3.7.15

Todas as memórias

Dorothea Lange
                                                           

                                                                 Para o Manel
Encostado à amurada de um navio
recordas viagens inacabadas.
Vêm de muito longe todas as memórias.
Eras Ismael e amavas a baleia branca.
Quando entraste na baleeira
tinhas uma dor derramada no peito.
Querias apenas vê-la de perto.
Tão perto que não te importavas de morrer.

Graça Pires
De Espaço livre com barcos, 2014

51 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Profundo e lindo poema! Parabéns

Bom fim de semana
beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

✿ chica disse...

Intenso querer que até pode fazer morrer. Linda poesia! ótimo fim de semana! bjs, chica

Rita Freitas disse...

Tão melancólico e tão lindo!

Beijinhos e bom fim de semana

Nequéren Reis disse...

Que lindo blog arrasou no texto linda imagens
amei em entrar neste blo sucesso seguindo, bom final de semana
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=eNNlFtDc1-o
Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia Graça.
Intenso poema, um lindo final de semana. Beijos.

Marineide Dan Ribeiro disse...

É...Esse olhar diz muita coisa!
Você soube captar muito bem este momento...

Um abraço!

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, sempre há a história como pano de fundo em poemas tão ricos como o seu.
A foto já nos pega pelo olhar ao longe à procura de algo que ainda não se perdeu.
Parabéns pela belíssima postagem.
Grande abraço!

EU disse...

Quando se ama de paixão (é um pleonasmo, mas eles têm o seu sentido), não se tem noção do perigo. Para o Manel, ali é que era o seu lugar.
Um belo poema, amiga Graça.
Bjo :)

Marta Vinhais disse...

Há sempre viagens inacabadas.... Há sempre dor na partida... E nunca se deixa de amar...
Lindo como sempre...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Sinval Santos da Silveira disse...

Ah Graça Pires, amiga !
Quantas vezes não queremos o
resultado...
Bastaria experimentar, ver,
tocar apenas. Lindo texto !
Um carinhoso abraço, aqui do
Brasil !
Sinval.

DE-PROPOSITO disse...

recordas viagens inacabadas.
----------
As recordações por vezes são dolorosas. Recordações são sonhos passados.

Que a felicidade ande por aí
Beijinho
MANUEL

Luis Eme disse...

O mar desperta quase tudo...

abraço Graça

Mar Arável disse...

Todos os dias construímos memórias

inacabadas viagens

Bjs tantos

Cadinho RoCo disse...

Hum, que delícia que poema! Viagens inacabadas... qual de nós não as tem em memória?
Cadinho RoCo

Benó disse...

Um bom fim de semana talvez com uma viagem inacabada, Graça. As minhas são-no sempre. Trago sempre um desejo de voltar. Um abraço.

Lilly Silva disse...

Que maravilhoso poema amiga Graça! Aliás como tudo que sempre postas aqui!!!
Beijos e beijos e bom fim de semana!!!

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Jaime A. disse...

"E tanto a amaste
que morreu,
os olhos revirados
para ti,
para os céus,
num amor vadio,
de serpente revirando-se."

Agostinho disse...

A elevação suprema
a capacidade de tocar
a aventura temerária sem mácula
a ventura de saber amar
tudo vertido num poema

Obrigado, Graça.

Isa Sá disse...

Bonito poema. Tenha um ótimo fim de semana.

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Jaime Portela disse...

Graça, há muito tempo que gosto da sua poesia (que é excelente) e do seu blogue.
Por isso, estou certo que vou continuar a passar por aqui muitas vezes.
Tenha um bom fim de semana.
Saudações poéticas.

© Piedade Araújo Sol disse...

nostálgico e o entanto belo, na sua melancolia.

comovida....estou!

beijo

:)

Teresa Durães disse...

Um poema de um livro que gostei bastante. Um poema que expressa a plenitude alcançada com os Deuses. Gostei bastante.

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
A sua poesia comove-me sempre.
O seu Livro Espaço livre com barcos está recheado de tantos sentimentos e emoções que por vezes o meu mar extravasa!
Obrigada!
Um beijinho e bom fim de semana.
Ailime

POESIAS SENSUAIS E CONTOS disse...

Espetacular blog. Belo e inspirador conteudo. Um maravilhoso fim de semana. Paz e alegria

São disse...

Que poema lindo e terno, minha amiga!

