7.10.19

Em seara alheia



Sou Valquíria

Sou valquíria de cavalo à solta
Sem rédeas 
Sem esporas
Pégaso, meu cavalo, sobrevoou comigo todos os rincões
da floresta, seguindo teu rasto.
A atmosfera, grávida de ti, chamava-me.
De lança, sedenta de amor, incitava Pégaso a voar como um louco.
E à medida que nos aproximávamos dos teus sinais,
mais me distanciava de ti.
Por onde te escondes, doce guerreiro,
que foges das lanças do amor?
Um dia Pégaso descobrir-te-á e, nesse dia, vencerei a batalha.

Carmo Baião
In: Dançam corpos em almas inquietas. Lisboa: Edições Vieira da Silva, 2019, p. 9

51 comentários:

Giancarlo disse...

Molto bella.
Buon inizio settimana

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei deste poema e aproveito para desejar uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

chica disse...

Lindos e bem decididos versos,firme no intuito! Gostei de ler! beijos, ótima semana! chica

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá  
Brilhos da Moda

Daniel Costa disse...

Graça Pires, poema bem interessante. Acho curioso, quando postas poema de outrem, sinto-o com se fosse parte do teu tom de poesia, de que aprecio.
bjs

Cidália Ferreira disse...

Mais um interessante poema! Amei!!

Sinto falta das palavras, apenas as tuas. [Do Blogue - Com Amor]
Beijo e uma excelente semana.

Marta Vinhais disse...

Ás vezes, o Amor esconde-se, mas depois.... encontra-se no sítio mais inesperado....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

bea disse...

A cavalgada da valquíria:). Não sei para que tanto procura ela o doce guerreiro se é mensageira de morte e é dentre os mortos que escolhe o seu amor. Mas são lindas e mágicas as valquírias. Parece que encantavam com a sua beleza os guerreiros mortos; e lhes serviam o néctar divino. Há quem as diga apenas matadoras de homens.

Larissa Santos disse...

Uma excelente escolha:))

Bjos
Votos de uma Segunda-Feira

Teresa Durães disse...

(desculpe, um furacão passou pela minha vida, hei-de regressar)

carlos perrotti disse...

Muito obrigado por nos apresentar a esta poeta pura energia e expressividade.

Grande abraço Graça, amiga!!

Duarte disse...

Sai muitos os bons frutos que se podem colher em seara alheia e até gostei.
Abraços de vida, querida amiga

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde querida Graça
Um poema muito belo. Uma feliz semana amiga. Carinhoso abraço.

fatimawines disse...

Olá,Graça!

Meter a mão em seara alheia não é assim tão mau?! ou é ?
Abraço de muita amizade,

JUAN FUENTES disse...

Amar a la poesia,es amar a la cultura

Sandi disse...

One day we win.

Sinval Santos da Silveira disse...

Mestra / Poetisa, Graça Pires !
Que busca incessante !
Chega ser comovente
Somente com o combustível do amor,
tal aventura seria possível.
Mais uma feliz escolha para partilhar.
Muito grato.
Uma ótima semana e um carinhoso abraço,
aquio do Brasil !
Sinval.

Sandra May disse...

Olá, Graça!
Obrigada pela visita e comentário em meu blog.
Não conhecia a autora do poema deste post, gratidão pela apresentação da mesma.
Um abraço e tenha uma boa semana!

Tais Luso disse...

Poema muito bonito que nos apresentaste, querida Graça, não conhecia o poeta, mas logicamente me veio à mente o conhecido e belíssimo clássico "Cavalgada das Valquírias, de Wilhelm Richard Wagner!
Um beijo, uma ótima semana!

baili disse...

oh i absolutely loved the poetry dear Grace !

thank you for sharing from other corners of cultures
it shows how thoughts of people mingle somehow at same edge of emotions
difference of interpretation enhance the charm to expression ,each time :)

saudade disse...

Excelente poema.
boa semana
beijo

Fá menor disse...

Só boas escolhas! Bom gosto!

Palavras que sabe bem ler.

Beijinhos.

Teresa Almeida disse...

A Cavalgada das Valquírias é acelerada e inspiradora. E desta seara, trouxeste um belo poema, do domínio da mitologia. A dinâmica poética parece seguir a trilha de Wagner.

Beijinhos, querida amiga Graça.

Mar Arável disse...

Não matem os cavalos

Bj

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Um poema muito belo de Carmo Baião que ainda não conhecia.
Uma excelente e generosa partilha.
Beijinhos, minha Amiga e Enorme Poeta.
Tenha uma magnífica semana.
Ailime

CÉU disse...

Como filha do deus da guerra na mitologia germano-escandinava, não admira que nem ela, nem o seu cavalo se soltem em desfilada para encontrar o seu guerreiro, o seu amor.
Gostei do poema, cuja poetisa desconhecia, que pode ter sentido paradoxal, atendendo à função das Valquírias.

Beijos e boa semana.

Manuel Veiga disse...

gosto das Valquírias. e de suas cavalgadas!

o poema é muito belo,
e a poetisa muito talentosa!

adorei conhecer.

beijo, minha Amiga

Agostinho disse...

Haverá uma subversão explícita na ordem das entidades presentes no poema? Que artes facilitam ao guerreiro iludir, pela invisibilidade, o propósito da Valquíria.
A cavalgada Wagneriana é imparável, não se contém por delongas de intentos.
No poema há ritmo, sem margem para dúvidas, tanto assim que a figura se lança desaustinadamente "sem rédeas/sem esporas" num voo de paixão.
Beijo, Amiga Graça Pires.

Ani Braga disse...

Olá Graça querida


Lindo poema.

