse...

é um verso que brilha... no escuro! um abraço.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Eu sempre viajo nas vagas poéticas do teu pensamento.
Um beijo no coração