Abraço com carinho

teresa p. disse...

A recordação de "viagens inacabadas", o sonho pelo qual se é capaz de dar a vida...
Um poema sublime que tem tudo a ver com a pessoa a quem é dedicado. È uma prenda feliz e carinhosa da Graça para o Manel. Parabéns!
A foto é forte e transmite sentimentos inexplicáveis.
Beijo.

Nidja Andrade disse...

Tempo de liberação de todas as memórias que geram sentimentos, moções, amores... enfim... AbraçO

lis disse...

Ah como lastimamos nao terminar as viagens,
_ ir até o fim da estrada mesmo que tenhamos que voltar_ desolados...
* preciso encomendar um livro seu .

abraço Graça

Parapeito disse...

É sempre tão bom, ler e reler os seus poemas doce Graça.
Cheio de tanto, sempre.
Abraço e brisas doces *****

Gaby Soncini disse...

Que linda poeta é você!

Abraços!

Graça Sampaio disse...

Ao contrário de Moby Dick...
Muito bom - como sempre!

Beijinhos, Poeta!

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
VENDO A IMAGEM E LENDO TEUS VERSOS, SENTI TODA A NOSTALGIA QUE COM TEU TALENTO NELES IMPRIMISTES.
LINDOS COMO SEMPRE.
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Daniel Costa disse...

Graça Pires, um poema bem bonito, vir recorda, um lobo do mar, como tantos homens simples e fortes que enfrentaram a dureza da faina.
Beijos

Ives disse...

Se vaga a lembrança, toca de fagulhas que viram fogueiras! ives vietro

Ana Tapadas disse...

Belíssimo e profundo poema, remando na memória...

Beijo

ManuelFL disse...

Eu tenho muitas razões para gostar deste poema da Graça, mais do que me cabe aqui escrever.
A vida tem muitos desafios, entre eles a sedução, por vezes maligna, das baleias brancas.
A «dor derramada no peito» é apenas o tributo a pagar pela viagem, a busca inacabada própria da nossa condição de seres vulneráveis.

heretico disse...

"Manel", nome de Marinheiro, sem dúvida!...

e alguns (marinheiros) com a "baleia branca" a dulcificar o rosto das tempestades...

beijo, Graça.

Toninho disse...

Quando a determinação vai além das prudências.
Para ser feliz Às vezes vive-se o risco.
Lindo e profundo minha amiga que me faz ficar admirando.
Uma semana de paz e inspiração.
Beijo no seu coração.
Um abração com carinho

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Assim como as baleias
são os sonhos.
Buscamo-os a vida inteira.
Às vezes os encontramos
a tempo de também nos encontrar...
Mas às vezes nos perdemos,
e mesmo assim,
terá valido à pena
a procura...

Sua vida é preciosa para mim.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Há vidas que valem a pena precisamente porque ousaram ser, sentindo...

Um beijo

Teresa Almeida disse...

Que saudades deste olhar a apontar um caminho novo.
Abraço imenso. Obrigada.

MARIPA disse...



Um poema belo que me comoveu, como me comoveram aqueles olhos tristes.
Uma homenagem linda escrita por uma pessoa com uma sensibilidade imensa.

Beijinho amigo, Graça.

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Graça. Um belo poema.
Aqui não importavam as consequências e sim o entregar-se.
Assim, cada momento será mesmo inesquecível.
Tudo de bom.
Beijos na alma.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, lindo poema nostálgico.
AG

Fê blue bird disse...

Talvez por não a ter visto essa viagem ficou inacabada.
Restam as memórias de um homem sofrido.

Comovente, intenso e muito belo este seu poema amiga Graça.

Um beijinho

Giancarlo disse...

Un felice fine settimana a te...ciao.

manuela barroso disse...

O sonho da viagem no desprazer do fim da caminhada
Em cada poema , uma pérola !
Beijinho , caríssima Graça !

MARILENE disse...

O desejo supera o medo, quando mora no sonho que se quer realizar. Belo! Bjs.

manuela baptista disse...

Moby Dick, a valente baleia

muito perto de Ismael


um abraço, Graça

AC disse...

A obsessão nem sempre pare bons filhos.

Um beijinho :)

Jaime A. disse...

Ismael adorava a baleia branca
Ahab adorava o arpão e o que ele faria à baleia branca
Ismael odiava Ahab
Ahab adorava a espuma que trazia a baleia branca