7.6.09

Não abdico da luz

A janela: fotografia de Gisela Ramos Rosa



Por detrás do olhar, só a escultura das palavras,
no hálito profano das manhãs, me perturba.
Não abdico da luz, mesmo quando, de olhos
no chão, invoco a humidade das sombras.
Um relógio de sol, na ponta dos dedos,
calcula o tempo de cada gesto,
com que abri mão dos sonhos da infância.

Graça Pires
De Quando as estevas entraram no poema, 2005

52 comentários:

Gisela Rosa disse...

Graça,


fui surpreendida, deixo-lhe os versos (seus) com os quais inaugurei esta imagem no Olhares.com:


"...Hoje nasce-me no olhar
uma luz quase cruel
com que ilumino
a linha de sombra
que me cerca as mãos."

Graça Pires, Uma extensa mancha de sonhos, 2008


E um beijo de amizade!

Tétis disse...

Graça

Vim fazer-te uma visita para poder ler e "saborear" mais um maravilhoso poema teu.

Aproveito para te dizer que vás ao Farol e recolhas o "Prémio Lemniscata" que se destina a premiar blogs "com talento" e que enriquecem a blogosfera.

Beijinhos

VFS disse...

é na infância que os sonhos são a luz do desejo.

e Luz reside neste Verbo!
que nos beija,
em ternura.


beijos.

Adriana disse...

as luzes do teu poema dizem tudo...um relógio de sol, o não abdicares da luz...como sempre,Graça, brilha!

Pena disse...

Linda e Simpática Amiga:
Sonhos de infância são sempre fascinantes e extraordinários.
São uma "explosão" de pureza e beleza da sua sensível e admirável genialidade poética...
Maravilhoso, assim como, a visita doce que me efectuou.
Beijinhos de amizade, respeito e estima imensas.
Com admiração pelo seu talento...

pena

Ficaria feliz se me deixasse o seu voto. Se tal for impossível, um agradecimento da mesma forma, sim, amiga poetisa fabulosa...?
Bem-Haja!


Linda!

Luis Eme disse...

nunca abdiques da luz e dos sonhos...

(e claro, dos poemas)

abraço Graça

maré disse...

Um relógio de sol
para pautar o tempo
em cada gesto
com que evocas a escultura das palavras
... tão tuas, inequívocas margens de luz.
_____
ainda te mando um beijo
imensíssimo querida Graça

viernes disse...

Um relógio de sol, na ponta dos dedos,
calcula o tempo de cada gesto,

que palavras mais precisas e belas!

parabéns!

um beijo

Bandida disse...

a luz em fio de prumo nas palavras.


beijo



p.s. podes enviar-me o teu email e o do victor oliveira mateus, por favor?

Kagomi Yaruka disse...

oI!
To passando pra te convidar a ler o blog Codinome Folk.
conta a história de um garoto 'comum' que vai descobrindo sua verdadeira identidade: um espião.
confira todos domingos em Codinome Folk
http://www.codinomefolk.blogspot.com/

por mim e meu colega Guilherme Carvalho. vale a pena conferir ;)

mundo azul disse...

___________________________________


...da infância os elos que nos unem ou desunem...

Lindo e triste poema...


Beijos de luz e o meu especial carinho!!!


______________________________

Fernando Campanella disse...

Boa noite, Graça, andei passeando pela surrealidade, pelos símbolos densos de tua poesia. Lindos estes versos: Não abdico da luz, mesmo quando, de olhos
no chão, invoco a humidade das sombras.
Muito lindo. Grande abraço, minha amiga.

Teresa Durães disse...

a luz é e será sempre o caminho

Roseli Oliveira disse...

Onde há luz há vida e versos lindos como este e tantos outros.
Sempre bom!

Grande abraço, Graça!

Lou disse...

Imagens capturadas com maestria na composição de um belo poema - gostei muito, Graça!

Bjs

Maria Clarinda disse...

Belas palavras...Graça.
Jinhos mil e a foto da Gisela a condizer na perfeição.

isabel mendes ferreira disse...

impossível renunciar a esta LUZ.

tão reconhecível.



tão "Graça".



abraço.A.

segredo disse...

Graça,
A luz é fundamental e quantas vezes na escuridão vem e nos ilumina?!
Beijinho de lua*.*

Licínia Quitério disse...

Como podes abdicar da luz? Ela inunda os teus poemas, mesmo se falas de sombras.


Um beijo grande, Graça.

Mar Arável disse...

Gosto da tua luz

mesmo na noite cerrada

e olhos fechados

Marta disse...

E na luz todos escrevemos, pintamos, fantasiamos....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Pena disse...

