20.4.11

Da paixão e da morte



Só os lírios roxos me são próximos
no lado mais comovido da manhã
quando a luz margina a solidão
dos meus olhos e dos ardis da memória
irrompe o penitente jogo da paixão e da morte.
Vejo uma cruz. Um homem. Uma túnica rasgada.
Uma coroa de espinhos.
Um rosto com sangue pisado.
O suplício das mãos amarradas ao madeiro.
Vejo-me criança assustada.
Os santos cobertos com pano roxo
na obscuridade da igreja.
O soar das matracas na procissão.
O chicote nas trevas da lembrança.
E eu, criança assustada,
a escolher as palavras certas
para rasgar as sombras com minhas mãos aflitas
e quebrar o cristal onde me serviam o medo.
Expia os teus pecados me diziam,
a mim criança assustada pelas chamas do inferno
que perpetuavam todas as culpas.
Agora tenho a voz estranha aos salmos fúnebres.
Ouço Bach em acordes de incenso,
em cantata e requiem. Esconjuro os sustos.

Graça Pires
De A incidência da luz, 2011

47 comentários:

Marta disse...

E em Bach encontramos toda uma outra paixão num silêncio tranquilizador....
Nada deve interferir nessa Paz...
Como sempre, uma beleza....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Lídia Borges disse...

Um belo poema.

Confesso que a excessiva austeridade também me assustou durante tempo demais.

Retribuo votos de uma Páscoa muito Feliz.

Um beijo

Mar Arável disse...

Belo e profundo

porque é preciso ouvir os pássaros

Bj

Fátima disse...

Nossa, que lindo!
Conseguiu retratar de maneira incrível a morte e a paixão.
Da procissão
sinto o cheiro de pelo queimado.
Os andores ornamentados
A Maria Madalena...
a Verônica...
Obrigada por me tornar ao tempo.
Feliz Páscoa!
Com carinho
rosa de Fátima

cs disse...

boa Pàscoa
:))

Desnuda disse...

Querida Graça,

Imagem e poema lindíssimos! A imagem do poema, na proporção das minhas lembranças de criança. Ainda tenho resquícios deste medo, um desconforto que perdura em relação à cor roxa...

Uma feliz e santa Páscoa para você e familiares.


Beijos com carinho e admiração, sempre!

Pena disse...

Amiga Poetiza de Fascínio:
"...Vejo uma cruz. Um homem. Uma túnica rasgada.
Uma coroa de espinhos.
Um rosto com sangue pisado.
O suplício das mãos amarradas ao madeiro.
Vejo-me criança assustada.
Os santos cobertos com pano roxo
na obscuridade da igreja.
O soar das matracas na procissão.
O chicote nas trevas da lembrança.
E eu, criança assustada,..."

Quantas vezes me perguntei sobre os mistérios da vida. Do mundo que tão bem poetiza.
Quantas dúvidas, linda amiga, concebe com a sua ternura e encanto.
Delicia, sabe, com o seu talento poético magistral que procura, procura, procura-se a si própria com o seu encanto e ternura.
Bem-Haja, amiga poetiza notável.
É sublime nos seus preciosos sentimentos inquiridores, mas perfeitos.
É uma poetiza de sonho.
Abraço amigo de respeito profundo pela sua magia em escrever versos fabulosos e divinais.
Sempre a admirá-la

pena

Bem-Haja, pelo seu talento mágico.
Fantástica, amiga.
Adorei.
Parabéns.

São disse...

Porque motivo transformaram uma mensagem de amor e justiça num horror de medo e culpa?!

Uma feliz Páscoa em companhia dos teus, Graça.

hfm disse...

Esconjuras sustos nestas palavras abertas e aparentemente tão desprotegidas e, contudo, tão fortes. Belíssimo. Boa Páscoa, Graça.

© Piedade Araújo Sol disse...

muito profundo
actual para a época


uma santa páscoa e um

beij

Naty e Carlos disse...

Não importa o dia ou o mês do ano
que você se encontre,
importa sim, que no seu coração
a Páscoa sempre se faça presente,
e que você possa renovar sempre
o seu amor com aqueles que
necessitam
de uma palavra de conforto nas horas
difíceis,
que você torne-se um farol de luz
a iluminar as trevas
e caminhe com seu irmão ao encontro
de Jesus!
Bjs com carinho

AFRICA EM POESIA disse...

Lindos os seus lírios roxos
Vim desejar boa Pascoa e que a Ressurreição seja completa
Um beijinho

Luis Eme disse...

um bonito poema destas festividades...

beijinho Graça

Lara Amaral disse...

Uma cor, uma música... Há coisas que nos aproximam de uma realidade só nossa.

Beijo.

Márcia Luz disse...

É como se eu estivesse mesmo deixando a minha casa e indo às procissões desta semana. Mas Bach também há de me reter aqui neste sofá.

Obrigada pelo comentário em meu blogue!

Um grande abraço!

Ana Martins disse...

Boa noite Graça,
Um forte e intenso poema propenso à reflexão, parabéns!

Páscoa Feliz!

Beijinho,
Ana Martins

Amor feito Poesia disse...

" Quero te dar chuva de flores pela manhã.
E quando quiseres podes vir colher sorrisos
direto do quintal da minha alma..."

