26.2.18

Luz

John Martin

Persigo a noite na margem proibida das trevas.
Um júbilo nocturno incendeia todos os espelhos
e sob o coração das sombras vislumbro,
em meu olhar, o mais intenso brilho.
Não sei mais o que dizer.
É tão frágil tudo o que nos pode purificar!

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013, p. 18

61 comentários:

✿ chica disse...

Beleza,Graça! Poesia e imagem nota DEZ! beijos, linda semana,chica

Cidália Ferreira disse...

Bom dia!!

Muito belo o seu poema!! Amei!

Beijo e uma excelente semana.

Marta Vinhais disse...

Não há nada a dizer... apenas sentir a beleza da luz... a romper as trevas... trazendo a esperança...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Alfredo Rangel disse...

Mantenha, Graça, este olhar de brilho tão intenso. É isto que a vida espera de você. Que bom poder indicar à uma de minhas mestras o nome de Alice Queiroz. Que bom viver este mundo maravilhoso da poesia, da sensibilidade e do verdadeiro amor...

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo trabalho poético de que gostei bastante.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Larissa Santos disse...

Excelente Poema. Adorei :)

Hoje, o Gil, devido a compromissos profissionais só poderá estar "presente" mais tarde Mas tem para vos oferecer: - É o teu coração um poema sem rima
.
Bjos

Votos de boa Segunda-Feira

© Piedade Araújo Sol disse...

Graça

e é na noite que o brilho mais intenso nos afaga
e nos deixa em paz com as nossas memórias

muito belo o poema e cheio de sensibilidade

boa semana.

beijinhos

:)

Olinda Melo disse...


Com esse brilho no olhar, não será preciso dizer mais nada.

Belo poema, Graça.

Bj

Olinda

Mar Arável disse...

nas tuas mãos sempre a luz brilha
boa memória viva
Bj

Poções de Arte disse...

Lindo!
A imagem nos prende.

Obrigada pelo carinho com as Caixinhas de Costura.

Feliz semana,
Abração esmagador.

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Graça!
Que lindeza!
Sim, é frágil demais o que pode nos purifica... maravilhoso pensar e sentir!
Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
Bjm de paz e bem

Manuel Veiga disse...

compete ao poeta resgatar a Luz da vertigem da Trevas, não é Graça?
nem que para tanto seu corpo seja flama acesa.

belíssimo.

beijo, minha Amiga

María Perlada disse...

Luz entre sombras intensidad en tus versos, un placer leerte.

Besos enormes.

Sinval Santos da Silveira disse...

Minha Mestra/Poetisa, Graça Pires !
Tua presença ofusca qualquer treva atrevida...
Que belo texto, Amiga !
Muito grato por compartilhares.
Uma ótima semana e um carinhoso abraço, aqui
do meu Brasil !
Sinval.

baili disse...

What marvelous and thought provoking poem dear Grace!!!

Yes each of us has light inside our heart ,all we need to look for it and spread it into our souls

Tais Luso disse...

Maravilhoso poema, querida Graça, e a obra do inglês John Martin é sensacional, casamento perfeito entre poema e obra.
Beijo!

Isa Sá disse...

Mais um bonito poema.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Luis Eme disse...

Pois é...

Que poema tão humano e realista...

abraço Graça

Ives disse...

Às trevas o espanto, até chegar à luz salvadora! linda expressão, beijos

Rita Freitas disse...

E entramos na dualidade humana, por vezes tão difícil de lidar.

Muito bonito!

Beijinhos

Neide Bosch disse...

Lindo poema,poesia é tudo na vida.
bjs!

Pérola disse...

Duma fragilidade comovente...emocionante.

Beijinhos

Fá menor disse...

A Luz brilha nas trevas. Há que acolhê-la.

Beijinhos.

Lúcia Soares disse...

Oi flor lindo poema, bjs no coração

lis disse...

Suas palavras tem luz própria Graça
e dela nos apoderamos para que as trevas não nos alcancem.
Bela poeta tu és!
deixo abraços

Bell disse...

Forte e marcante.

bjokas =)

Pedro Luso disse...