Linda e imprescindível Amiga:
VOCÊ é um tesouro valiosíssimo. Pelo seu pensar. Pelo seu encanto. Pela ternura e pureza dos seus gestos e atitudes.
Adorei! VOCÊ fascina pelas mensagens adoráveis que nos dá de poesia fabulosa e doce. Um poema sensível. Mágico.
Adorei! Bem-Haja, amiguinha!
Beijinhos de respeito. Muitos.
É enternecedor no que faz, acredite?
Maravilhado pela sua significação gigante

pena

maria m. disse...

crescer sem nunca abdicar da luz... isto é lindo, Graça! beijo grande.

Mofina Mendes disse...

Obrigada por este poema!

tecas disse...

Graça, com esta é a quarta vez que tento deixar comentário. Espero conseguir...bebi cada palavra emocionada. Da simplicidade à arte
de bem expressar...
Bjis amigos e um bom fim de semana prolongado:)

Huma Senhora disse...

Sempre disse que um dia faria um relógio de sol, talvez nessa latura consiga chegar a horas.

Laura disse...

Eu consegui ver luz nas palavras...

heretico disse...

dedos macerados de sonhos. que iluminam a vida. ainda que por vezes lágrima. ou sombra...

belo,belo...

beijos

Tchi disse...

Eu também não abdico.
Luz.
Precisa-se tanto.
Essa luz que não ofusca mesmo com o olhar cravado em terra.

Abraço grande.

Vanessa disse...

A Luz sempre.. escuridão jamais...


bjsss

Jaime A. disse...

Excelente!

teresa p. disse...

"Um relógio de sol, na ponta dos dedos..." Imagem lindissíma!!!
O poema é fabuloso, tal como a fotografia, que captou um momento único de luz e sombras. Uma conjugação perfeita...

mateo disse...

Com o abrir mãos se moldam os corpos.
Beijo.

bonecadetrapos disse...

Tem dias em que sonho com as pontas dos dedos avermelhados e outros em que a luz me advém dos poemas que, aqui e ali, me iluminam... foi o caso.

Saudações com estima
*___bonecadetrapos___*

A.S. disse...

Graça...

Trespassa a hegemonia das sombras com um cristal puro de um amanhecer virgem...


Beijos meus...
AL

partilha de silêncios disse...

Lindo, o seu poema. Obrigada.
Esta inha ausência deixou-me saudades desta luz.

beijinhos

Parapeito disse...

...e que continue haver sempre um relógio de sol...no teu coração...
Lindo Graça`****

entremares disse...

O que é a luz ?
Talvez que seja algo de diferente, para cada um de nós. Por isso é que a poesia é tão pessoal, tão única.

Gostei muito do que li.
Parabéns.

© Piedade Araújo Sol disse...

a luz!

tal como os pintores também os poetas precisam de luz.

um poema cheio de luz.

um beij

José Renato disse...

Grandes pinturas não abdicam da luz nem das sombras. Não abdiquemos de coisa alguma. Linda composição
Abraços

Nilson Barcelli disse...

E eu não abdico de te ler.
Sempre que posso...

Mas também abdiquei de alguns sonhos da infância.

Querida amiga, um beijo.

Maria Clara Pimenta disse...

Belíssimo, Graça. Como tudo que brota de sua imaginação e sentimento.

Um beijo,
M.C.

Sophie Gaarder disse...

“Não abdico da luz, mesmo quando, de olhos
no chão, invoco a humidade das sombras.”

Que belos e iluminados versos!
Gosto da candura dos teus versos como se o vento dialogasse contigo, de um modo tão tenro quanto sentido...

Um beijo

O Profeta disse...

Um areal morno acolheu
Teus passos ávidos da chegada
Caminhas na procura das marcas
De uma espera desencontrada

Calmaria!
A bonança reivindicou o Sol no celeste
Uniram-se os pedaços de rasgada vela
Tua alma retomou o sonho adiante


Bom fim de semana



Mágico beijo

Vieira Calado disse...

Que dizer?

Muito bom!

Bjs

PiresF disse...

Este ‘Não abdico da luz’, é tão bom, mas tão bom, que nem sei o que dizer.
No entanto, ainda assim, direi que; falas do que muitos sentem mas não o sabem dizer assim de forma tão esplendida.

Clap, clap, clap.

Beijo, prima.

PiresF disse...

PS: Sim, sei que é de 2005, mas os bons não têem tempo porque são de todos os tempos.

vaandando disse...

Intenso , decisivo para a Poeta , »não abdico da luz» !
beijo
__________ JRMARTO

De Amor e de Terra disse...

Como gostei deste poema, Graça!
Como gostei!
Também eu, apesar de todos os contras que têm surgido, grito firmemente "Não abdico da LUZ!!!"

Bravo!

Bj

Maria Mamede

Ailime disse...

Um poema magnífico!
A Luz revitaliza e como é bom relembrar os sonhos puros da infância, apesar da distância no tempo...!
Um beijinho.

Parapeito disse...

...E que haja sempre Luz na ponta dos dedos...dentro do coração...
Gostei:)
Um domingo cheio de luz e brisas mansas*****

Stella Tavares disse...

Um lindo poema! Parabéns por tamanha sensibilidade e beleza! Abraços.