9.10.08

É possível

António Carneiro

É possível que já não haja pássaros
a esvoaçar em torno das palavras
com que calei
o desespero das manhãs
quando tinha do cosmos
uma visão romântica.
Hoje nasce-me no olhar
uma luz quase cruel
com que ilumino
a linha de sombra
que me cerca as mãos.


Graça Pires
De Uma extensa mancha de sonhos, 2008

36 comentários:

d'Angelo disse...

Sempre veremos a silhueta das asas em meio à eternidade da luz que pontua seus versos. Beijo suas mãos e digo: bravo, Graça Pires!!!

João Videira Santos disse...

...E se em vez de "...com que ilumino a linha de sombra
que me cerca as mãos" fosse..."com que ilumino a linha da sombra que me cerca as mãos"?

Apenas trocar o "de" por "da".

Desculpará o atrevimento, mas, meras "poetices".

Gostei (muito) do poema.

Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

mas tens a luz!

oh Graça, acho este poema tão belo e tão triste.

tens tanto talento em colocar as palavras, que até arrepia....

bej

Eduardo Aleixo disse...

Oi, Graça, poema triste: há os pássaros, sim, que cantam eternamente a alegria da criação.
Um abraço.
EA

Parapeito disse...

"...Hoje nasce-me no olhar
uma luz quase cruel..."
(eu não acredito)

É possivel ...que uma luz meia baça...mas nunca cruel :)*****

adelaide amorim disse...

"a linha de sombra/que me cerca as mãos" é de uma eloqüência quase capaz de sintetizar todo o poema - que é muito belo, diga-se.
Beijos, querida.

Véu de Maya disse...

o lirismo da sua poesia é um pássaro longíquo que devela a música das palvras...triste neste caso?!

luís nunes disse...

este poema é tão meu que até arrepia. gosto quando os poemas me lêem. e gosto muito de te ler Graça.

(criei um blog com alguns amigos com intuito de divulgar poesia, se puderes adiciona o link: http://mal-situados.blogspot.com/).

um abraço

João Norte disse...

Todos nós calámos palavras, faz parte da nossa aprendizagem, para que hoje saibamos ver com outros olhos.
Parabens pelo poema.

Licínia Quitério disse...

De quando desacreditamos dos pássaros. Só a sombra, só...

Um beijinho, Graça.

Luis Eme disse...

tudo é possível, com a beleza das tuas palavras...

abraço Graça

maria carvalhosa disse...

Com o decurso dos anos, embora, como forma de compensação, ganhemos em conhecimento, vamos perdendo a inocência dos tempos da juventude.
O sonho, frequentemente, dá lugar a uma realidade de mágoa feita, sentimentos puros e belos que alimentámos são substituídos por desconfiança e uma imensa amargura por, afinal, a vida não ser como a imaginámos... antes das decepções e do sofrimento.
(Desculpa a leitura, possivelmente demasiado pessimista - fruto dos dias cinzentos que atravesso... talvez amanhã já leia (e pense) de forma diferente. quem sabe?) (risos) e beijos, querida Graça.

TENHODOISOLHINHOS disse...

Não sei porquê, imagino a Graça, não a escrever a sua poesia directamente no computador, mas em folhas A4 com caneta ou lápis... (se eu tivesse este "dom" era assim que escreveria).

Hum... poema forte. Não me fez sonhar... imaginar..., mas não faz mal, adorei ler - tão bom como os outros!

Beijos.

Paula Martins disse...

Poema peqenino mas muito rico no seu conteudo, gostei.

Beijinho

JRL disse...

tens uma capacidade de criação impressionante. e demonstras ser atenta aos pormenores, como à linha da sombra que rodeia as mãos. vou olhar para a minha, a ver se a encontro. ;) um beijo, Graça.

teresa p. disse...

Grande lucidez e maturidade nesse olhar...
Belo poema, embora triste.
Beijo.

Benó disse...

Linha DE sombra ou linha DA sombra?

Só quem escreve poderá esclarecer qual o sentido que quis transmitir ao seu poema.

Com um sentido ou com outro, GOSTEI da sua linha DE pensamento.

LM,paris disse...

Bonjour Graça,
merci pelas suas palavras,
do poema colorido...
" é posivel"_____________
é um poema quase terrivel,
" quase cruel"...as maos cercadas pela linha da sombra, e o olhar de onde nasce essa luz,
como é quebrante.
Fico " quase" com frio, nao é ?
Bjos Graça,
bonne journée.
O quadro é bonito, muito bonito.
LM

maré disse...

é possível...

as sílabas cinzentas
semeiam véus de neblina
e até o pássaros se enrolam no medo de voar.

bjs

maré

Nilson Barcelli disse...

Ao ler este poema senti-o perfeito, definitivo.
É muito difícil ver alguém na blogosfera a escrever melhor que tu.
Abraço.

isabel mendes ferreira disse...

"Hoje nasce-me no olhar
uma luz quase cruel
com que ilumino
a linha de sombra
que me cerca as mãos."

______________cito________

porque é de uma beleza tão "possível" hoje!!!!

.


beijo Graça. Enorme.


obrigada!

heretico disse...

os pássaros continuarão a cantar em teus dedos. sempre...

... apesar das sombras!

beijos

http://cinzasdecarvalho.zip.net disse...

Triste, desesperançoso, desiludido, porém, belíssimo.
Beijo no coração.
Bárbara Carvalho.

Soledade disse...

Há dias, a évène divulgava esta citação de Heiner Müller: "La plus grande chute est celle qu'on fait du haut de l'innocence." Às vezes penso que o "ofício" das palavras mais não é, em última instância, que um reelaborar desta perda.
Um bom fim-de-semana, Graça
Bj
P.S.: Esquecia-me: nesta entrada, o olhar fica também cativo da luz do quadro.

Regina disse...

Mas continuam a ouvir-se os pássaros do poema!

hfm disse...

Um Caravaggio de poesia!

TINTA PERMANENTE disse...

Todos os dias, no entanto, nasce uma nova luz!...


abraços!

Mar Arável disse...

As mãos mais ainda os olhos

existem para agarrar os pássaros

até os que voam

Das sombras quase nada

me consta

☆Fanny☆ disse...

Belíssimo poema que arrepia e nos tira a voz!

"É possível que já não haja pássaros
a esvoaçar em torno das palavras..."

Magníficos os teus versos, poetisa MAIOR!

Um beijinho com muita admiração*

Fanny

O Profeta disse...

Atravesso o céu em sonhos
Três aves do mar, três raios de sol, três punhais
Seguem-me apontados à solidão
Ah este vento que sopra nos brandais



Um feliz domingo para ti



Mágico beijo

Ailime disse...

Belo poema, embora com sombras de nostalgia!
As palavras são lindas na sua poesia e os pássaros voltarão sempre com a chegada da Primavera. Beijinhos de esperança!

CNS disse...

Os teus poemas são óleo sobre tela. São luz contida em traço. São belos. Muito.


um beijo

JPD disse...

Belíssimo poema, Graça.

maria m. disse...

belíssimo! belo o modo como exprimes o desencanto...

isabel mendes ferreira disse...

"Hoje nasce-me no olhar
uma luz quase cruel
com que ilumino
a linha de sombra
que me cerca as mãos."



_________rendo-me.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

É possivel que amanhã esses pássaros voltem a iluminar as tuas mãos.
beijo grande