2.3.11

Círculo de mulheres



Veio primeiro o tempo
em que, pela boca das mães,
se conhecia o aroma do leite
e os filhos, de lábios atravessados
pelo mel, moldavam com sangue
o próprio rosto.
Agora, como num feitiço,
as mulheres rodam em círculo
de mãos dadas.
Dentro da roda permanecem os filhos
que elas protegem com o olhar
para que não venha cegá-los a lua cheia.

Graça Pires
De O silêncio: lugar habitado, 2009

41 comentários:

Lou Vilela disse...

Alternam-se em luas desde o sempre. ;)

Beijos

hfm disse...

Da sabedoria.

R.B.Côvo disse...

Gostei do poema, como sempre. Abraço.

São disse...

Muito íntimo, muito bonito...com foto a condizer.

Abraços.

Braulio Pereira disse...

na roda da vida

mulher sempre eterna....

obrigado por retificares

mas nao era preciso.. nos sucede a todos

beijos querida amiga!!

A.S. disse...

Graça, neste teu belo poema, senti que descemos assim à universal conjugação do infinito. Um dominio, propenso à dialética das metáforas!


Beijos,
AL

Pena disse...

Consagrada e Linda Poetiza Amiga:
"...Agora, como num feitiço,
as mulheres rodam em círculo
de mãos dadas.
Dentro da roda permanecem os filhos
que elas protegem com o olhar
para que não venha cegá-los a lua cheia..."

Simplesmnte, terno, fabuloso e perfeito.
Divinal.
Deve ser uma pessoa extraordinária.
Sem palavras mais dado o encanto que sinto nesta bela e deliciosa partilha poética.
Abraço amigo de respeito imenso.
Sempre a apreciar e ficar deslumbrado com tanta magia poética de sonho sua.

pena

Bem-Haja, deslumbrante e fabulosa poetiza.
Gostei muito.

Mar Arável disse...

Muito belo

apesar das luas

emmimumsonhoazul disse...

_______________________________


Tudo muda constantemente...Alguns momentos pedem água, outros pedem fogo...

Lindo o seu poema, Graça!

Beijos de luz e o meu carinho...

_____________________________

manuela baptista disse...

...nem venha calá-los a lua vaga



este é um primitivo tempo que eu entendo, como se a minha mão segurasse outra mão

branco de leite encarnado de dor

muito belo!

um beijo

manuela

© Piedade Araújo Sol disse...

em circulo com os filhos protegidos dentro da roda.

muito bonito.

um beij

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Graça querida!

Tuas palavras são mantras sagrados e mágicos, que devem ser pronunciados sempre em um tom poético encantatório.

beijo no teu coração

Marta disse...

Numa profusão de abraços....
De mãos estendidas, palavras ternas....
Olhares intensos.....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Lara Amaral disse...

As mães e sua concentração de amor!

Beijo.

AFRICA EM POESIA disse...

Graça
E eu feliz por te ver no meu cantinho e por saber que gostaste.

eu dou os parabéns pela linda roda.
Roda de mães
Roda de filhos
Roda de protecção enfim...
Roda de Amor.
um beijo

Luis Eme disse...

as mães, sempre elas, as deusas protectoras...

beijinho Graça

Cata- Vento disse...

O mundo encantatório da poesia num belo texto concebido por ti.

Bem-hajas, amiga, que tão bem navegas neste mundo e tanta beleza lhe conferes.

Beijinhos

sinfonia disse...

Minha amiga será que me permitia inserir este seu último post
no meu http://sinfoniaesol.
wordpress.com com os devidos
créditos?
Basta deixar um comentário.
Um beijinho
Irene

Licínia Quitério disse...

Um círculo mágico, um poema lindíssimo, Graça. Muito obrigada. Um beijo.

Vieira Calado disse...

A boa poesia

também pode ser algo enigmática.

Como é o caso.

Bjs

Jaime A. disse...

A Lua Cheia, a cor do leite, a beleza de um texto moldado pelas crianças (sempre elas).

carlos pereira disse...

Cara POETISA Graça;
Poema mágico e profundo; a maternidade e o olhar da mãe protegendo a sua prole, serão sempre o maior poema das nossas vidas.
Gostei imenso.
Um beijo.

Sofá Amarelo disse...

A Lua Cheia traz o feitiço das noites claras esculpidas em círculos moldados com sangue...

tecas disse...

Circulo e ciclos da lua como metáforas da vida num soberbo poema, querida Graça.

Bravo grande poetisa.
Bjito amigo e bom fim de semana.

De Amor e de Terra disse...

O círculo da Vida, dos Afectos, da dádiva...enfim o círculo das Mulheres Plenas.
Parabéns, como sempre.
Bjs.
M.M.

Tétis disse...

Olá Graça

Maravilhosa a tua poesia.

Como sempre fico encantada e deliciada quando aqui venho visitar-te.

Beijinhos

joaoletras disse...

belo poema
essa minha primeira vez aqui. voltarei sempre, fiz um link

um abarço

heretico disse...

ciosas de amor. em circulo.

as mãos das das mães.exorcizando o feitiço da Lua.

(tarefa inglória, dir-se-ia)

belíssimo.

beijos

Ana Oliveira disse...

O eterno feminino que cria e protege.
Corpo dado à lua para que a cegueira seja só a do amor.

Um beijo Graça

pin gente disse...

quando a lua dá a mão à outra face,
se observa redonda e acolhedora,
peço que vele os meus filhos no leito
enquanto os meus olhos se fecham para se aliviarem do cansaço.

um beijo, graça

teresa p. disse...

O círculo mágico dos afectos...
A imagem também é lindíssima!
Beijo.

viernes disse...

belísimo poema... não posso dizer mais, palavras precisas a conviver com a imagem...

um beijo!

Nilson Barcelli disse...

Até há algumas décadas atrás, os filhos eram criados sem cuidados especiais. A maioria deles eram praticamente abandonados à sua sorte e outros eram postos a trabalhar desde muito cedo.
Hoje são demasiado protegidos.
Passou-se do 8 para o 80... e esquecemo-nos de que no meio é que está a virtude...
Mas o teu excelente poema pode ter outras leituras...
Beijo grande, querida amiga Graça.

dade amorim disse...

Seus poemas têm um alcance incomum, tocam fundo na gente. Belíssimo, Graça.
Beijos.

Paula Raposo disse...

Este é um dos poemas mais belos que eu já li!!
Beijos, Graça.

tb disse...

a vida e os círculos, ou círculos de vidas. :) a beleza sempre!
beijinho

Márcia Luz disse...

Perfeito! Provocou tantas sensações!

Maria Luisa Adães disse...

lindo o que escreve. Amei! Sou amiga de R.B.Côvo e escrevo poesia.

Grata pelo encontro!

Maria Luísa

avlisjota disse...

Belo Graça, muito belo...

O tempo em que os filhos se moldavam pelo sangue. E o tempo em que crescem, sem ver, ou saber, o que é luz

Bj

José

maré disse...

agora, quando a noite chega
rodeiam os filhos
como quem se liga à terra
nas raízes mais fundas do amor.

ou de como dizer
a eternidade do amor
...

um beijo enorme

Sandra disse...

Belíssimo...
Por mais que as mães tentem proteger os seus filhos, os perigos estão à espreita e podem acontecer no mais célere desviar de olhar...
Que se abra a roda para os deixar aprender a voar