27.8.09

Agosto

D'Ângelo

Recorta-se um agosto lento
na mutação da página em branco
onde conjugo o verbo amar.
A inquietude enrosca-se no texto
e contamina as frases sem nexo.
Redijo os contornos de um abraço.
Soletro um nome.
Um vento morno rasga, na minha boca,
um alfabeto alegórico com que revelo o futuro.


Graça Pires
De Conjugar afectos, 1997

45 comentários:

Marta disse...

E ama-se calmamente...
Lindo...
Obrigada pela visita..
Beijos e abraços
Marta

© Piedade Araújo Sol disse...

suave, a lembrar o fim de agosto, e um nome que soletramos devagar.

uma foto cheia de beleza.

beij

Pena disse...

Admirável Poetiza Amiga:
"...Redijo os contornos de um abraço.
Soletro um nome.
Um vento morno rasga, na minha boca,
um alfabeto alegórico com que revelo o futuro..."

Simplesmente, Maravilhoso. De encantar.
Beijinhos. SEMPRE!

pena

Baudolino disse...

Uma foto e algumas palavras. Assim se pode captar um fragmento de infinito.
abraço

Vieira Calado disse...

Nuvens negras a anunciar o futuro?

Dizem que sim.

Vamos a ver se não!

Bjs

Pormenor disse...

Gosto especialmente do suave toque da redação de um abraço.
São quatro palavras que por vezes substituem um poema de quatro estrofes.

Cumprimentos

heretico disse...

a cálida "inquietude" do amor...

belíssimo.

beijo

Paula Raposo disse...

Muito lento este agosto...gostei imenso do teu poema. Beijos.

Parapeito disse...

Muito bonito este Agosto...tem um gosto de fim de verão...onde dançam as brisas mansas
Dias cheios de brisas frescas****

JMV disse...

Um Agosto lento...mas determinado em chegar ao fim.Que os seus efeitos perdurem na poesia...para eu os reconhecer ao lê-la.
um beijinho

A.S. disse...

Graça...

Solenes vamos ao oongo dos versos
num caminho de Agosto!
Viajamos muitas vezes no centro daquilo que somos, num único verso, muitas vezes!


Abraços

Lou Vilela disse...

Belíssimo, Graça! Sua poesia me prende e encanta!

Beijos

Desnuda disse...

Lindo,Graça! Tudo faz sentido neste abraço. Belíssima ilustração.


Grande beijo.

Maria Clarinda disse...

E$ assim também Agosto está a terminar...
Lindo!
Carinhos

Huma Senhora disse...

Ficou a pairar sobre mim, o vento morno.
Delicioso Graça
Um beijo

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Agosto revela-se ao gosto de cada um. E o poema faz agosto ter um gosto de poesia.
beijo no coração

teresa p. disse...

"Redijo os contornos de um abraço..."
Suave e belo como o fim do verão!
A foto é uma beleza.
Beijo.

maré disse...

e no rosto deste agosto escrevo a pálpebra de um pássaro.
uma brisa fresca à boca da água enrosca-me a nudez de um nome como se fora o amplexo de um abraço.

______
eu deixo o carinho desmedido num beijo. e outro ainda deixado pela Isabel
calma é a varanda da noite.

Taninha disse...

Oi, Graça!

O verbo amar, em agosto, mês que aqui no Brasil chamamos de "desgosto" ou " a-gosto de Deus", se conjuga com mais paixão e poesia em teu lindo poema cheio de uma inquietante e perturbadora voz.

Beijos!

Taninha

Isabel disse...

vim "a.gostar.me" aqui. mesmo dentro do silêncio que é só ausência formal.


beijo.





(imf)

Licínia Quitério disse...

O calor e os seus espectros. Sempre na exacta medida, os teus Poemas.

Beijo, Graça.

avlisjota disse...

As brisas mornas e crepusculares
do Verão, revelam-se num Agosto lento...
e o amor tem nome...

muito lindo!... o muito que se diz no pouco que se escreve!

beijos e obrigado pla visitas.