Beijos
Ani

Roselia Bezerra disse...

Boa noite de paz, querida amiga Graca!
Metáfora linda para expressar que o Amor vence toda e qualquer batalha.
Ao Amor temos que lancar-nos como guerreiros...
Magnífico poema! Parabéns!
Tenha dias abencoados!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Maria Emilia B. Teixeira disse...

Vim te desejar uma boa noite e retribuir sua visita, semana corrida demais.Amo cavalos e sua liberdade.Bjs.

Pedro Luso disse...

Olá, Graça!
Nesta postagem você no da a oportunidade de conhecer a poetisa Carmo Baião, pelo seu poema “Sou Valquíria”, in: Dançam corpos em almas inquietas. Lisboa: Edições Vieira da Silva, 2019, p. 9:

“Sou valquíria de cavalo à solta
Sem rédeas
Sem esporas [...]”

Gostei muito do poema, querida amiga Graça.
Um beijo.
Pedro

lanochedemedianoche disse...

Bello poema, gran metáfora, gracias.
Abrazo

teresa dias disse...

Olá, querida Graça.
«Batalha vencida» de Carmo Baião, com o poema "A Valquiria" mereceu o lugar na tua "Seara Alheia".
Beijo, minha amiga.

ManuelFL disse...

Um belo poema de amor.
Bjs à Carmo Baião.

Às margens de mim. disse...

Um poema lindo que nos leva a repensar nossas emoções. Abraço

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Graça bom dia.
"Um dia Pégaso descobrir-te-á e, nesse dia, vencerei a batalha."
Que ele nos descubra de verso em verso.
Adorei ler.
Bjins de quina feira.
CatiahoAlc.

Jaime Portela disse...

Nunca tinha lido nada do autor.
Mas gostei muito deste poema. Um destaque merecido.
Graça, continuação de boa semana.
Beijo.

Humberto Maranduva disse...

A força do desejo errante procura fundir mitologias (Nórdica e Grega) para dar mais força ao mito individual da autora, na persecução de novos sentidos que respondam pela re-criação da nossa necessidade de aceitação integradora. É assim o jogo do amor - uma articulação (nem sempre lógica) entre dois termos oponíveis, onde pode sempre existir a convergência.
Poema muito interessante. Parabéns à autora - Carmo Baião.
Um abraço, Graça

Anete disse...

Um poema profundo e reflexivo... O amor verdadeiro é bem assim, faz-nos voar nas alturas!
Um abraço neste final de tarde...

Alécio Souza disse...

Olá Graça, td bem?
Que belo poema! Saiba que gostei muito de conhecer o seu blog.
Um abraço!

LuísM Castanheira disse...

Graça, minha Amiga:
Nao sei se ja' leste, ou se tens conhecimento, mas tens aqui: http://palavracomum.com/uma-vara-de-medir-o-sol/
uma cri'tica, que e' um verdadeiro estudo deste teu livro.
Tenho este comenta'rio para la' deixar, mas ainda nao encontrei forma.
Um beijo.

"A minha amiga e poeta, Graça Pires, tem nesta crítica literária, elaborada por Maria Dovigo, publicada hoje na sua pagina [Link acima] uma análise intensa e objectiva do seu livro «Uma vara de medir o sol», digna de figurar como prefácio nesta obra excepcional, como excepcional e maravilhosa e’ toda a sua Poesia.

Espero que venha a ser muito mais conhecida/reconhecida do que, infelizmente, tem sido.

‘A Autora desta crítica literária, a minha [também] admiração.

Tomo a liberdade de a transcrever para o m/blog https://planetaorbital.blogspot.com/ . Se não concordar, agradecia que mo comunicasse, afim de a eliminar.

Bem-haja."

Mariazita disse...

Não conheço a autora.
Mas, como gostei imenso do poema, vou investigar.
Penso que vale a pena, que não sairei defraudada...

Desejo bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Olinda Melo disse...


Querida Graça

Excelente Valquíria que reclama para si o guerreiro,
o seu herói, em vez de o levar a quem de "direito".
Com Pégaso, penso que conseguirá os seus intentos.

Bela poesia, que nos recorda momentos altos da
mitologia grega.

Parabéns à autora e a si amiga Graça.

Bom fim de semana.

Beijinhos

Olinda

Majo Dutra disse...

Há um tempo para tudo...
Tempo de ser fogosa valquíria
e tempo de poetizar com esse ardor.
Um poema interessante e belo.
Beijinhos, minha Amiga.
~~~~

© Piedade Araújo Sol disse...

Não conheço esta autora, mas, vale o destaque aqui no ortografia.
Bom domingo!
beijinhos
:)

Lucinalva disse...

Olá Graça
Poema reflexivo. Bjs querida.

manuela barroso disse...

Sem dúvida, um belo poema de Carmo Baião que por isso mereceu a tua escolha
Parabéns!
Beijinho, Graça!

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

El amor es una caballo desbocado, que busca quien lo ensille, y no siempre encuentra un buen jinete. Un abrazo. Carlos

Graça Pires disse...

Parabéns minha querida Amiga pelo seu primeiro livro donde saiu este poema tão sugestivo. Que ele seja uma enorme motivação para outros livros.
Um grande beijo.

Anónimo disse...

Utilizando o blog da minha querida amiga Graça Pires, venho deixar o meu sincero agradecimento a todos os leitores que simpaticamente leram e comentaram o meu poema "Sou Valquíria" do livro Dançam Corpos em Almas Inquietas.
Obrigada pela fantástica e sentida apresentação.
Obrigada pelos belíssimos poemas que partilha connosco.

Carmo Baião