__Caio F. Abreu__

Com Carinho,Feliz Páscoa à voce e seus familiares...M@ria

Isidro Jesus Cedrés González disse...

Amiga, gracias por compartir; y gracias por traernos esa imagen del Señor crucificado en tus letras.
Aquí, en mi pueblo hay 12 pasos. y todos salen en procesión estos día.
Tengo un trozo de jardín de "lirios cárdenos" son preciosos.
Amiga, un abrazo y felices Pascuas.
Jecego.

AC disse...

O sentido de culpa foi-nos incutido duma forma avassaladora, e o próprio poema acaba por funcionar como mais um esconjuro. Mas estas coisas ficam gravadas em nós, apenas conseguimos atenuá-las...
Muito grato, Graça!

Beijo :)

tecas disse...

Profundamente belo! Retratar com palavras, paixão, dor e morte é saber usar a palavra com mestria de grande poetisa.
Feliz Páscoa querida Graça.
Bjito e uma flor

VÉU DE MAYA disse...

Olá, Graça!

Lindo. Votos de Páscoa feliz.

beijinho,

Véu de Maya

Álvaro Lins disse...

É um prazer "passear" por aqui.

José Manuel Vilhena disse...

Uma Páscoa feliz.
:)

teresa p. disse...

Um belo poema adequada à liturgia da quaresma.
As imagens, profundamente intensas, invocam memórias que marcaram, de maneira infeliz, um tempo de inocência...
Os lírios roxos da fotografia, são lindíssimos!
Bjs.

manuela baptista disse...

e é de Mateus a paixão de Bach


e pergunto-me

que sublimado medo se rasgou,
para soltar este poema belo!

uma Páscoa de lírios-lírios para si, Graça!

um beijo


manuela

A.S. disse...

Revivi emoções, esconjuro os sustos rasgando as sombras...

Sublime o teu poema Graça!


Beijos,
AL

carlos pereira disse...

Cara amiga, Poetisa Graça;
Poema, simplesmente sublime.
Gostei imenso.
Um beijo.

livia soares disse...

Querida Graça,
como sempre aqui venho passear
e me retiro muito bem alimentada com pão e vinho. Os panos roxos cobrindo os santos me fascinam até hoje...
mas começo a compreender o que Jesus queria dizer com "vós sois o sal da Terra." Tudo isto - e muito mais - me trouxe o seu belo poema.
Um abraço.

Teresa Durães disse...

também eu detestava a Páscoa pela violência que contém. Agora junto-me com a família e estamos juntos por um bocado de tempo

Flor disse...

Lindo poema como sempre.

Desejo-te pases uma Santa Pascoa.

Beijinhos
Flor

Ana Oliveira disse...

Lembro este tempo de "medo"... e lembro o tempo de perdê-lo ao entender a natureza da culpa.

Um beijo Graça e uma Páscoa Feliz.

(agradeço muito a oportunidade de ler e reler as "cartas de Marta a Maria" não sabe como gostei, são das mais belas cartas de amor que já li! Obrigada)

Benó disse...

Neste tempo de renovação, envio os meus desejos de PAZ, FRATERNIDADE e AMOR entre nós todos.

Vieira Calado disse...

Olá, como está?

Hoje venho simplesmente desejar-lhe

Boa Páscoa!

Bjjss

Parapeito disse...

lá fora a chuva cai...e eu vou escutar Bach...
Que sejam estes dias de sossego e partilha.
Um abraço e brisas doces***

Menina Marota disse...

Deixo um abraço comovido pela leitura deste excelente poema e desejo uma Páscoa na serenidade do ambiente Familiar.
Um grande Abraço com o carinho da minha alma.

Mofina disse...

Que me dera poder esconjurar a morte neste sábado de aleluia...

Santa Páscoa!

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje passando para desejar uma Páscoa Feliz, cheia de amor e paz, junto de quem amas.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

alice disse...

um grande beijinho com votos de feliz páscoa, amiga graça*

(a.macedocampos@gmail.com)

as-nunes disse...

Uma boa Páscoa, Graça, obrigado pela dádiva deste e de todos os outros poemas que aqui nos vai deixando, perpetuando nos seus livros.

Todos os anos fotografo imensos lírios roxos e amarelos, no meu jardim, ultimamente mais mesclado com espécies de horto.

Bj e muita poesia
António

avlisjota disse...

"Os santos cobertos com pano roxo
na obscuridade da igreja."

Excelente poema Graça, votos de boa Páscoa!

José

Bárbara Queiroz disse...

Versos profundos e belos. Que haja sempre inspiração em ti.

d'Angelo disse...

Reminiscências que se tornam catarse através do lirismo: os contrapontos da sua poesia são a nossa redenção.

lupuscanissignatus disse...

"manhã

submersa"


[de gelo
luz
e fogo]



*beijo*

Aníbal Raposo disse...

Olá Graça,
Belíssimo poema. Espero que a Páscoa tenha sido boa.

Laura Ferreira disse...

É sempre um prazwer vir aqui lê-la. Um grande beijo.

Virgínia do Carmo disse...

Dão-nos a beber demasiada escuridão e depois não sabemos o que fazer com ela...

Belíssimo poema. Obrigada.

Beijinho

Fernando Campanella disse...

Também ouço Bach, também esconjuro os sustos. Da alegria e da gravidade tento encontrar uma síntese. Bjos, Graça.