José

São disse...

Rediges o contorno de um abraço e também mais um poema muito bom, Graça.

Fica bem.

Fernando Campanella disse...

A inquietude enrosca-se no texto, e das frases sem nexo constrói a poesia.
Estou aqui de volta, minha querida amiga,soletrando teu belo enigma. Bjos.

Fernando Campanella disse...

Ah, e muito importante, linda a foto do D'Angelo. Bjos.

segredo disse...

E k esse futuro seja o k desejares!
Beijinho de lua*.*

Gisela Rosa disse...

Aqui,

"Soletro um nome"

Lindo poema!


Um beijo Graça

Jaime A. disse...

Por que será que eu gosto sempre tanto das suas imagens?

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Essa sua poesia faz jus a poetisa cheia de intensidade que você é.

Noite de luz, menina linda.

Rebeca

-

jugioli disse...

para refletir sempre.
bjs.

Teresa Durães disse...

verão e o amor sempre à porta. espero que não se dissolva na areia

maria m. disse...

e na lentidão de agosto, o lugar ao amor, ao poema;
a «inquietação» que preside à palavra no rosto deste belo poema.

beijo grande, Graça!

anareis disse...

Querido(a) novo(a) amigo(a),estou precisando muito da ajuda de todos os amigos. estou montando uma minibiblioteca comunitária pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,se voce puder me ajudar estou fazendo uma campanha de doações. pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3, ou pode doar livros ,ou pode doar máquina de costura, ou pode doar retalhos, ou pode doar computador usado. se quizer fazer aguma doação entre em contato com meu email: asilvareis10@gmail.com ,eu darei o endereço de remessa. se voce não puder me ajudar com doações pode divulgar minha campanha, tenho 2 blogs no google gostaria da sua visita: Eulucinha.blogspot.com ,obrigado pela sua atenção.

viernes disse...

belo final, os alfabetos sempre são oráculos de alegorias...

beijos

Mar Arável disse...

É sempre bom

revisitar-te

triliti star disse...

por acaso há acasos
e, por acaso, vim de férias
e este foi, ao acaso, o primeiro lugar onde vim.
maravilhoso acaso que me deixou maravilhado.
amanhã vou correr lisboa à procura.
deste e dos outros...

triliti star disse...

ps - nem todas as manhãs "acordo com o desejo de ser feliz" mas sou.

obrigado

Chris disse...

Alfabeto alegórico que as palavras revelam.
bj
Chris

Pena disse...

Doce Poetiza Amiga:
O seu poema, fascina, delícia e encanta porque é soberbo de deslumbre.
Perfeito. Adorei passar aqui pela "transcendência" bela sentida do seu gigantesco sentir poético lindo.
Excelente. Fabuloso instante de dimensão em versos admiráveis.
Bem-Haja e tudo de bom.
Sempre a admirá-la
Abraço amigo...

pena

Fantástica...

dona tela disse...

Eu não sei usar as palavras como a Dona Graça, mas lá que o Agosto tem sido ventoso, lá isso...

José da Silva Martins disse...

Caríssima Poeta, roubei-lhe dois poemas.
Espero que me perdoe.

Com consideração

José da Silva Martins

Laura disse...

Soube-me bem aqui voltar. Pareçe que ainda sinto o perfume das férias.

AnaMar (pseudónimo) disse...

(A)Gosto deste poema de afectos mornos em palavras inflamadas pelo sentir quieto.
E o silêncio do nome soletrado.

Hercília Fernandes disse...

"Um vento morno rasga, na minha boca,
um alfabeto alegórico com que revelo o futuro".

Belíssimo poema, Graça. Você conjuga o verbo amar lindamente em Agosto. Seu livro "Conjugar afectos" é muito especial. Parabéns!

Com tempo, há uma escrita no "Maria Clara: simplesmente poesia" que não lhe é estranha...

Um beijo,
H.F.

gabriela rocha martins disse...

sensual
mente

corpo//verão


.
um beijo