11.5.15

Nome


Cristin Atria

Interpelamos as palavras à procura 
de um nome para a casa onde moramos. 
Um nome que se ajuste inteiro 
à memória do olhar e do silêncio. 
Um nome tão secreto como as cantigas 
que as mães cantam baixinho 
enquanto embalam nos braços os filhos e a noite 
para não perderem o poder de repartir a sede.

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013

51 comentários:

Teresa Durães disse...

Um nome que designe o seu papel na ordem de todas as coisas!

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

"Interpelamos as palavras à procura
de um nome para a casa onde moramos.
Um nome que se ajuste inteiro
à memória do olhar e do silêncio."

...E está tudo dito!

Cidália Ferreira disse...

Adorei!
Obrigada

Beijo e uma excelente semana

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, Graça, um poema repleto de belas metáforas bem escolhidas para dar cor à sua escrita. Belíssimo, minha querida. tenha uma linda semana! Beijos!

Ani Braga disse...

Bom dia Graça


Acho que se a felicidade também mora lá, o nome fica em segundo plano...


Beijos
Ani

✿ chica disse...

Maravilhoso,graça, como sempre aqui! bjs e linda semana,chica

Verinha Portella disse...

Maravilhoso, Parabéns pela bela postagem.
Tenhas um dia muito feliz!!!
beijos
veraportella

Andrea Liette disse...

Quem sabe se um dia
haveremos de beber deste
mistério.

Um beijo, Graça.

Teca M. Jorge disse...

Tão meigo o conjunto letras-fotografia... beijo.

Majo disse...