Gostei muito, Graça, deste teu poema, "Luz", um dos que compõem "De Caderno de significados", um dos teus livros de poemas. Como não gostar de "Luz", que é composto de belíssimos versos, como estes: "Um júbilo nocturno incendeia todos os espelhos". Parabéns, querida amiga.
Um beijo.
Pedro

Emília Pinto disse...

Apesar da escuridão da noite, há momentos assim, inexplicáveis, instantes que enchem o nosso coração de luz e tudo à volta fica iluminado. Muita coisa acontece sem que saibamos o que dizer, pois a vida é misteriosa, a mente humana mais ainda e a nossa alma até para nós por vezes desconhecida. Mas o teu poema, Graça, leva-me a pensar que não precisamos da luz externa para que nos sintamos iluminados; a paz de espirito é a luz que mais claridade traz, para nós e para todos os que nos rodeiam. O que mais dizer, amiga? Que gostei muito e que foi um belo momento de poesia. Apesar da chuva e do frio, desejo que os teus olhos continuem a brilhar. Um beijinho
Emilia

Cristina Cebola disse...


Olá Graça!
Foi com um misto de alegria e gratidão que vi o seu comentário no meu blogue.
Há muito tempo que não ando por estes lados, embora esteja sempre presente a vontade de voltar.
Foi também com enorme prazer, que voltei a ler alguns dos seus poemas...a sua poesia é e será sempre imensa!

Beijinho muito agradecido.

(Deixei resposta)

Ana Freire disse...

Ofuscada perante o brilho do seu talento, Graça... vejo-me na necessidade de anotar, este poema brilhante, no meu caderninho de futuros destaques!... :-))
Parabéns, por nos brindar, com mais uma belíssima inspiração... e grata por isso!
Um beijinho grande! Votos de continuação de uma excelente semana!
Ana

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Um poema muito belo!
"das sombras vislumbro,
em meu olhar, o mais intenso brilho.
Não sei mais o que dizer.
É tão frágil tudo o que nos pode purificar"!
Mas tão forte o seu sublime dom poético!
Beijinhos e continuação de boa semana.
Ailime

Lu Dantas disse...

Nossa! Tão bonito, tão real! ;)

beijos!

https://ludantasmusica.blogspot.com.br

Maria Rodrigues disse...

Que haja sempre uma luz a iluminar as nossas noites mais sombrias.
Um poema sublime.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

A Casa Madeira disse...

Que lindo! realmente é tudo muito frágil.
Boa entrada de mês de março.
PAZ E BEM.

ManuelFL disse...

«È tão frágil tudo aquilo que nos purifica.» As palavras da Graça são exatas e luminosas quando exprimem a luta permanente entre a luz e a sombra, uma metáfora da vida.
A referência a luz e sombra fez ressoar na minha cabeça os versos de uma canção do Zeca Afonso que me impressionaram e não me largaram desde a primeira vez que ouvi a canção, sobretudo o último verso:

«A palavra sarcasmo é uma rosa rubra.
A palavra silêncio é uma rosa chá.
Não há céu de palavras que a cidade não cubra
não há rua de sons que a palavra não corra
à procura da sombra de uma luz que não há.»

Beijos, Graça

Anete disse...

Lindas palavras do coração adentro...
Um grande abraço

LuísM Castanheira disse...

nas linhas do poema
a claridade que alimenta.

tão bela esta "frágil" fronteira,
minha Amiga.

uma boa semana, Graça, e
um beijo.

maría del rosario Alessandrini disse...

La noche Dama de las sombras, bonitas letras.
Abrazo

teresa p. disse...

Também "não sei mais o que dizer" perante este poema tão luminoso. Apenas digo contigo: É tão frágil tudo o que nos pode purificar!"
A imagem que ilustra o poema é perfeita.
Beijo

Teresa Almeida disse...


E da perseguição brotou o júbilo do poema.
Assim o sinto.

Beijo, amiga Graça.

Marta Moura disse...

:)

Gil António disse...

