22.4.10

A Poesia andou na rua




Os barcos têm sede: falta mar.
Os lenços não respiram: falta vento.
Que outro (a)mar das marés do teu olhar
me tragam ao país a que pertenço.

Os vidros têm fome: faltam cravos
assomados às janelas do futuro.
Da teia dos meus dedos farei barcos.

Serão velas as palavras que procuro.

Hugo Santos
In: Armas de (a)mar. Lisboa: Ulmeiro, 1988

30 comentários:

Paula Raposo disse...

Obrigada pela partilha deste poema! Gostei imenso.
Beijos.

Mar Arável disse...

Muito belo e profundo

é preciso beber desta água

Bj

Pena disse...

Estimada e Maravilhosa Poetiza de sonho:
Um poema delicioso e fabuloso que retracta bem o que nos foi usurpado do conseguido com pureza e beleza tempos passados, importantes ao nosso bem-estar e tranquilidade em todos os domínios, no nosso lindo país.
Feito com uma sensibilidade de ouro.
Um versejar perfeito. Extraordinário e sublime.
De enternecer e maravilhar.
O mar. Os barcos. De imensa significação mágica e poética suas, num País que vive deles.
É enorme, poetiza, sabia?
Possui um gigantesco sentir, ser e estar.
Beijinhos amigos.
É uma honra, a sua amizade de encanto.
Sempre a respeitá-la e a lê-la atentamente, pela preciosidade humana que é.

pena

MUITO OBRIGADO pela linda visita.
Bem-Haja, maravilhosa poetiza amiga.
Adorei.

manuela baptista disse...

às vezes ainda falta mar

e a urgência de respirar é tanta
que somos nós que levantamos o vento
em cravos entrançados na memória

para que ninguém se esqueça
que um dia foi urgente o mar

...

foi bonita a festa pá!

um beijo

Manuela

Amor feito Poesia disse...

Há pensamentos que são orações. Há momentos nos quais, seja qual for a posição do corpo, a alma está de joelhos.

Victor Hugo

Bom final de tarde.....Beijos meus

Adriana Karnal disse...

Graça,
Gosto quando nos trazes outras leituras....teu gosto é confiável.

Marta disse...

Boa escolha...
Gostei imenso...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

São disse...

ABRIL ; SEMPRE!!

Um apertado abraço para ti, companheira!

Úrsula Avner disse...

Lindo poema que você escolheu para postagem Graça... Gostei muito das metáforas. Bj com carinho.

Hercília Fernandes disse...

Lindo poema, Graça.
A leitura fez-me mais viva. Muito agradeço-lhe pela boa oportunidade de emoção estética.

Um forte abraço,
H.F.

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema alusivo a abril, gostei da escolha.

um beij

teresa p. disse...

Bela homenagem ao 25 de Abril neste fabuloso poema do Hugo Santos e, também, nas fotografias que o enquadram, que nos falam da LIBERDADE conquistada nesse dia mágico...
Beijo.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Graça,

Quando a poesia abraça...

... desagua bravamente dentro de nós.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

avlisjota disse...

"Que outro (a)mar das marés do teu olhar me tragam ao país a que pertenço."

Belo...

José

segredo disse...

Cravos...simbolo da revoluçao vivida k me parece ter sido mais do k necessaria!
Bom fim semana:)
Beijinho de lua*.*

Amor feito Poesia disse...

Eu poderia dizer que a vida é assim...
Incerta, efêmera, porém linda.
Mas direi apenas que ela é preciosa.
Uma estrela numa tela de cores infinitas.

(Sirlei L. Passolongo)


Beijos perfumados e BOM FDS!!

Luis Eme disse...

serão velas-cravos, pombas brancas a voar...

abraço Graça

alice disse...

:) bom dia, querida graça. mando-lhe um grande beijinho, de silves.

dona tela disse...

ESTOU DE VOLTA. MUITO OBRIGADA POR TUDO.

viernes disse...

25 de abril, sempre, Graça! Uma lembraça que tem de estar sempre viva!

Beijos!

Licínia Quitério disse...

Que viva Abril e se renove! Que os poetas o digam com palavras novas!

Abraços aos dois.

utopia das palavras disse...

É necessário aproveitar as vidraças para que medrem as sementes!!!

Excelente escolha para este dia!

Um abraço

tb disse...

cada mais se precisa desta água e deste (a)mar.
Gostei da partilha.
beijinho

CamilaSB disse...

...« são velas » e
são palavras belas,
as que li, nesta nesta janela.

Ser livre é exprimir o que sinto
ser livre é fazer o que quero
ser livre é ir onde o instinto
me guia sem grades de ferro.
ser livre é poder criticar
ser livre é saber respeitar.
liberdade sempre hoje e amanhã!

dade amorim disse...

O tema tratado à altura traz à tona a beleza dessa luta e dessa vitória.

Beijos.

Amor feito Poesia disse...

[...]Passam os séculos, os homens, as repúblicas, as paixões; a história faz-se dia por dia, folha a folha; as obras humanas alteram-se, corrompem-se, modificam-se, transformam-se. Toda a superfície civilizada da terra é um vasto renascer de coisas e idéias.”

Machado de Assis


Feliz semana e Bom Dia!!!!

partilha de silêncios disse...

Falta mar, falta vento, faltam cravos assomados à janela do futuro!

Lindo poema, obrigada pela partilha.

Boa semana

bjs

Amor feito Poesia disse...

... E as horas lá se vão...loucas ou tristes, mas é tão bom, em meio às horas todas , pensar em ti saber que tu existe.

(Mário Quintana)


Bom dia...com amor e poesia!!

Ailime disse...

...e o aroma dos cravos vermelhos teima em celebrar Abril.
Um poema lindíssimo e apelativo.
Grata pela partilha.
Ailime

maré disse...

a ele pertencemos
a ele entregamos o olhar e as mãos
a ele a busca de um mar
o rubor de cravos que nunca esquece

ainda a água

sempre!

____

um imenso beijo querida Graça