~ ~ ~
~~~~ Não será fácil
~~~~~~ encontrar
~~~~ o exacto termo,
~~~~~~~ para
~~ o singular tesouro.
~~~~ Abrangente,
~~~~~~ íntimo,
~~~~~~ e fiel...

~ ~ Abraço amigo.~ ~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Marta Vinhais disse...

Um nome que seja isso mesmo: a casa...
Os nossos segredos e paixões....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Reflexos e Sinais da Alma disse...

Olá Graça :)

"Um nome que se ajuste inteiro
à memória do olhar e do silêncio. "

Simplesmente fantastico !

Beijinho
Luis Sousa

Silenciosamente ouvindo... disse...

Poucas palavras mas de uma
grande intensidade.
Desejando que se encontre bem.
Bj.
Irene Alves

Ives disse...

Sede repartida numa gloriosa poesia! abração

O Puma disse...

... e já é tanto

Bj

Luis Eme disse...

procuramos, sempre...

abraço Graça

ॐ Shirley ॐ disse...

Qualquer que fosse o nome, não mudaria a essência das palavras.
Beijos, Graça!

Isa Sá disse...

Andamos sempre numa incessante procura.



Isabel Sá
https://brilhos-da-moda.blogspot.p

Uouo Uo disse...


thank you

سعودي اوتو

Benó disse...

Só pode ser SAUDADE. nome mágico e secretamente saboreado pelos filhos que partem.

Cadinho RoCo disse...

Muitos são os nomes que surgem quando não estamos à procura deles; mas quando a procurá-los, eles como que por encanto, desaparecem.
Cadinho RoCo

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
UM NOME, SUSSURRADO PELA MÃE, QUE EMBALA SEU REBENTO.
MUITAS METÁFORAS NOS DANDO O DIREITO A INTERPRETAÇÃO, O QUE DEIXA MAIS BONITA AINDA, TUA FORMA DE EXPRESSAR TEUS VERSOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

ManuelFL disse...

Neste belo e surpreendente poema, Graça Pires oferece-nos sucessivas declinações do vocábulo Nome, a que a memória da casa primordial confere diferentes tonalidades ou acordes: olhar, silêncio, mães que cantam baixinho, noite, sede.
Ler este poema é como ouvir a música que sempre nos acompanha e se confunde com o tesouro da infância.
A ilustração é magnífica.

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, amiga Graça Pires !
Que sutileza poética !
As letras deslizam macias,como o dançar da bailarina no tapete de pétalas de rosas. Parabéns !
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

teresa p. disse...

"um nome que se ajuste inteiro
à memória do olhar e do silêncio"
Lindíssimo!!!
Todo o poema é um cântico à vida e aos afetos mais puros.
A ilustração ajusta-se na perfeição.
Beijo.

São disse...

A minha mãe nunca me cantou baixinho....

Graça, abraço grande

São disse...

Não sei se entrou ou não, mas quero dizer-te que o poema é lindo!

Bons sonhos, Graça :)

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Graça. Costumamos nomesr a tudo, mas nem sempre essa necessidade existe, um exemplo disso são apenas sentidos, não precisando de nomenclatura.
Muito bom.
Beijos na alma.
Paz.

Ricardo- águialivre disse...

Vou usar uma palavra que sem ser reprodutiva, é de pura sensibilidade minha perante este poema tão bonito
...... BRILHANTE.....
.
Deixo cumprimentos
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

heretico disse...

secretos os nomes que queimam os lábios...

beijo, minha amiga

silvioafonso disse...

Para não morrer de sede
eu bebo na tua fonte,
porém tu não vais acreditar,
mas nem toda a água do mundo
me sacia como a tua me é
capaz.

Eu tinha saudades. Um beijo.




.

Mar Arável disse...

Quando as tuas palavras se ateiam

há luz
Bj minha amiga

MARIPA disse...


Faltam-me as palavras para falar da beleza deste poema.
Emocionei-me,senti os olhos molhados...

Bem haja,Graça,por este momento.

Beijo carinhoso e amigo.

Cristina Cebola disse...

E é tão fácil saber-se esse nome!
Muito belo Graça, sublime e enigmático poema.
Belíssimas metáforas carregadas de simbolismo....

Beijinho meu

© Piedade Araújo Sol disse...

um nome apenas....

e é tanto!

:)

author casulo-online disse...

Quando faltam nomes, sobram emoções, acho é assim.

Um beijo!

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Graça,
Quando o sentimento procura um nome.

bom fim de semana ;)
bjn amg

Evanir disse...

Com muito carinho e infinita saudades
hoje mesmo com uma colinha estou passando
no seu blog . .
Espero que fique feliz como estou
por Deus ter me concedido essa força.
Um abençoado final de semana,
muitas bençãos para sua vida..
Beijos meu carinho.
Evanir..

Ailime disse...

Muito belo, Graça!
Uma casa a que só poderemos chamar de Amor!
Um beijinho e bom fim de semana.
Ailime

DE-PROPOSITO disse...

Um nome é magia. Há nomes que guardamos no nosso íntimo. Outros tentamos não os lembrar.

Felicidades
MANUEL

Jeanne Geyer disse...

amei tua postagem!!! bjs

http://metamorfosearsemmedo.blogspot.com.br/

MARILENE disse...

Só leio sentimento nos seus belos versos. E nem sempre encontramos palavras para defini-los, limitando-nos a observar e sentir.
(você não deixou abertos os comentários em sua recente postagem). Bjs.

Lourdinha Vilela disse...

Um poema. "0 poema", sempre caberá um nome um adjetivo. E o que encontro para seus escritos é sempre que são Fantásticos, sensíveis e essencialmente belos.
Grande Abraço.


Menina Marota disse...

Quando as palavras murmuram tão baixinho que nem nós ouvimos, o nome está lá entre elas a afagar o nosso canto de alma.

Saudade pode ser um nome?

Um abraço

manuela barroso disse...

Um nome que só a poesia pode emoldura- lo noutros nomes . E a beleza está inteira esculpida no nome deste nome .
Só os grandes poetas dão nome aos nomes.
Fantástica !
Beijinho , Graça!

manuela baptista disse...

a casa, é a palavra redonda que habitamos e as mães ao fundo a cantar

um abraço, Graça

Agostinho disse...

Um nome redondo como o gesto humano da mão
que nos harmonize a forma das coisas nos olhos
que nos reconcilie com o som da matriz-mãe.

Graça, a sua poesia é a essência seminal da criação. Um bj..

EU disse...

Um nome identifica, cria uma identidade, distingue. Necessário para criar laços. Mas, para o sujeito poético, o sentimento que o possui é tão indescritível que nenhuma palavra o traduz. Contudo o próprio poema contém um nome: beleza!
Bjo, Graça :)

lupuscanissignatus disse...

tão bom beber deste cântaro

lupuscanissignatus disse...

É pura a água que se bebe deste cântaro.


CÉU disse...

Agradeço a sua silenciosa passagem pelo meu blogue, Graça! Já cá estou!

Fixei-me na imagem, k encima o seu poema, por algum tempo, pke traduz muita beleza, para além de ser um documento histórico.

Qto ao seu poema, pois, fico sempre sem saber comentar aquilo que escreve e este é altamente erudito e significativo, daí a minha apreensão e "aflição", mas juro k tenho a 4ª classe.

A casa onde moramos não será o nosso coração? Pronto, já tem nome: CORAÇÃO. E é nele que se juntam afetos, se leem lembranças, se sentem cheiros e sabores e onde ainda se conseguem ouvir vozes, sons harmónicos, suaves e melódicos, k nos embalam para sempre naquela madorna, da qual não queremos acordar.

Deram-me mto colo, mtos mimos e o braço da minha mãe foi durante anos o meu travesseiro.

Corta-se o cordão umbilical, mas ficam todos os outros, para sempre.

Beijos e bom fim de semana.