Intenso, maravilhoso, um fascínio de poema.
.
* Soneto escrito no escuro ... em versos de luz sombria *
.
Deixo um abraço amigo

manuela baptista disse...

frágeis também são os pássaros e no entanto, voam

com esta luz que os poetas possuem no olhar :)

um abraço, Graça

Nana Flor disse...

Passando pra te deixar um bjinhos em seu coração ...

CÉU disse...

Ola, estimada Graça!

Sinto-me "frágil", incapaz de comentar poemas tão metafóricos e tão eruditos!
E somos nós de História! Dante, Petrarca, Ovídeo venham cá ajudar-me, por favor!

Os poetas têm tendência para coisas "proibidas", e por isso sentem-se felizes, sempre que pisam o "risco" e extravasam. É o caso (rs)!

Simplicidade e fragilidade talvez andem de mãos dadas nesta "LUZ" que tanto alegra o seu peito.

Beijos e bom fim de semana.

Nota: estarei ausente dos blogues, temporariamente, por necessitar tratar (cirurgia) e repousar as minhas mãos. Até "breve"!

María Perlada disse...

No hay nada nuevo pero te dejo un beso enorme deseándote una feliz noche.

Louraini Christmann - Lola disse...

E frágil, sim, minha irmã de poesia.
Mas nos purifica!!!

Linda poesia!!

um grande abraço

manuela barroso disse...

Esse paradoxal brilho na noite, essa purificação nas trevas
onde há uma purificação...tudo tão subtilmente belo!
Ler-te, é também um júbilo!
Beijinho com saudades, Graça, querida amiga!

teresa dias disse...

Olá, Graça!
Poema pequeno mas luminoso.
Tudo se pode dizer com palavras poucas. Tu, sabes como fazê-lo!
Foto muito bem escolhida.
Beijo e bom fim-de-semana.

solfirmino disse...

Graça, querida, de frágil não tem nada, esse brilho é a tal "claridade que cega"...
Beijo

Smareis disse...

Boa noite Graça!
Um poema maravilhoso.
uma bela imagem que casou tão bem com o poema.
Desculpa a ausência por aqui. Minha pausa no blog acabou demorando um pouquinho mais.
Um abração, e boa semana!

Lourdinha Vilela disse...

Entre a luz e a sombra filtram-se feixes a partir do o teu olhar poético que nos encandeiam
também o olhar. Sua poesia purifica. Como sempre um sensível e belo poema. Um abraço Graça.

silvioafonso disse...

Quando eu cheguei tu já tinhas ido,
só o teu perfume esperava por mim.

Belos versos, minha doce e querida
poeta.

Beijos.

silvioafonso



.

José Carlos Sant Anna disse...

E não precisa dizê-lo. Esta fragilidade de que nos fala, nos toca sobremaneira porque nos faz descobrir de que somos feitos. O que não podemos deixar de dizer é que nos afogamos em tanta luz que emana do poema. Um poema extraordinário.
Um beijo, doce amiga!

la casetta delle meraviglie disse...

very poetic, i love it!

Agostinho disse...

"É tão frágil tudo o que nos pode purificar!"!
Basta revermo-nos nos espelhos impregnados da Luz.
Bj.

Odete Ferreira disse...

De um campo semântico todo ele obscuro, tiras o sentido maior da vida: procurar a luz, mesmo na sua efemeridade.
Aplausos!
Bjo, Graça

AC disse...

Não sei que diga, Graça, anão ser que as palavras se encaixavam, harmoniosamente, à medida que ia lendo...
Lindo!

Um beijinho :)

Humberto Maranduva disse...

Na alma da nossa interioridade mais recôndita permanece o fogo espiritual das reminiscências mais puras e fulgurantes, qual diamante de silêncio a aturdir o âmago dos ímpetos mais frágeis e sentidos das palavras espelhadas no olhar dos afectos mutuados.
Um beijinho, Graça

Menina Marota disse...

Ousei "roubar" este magnifico poema para um dos meus Blogues, do Sapo. Peço desculpa pelo atrevimento.
Feliz Páscoa e um grande abraço

Side Kicker disse...

A vida não é tão bonita sem um poema tão bonito.
Beijos